Faltam DBAs bem qualificados, diz especialista

São Paulo – Os profissionais que administram bancos de dados (DBAs) estão em falta no Brasil. A conclusão é das empresas e especialistas que recrutam esses profissionais no país. E a justificativa dos empregadores é que a demanda está em alta e a oferta de profissionais qualificados ainda é baixa.

Segundo Edson França, coordenador do curso de Banco de Dados da BandTec (faculdade de TI do Colégio Bandeirantes, em São Paulo), este cenário é preocupante uma vez que é cada vez maior a necessidade das empresas em armazenar digitalmente seus dados. “Esta realidade atinge praticamente todas as corporações”, diz França.

“Todo setor de TI está em crescimento, mas nas áreas de segurança e armazenamento de dados essa demanda é percebida com mais força. São tendências influenciadas pela disseminação da computação em nuvem, que armazena os dados em data centers e não mais dentro das empresas”, diz França.

Além disso, a procura por este tipo de profissional, diz o especialista, é motivada pela necessidade de uma maior segurança e disponibilidade desses dados.

Um estudo da consultoria Robert Half aponta que um dos motivos da valorização dos profissionais brasileiros de DBA é maior demanda por bancos de dados em segmentos da economia como finanças, indústria e serviços.

Ainda de acordo com a consultoria, os talentos mais reconhecidos nas empresas são os que possuem perfis mais seniores e que, além de conhecimentos técnicos, sabem transformar tecnologia em negócios.

De acordo com o estudo, ser responsável pelo funcionamento de todos os dados de um data center é uma atividade que exige muita experiência, o que torna o profissional bem qualificado altamente disputado.

A pouca oferta de mão de obra qualificada afeta diretamente o salário destes profissionais. Um gerente de administração de banco de dados recebe, em média, 9 mil reais a cada mês, de acordo com a Pesquisa Salarial e de Benefícios da Catho Online. Já os coordenadores, supervisores ou chefes de administração de banco de dados ganham cerca de 8 mil reais mensais.

Esta média salarial abrange os profissionais que atuam no Brasil e pode variar de acordo com a região de atuação. Segundo a Catho, mais de 260 mil profissionais em 4 mil cidades de todo o país participaram do estudo.

Segundo França, dificilmente um profissional recém-formado ganhará um salário com as quantias acima. “Para administrar um banco de dados de uma instituição financeira, por exemplo, é necessário possuir muitos anos de experiência na área. Qualquer erro pode ser fatal para um banco ou empresa de telecomunicações. Não é só obter um diploma, conseguir um emprego e ganhar um bom salário”, diz o especialista. De acordo com França, os iniciantes ganham, em média, cerca de 3 mil reais mensais.

Para ultrapassar a remuneração mensal de R$ 11 mil reais mensais, o profissional deve ter graduação em curso superior e ser capacitado para projetar modelos de dados, criar e manter objetos de um banco de dados e possuir conhecimentos avançados no uso da Linguagem SQL.

O mercado também requer dos candidatos um forte conhecimento em programação e capacidade de monitorar o desempenho da plataforma, segundo o coordenador.

Fontes e Direitos Autorais: , de INFO Online • Segunda-feira, 21 de maio de 2012 – 09h41

Anúncios

Sobre Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes, bem como, Professor Titular na Fatec São Roque. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulações e Reconhecimentos: Microsoft MVP, MCC, MSTC e MIE.
Esse post foi publicado em Carreira, Enquete e Pesquisas...., Notícias, SQL Server e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s