Arquivo mensal: outubro 2013

Descoberta na Guiana nova espécie de peixe elétrico


peixe elétrico
Foto divulgada em 22 de outubro de 2013 mostra peixe elétrico descoberto na Guiana

Um grupo internacional de cientistas descobriu uma nova espécie de peixe elétrico em um rio da Guiana, informou nesta terça-feira (22) o coordenador da missão, o colombiano Javier Maldonado, que publicou a descoberta na revista científica Zoologica Scripta.

O novo animal, denominado ‘Akawiao penak’, é um peixe de água doce, mede no máximo 10 centímetros e difere de outros animais em seus ossos e na morfologia craniana, disse à AFP Maldonado, um cientista da Universidade Javeriana de Bogotá, especializado em peixes elétricos.

Os cientistas, que publicaram sua descoberta em agosto de 2013 na revista científica arbitrada Zoologica Scripta, analisaram ainda o DNA e traçaram a árvore evolutiva deste peixe anguiliforme que habita o rio Mazaruni. Assim, determinaram que o animal representa um novo gênero e, portanto, uma nova categoria taxonômica.

Maldonado explicou que o ‘Akawiao penak’ pertence a um grupo de peixes popularmente conhecidos como “facas”, pelo formato do corpo, ou elétricos, devido à capacidade de produzir e detectar campos elétricos, os quais usa para navegar, identificar objetos e se comunicar com outros peixes da sua espécie.

Estes peixes, que têm uma visão muito limitada e habitam zonas turvas do rio, produzem e detectam cargas elétricas, com as quais obtêm informações de seu entorno.

“A maioria das descargas não são perceptíveis, isto é (os peixes) podem ser agarrados com a mão, já que a frequência é muito baixa. Não se pode vê-los, mas podem ser escutados, este som se grava”, disse Maldonado.

As missões de explorações da equipe de pesquisa foram organizadas pelo Royal Ontario Museum, do Canadá, e a Universidade da Guiana, em Georgetown.

“O fato de esta área ser tão remota e ter estado isolada tanto tempo indica que seja muito provável encontrar novas espécies”, afirmou Nathan Lovejoy, membro da missão, no jornal da Universidade de Toronto.

Fontes e Direitos Autorais: Notícias – Ciências – AFP – 23/10/2013 08h41

Anúncios

Pesquisadores criam HD que pode durar 1 milhão de anos


Apesar do aumento da capacidade de armazenamento, os HDs magnéticos de hoje têm vida útil relativamente curta – mantidos em condições ideais, preservam os dados por cerca de uma década. Mas pesquisadores da Universidade de Twente querem mudar esta história com um disco rígido que pode durar 1 milhão de anos, apelidado de “gigayear”.

discoqrcode

A ideia é criar uma tecnologia que possa preservar tudo que foi produzido pela humanidade, entre músicas, livros, filmes e fotos, até o “fim dos tempos”. Para isso, os cientistas utilizam um conceito simples: todos os dados são registrados em linhas, que formam um padrão marcado – um código QR, basicamente – em um disco metálico bem fino. Ele é, por fim, coberto por uma camada protetora, que evita a corrupção das informações.

O círculo em que fica gravado o QR code é feito de tungstênio, que tem alto ponto de fusão – para derretê-lo, é preciso colocá-lo sob 3.422 graus celsius – e baixo coeficiente de dilatação. A “barreira”, por sua vez, é feito de nitreto de silício (Si3N4), que também se dilata pouco dependendo da temperatura a que é exposto. A combinação é capaz de resistir bravamente por 1 milhão de anos – ou até 1 bilhão –, de acordo com testes de envelhecimento acelerado feitos no laboratório.

Resistência – Alguns fatores, no entanto, precisam ser considerados antes de colocarmos os discos rígidos eternos no posto de “definitivos”, como bem lembrou o Technology Review, do MIT. O processo de envelhecimento é feito em um ambiente controlado, e é bem provável que os HDs “gigayear” não resistam a situações adversas – um incêndio já seria capaz de acabar com tudo que o aparelho estivesse guardando, por exemplo.

