Página da UnB é invadida por hackers


A página na internet da Universidade de Brasília (UnB) foi invadida por hackers na madrugada deste sábado. Notícias que estavam na abertura do portal foram alteradas, fazendo piadas. Até o início da tarde de hoje, o site estava fora no ar. No endereço eletrônico era informado que o portal estava “em manutenção”.O prefeito do campus, Paulo César Marques, que descobriu o problema ainda na madruga, disse ao jornal da universidade que foi o primeiro a avisar o centro de processamento de dados da instituição, que retirou a página do ar para fazer correções. A Polícia Federal (PF) foi informada do ataque e a própria universidade está investigando o caso.

De acordo com a universidade, parece não ter havido vazamento de dados, mas apenas a alteração de notícias que estavam na página virtual. Em uma delas, os hackers colocaram a falsa informação de que o reitor da instituição havia sido assaltado. Em outra, que serão feitas mais festas no campus. Uma terceira diz que na próxima segunda-feira começaria a “Semana do Sexo”.

Fonte e Direitos Autorais: Agência Estado – 25.JUN.11 – 13:47 |  Atualizado em 25.06 – 15:07.

As 10 Tarefas de TI Mais Fáceis no Windows Server 2008 R2


Faça mais, com menos. Este tem sido o mantra dos adminstradores de servidores há anos, mas não tanto quanto agora. Felizmente, o Windows Server® 2008 R2 cuidou de tudo, com recursos numerosos e variados, projetados especificamente para atender os
desafios atuais de TI à medida que torna o dia a dia um pouco mais fácil. Estes são os dez principais:

1. Migrando VMs Sem Interrupção do Servidor

A migração em tempo real do Windows Server 2008 era um recurso adequado que permitia aos administradores mover VMs entre hosts físicos apenas com um tempo de inatividade curto. Mas havia um transtorno, mesmo esse tempo era longo o suficiente para remover aplicações ou usuários conectados, o que costumava irritar o suporte técnico. O Windows Server 2008 R2 supera este desafio com a Live Migration.

A Live Migration aproveita os Serviços de Cluster do Windows e a tecnologia Volumes Compartilhados do Cluster para transferir VMs em milésimos de segundo. Isso significa que não há queda nas conexões e que o ambiente de gerenciamento do data center é bem mais dinâmico.
Com a Live Migration, as VMs são transferidas de um servidor para o outro enquanto os clientes não percebem o tempo de inatividade.  Também foram adicionados recursos de Live Migration ao System Center Virtual Machine Manager, incluindo a capacidade de realizar migrações baseadas em diretiva. Além disso, para oferecer ainda mais flexibilidade foi incluído o modo de
compatibilidade com o processador
, que permite realizar Migrações em tempo real ou rápidas em gerações diferentes de CPUs de mesma marca. É um novo e magnífico mundo virtual. 

2. Alto Desempenho para Acessar Arquivos em Escritórios Remotos, Baixo Custo de WAN

Escritórios remotos podem ser o grande problema dos administradores de servidores e estações de trabalho. Os trabalhadores remotos não conseguem encontrar arquivos devido à falta de acesso ou não conseguem encontrá-los rápido o suficiente devido a
limitações de largura de banda de rede. Apresentamos outro recurso essencial do Windows Server 2008 R2: BranchCache™.

O administrador pode usar o BranchCache para controlar as solicitações de acesso de arquivos e para armazená-los. Os arquivos podem ser recuperados de outro computador cliente de escritório remoto (um modelo de armazenamento de cache ponto a ponto conhecido como modo distribuído) ou de um servidor BranchCache™ dedicado no site remoto (também chamado de modo hospedado). Um servidor BranchCache™ central acompanha as duas solicitações de arquivo existentes e as atualizações de arquivo para assegurar que todas as solicitações recebam somente o conteúdo mais atual.

