As 10 Tarefas de TI Mais Fáceis no Windows Server 2008 R2

Faça mais, com menos. Este tem sido o mantra dos adminstradores de servidores há anos, mas não tanto quanto agora. Felizmente, o Windows Server® 2008 R2 cuidou de tudo, com recursos numerosos e variados, projetados especificamente para atender os
desafios atuais de TI à medida que torna o dia a dia um pouco mais fácil. Estes são os dez principais:

1. Migrando VMs Sem Interrupção do Servidor

A migração em tempo real do Windows Server 2008 era um recurso adequado que permitia aos administradores mover VMs entre hosts físicos apenas com um tempo de inatividade curto. Mas havia um transtorno, mesmo esse tempo era longo o suficiente para remover aplicações ou usuários conectados, o que costumava irritar o suporte técnico. O Windows Server 2008 R2 supera este desafio com a Live Migration.

A Live Migration aproveita os Serviços de Cluster do Windows e a tecnologia Volumes Compartilhados do Cluster para transferir VMs em milésimos de segundo. Isso significa que não há queda nas conexões e que o ambiente de gerenciamento do data center é bem mais dinâmico.
Com a Live Migration, as VMs são transferidas de um servidor para o outro enquanto os clientes não percebem o tempo de inatividade.  Também foram adicionados recursos de Live Migration ao System Center Virtual Machine Manager, incluindo a capacidade de realizar migrações baseadas em diretiva. Além disso, para oferecer ainda mais flexibilidade foi incluído o modo de
compatibilidade com o processador
, que permite realizar Migrações em tempo real ou rápidas em gerações diferentes de CPUs de mesma marca. É um novo e magnífico mundo virtual. 

2. Alto Desempenho para Acessar Arquivos em Escritórios Remotos, Baixo Custo de WAN

Escritórios remotos podem ser o grande problema dos administradores de servidores e estações de trabalho. Os trabalhadores remotos não conseguem encontrar arquivos devido à falta de acesso ou não conseguem encontrá-los rápido o suficiente devido a
limitações de largura de banda de rede. Apresentamos outro recurso essencial do Windows Server 2008 R2: BranchCache™.

O administrador pode usar o BranchCache para controlar as solicitações de acesso de arquivos e para armazená-los. Os arquivos podem ser recuperados de outro computador cliente de escritório remoto (um modelo de armazenamento de cache ponto a ponto conhecido como modo distribuído) ou de um servidor BranchCache™ dedicado no site remoto (também chamado de modo hospedado). Um servidor BranchCache™ central acompanha as duas solicitações de arquivo existentes e as atualizações de arquivo para assegurar que todas as solicitações recebam somente o conteúdo mais atual.

O resultado é uma solução de armazenamento em cache fácil de configurar e manter que acelera o atendimento às solicitações do cliente remoto e, ao mesmo tempo, diminui a utilização de largura de banda WAN.

3. Gerenciamento de Energia Autoajustável do Datacenter e do Servidor

Ao lado da redução de custos, a TI ecologicamente correta talvez seja a instrução mais importante vinda de níveis mais altos de gerenciamento para TI.  Para ajudar gerentes de TI preocupados em cuidar do meio-ambiente (e economizar dinheiro!) de modo rápido e fácil, a Microsoft apresenta as novas atualizações de gerenciamento de energia do Windows Server 2008 R2.

O Windows Server 2008 R2 tem suporte para a configuração de diretivas de energia, local e remotamente, através da WMI (Windows Management Infrastructure).  Os recursos de ACPI permitem que o sistema operacional meça, capture e relate informações sobre o consumo de energia.  Com ferramentas como o SystemCenter Operations Manager, os dados sobre o consumo de energia se tornam uma métrica acionável para o administrador do datacenter.

O R2 também permite aos administradores criar diretivas de energia ativas que podem fazer com que a velocidade de processamento do servidor seja reduzida (throttle-down) nas horas de menor movimento usando as interfaces de gerenciamento remoto compatíveis com DMTF. A diminuição de velocidade (throttling down) também amplia as redes SAN (rede de área de armazenamento), que o R2 poderá colocar em um estado de baixo consumo de energia quando não estiverem sendo totalmente utilizadas.