Ainda assim, os cientistas da universidade holandesa parecem estar no caminho certo. Testes realizados pela equipe colocaram os discos sob um calor de 445 graus Kelvin (cerca de 171 °C) – e os dispositivos não sofreram dano algum. Problemas foram surgir apenas nos 848 °K (574 °C), havendo perda de informações, mas sem comprometimento da estrutura em si. E a ideia dos pesquisadores é deixar os HDs “gigayear” ainda mais resistentes, de forma que todo o conteúdo já produzido pela humanidade hoje chegue intacto a civilizações do futuro.

Fontes e Direitos Autorias: Notícias – TI – 23/10/2013 08h49 – Atualizado em 22/10/2013 20h54 – , de INFO Online

Trabalhando com o Service Broker no Microsoft SQL Server 2008, 2008 R2 e 2012 – Parte I.


Pessoal, bom dia.

Tudo bem? Como de costume, sempre pensando em algum conteúdo que possa servir como base, para um novo artigo ou série, revirando o baú do Microsoft SQL Server, encontrei algo que eu particularmente utilizei em momentos específicos, mas foi de grande avalia, estou se referindo ao Service Broker (Serviço de Mensageria) introduzido no Microsoft SQL Server a partir da versão 2005.

Para começar esta nova aventura, vou abordar sobre esta funcionalidade e no decorrer das partes desta Série, vamos montar nosso ambiente de estudos e prática.

Então seja bem vindo á esta nova série dedicada ao Service Broker.

Introdução

Lançado em conjunto com o Microsoft SQL Server 2005, o Service Broker foi um dos grandes destaques desta versão do SQL Server, sendo tratado como uma das principais inovações do produto em 2005.

Desde então, muito se falou deste recurso que foi mantido e evoluído nas versões e edições posteriores do Microsoft SQL Server. Existente como recurso e funcionalidade do Mecanismo de Banco de Dados (Database Engine), o Service Broker fornece aos desenvolvedores e profissionais de banco de dados criarem aplicativos de enfileiramento e mensagens confiáveis para troca de dados no SQL Server. Basicamente através deste serviço é possível que uma aplicação conectada a uma única instância do SQL Server possa realizar a distribuição de trabalho e mensagens entre várias outras instâncias de banco de dados.

Através desta capacidade de troca de informações, o Service Broker estabeleceu uma forma assíncrona de comunicação entre os aplicativos de banco de dados que fazem uso desta funcionalidade, desta forma, o tempo de resposta para troca de informações é bem menor, mais interativo e simplificado, o que torna o uso deste recurso mais confiável.

Além disso, o Service Broker fornece a troca de mensagens confiáveis entre instâncias de bancos de dados distribuídas em uma corporação, ajudando os desenvolvedores a compor aplicativos estruturados ou reconhecidos como serviços independentes, fazendo uso da mesma instância de comunicação.

Por padrão o Service Broker, utiliza o protocolo TCP/IP e seu conjunto de protocolos existentes para a troca de mensagens, contendo recursos que podem impedir a qualquer momento o acesso não autorizado a uma rede, estabelecendo padrões para criptografia de mensagens enviadas pelos aplicativos entre as instâncias do SQL Server.

 

Como funciona o Service Broker

Como seu objetivo é criar uma forma simplificada, segura e desacoplada de troca de mensagens, o Service Broker possui um conjunto de tarefas necessárias para se realizar este processo de mensageria, entre os aplicativos e instâncias de Servidores de Banco de Dados. A arquitetura do Service Broker é composta pelos seguintes componentes, tarefas e características:

  • Conversações;
  • Ordenação e coordenação de mensagens;
  • Programação assíncrona transacional;
  • Suporte para aplicativos acoplados de forma flexível; e
  • Componentes do Service Broker.

 

A seguir descrevo esta arquitetura, destacando de forma resumida cada tarefa.

Conversação

Projetado como recurso básico para envio e recebimento de mensagens o Service Broker, apresenta uma tarefa chamada “Conversação” realizada durante o processo de troca de mensagens. Cada tarefa conversação é reconhecida e tratada como canal de comunicação confiável e persistente, as mensagens apresentam um tipo específico de conversa que tratada pelo Service Broker individualmente que possibilita reforçar e garantir a segurança na gravação dos dados trocados pelos aplicativos.