O resultado é uma solução de armazenamento em cache fácil de configurar e manter que acelera o atendimento às solicitações do cliente remoto e, ao mesmo tempo, diminui a utilização de largura de banda WAN.

3. Gerenciamento de Energia Autoajustável do Datacenter e do Servidor

Ao lado da redução de custos, a TI ecologicamente correta talvez seja a instrução mais importante vinda de níveis mais altos de gerenciamento para TI.  Para ajudar gerentes de TI preocupados em cuidar do meio-ambiente (e economizar dinheiro!) de modo rápido e fácil, a Microsoft apresenta as novas atualizações de gerenciamento de energia do Windows Server 2008 R2.

O Windows Server 2008 R2 tem suporte para a configuração de diretivas de energia, local e remotamente, através da WMI (Windows Management Infrastructure).  Os recursos de ACPI permitem que o sistema operacional meça, capture e relate informações sobre o consumo de energia.  Com ferramentas como o SystemCenter Operations Manager, os dados sobre o consumo de energia se tornam uma métrica acionável para o administrador do datacenter.

O R2 também permite aos administradores criar diretivas de energia ativas que podem fazer com que a velocidade de processamento do servidor seja reduzida (throttle-down) nas horas de menor movimento usando as interfaces de gerenciamento remoto compatíveis com DMTF. A diminuição de velocidade (throttling down) também amplia as redes SAN (rede de área de armazenamento), que o R2 poderá colocar em um estado de baixo consumo de energia quando não estiverem sendo totalmente utilizadas.

4. Obtenha o Máximo do Seu Hardware

A virtualização talvez seja uma grande vantagem quando o assunto é consolidação de servidor, mas em outras áreas ela vem pressionando o desempenho dos hosts de virtualização ao máximo. O Windows Server 2008 R2 possui diversos novos recursos projetados para tirar o máximo proveito de toda a configuração de hardware.

Antes de tudo, porque ele aproveita os últimos dois anos de fabricação de CPU de servidor de 64bits, o Windows Server 2008 R2 é o primeiro sistema operacional de servidor Microsoft a utilizar apenas o caminho de 64-bits. Suas aplicações de 32bits continuarão
a ser executadas de maneira perfeita no R2, porém o sistema operacional de 64 bits é mais bem projetado para aproveitar as CPUs de servidor high-end da AMD e da Intel.

Há outros recursos também, como a escalabilidade vertical do Windows Server 2008 R2 para atender até 256 processadores lógicos em um único servidor e o Hyper-V que no R2 pode usar até 64 processadores lógicos no pool de processadores de host. O R2 também pode tirar proveito dos recursos de CPU avançados, incluindo a Conversão (de Endereço) de Segundo Nível (Second Level Translation) para obter um gerenciamento de memória bastante aprimorado. O programa possui o modo de compatibilidade com o processador que facilita a migração de VMs entre diferentes arquiteturas de CPU de fornecedores.

5. Melhor Gerenciamento de Data Centers Virtuais

Os data centers tornaram-se virtuais com uma rapidez que surpreendeu até os especialistas. Porém, ainda que o potencial tecnológico seja fácil de conseguir, ferramentas para gerenciar com eficiência grandes pools de recursos virtualizados têm demorado a surgir. O Windows Server 2008 R2 ajuda a preencher esta lacuna com uma atualização eficiente para Hyper-V™.

O novo Hyper-V™ possui diversas melhorias em relação ao antigo, incluindo o suporte a VMs de 32bits e 64 bits, suporte de memória maior (até 64GB por VM), acesso a disco pass-through e novas arquiteturas compartilhadas de hardware para recursos como disco, rede e vídeo. Os gerentes não foram esquecidos, o Hyper-V™ inclui novos consoles de Live Migration e clusters de alta disponibilidade, suporte para extensibilidade de gerenciamento WMI e ferramentas do dia a dia para facilitar a vida como os instantâneos de Máquina Virtual. Por fim, o Hyper-V™ também oferece uma infinidade de novos suportes do PowerShell 2.0 com diversos cmdlets novos dedicados.

