Atualização do Windows 10 utilizará P4P?

Quando a Microsoft disponibiliza atualizações importantes ou novas versões do Windows, muitos reclamam da baixa velocidade de download. Isso é algo relativamente esperado pois esses arquivos são baixados por centenas de milhões de computadores ao mesmo tempo.

Com o Windows 10 os usuários terão duas opções adicionais: baixar as atualizações através de computadores da rede local (um computador baixa as atualizações e os demais baixam dele) e também a opção de obter as atualizações de várias fontes da internet, funcionando basicamente como uma rede P2P similar ao Bittorrent. Isso agilizará bastante o download desses arquivos.

Atualização do Windows 10 utilizará P4P?

Há cerca de uma década os usuários corporativos utilizam o WSUS (Windows Server Update Services), que faz algo similar: ele permite que servidores das empresas sejam a fonte principal de download de updates e hotfixes das estações de trabalho, economizando banda e tempo de download desses arquivos. Infelizmente usuários domésticos não podem aproveitar essa tecnologia.

P2P (peer-to-peer) é um conhecido modelo de rede de computadores que compartilham arquivos pela internet sem necessidade de um servidor central e o Bittorrent é o maior exemplo disso. A Microsoft já tinha intenção de incorporar P2P no Windows Vista e depois no Windows 7, mas isso não foi feito.

Atualização do Windows 10 utilizará P4P?

O que é P4P?

Com o Windows 10 aparentemente tudo mudará – e não será via P2P, mas sim P4P. O P4P (Proactive Network Provider Participation for P2P) é um framework proposto há vários anos por pesquisadores da Universidade de Yale e Universidade de Washington, e foi aprimorada pela Pando Networks, empresa adquirida pela Microsoft em 2013. Ele tem por base o P2P.

A Pando criou uma aplicação baseada em P4P para distribuição de conteúdo de mídia digital utilizando a mesma tecnologia do BitTorrent, mas modificada para selecionar peers mais rápidos (e não peers aleatórios), além de também ser otimizada para redes locais de computadores, e tráfego de arquivos grandes (acima de 1GB). Essa tecnologia mostrou ser muito eficiente (mais infos aqui), permitindo integração de servidores de arquivos, CDN e servidores P2P.

O P4P permitiu uma diminuição de até 50% do tráfego da rede e redução de até 8x o tempo de recebimento de arquivos provindos de servidores externos. Essa solução da Pando foi utilizada pela NBC para transmissão de episódios de TV em alta definição, além de ser muito usada para distribuição de jogos multiplayers online, atingindo mais de 30 milhões de usuários.

O estudo proposto pelos pesquisadores mostrou a ineficiência do P2P no site ThePirateBay, aonde 50% da demanda dos arquivos são entregues por apenas 1,22% dos computadores disponíveis.

Isso não aconteceria com o P4P, que trabalha de modo inteligente no compartilhamento dos arquivos entre os computadores disponíveis, permitindo que o computador que esteja enviando parte dos arquivos utilize pouca banda e pouca memória, ao mesmo tempo que computadores que estejam recebendo esses arquivos finalizarão o download mais rapidamente.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo @ 2 jun 2015 | 3:09 pm

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação pela Uninove - Campus São Roque. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Cursando Mestrado em Ciências da Computação - UFSCar - Campus - Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping, para versões: 2000, 2005, 2008, 2008 R2, 2012 e 2014. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP - SQL Server renovada desde 2007.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s