WiMAX pode desligar parabólicas do Brasil

Com ao menos cinco anos de atraso, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu liberar faixas de frequência para oferta de banda larga sem fio no Brasil.

De acordo com a agência, o plano é leiloar faixas das frequências de 3,4 a 3,6 gigahertz (GHz) para oferta de banda larga e telefonia no padrão sem fio desenvolvido pela Intel, o WiMAX.

Anúncios
WiMAX interfere no sinal de TVs, dizem emissoras.

//

SÃO PAULO – Com ao menos cinco anos de atraso, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu liberar faixas de frequência para oferta de banda larga sem fio no Brasil.

De acordo com a agência, o plano é leiloar faixas das frequências de 3,4 a 3,6 gigahertz (GHz) para oferta de banda larga e telefonia no padrão sem fio desenvolvido pela Intel, o WiMAX.

O tema é discutido desde 2006, quando a agência realizou as primeiras consultas públicas sobre o tema. O leilão de novas faixas esteve próximo de acontecer em 2007, mas acabou cancelado após o TCU (Tribunal de Contas da União) fazer críticas às regras definidas para o processo.

Agora, as emissoras Globo e Record apresentaram queixas à Anatel argumentando que a faixa que a agência pretende liberar afeta as transmissões de TV para antenas parabólicas. De acordo com as emissoras, as parabólicas usam a faixa de frequência contígua, de 3,62 GHz a 3,8 GHz, muito próximas da faixa a ser leiloada para o WiMAX.

Na prática, redes WiMAX nesta frequência podem causar transferências em 22 milhões de antenas parabólicas espalhadas pelo país e anular a qualidade da imagem e áudio que estes consumidores recebem em suas casas.

Procurada pela INFO, a Anatel não pode se manifestar imediatamente.  Um conselheiro da agência, no entanto, disse ao jornal Folha de S. Paulo que, caso os problemas técnicos apareçam durante a fase de testes da tecnologia, serão feitas as correções necessárias antes do leilão das faixas.

O leilão de frequências para tecnologia WiMAX permite criar redes móveis com velocidades de acesso de até 10 Mbps. Na prática, estas redes podem competir e superar a tecnologia 4G no padrão LTE (Long Term Evolution), alvo de investimentos por teles como Oi, Vivo, TIM e Claro no Brasil.

A oferta de novas faixas para exploração de banda larga sem fio também é apontada por especialistas como condição fundamental para ampliar a competição entre as teles no país e criar planos de banda larga mais em conta, em especial nas pequenas cidades do interior do Brasil e nas regiões Norte e Nordeste.

Fontes e Direitos Autorais: Felipe Zmoginski, de INFO Online – Quarta-feira, 13 de julho de 2011 – 13h36.

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação pela Uninove – Campus São Roque. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP – Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade – ESAMC Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1994 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator – Administrador de Banco de Dados – SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, entre outros recursos. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping, etc. Trabalhei entre 2011 e 2017 como Administrador de Banco de Dados e Coordenador de TI no FIT – Instituto de Tecnologia da Flextronics, atualmente exerço a função de Professor Universitário na FATEC São Roque. CTO da Galvão Tecnologia, consultoria especializada em Gestão de TI, Administração de Servidores Windows Server, Bancos de Dados Microsoft SQL Server e Virtualização. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP e reconhecimentos: MCC, MSTC e MIE.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.