6. Crie Ferramentas de Gerenciamento Automatizadas e Personalizadas

As ferramentas de gerenciamento “enlatadas” são ótimas, mas em cenários maiores, especialmente nos ambientes verticais, é essencial ser capaz de criar sua própria caixa de ferramentas de gerenciamento. A Microsoft avançou um passo nesta direção com o lançamento do PowerShell 1.0 com o Windows Server 2008. No Windows Server 2008 R2 está nossa reação aos comentários extremamente positivos sobre este recurso com o PowerShell version 2.0 remodelado e atualizado.

O novo PowerShell traz melhorias em todos os campos, com gerenciamento remoto aprimorado através do WS-Management, maior segurança com recursos como runspaces restritos, funcionalidade de script estendida e até portabilidade de script aprimorada via XML. Você encontrará um novo Graphical PowerShell que inclui recursos de IDE para desenvolvedores, e ferramentas de depuração para que eles possam criar seus próprios cmdlets.  Não podemos esquecer os mais de 240 cmdlets novos que vêm prontos, junto com o R2.

7. Use a Virtualização para Facilitar o Gerenciamento de Área de Trabalho

O recurso de virtualização do servidor Hyper-V™ consiste em metade da mensagem de virtualização do Windows Server 2008 R2. O gerenciamento de área de trabalho e aplicação sempre foi uma tarefa difícil devido à natureza distribuída de suas metas.
Contudo, com o R2, a Microsoft apresenta uma solução centralizada para muitas dessas dificuldades por meio da virtualização de apresentação.

A nova VDI (Infraestrutura de Estação de Trabalho Virtual) no Windows Server 2008 R2 simboliza bem esta visão e aproveita a base sólida de virtualização de apresentação que criamos nos Serviços de Terminal do Windows Server 2008. Com o advento do Windows Server 2008 R2 este recurso agora se chama Serviços de Área de Trabalho Remota no qual está inclusa a VDI uma arquitetura de fornecimento de área de trabalho centralizada que permite aos clientes centralizarem armazenamento, execução e gerenciamento de área de trabalho ou aplicação do Windows® no data center. Este recurso oferece aos administradores de área de trabalho e aplicação um kit de ferramentas totalmente novo para uma melhor capacitação de cenários de trabalho flexíveis, incluindo o trabalho em casa ou o compartilhamento de mesas (hot-desking), além de maior segurança para os dados, conformidade e gerenciamento mais eficiente do sistema operacional e aplicações de área de trabalho.

8. Amplie a Adoção do Acesso Remoto e Facilite o Gerenciamento

A TI ecologicamente correta, a disparada nos preços dos combustíveis e a necessidade de realizar o trabalho seja onde for: esses fatores combinados fazem da computação remota uma das tarefas de gerenciamento de TI mais importantes e difíceis atualmente. O Windows Server 2008 R2 trata desta questão com um novo recurso empolgante que busca transformar a sua VPN pesada em uma rede tão fácil de gerenciar e confiável quanto um tom de discagem.

O DirectAccess é um modo eficiente dos usuários remotos acessarem recursos da rede corporativa diretamente, sem precisar da tradicional conexão VPN e de software cliente.
Usando tecnologias que acompanham o Windows Server 2008, a Microsoft adicionou assistentes de gerenciamento simples que permitem aos administradores configurar o SSTP e o IPv6 em clientes R2 e Windows 7 para permitir a conexão do DirectAccess básica e depois aumentar essa conexão com gerenciamento R2 adicional e ferramentas de segurança, incluindo diretivas de gerenciamento e NAP.

Com o DirectAccess, todo usuário é considerado remoto todo o tempo. Os usuários não precisam mais diferenciar conexões locais e remotas. O DirectAccess lida com todas essas distinções em segundo plano. Os profissionais de TI mantém um controle preciso
de acesso e segurança completa de perímetro, ajudando a facilitar a segurança da área de trabalho e a minimizar as preocupações de gerenciamento nos dois lados da conexão.