Durante esta troca de mensagens, a tarefa de “Conversação” permite que os aplicativos envolvidos neste processo estabelece este canal de comunicação dentro de uma “fila” que representa uma exibição de uma tabela interna relacionada com o banco de dados que o Service Broker esta fazendo uso.

Para cada conversação tratada pelo Service Broker é estabelecida uma sequência e ordenação das Mensagens através da tarefa “Ordenação e Coordenação de Mensagens”, isso garante que cada mensagem faça parte de uma única e exclusiva conversa, ou seja, a mesma mensagem trocada será tratada pela mesma tarefa e conversação.

Uma maior simples de se representar e ilustrar o funcionamento do Service Broker é pensar como funciona um serviço postal. Para manter uma conversação com um colega distante, você pode comunicar enviando cartas pelo serviço postal.

O serviço postal classifica e entrega as cartas. Você e seu colega então recuperam as cartas das caixas postais, lêem, escrevem as respostas e enviam novas cartas até que a conversação termine. A entrega da carta acontece de forma assíncrona enquanto você e seu colega lidam com outras tarefas.

A Figura 1 apresenta o processo de troca de mensagens, com base, em um Serviço Postal.

servicebroker1

 

Figura 1: Representação do processo de troca de mensagens realizada pelo Service Broker.

Ao analisar o funcionamento do Service Broker, podemos entender que os programas envolvidos neste cenário, devem entender que este serviço terá a sua forma de atuação similar ao Serviço Postal ou Correios, dando total suporte as mensagens assíncronas trocadas entre os aplicativos.

As mensagens do Service Broker funcionam como cartas. O serviço Service Broker é tratado como o endereço onde a agência postal entrega as cartas. As filas são as caixas postais que mantêm as cartas depois que elas são entregues. Os aplicativos recebem as mensagens, agem nas mensagens e enviam as respostas.

Observação: Enquanto existir um processo de troca de mensagens através do Service Broker, o processo de fila estará sendo mantido e alimentado até que o aplicativo receptor dos dados seja capaz de tratar estas mensagens, enquanto isso não ocorrer à fila de mensagens terá o seu tamanho aumentado e seu processo de enfileiramento expandido.

 

Ordenação e Coordenação de Mensagens

Todo processo de controle e manutenção das filas de mensagem é realizada pelo Service Broker diretamente no Mecanismo de Banco de Dados (Database Engine), adotando um tratamento tradicional através de dois aspcetos:

  • As filas gerenciadas pelo Service Broker são integradas diretamente com o banco de dados ao qual o serviço esta envolvido.
  • As filas são responsáveis por coordenar e ordenar as mensagens que estão em transito.

Através do forte controle de envio e recebimento de mensagens, a tarefa de “Ordenação e Coordenação de mensagens” estabelece ao Service Broker garantias no fluxo de troca de mensagens, estabelecendo dois lados no processo de comunicação, denominados:

  • Lado de inicio chamado de iniciador; e
  • Lado de destino da mensagem chamado de receptor.

Um processo básico de troca de mensagens do Service Broker consiste em:

Abaixo, uma ilustração da troca de mensagens em um diálogo típico:

  • No iniciador:
    • Um programa começa a conversação.
    • O programa cria uma mensagem que contém os dados necessários para executar uma tarefa.
    • O programa envia a mensagem ao serviço de destino.
  • No receptor:
    • A mensagem é colocada na fila associada ao serviço de destino.
    • Um programa recebe a mensagem da fila e executa o trabalho.
    • O programa responde enviando uma mensagem ao serviço iniciador.
  • No iniciador:
    • A mensagem de resposta é colocada na fila associada ao serviço iniciador.
    • Um programa recebe a resposta e a processa.

Até o final do envio e recebimento de mensagens este ciclo se repete de forma cíclica e continua.

Esse ciclo se repete até que o iniciador termine a conversação porque não tem mais solicitações a enviar ao destino.

Programação assíncrona transacional

O componente “Programação assíncrona transacional”, esta totalmente relacionada com a infraestrutura de funcionamento do Service Broker, servindo como uma área de transferência de mensagens, tratada cada processo de forma transacional, o que permite que a mesma seja revertida em qualquer momento.

