Veterinários se especializam em tratamento de câncer para pets

Pet

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) habilitou a Associação Brasileira de Oncologia Veterinária (Abrovet) a conceder título de especialista aos profissionais que atuam na área do câncer animal.

São Paulo – Trata-se da terceira sessão de quimioterapia e Lili, uma lhasa apso de 5 anos, responde bem ao tratamento: alguns dos sintomas do linfoma estão desaparecendo e tudo caminha para que fique melhor. Detalhe: o diagnóstico do câncer tem somente três meses. Há poucos anos, essa avaliação normalmente seria tardia e a morte, quase certa. Hoje, muito mudou e já há veterinários até se especializando na prática da oncologia.

“Percebemos gânglios nas pernas e no pescoço e, como já tínhamos visto outros casos na família, havia a suspeita de que algo estava errado. Tentamos nos convencer de que era só uma inflamação, mas ficamos apreensivos. É uma notícia que nenhuma ‘mãe’ que ouvir”, afirma a dona, Maria Cristina Albuquerque, de 37 anos, que logo procurou tratamento especializado. Os casos de câncer em animais domésticos vêm crescendo e sendo notados nas clínicas, graças à melhoria econômica e à aproximação sentimental, que permitem aos donos cuidar melhor dos pets e, consequentemente, aumentar a expectativa de vida dos animais.

“O câncer afeta principalmente os mais velhos. Dos cães idosos doentes que dão entrada no hospital, 60% têm câncer. Desses, 25% são de mama”, diz o diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira, Mário Marcondes. Também em São Paulo, o veterinário Eduardo Pacheco, diretor clínico do Hospital Veterinário Santa Inês, tem números semelhante e destaca que é uma realidade que veio para ficar. “Dentre as 14 especialidades que temos, a oncologia é a segunda mais solicitada.”

No dia 4, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) habilitou a Associação Brasileira de Oncologia Veterinária (Abrovet) a conceder título de especialista aos profissionais que atuam na área do câncer animal. Trata-se de mais um fator de segurança para quem busca auxílio. “Não podemos admitir que aquele que faz um treinamento de um fim de semana, uma semana, um mês, possa ter um título”, afirma o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda.

Para a presidente da Abrovet, Júlia Matera, a preocupação com a qualidade é clara. “Além do certificado reconhecido pelo Ministério da Educação, agora há vários critérios a serem seguidos, como experiência comprovada na área, publicações de artigos em revistas, participação e apresentação em congressos.” E deve-se renovar tudo a cada cinco anos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fontes e Direitos Autorais:  • domingo, 14 de julho de 2013 – 15h15.

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação pela Uninove - Campus São Roque. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Cursando Mestrado em Ciências da Computação - UFSCar - Campus - Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping, para versões: 2000, 2005, 2008, 2008 R2, 2012 e 2014. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP - SQL Server renovada desde 2007.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s