9. Eleve o Nível de Seus Serviços Web e de Aplicações

Nunca foi tão fácil desenvolver aplicações Web. Isso gerou um repentino aumento na necessidade dos administradores de TI de hospedar e manter aplicações personalizadas, incluindo serviços Web, aplicações Web completas e arquiteturas SOA. O Windows Server 2008 R2 ajudou a permitir que essa tendência ocorresse com as diversas tecnologias dedicadas especialmente a tornar o R2 o servidor de aplicação mais avançado até o momento, com destaque para os IIS 7.5 (Internet Information Services).

O IIS 7.5 recebeu um aumento considerável no R2, com uma interface de gerenciamento atualizada, novo suporte para cmdlets do PowerShell e uma API estendida para um desenvolvimento mais fácil das Extensões do IIS pela Microsoft e desenvolvedores externos. Além disso, o IIS lançou várias das mais populares Extensões do Windows Server 2008 e agora oferece suporte para PHP e .NET no Server Core.

10. Revolucione a Forma Como Você Gerencia Seus Dados

O gerenciamento de armazenamento não envolve apenas o gerenciamento de discos. O volume de armazenamento aumentará em uma taxa anual combinada de 51% entre 2008 e 2012 de acordo com a IDC*. Para manter o ritmo e a competitividade no mercado, as empresas devem começar a gerenciar os dados, não apenas os discos. O Windows Server 2008 R2 fornece aos administradores de TI as ferramentas necessárias para esse tipo de iniciativa com a nova Infraestrutura de Classificação de Arquivos (FCI). Esses novos recursos geram um mecanismo de classificação extenso e automatizado, baseado nas arquiteturas de compartilhamento de arquivos existentes. Com isso, os administradores de TI podem direcionar ações específicas a arquivos específicos com base em uma classificação totalmente personalizável. A FCI também pode ser estendida aos parceiros, o que significa que os usuários do Windows Server 2008 R2 podem esperar pelo lançamento de recursos adicionais baseados em FCI que serão fornecidos por ISVs no futuro próximo.

Dez Razões para Atualizar para o Windows Server 2008 R2


O Windows Server® 2008 R2 é o mais novo sistema operacional Windows Server da Microsoft. Projetado para ajudar as empresas a reduzir os custos operacionais e aumentar a eficiência, o Windows Server 2008 R2 proporciona um controle de gerenciamento melhor sobre os recursos em toda a empresa. O software permite reduzir o consumo de energia e custos elevados garantindo, assim, a eficiência em termos de uso de energia elétrica e desempenho. Ele também ajuda a fornecer recursos aprimorados para
escritórios remotos, experiências novas de acesso remoto e interessantes, gerenciamento de servidor dinamizado, além de expandir a estratégia de virtualização da Microsoft para computadores clientes e servidores.

1. Recursos Avançados de Hardware e Escala

O Windows Server 2008 R2 foi projetado para um desempenho igual, ou melhor, pela mesma base de hardware que o Windows Server 2008. Além disso, o R2 é o primeiro sistema operacional Windows Server a se mudar exclusivamente para uma arquitetura de 64 bits.

O Windows Server 2008 R2 também possui diversos aprimoramentos específicos de CPU. Primeiramente, esta versão expandiu o suporte à CPU para permitir que os clientes executem com até 256 processadores lógicos. O R2 também oferece suporte para Conversão [de Endereço] de Segundo Nível (SLAT – Second-Level [Address] Translation) que permite ao R2 aproveitar o recurso Tabelas de Página Aprimorada encontrados nas mais recentes CPUs AMD assim como o recurso Tabelas de Página Aninhada
encontrado nos mais recentes processadores Intel. A combinação possibilita aos servidores R2 executar com um gerenciamento de memória bastante aprimorado.

