Telescópio Hubble revela detalhes de exoplaneta

exoplaneta
De um azul cobalto profundo, sua cor se assemelha à da Terra vista do espaço

Paris – De um azul cobalto profundo, sua cor se assemelha à da Terra vista do espaço: pela primeira vez, astrônomos utilizando o telescópio espacial Hubble conseguiram determinar a verdadeira cor de um exoplaneta.

Mas a semelhança acaba aqui: localizado a 63 anos-luz de nosso planeta azul (600.000 bilhões de km), na constelação da Raposa (Vulpecula), este exoplaneta chamado HD 189733b é um gigante de gás, perfeitamente inóspito à vida, em órbita muito próxima à de sua estrela.

Sua atmosfera é quente, com um temperatura de mais de 1.000 graus Celsius. É varrido por ventos de 7.000 km/h e “chove vidro”, segundo um comunicado da Agência Espacial Europeia (ESA).

HD 189733b é um dos exoplanetas mais próximos da Terra, que podem ser observados quando passa em frente as suas estrelas: durante este trânsito, os planetas imprimem sua assinatura na luz da estrela, que é analisada com a ajuda de espectrógrafos.

O HD 189733b já foi bastante estudado pelo Hubble e outros telescópios. Mas pela primeira vez, graças ao Hubble, uma equipe liderada por Frédéric Pont (Universidade de Exeter, no Reino Unido) conseguiu atribuir cor a um planeta fora do sistema solar.

Para determinar sua cor, os astrônomos mediram a quantidade de luz refletida na superfície de HD 189733b, uma propriedade chamada “albédo”.

A medição da cor “é uma verdadeira novidade”, ressaltou o pesquisador, citado em um comunicado da ESA. “Nós podemos imaginar como este planeta se pareceria se pudéssemos observá-lo diretamente”, acrescentou.

Mas a cor azul do planeta não vem da reflexão de um oceano tropical… Deve-se a uma atmosfera gasosa e turbulenta, composta principalmente de hidrogênio e carregada de partículas de silicato, que transmite luz azul.

Observações anteriores, utilizando métodos diferentes, já haviam identificado uma difusão de luz azul sobre este planeta, mas as últimas observações do Hubble, publicadas na revista Astrophysical Journal Letters, confirmam esta impressão.

“É difícil saber exatamente o que dá cor à atmosfera de um planeta, mesmo para os planetas do sistema solar”, observou Frédéric Pont. “Mas estas novas observações adicionam uma peça ao quebra-cabeça sobre a natureza e a atmosfera de HD 189733b. Nós traçamos um quadro mais completo deste planeta”, acrescentou.

O planeta HD 189733b é um exoplaneta do tipo “Júpiter-quente”. Os Júpiter-quentes são gigantes gasosos que orbitam muito perto de suas estrelas-mãe. HD 189733b está muito perto de sua estrela, apenas 1/30th da distância entre o Sol e a Terra. Mesmo Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, está 10 vezes mais longe.

O HD189733b gira em torno de sua estrela em 53 horas e é cerca de 10% maior e com mais massa do que Júpiter.

Desde o início dos anos 1990, quase 900 planetas orbitando em torno de outras estrelas que não o nosso Sol foram descobertos, segundo os últimos dados da Nasa. Estatisticamente, recentes estudos consideram que poderiam existir no total vários milhões no Universo.

Lançado em 1990, o telescópio espacial Hubble é um projeto em cooperação internacional entre a ESA e a NASA.

Fontes e Direitos Autorais:  • quinta, 11 de julho de 2013 – 16h44.

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação pela Uninove - Campus São Roque. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Cursando Mestrado em Ciências da Computação - UFSCar - Campus - Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping, para versões: 2000, 2005, 2008, 2008 R2, 2012 e 2014. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP - SQL Server renovada desde 2007.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s