Neste componente o Service Broker, realiza o controle dos dados que estão sendo trocados, estabelecendo um processo de escalabilidade, o que garante que o serviço possa ser automatizado e cresça de acordo com a situação, uma delas é a capacidade de ocorrer à inicialização automática dos processas que realizam o processamento de uma fila, com isso é possível que a aplicação que esteja fazendo uso do processo de envio/recebimento identificar o momento em que a mensagem encontra-se em execução ou na fila de processamento.

A programação assíncrona permite que os desenvolvedores elaborem soluções de software capazes de gravar dados em filas de mensagem, fazendo uso do próprio banco de dados através de uma ou mais tabelas como repositórios internos de filas de mensagens.

Suporte para aplicativos acoplados de forma flexível

Considerada como uma característica e não um componente ou tarefa, o “Suporte para aplicativos acoplados de forma fléxivel”, garante e possibilita ao Service Broker trabalhar com um conjunto bem distinto de aplicativos independentes que podem ser identificados como possíveis componentes de troca de mensagem. Estes aplicativos devem conter internamente a mesma estrutura e mecanismo para troca de mensagens existente no Service Broker, o que permite em algumas situações que este componente seja acoplado ao serviço de mensageria.

Componentes do Agente de Serviços

O Service Broker é composto por três componentes básicos, existentes de acordo com a tarefa que esta em execução:

  • Componentes de conversação: Conhecido como diálogo, é qualquer conversação realizada através do Service Broker durante o processo de troca de mensagens, permitindo que grupos de conversões, conversas e mensagens possam ser tratadas por seus aplicativos estabelecendo os participantes.
  • Componentes de definição de serviço: Responsável por estabelecer o fluxo da conversação, o armazenamento de dados em um banco de dados, este componente define a estrutura básica de conversação realizada entre o Service Broker e o aplicativo.
  • Componentes de rede e segurança: Através deste componente o Service Broker permite aos administradores de banco de dados realizem o gerenciamento de seus ambientes sem gerar impactos no código fonte da aplicação, focando alterações ou mudanças de cenário, estabelecendo um canal de troca de mensagens de forma segura e confiável, para os aplicativos que estão consumindo o Service Broker.

Observação: Componentes de definição de serviço, componentes de rede e componentes de segurança são parte dos metadados do banco de dados e da instância do SQL Server. Grupos de conversação, conversações e mensagens fazem parte dos dados que o banco de dados contém.

Bom, após esta longa caminhada, vou colocar um pouco de pimenta neste molho, começando a criação do nosso ambiente de estudos, através do Codigo 1 apresentado abaixo:

— Código 1 – Criando o Banco de Dados MyDatabaseServiceBroker —

Use Master

Go

 

1 – Criação do banco de dados

CREATE DATABASE MyDatabaseServiceBroker

Go

 

2 – Ativação do recurso de Service Broker

ALTER DATABASE MyDatabaseServiceBroker

SET ENABLE_BROKER

Go

 

3- Verificação do Status

SELECT Name, is_broker_enabled FROM sys.databases

WHERE Name = ‘MyDatabaseServiceBroker’

Go

Observe que após criarmos o banco de dados, utilizamos o comando Alter Database através da diretiva Set Enable_Broker para ativar e indicar para o SQL Server que este banco de dados deverá permitir o uso do serviço de mensageria.

Observações:

  • Para executar o ENABLE_BROKER o SQL Server solicita um bloqueio de banco de dados exclusivo. Se outras sessões bloquearam recursos no banco de dados, ENABLE_BROKER esperará até que as outras sessões liberem os bloqueios.
  • Para habilitar o Service Broker em um banco de dados de usuário, verifique se nenhuma outra sessão está usando o banco de dados antes de executar a instrução ALTER DATABASE SET ENABLE_BROKER, por exemplo, colocando o banco de dados no modo de usuário único.

Em seguida executamos comando Select para validar o status da coluna Is_Broker_Enabled existente na System Table Sys.Databases, que deverá retornar o valor de 1 para esta coluna, o que garante que o Service Broker esta configurado de forma correta.

Perfeito, nossa caminhada será longa, como você pode observar o Service Broker é um serviço que apresenta uma arquitetura única e exclusiva, componente por uma série de componentes, tarefas e características que somadas constituem o funcionamento e propriamente o Serviço de Mensageria.