Os componentes do Windows Server 2008 R2 receberam aumentos de hardware. O Hyper-V no Windows Server 2008 R2 agora pode acessar até 64 CPUs lógicas em computadores host. Esta capacidade não apenas aproveita os novos sistemas multicore como também significa índices de consolidação de máquinas virtuais por host físico maiores.

2. Consumo de Energia Reduzido

O Windows Server 2008 introduziu uma diretiva de consumo de energia “equilibrado”, que monitora o grau de utilização dos processadores no servidor e ajusta o estado de desempenho do processador de forma dinâmica para limitar a energia de acordo
com a necessidade da carga de trabalho. O Windows Server 2008 R2 aprimora seu recurso de economia de energia agregando mais capacidade granular para gerenciar e monitorar o consumo de energia do servidor e da CPU do servidor, além de estender sua capacidade ao desktop por meio das configurações da nova diretiva de grupo baseada no consumo de energia.

A Diretiva de Grupo do Active Directory® Domain Services no Windows Server 2008 já concedeu aos administradores certo controle sobre o gerenciamento de energia em computadores clientes. Essas capacidades foram aprimoradas no Windows Server 2008 R2 e no Windows® 7 para oferecer um controle ainda mais preciso dos cenários de implantação para um potencial ainda maior de economia.

3. Hyper-V™ no Windows Server 2008 R2

O Windows Server 2008 R2 também inclui a tão esperada atualização da tecnologia de virtualização da Microsoft, o Hyper-V™. O novo Hyper-V™ foi projetado para potencializar o gerenciamento da máquina virtual existente, bem como para lidar com desafios de TI específicos, especialmente os relacionados à migração de servidor.

O Hyper-V™ é uma tecnologia de capacitação para um dos recursos de destaque do Windows Server 2008 R2, a Live Migration. Com o Hyper-V versão 1.0, o Windows Server 2008 era capaz de executar o Quick Migration, que permitia mover VMs entre hosts físicos em apenas alguns segundos do tempo de inatividade. Mesmo assim, esses poucos segundos eram suficientes para causar dificuldades em determinadas situações, principalmente naquelas relacionadas a conexões de clientes a servidores hospedados por VMs. Com a Live Migration, as mudanças entre destinos físicos ocorrem em milissegundos, o que significa que as operações de migração tornaram-se invisíveis para os usuários conectados. Para facilitar ainda mais a migração, o novo recurso chamado modo de compatibilidade com o processador permite aos administradores migrar máquinas entre gerações diferentes de CPUs
de mesma marca.

Os clientes que estão implantando o System Center Virtual Machine Manager para Hyper-V também irão aproveitar os cenários de gerenciamento e orquestração, incluindo o novo recurso Otimização de Desempenho e Recursos Voltada para VM e suporte para gerenciamento de clusters de failover atualizado.

O novo Hyper-V™ também possui aprimoramentos de desempenho básico, incluindo a capacidade mencionada anteriormente de tirar proveito dos 64 processadores lógicos e fortalecer o desempenho da CPU com suporte de host para SLAT. Por fim, as VMs também podem adicionar e remover armazenamentos sem precisar de reinicialização, nem de inicialização a partir do VHD.

4. Custos de Área de Trabalho Reduzidos com a VDI

Grande parte do interesse em soluções de virtualização está no mundo dos servidores.

Entretanto, avanços igualmente interessantes estão sendo feitos na virtualização da apresentação, em que o processamento ocorre em um servidor otimizado para obter mais capacidade e disponibilidade, ao passo que gráficos, teclado, mouse e outras funções de E/S são administrados pelo desktop do usuário.

O Windows Server 2008 R2 inclui a tecnologia VDI (Virtual Desktop Integration) aprimorada, que amplia a funcionalidade dos Serviços de Terminal para fornecer certos programas de negócios às áreas de trabalho remotas dos funcionários. Com a VDI, os programas que os Serviços de Área de Trabalho Remota enviam para o computador agora estão disponíveis no menu Iniciar, bem ao lado dos programas instalados localmente. Esta abordagem fornece melhoria na virtualização de área de trabalho e aplicações.