4. Obtenha o Máximo do Seu Hardware

A virtualização talvez seja uma grande vantagem quando o assunto é consolidação de servidor, mas em outras áreas ela vem pressionando o desempenho dos hosts de virtualização ao máximo. O Windows Server 2008 R2 possui diversos novos recursos projetados para tirar o máximo proveito de toda a configuração de hardware.

Antes de tudo, porque ele aproveita os últimos dois anos de fabricação de CPU de servidor de 64bits, o Windows Server 2008 R2 é o primeiro sistema operacional de servidor Microsoft a utilizar apenas o caminho de 64-bits. Suas aplicações de 32bits continuarão
a ser executadas de maneira perfeita no R2, porém o sistema operacional de 64 bits é mais bem projetado para aproveitar as CPUs de servidor high-end da AMD e da Intel.

Há outros recursos também, como a escalabilidade vertical do Windows Server 2008 R2 para atender até 256 processadores lógicos em um único servidor e o Hyper-V que no R2 pode usar até 64 processadores lógicos no pool de processadores de host. O R2 também pode tirar proveito dos recursos de CPU avançados, incluindo a Conversão (de Endereço) de Segundo Nível (Second Level Translation) para obter um gerenciamento de memória bastante aprimorado. O programa possui o modo de compatibilidade com o processador que facilita a migração de VMs entre diferentes arquiteturas de CPU de fornecedores.

5. Melhor Gerenciamento de Data Centers Virtuais

Os data centers tornaram-se virtuais com uma rapidez que surpreendeu até os especialistas. Porém, ainda que o potencial tecnológico seja fácil de conseguir, ferramentas para gerenciar com eficiência grandes pools de recursos virtualizados têm demorado a surgir. O Windows Server 2008 R2 ajuda a preencher esta lacuna com uma atualização eficiente para Hyper-V™.

O novo Hyper-V™ possui diversas melhorias em relação ao antigo, incluindo o suporte a VMs de 32bits e 64 bits, suporte de memória maior (até 64GB por VM), acesso a disco pass-through e novas arquiteturas compartilhadas de hardware para recursos como disco, rede e vídeo. Os gerentes não foram esquecidos, o Hyper-V™ inclui novos consoles de Live Migration e clusters de alta disponibilidade, suporte para extensibilidade de gerenciamento WMI e ferramentas do dia a dia para facilitar a vida como os instantâneos de Máquina Virtual. Por fim, o Hyper-V™ também oferece uma infinidade de novos suportes do PowerShell 2.0 com diversos cmdlets novos dedicados.

6. Crie Ferramentas de Gerenciamento Automatizadas e Personalizadas

As ferramentas de gerenciamento “enlatadas” são ótimas, mas em cenários maiores, especialmente nos ambientes verticais, é essencial ser capaz de criar sua própria caixa de ferramentas de gerenciamento. A Microsoft avançou um passo nesta direção com o lançamento do PowerShell 1.0 com o Windows Server 2008. No Windows Server 2008 R2 está nossa reação aos comentários extremamente positivos sobre este recurso com o PowerShell version 2.0 remodelado e atualizado.

O novo PowerShell traz melhorias em todos os campos, com gerenciamento remoto aprimorado através do WS-Management, maior segurança com recursos como runspaces restritos, funcionalidade de script estendida e até portabilidade de script aprimorada via XML. Você encontrará um novo Graphical PowerShell que inclui recursos de IDE para desenvolvedores, e ferramentas de depuração para que eles possam criar seus próprios cmdlets.  Não podemos esquecer os mais de 240 cmdlets novos que vêm prontos, junto com o R2.

7. Use a Virtualização para Facilitar o Gerenciamento de Área de Trabalho

O recurso de virtualização do servidor Hyper-V™ consiste em metade da mensagem de virtualização do Windows Server 2008 R2. O gerenciamento de área de trabalho e aplicação sempre foi uma tarefa difícil devido à natureza distribuída de suas metas.
Contudo, com o R2, a Microsoft apresenta uma solução centralizada para muitas dessas dificuldades por meio da virtualização de apresentação.