No decorrer desta série, vamos trabalhos com os tipos de mensagens, contratos, filas e serviços relacionados com este recurso.

Agradeço a sua atenção e visita ao meu blog.

Nos encontramos em breve.

Um grande abraço.

Até mais.

Exame de sangue pode ajudar a detectar câncer de pulmão


Washington – Um exame de sangue experimental demonstrou ser promissor para a detecção do câncer de pulmão em estágio inicial e poderá ser um instrumento de diagnóstico mais preciso do que os escâneres e as biópsias invasivas, disseram pesquisadores esta quarta-feira.

Só um em cada cinco pacientes submetidos a cirurgia ou biópsia de uma pequena massa pulmonar detectada durante escâner de tomografia computadorizada (TC) pode realmente ter câncer e os especialistas afirmam que há grande necessidade de uma tecnologia melhor.

“Levando em conta que os oncologistas recorrem frequentemente a biópsias e intervenções cirúrgicas que comportam riscos para determinar a natureza de uma lesão, há necessidade de (métodos de) diagnósticos que permitam evitar estes procedimentos”, destacou o pneumonologista Kenneth Fang, responsável pela divisão médica da Integrated Diagnostics (Indi), laboratório americano que patenteou o teste e co-autor do estudo.

O câncer de pulmão, o mais comum no mundo e um dos mais perigosos, mata 1,3 milhão de pessoas a cada ano segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O tabagismo é a causa principal.

A prova experimental, descrita em um estudo na revista Science Translational Medicine, foi aplicada em 143 pacientes em três lugares diferentes dos Estados Unidos.

Todos os pacientes tinham pequenas massas chamadas nódulos nos pulmões. Alguns apresentavam câncer em estágio 1, em outros casos tratou-se de tumores benignos.

A partir da identificação de 13 proteínas no plasma, o teste pôde determinar de forma precisa se os nódulos eram benignos em 90% dos casos. A prova se apoia em bioinformática, que permite analisar simultaneamente 371 potenciais marcadores de câncer de pulmão.

Versão comercial prevista nos Estados Unidos este ano

“O estudo sugere ser possível detectar a assinatura molecular do câncer de pulmão ao medir a presença de múltiplas proteínas no sangue de um paciente”, explica Paul Kerney, encarregado científico de Indi e um dos principais autores do estudo.

Os pesquisadores a cargo do projeto procedem do Centro Médico Langone, da Universidade de Nova York, a Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia e o Centro Médico da Universidade Vanderbilt.

“Os médicos que tratam estes casos têm com frequência muitas dificuldades em decidir os passos a seguir, após terem detectado um nódulo no pulmão de um paciente, vista a dificuldade de saber se esta lesão representa ou não risco de ser cancerosa”, diz Fang.

Um porta-voz da companhia declarou à AFP que uma versão comercial do teste deve estar disponível nos Estados Unidos este ano. Seu preço ainda não foi determinado, disse.

Os nódulos de pulmão costumam ter entre 5 e 25 milímetros de comprimento. Os maiores têm mais possibilidades de ser cancerosos do que os menores.

O procedimento padrão de tratamento atual implica comparar os raios X do tórax com escâner de TC ao longo do tempo e fazer uma biópsia em caso de suspeita de câncer.

“Este trabalho não é mais que um começo, mas os princípios nos quais esta tecnologia de diagnóstico se baseia deveriam poder ser aplicados a outros cânceres e patologias”, concluiu Fang, abrindo o caminho para aplicações potenciais no futuro.

Fontes e Direitos Autorais:  – 17/10/2013

Microsoft lança Windows 8.1 no Brasil nesta quinta-feira (17)


Tela inicial do sistema Windows 8.1, atualização do Windows 8 lançada no Brasil nesta quinta-feira (17). (Foto: Divulgação/Microsoft)

Tela inicial do sistema Windows 8.1, atualização do Windows 8 lançada no Brasil nesta quinta-feira (17).
(Foto: Divulgação/Microsoft)

O Windows 8.1, atualização do sistema operacional Windows 8, da Microsoft, já está disponível para download na manhã desta quinta-feira (17) para o mercado brasileiro (acesse aqui). O lançamento do sistema, que estava previsto para sexta-feira (18) foi adiantado no Brasil por uma questão de fuso horário, informou a Microsoft.