A virtualização de área de trabalho se beneficiará de recursos como: gerenciamento de personalização aprimorado, integração quase invisível entre áreas de trabalho e aplicações Windows 7, melhor desempenho de áudio e gráficos, excelente atualização de acesso a Web, entre outros. A VDI fornece um uso mais eficiente dos recursos virtualizados, melhor integração com o hardware periférico local, além de novos recursos de gerenciamento avançados.

5. Gerenciamento de Servidores Mais Fácil e Eficiente

Embora o aumento dos recursos do sistema operacional de seu servidor seja sempre bom, a desvantagem observada tem sido sempre complexidade e carga de trabalho adicionais para os gerenciadores das atividades diárias do servidor. O Windows Server 2008 R2 lida particularmente com esse problema com muito trabalho que está evidente em todos os seus consoles orientados por gerenciamento. Os recursos dessas ferramentas são:

  • Consumo de energia e gerenciamento mais eficientes no datacenter; conforme demonstração anterior
  • Administração remota mais eficiente, incluindo um Gerenciador de Servidores que pode ser instalado de forma remota
  • Recursos de gerenciamento de identidades mais eficientes com os Serviços de Domínio e os Serviços Federados do Active Directory atualizados e simplificados

O Windows Server 2008 R2 também melhora o recurso popular do PowerShell introduzido no Windows Server 2008. O PowerShell 2.0 está aprimorado em relação a versão anterior com a inclusão de mais de 240 novos cmdlets pré-criados e uma nova interface gráfica do usuárioque agrega recursos de desenvolvimento de nível profissional para a criação de cmdlets. A nova interface inclui cores de sintaxe, novos recursos de depuração de scripts em produção e novas ferramentas de testes.

6. Acesso Remoto Onipresente

A força de trabalho móvel atual vem aumentando as demandas para que TI forneça acesso remoto a recursos corporativos. Contudo, gerenciar computadores remotos é um desafio constante com uma rede de longa distância (WAN) de baixa largura de banda e conexões esporádicas, e processos de conexão interferindo com tarefas de gerenciamento de área de trabalho prolongadas como alterações na Diretiva de Grupo e aplicação de patches atualizadas.

O Windows Server 2008 R2 introduz um novo tipo de conectividade chamado DirectAccess, um modo eficiente dos usuários remotos acessarem recursos corporativos diretamente, sem a necessidade de uma conexão VPN tradicional e software cliente. Usando tecnologias que acompanham o Windows Server 2008, a Microsoft adicionou assistentes de gerenciamento simples que permitem aos administradores configurar o SSTP e o IPv6 em clientes R2 e Windows 7 para permitir a conexão do DirectAccess básica e depois aumentar essa conexão com gerenciamento R2 adicional e ferramentas de segurança, incluindo diretivas de gerenciamento e NAP.

Com o DirectAccess, todo usuário é considerado remoto todo o tempo. Os usuários não precisam distinguir entre conexões locais e remotas. O DirectAccess lida com todas essas distinções em segundo plano. Os profissionais de TI mantém um controle preciso
de acesso e segurança completa de perímetro, ajudando a facilitar a segurança da área de trabalho e minimizar as preocupações de gerenciamento nos dois lados da conexão.

7. Desempenho e Gerenciamento Aprimorados de Escritórios Remotos

Muitas arquiteturas de TI de escritórios remotos possuem uma largura de banda relativamente baixa. Links WAN lentos prejudicam a produtividade dos funcionários de escritórios remotos que precisam esperar para acessar o conteúdo da matriz, e o custo da alocação de largura de banda para escritórios remotos pode chegar a 33 % das despesas de TI gerais da empresa. Para superar esse desafio, o Windows Server 2008 R2 contém um recurso denominado BranchCache™, que reduz o uso da rede WAN
e melhora a capacidade de resposta das aplicações da rede.