A nova VDI (Infraestrutura de Estação de Trabalho Virtual) no Windows Server 2008 R2 simboliza bem esta visão e aproveita a base sólida de virtualização de apresentação que criamos nos Serviços de Terminal do Windows Server 2008. Com o advento do Windows Server 2008 R2 este recurso agora se chama Serviços de Área de Trabalho Remota no qual está inclusa a VDI uma arquitetura de fornecimento de área de trabalho centralizada que permite aos clientes centralizarem armazenamento, execução e gerenciamento de área de trabalho ou aplicação do Windows® no data center. Este recurso oferece aos administradores de área de trabalho e aplicação um kit de ferramentas totalmente novo para uma melhor capacitação de cenários de trabalho flexíveis, incluindo o trabalho em casa ou o compartilhamento de mesas (hot-desking), além de maior segurança para os dados, conformidade e gerenciamento mais eficiente do sistema operacional e aplicações de área de trabalho.

8. Amplie a Adoção do Acesso Remoto e Facilite o Gerenciamento

A TI ecologicamente correta, a disparada nos preços dos combustíveis e a necessidade de realizar o trabalho seja onde for: esses fatores combinados fazem da computação remota uma das tarefas de gerenciamento de TI mais importantes e difíceis atualmente. O Windows Server 2008 R2 trata desta questão com um novo recurso empolgante que busca transformar a sua VPN pesada em uma rede tão fácil de gerenciar e confiável quanto um tom de discagem.

O DirectAccess é um modo eficiente dos usuários remotos acessarem recursos da rede corporativa diretamente, sem precisar da tradicional conexão VPN e de software cliente.
Usando tecnologias que acompanham o Windows Server 2008, a Microsoft adicionou assistentes de gerenciamento simples que permitem aos administradores configurar o SSTP e o IPv6 em clientes R2 e Windows 7 para permitir a conexão do DirectAccess básica e depois aumentar essa conexão com gerenciamento R2 adicional e ferramentas de segurança, incluindo diretivas de gerenciamento e NAP.

Com o DirectAccess, todo usuário é considerado remoto todo o tempo. Os usuários não precisam mais diferenciar conexões locais e remotas. O DirectAccess lida com todas essas distinções em segundo plano. Os profissionais de TI mantém um controle preciso
de acesso e segurança completa de perímetro, ajudando a facilitar a segurança da área de trabalho e a minimizar as preocupações de gerenciamento nos dois lados da conexão.

9. Eleve o Nível de Seus Serviços Web e de Aplicações

Nunca foi tão fácil desenvolver aplicações Web. Isso gerou um repentino aumento na necessidade dos administradores de TI de hospedar e manter aplicações personalizadas, incluindo serviços Web, aplicações Web completas e arquiteturas SOA. O Windows Server 2008 R2 ajudou a permitir que essa tendência ocorresse com as diversas tecnologias dedicadas especialmente a tornar o R2 o servidor de aplicação mais avançado até o momento, com destaque para os IIS 7.5 (Internet Information Services).

O IIS 7.5 recebeu um aumento considerável no R2, com uma interface de gerenciamento atualizada, novo suporte para cmdlets do PowerShell e uma API estendida para um desenvolvimento mais fácil das Extensões do IIS pela Microsoft e desenvolvedores externos. Além disso, o IIS lançou várias das mais populares Extensões do Windows Server 2008 e agora oferece suporte para PHP e .NET no Server Core.

10. Revolucione a Forma Como Você Gerencia Seus Dados

O gerenciamento de armazenamento não envolve apenas o gerenciamento de discos. O volume de armazenamento aumentará em uma taxa anual combinada de 51% entre 2008 e 2012 de acordo com a IDC*. Para manter o ritmo e a competitividade no mercado, as empresas devem começar a gerenciar os dados, não apenas os discos. O Windows Server 2008 R2 fornece aos administradores de TI as ferramentas necessárias para esse tipo de iniciativa com a nova Infraestrutura de Classificação de Arquivos (FCI). Esses novos recursos geram um mecanismo de classificação extenso e automatizado, baseado nas arquiteturas de compartilhamento de arquivos existentes. Com isso, os administradores de TI podem direcionar ações específicas a arquivos específicos com base em uma classificação totalmente personalizável. A FCI também pode ser estendida aos parceiros, o que significa que os usuários do Windows Server 2008 R2 podem esperar pelo lançamento de recursos adicionais baseados em FCI que serão fornecidos por ISVs no futuro próximo.

Anúncios

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes, bem como, Professor Titular na Fatec São Roque. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP - SQL Server renovada desde 2007.

Um comentário em “As 10 Tarefas de TI Mais Fáceis no Windows Server 2008 R2”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s