A atualização será gratuita para usuários do Windows 8. Para novos usuários, o preço sugerido para a versão mais simples do sistema é de R$ 410 tanto por download como em caixinha. A versão Pro do sistema tem preço sugerido de R$ 700.

O novo Windows 8.1 será vendido em versão completa (‘full’) e pode ser instalado em qualquer computador, independente do sistema operacional. O mesmo não ocorreu com a versão 8 que, lançada em 26 de outubro do ano passado, chegou ao mercado em um formato de atualização (Windows Update), o que restringia sua instalação a máquinas que já tinham versões anteriores do sistema.

De acordo com Priscila Alves, gerente geral para o Windows na Microsoft Brasil, a chegada do Windows 8.1 cerca de um ano após o lançamento do Windows 8 faz parte de uma “jornada de atualizar o Windows com mais frequência”. Para usuários do Windows 8, a instalação da versão 8.1 deve funcionar de forma mais simples, como a atualização de um aplicativo em plataformas móveis.

Segundo Priscila, o Windows 8 continuará sendo vendido em lojas, mesmo com a chegada da versão 8.1. O objetivo, porém, é limitar o estoque da versão anterior.

O sistema estará disponível em tablets das fabricantes Acer, Asus, Dell, HP e Megaware. A oferta do tablet Surface, da própria Microsoft, continua sem previsão para o Brasil.

Novos notebooks e tablets com Windows 8.1 devem chegar às lojas nos próximos 45 dias, para as vendas de Natal, informa a gerente geral de Windows.

Novidades
Além de resgatar o clássico botão “Iniciar” a pedido dos usuários, o Windows 8.1 está mais integrado ao serviço SkyDrive, de armazenamento de documentos na nuvem. “É como se fosse uma pasta dentro dos meus arquivos”, compara Priscila.
Novo tablet da Acer está entre os dispositivos com Windows 8.1 que serão lançados no Brasil até o Natal (Foto: Daniela Braun/G1)

Tablet Iconia W5, da Acer, com sistema operacional Windows 8.1. (Foto: Daniela Braun/G1)

O sistema traz ainda a opção de login com leitura biométrica nativa, integração do Skype como opção para realizar chamadas em lista de contatos e a evolução de aplicativos e busca.

Nesta versão, a “Bing Busca Inteligente” (“Bing Smart Search”, em inglês) está presente mesmo dentro dos aplicativos. O recurso, já disponível no Windows 8, permite realizar buscas por arquivos do desktop, na nuvem e na internet, em qualquer ambiente do sistema.

No correio eletrônico on-line Outlook, o Windows 8.1 permite realizar uma chamada diretamente pelo Skype ao clicar na imagem do contato.

O Windows 8.1 também traz avanço em aplicativos. Atualmente, a Windows Store, conta com 100 mil apps.

O “Bing receitas e bebidas”, um dos aplicativos que acompanham a nova versão do sistema usa um recurso do sensor de movimentos Kinect – criado para o console de videogames Xbox – e permite que o usuário navegue entre receitas movendo a mão em frente à câmera do notebook ou tablet, sem tocar na tela na hora de cozinhar.

Fontes e Direitos Autorias: Daniela BraunDo G1, em São Paulo.

Material de Apoio – Outubro 2013.


Olá, bom dia.

Fala galera. Hoje é Sexta – Fera, Ufa, a semana esta chegando ao final.

“Olha nóis aqui outra vez”, com mais uma relação de arquivos, que podem ajudar ou servir como base para suas atividades.

Estou me referindo a Sessão – Material de Apoio, que periodicamente venho atualizando e recebendo sempre sugestões e comentários.

Para esta relação você vai encontrar exemplos sobre:

  • Agrupamento de Dados;
  • Alteração de Tabelas com Any Constraints;
  • Cálculo de Número Fatorial;
  • Cálculo de Diferença de Datas;
  • Cálculo de Porcentagem de Valores;
  • Clausula – TableSample;
  • Contagem de Espaços;
  • Collation de Banco de Dados e Tabelas;
  • Linked Server entre Access 2010 x SQL Server 2008;
  • System Stored Procedure – SPT_Values; e
  • System Stored Procedure – SP_Update_Schedule.