Com o BranchCache™ os lientes que solicitam o acesso a dados da rede da empresa recebem instruções ara chegar ao arquivo na rede local (escritório remoto) se ele foi alguma vez solicitado naquele local. Se o arquivo estiver armazenado localmente, os
clientes obtém acesso imediato de alta velocidade. Este tipo de arquivo pode ser armazenado no servidor BranchCache™ local para escritórios remotos maiores ou simplesmente em computadores Windows 7 locais.

8. Gerenciamento Simplificado para SMBs

No Windows Server 2008 R2, a Microsoft está concentrando sua atenção em clientes SMB e do mercado de médio porte. Este novo foco fornece aos clientes um panorama sofisticado das ofertas de produtos Microsoft, que vai do Small Business Server ao Windows
Essential Business Server e agora Windows Server 2008 Standard. Todas as SKUs estão sendo equipadas com novas ferramentas de gerenciamento para facilitar a vida do Profissional de TI da SMB.

O Novo Centro de Administração do Active Directory é um exemplo dessas mudanças: todas as GUIs de gerenciamento que antes eram diferentes agora são hospedadas em uma única interface e baseadas no PowerShell. Além disso, existem Analisadores de
Práticas Recomendadas, que a Microsoft ampliou para toda a função de servidor a fim de manter as configurações de seus servidores sincronizadas com as mais recentes práticas recomendadas.

Por fim, existe o novo utilitário Windows Server Backup. Um recurso de segunda classe por muito tempo, esta aplicação de backup foi atualizado significativamente a fim de incluir suporte mais granular para elaboração de trabalhos de backup, incluindo suporte
para operações de backup de estado de sistema, além disso, ele está sendo otimizado para executar mais rápido e usar menos espaço em disco.

9. O Mais Poderoso Servidor Web e de Aplicações Já Lançado

O Windows Server 2008 R2 inclui diversas atualizações que fazem dele a melhor plataforma de aplicações do Windows Server já lançada e uma das mais importantes atualizações está no Internet Information Services 7.5 (IIS 7.5).

O servidor Web atualizado inclui recursos que dinamizam o gerenciamento, ampliando o Gerenciador do IIS, implementando o Provedor do PowerShell IIS e aproveitando o .NET no Server Core. O IIS 7.5 também oferece novos recursos de suporte e solução de problemas integrados, incluindo o registro de configurações e um Analisador de Práticas Recomendadas dedicado. Por fim,
várias extensões populares associadas ao Windows Server 2008 estão integradas, incluindo o URLScan 3.0 (agora conhecido como Módulo Filtro de Solicitações).

10. Gerenciar Dados e Não Apenas Armazenamento

O gerenciamento de armazenamento não envolve apenas o gerenciamento de discos. O volume de armazenamento aumentará em uma taxa anual combinada de 51% entre 2008 e 2012 de acordo com a IDC*. Para manter o ritmo e a competitividade no mercado, as empresas devem começar a gerenciar os dados, não apenas os discos. O Windows Server 2008 R2 fornece aos administradores de TI as ferramentas necessárias para esse tipo de iniciativa com a nova Infraestrutura de Classificação de Arquivos (FCI). Esses novos recursos geram um mecanismo de classificação extenso e automatizado, baseado nas arquiteturas de compartilhamento de arquivos existentes. Com isso, os administradores de TI podem direcionar ações específicas a arquivos específicos com base em uma classificação totalmente personalizável. A FCI também pode ser estendida aos parceiros, o que significa que os usuários do Windows Server 2008 R2 podem esperar pelo lançamento de recursos adicionais baseados em FCI que serão fornecidos por ISVs no futuro próximo.

Abin também vai investigar crackers


Presidente Dilma quer saber qual foi o tamanho do estrago provocado pelas invasões

Além da Polícia Federal, o governo autorizou a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) a entrar nas investigações contra os crackers que atacaram os serviços online do Estado.

