Windows Millennium Edition faz 11 anos. Você também tinha raiva do Me?


A vida de uma versão do Windows não é fácil. Testado por milhões de usuários (que usam máquinas com bilhões de configurações diferentes), o sistema já é uma das coisas mais odiadas do mundo antes mesmo de sair da caixa. Com 8 tantos elogios ao recém-anunciado  Windows, nem parece que essa afirmação  é verdadeira. Mas, que tal voltar aos duros tempos do infame Windows Millennium Edition?

Lançado em 14 de setembro de 2000, o Me foi anunciado como uma versão atualizada e mais segura do seu antecessor, o Windows 98.  Por trazer poucas novidades que valessem sua compra, o sistema foi esculachado em todo o mundo e teve uma vida curtíssima.  Em agosto de 2001, a Microsoft já lançaria o Windows XP.

Em defesa da empresa de Bill Gates, vale lembrar que updates de sistema eram difíceis de distribuir naquela época. Ter banda larga em casa era uma miragem para a maioria dos usuários. Dessa forma, a Microsoft tentava corrigir as falhas de segurança e colocar os drivers para novos dispositivos por meio de novas versões do sistema. Antes do Me, a empresa chegou a vender o Windows 98 Second Edition (que, talvez pelo nome mais honesto, tenha tido uma recepção mais calorosa).

A bronca com o Millennium Edition não era gratuita. O sistema foi o último baseado na arquitetura 9x, que vinha sendo usada desde o Windows 95. A Microsoft já tinha passado da hora de atualizar essa arquitetura, mas, mesmo assim, esticou um pouquinho mais a sua vida útil. Naquela época, os usuários mais avançados viraram tanto o nariz para o Me que chegaram a instalar o Windows 2000, destinados a empresas, em suas máquinas.


De fato, poucas mudanças dignas de nota vinham na Millennium Edition. No quesito de aplicativos, o sistema vinha equipado com o Internet Explorer 5.5, o Windows Media Player 7 e com o Windows Movie Maker, que fazia sua estreia no time de programas pré-instalados no sistema.

Outra novidade foi a adoção do formato compacto ZIP como padrão do Windows. Dessa forma, era possível compactar pastas e ler arquivos no formato sem precisar de nenhum programa específico. Um duríssimo golpe para o WinZip. O Me também inaugurou o recurso de Restauração de Sistema, que tem o nome auto-explicativo.

Os requisitos mínimos para rodar o sistema eram : processador de Pentium de 150 MHz, 320 MB de espaço em disco e 32 MB de memória RAM.  Os requisitos ideais eram: processador Pentium II 300 MHz, 2 GB de espaço em disco e 64 MB de memória RAM.

Pesquisando sobre a recepção dos usuários ao Windows Me, encontrei  essa listinha com piadas sobre o real significado da sigla;

Windows – Money Emergency

Windows – Merchandise Engine

Windows – More Errors

Windows – Mentioned Enhancements?

Windows – Machine Endangered

Windows – Memory Enlarger

Windows – Methodical Encumbering

Windows – Migraine Enforcered

Fontes e Diretos: INFO Online » Blogs » Ctrl Z, por Juliano Barreto.

Anúncios

Sobre Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes, bem como, Professor Titular na Fatec São Roque. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulações e Reconhecimentos: Microsoft MVP, MCC, MSTC e MIE.
Esse post foi publicado em Diversos, Mundo SQL Server, Nostalgia, Notícias e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Windows Millennium Edition faz 11 anos. Você também tinha raiva do Me?

  1. débora disse:

    a unica coisa legal que me lembro do windows me era um joguinho que vinha instalado que tinha uns relogios e ponteiros para vc passar os ponteiros e avançar de nivel vc lembra o nome???

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s