 Vale sempre ressaltar que os arquivos estão renomeados com a extensão .doc  por questão de compatibilidade com a Plataforma WordPress.com. Após realizar o download basta, remover a extensão, mantendo a extensão padrão .sql

Segue abaixo a relação de arquivos:

Exemplo – Configurando – Linked Server – Access 2010 x SQL Server 2008.sql

Exemplo – Agrupamento de Dados – Grouping Sets.sql

Exemplo – Alterando – Collate em Banco de dados ou Coluna de Tabela.sql

Exemplo – Alterando – Job Schedule + SP_Update_Schedule.sql

Exemplo – Básico – Alter Table + Any Constrainst.sql

Exemplo – Calculando Número Fatoral – SPT_Values.sql

Exemplo – Calcular – Diferença Entre Datas x Horas.sql

Exemplo – Calculo de Porcentagem.sql

Exemplo – Clausula – TableSample – Retornando dados aleatóriamente.sql

Exemplo – Como – Contar espaços.sql

Agradeço mais uma vez a sua visita.

Nos encontramos em breve.

Até mais.

Intel amplia presença na “Internet das Coisas” com novos produtos


A Intel lançou nesta terça-feira, 08/10, uma família de gateways inteligentes para a chamada Internet of Things (IoT, ou internet das coisas), que vão atuar como “intermediários” entre sensores instalados em diversos tipos de equipamentos e os dados que eles armazenarem, para serem analizados na nuvem.

A empresa explicou que os produtos utilizarão seu novo processador embedded Atom E3800 (batizado de “Bay Trail-I”) que vai trabalhar em sintonia com o recém-anunciado processador Quark SoC X1000 para prover recursos de inteligência a equipamentos com baixíssimo consumo de energia. Os gateways ainda não tem um nome próprio e deverão chegar ao mercado no primeiro trimestre de 2014. Eles serão construídos em duas versões, todas utilizando os processadores Atom e Quark.

O processador E3800 inclui correção de erros e tolerância a temperaturas industriais. A nova linha do Quark X1000 foi lançada na semana passada pelo CEO da Intel, Brian Krzanich, em Roma, durante a Maker Faire.

Ton Steenman, vice-presidente e diretor geral da divisão Intelligent System Group da Intel, disse que a empresa acredita que vai fazer dinheiro com os novos produtos de três diferentes formas: vendendo os processadores Quark e E38000 diretamente; vendendo os gateways como uma solução integrada que inclui o Intel Wind River OS e soluções de segurança da  McAfee; e usando os dados captados pelos sensores e gateways como alimento para os seus processadores de servidores que serão os motores de serviços de cloud que vão analisar e controlar os equipamentos.

A empresa no entanto não deixa claro como essas perspectivas de receita deverão se intergrar ao longo do tempo e não divulgou ainda o preço dos Atom E3800, Quark X1000, ou dos gateways. Steenman disse que o novo Quark vai custar menos que o novo Atom, mas terá o potencial de vender bilhões de unidades. “A Intel está realmente no meio disso tudo, porque quanto mais dispositivos existirem, melhor para a Intel”, disse o executivo

A Internet das Coisas (IoT) é o nome que designa uma galáxia de sensores que, ao serem embutidos em equipamentos diversos, capturam e compartilham uma infinidade de informações do meio ambiente e de seus usuários com sistemas de computação na nuvem e analytics. Por exemplo, sensores em equipamentos podem identificar as máquinas que mais consomem energia e identificar aqueles que estão com problemas e que componentes precisam ser consertados.

Greg Brown, diretor de tecnologia da divisão de segurança McAfee, na Intel, também lembra que esse tipo de inteligência pode ser agregado a equipamentos como termostatos domésticos, que podem tomar decisão sobre a hora de ligar o aquecimento, por exemplo. O compartilhamento de dados com outros dispositivos, no entanto, vai exigir um novo modelo de segurança e um desenho comum de tecnologias.

Com reportagem de Mark Hachman – PC World

 

Fontes e Direitos Autorais: !IDGNow.com.