De acordo com o blog de Josias de Souza, a presidente Dilma se declarou “surpresa” com a vulnerabilidade dos sites dos órgãos públicos.

Leia tudo o que já foi publicado sobre a onda de ataques

A presidente quer saber também qual foi o tamanho do estrago provocado pelos crackers. De acordo com um especialista, pode ter ocorrido roubo de dados.

A Abin é um órgão subordinado ao GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República).

Ainda ontem, a Polícia Federal iniciou as investigações para tentar identificar a origem e os autores dos ataques, que começaram na quarta-feira contra o site da Presidência, contra o Brasil.gov e contra a página da Receita Federal.

Além deles, o site Ministério da Cultura, da Infraero, da Petrobras, do Ministério do Esporte e do IBGE também foram vítimas dos ataques.

Fontes e Direitos Autorais: Vinicius Aguiari, de INFO Online – Sábado, 25 de junho de 2011 – 09h50.

Crackers podem ser identificados


Brasília – O especialista em crimes eletrônicos e segurança na internet Marcelo Lau, considerado uma das autoridades brasileiras no assunto, disse hoje (25) que é possível rastrear os responsáveis pela invasão nas páginas da Presidência da República, de ministérios, da Receita Federal e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo Lau, a Polícia Federal
(PF) tem instrumentos para identificar os hackers mesmo se eles estiverem no exterior e usando vários computadores.

“[Se os hackers] estiverem fora do país será um caminho mais longo”, disse Lau. “Não existe anonimato absoluto. As máquinas fazem os registros”, acrescentou, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, que foi ar pela manhã. Para ele, a PF “está muito bem preparada e equipada.”

Ontem (24) de madrugada, quando hackers invadiram a página do IBGE, um recado atribuído aos invasores indicava que mais ataques ocorrerão no país. “Este mês, o governo vivenciará o maior número de ataques de natureza virtual na sua
história feito pelo Fail Shell. Entendam tais ataques como forma de protesto de um grupo nacionalista que deseja fazer do Brasil um país melhor. Tenha orgulho de ser brasileiro, ame o seu país, só assim poderemos crescer e evoluir”, diz a mensagem.

Para Lau, a invasão por hackers não é o caminho ideal para cobrar melhorias ou mostrar que há falhas nos sistemas de segurança dos órgãos ligados ao governo. “Fazer uma invasão desse tipo é expor dados. Não é a melhor maneira de colocar a necessidade de rever a segurança [do sistema]”, disse ele. “Expor deliberadamente [alguns tipos de] dados é crime”, reforçou.

Os hackers fazem acessos de computadores e provedores espalhados no mundo todo, causando a queda da página ou a operação com lentidão. No site da Receita Federal, foram registrados cerca de 300 mil acessos simultâneos – volume que normalmente leva uma hora para ser registrado durante a entrega de declarações do Imposto de Renda.

Fontes e Direitos Autorais: Agência Brasil – Sábado, 25 de junho de 2011 – 13h16.

Resultado – Enquete – Você conheçe ou já utilizou o UCP(Utility Control Point) existente no SQL Server 2008 R2?


Pessoal, boa tarde.

Espero que todos possam estar curtindo o feriado, aproveitando para relaxar e descansar um pouco.

Bom, eu estou colocando as minhas coisas em dia, e uma das atividades pendentes era apresentar o resultado da última enquete do meu blog lançada a 45 dias.

Nesta última enquete a pergunta apresentada relaciona-se a UCP – Utility Control Point implementado no SQL Server 2008 R2, mais uma vez o resultado apresenta que boa parte das novas funcionalidades apresentadas pela Microsoft não são de conhecimento de todos muito menos conhecida.

Segue abaixo o resultado:

Agradeço a sua visita, nos encontramos em breve nas próximas enquetes.

Até mais.