Dica do Mês – SQL Server 2016 – Obtendo informações sobre o cache de execução de funções

Pessoal, boa tarde.

Tudo bem? Estou retornando com mais um post dedicado a sessão Dica do Mês, este é o post de número 10 dedicado de forma exclusiva a esta sessão.

Recentemente alguns dos leitores do meu blog, fizeram alguns comentários e sugestões pedindo para que eu fosse um pouco mais objetivo no conteúdo e procurando organizar melhor a estrutura do post.

Quero dizer a todos que sugestões, críticas, comentários, enfim tudo é sempre muito bem vindo e estou ainda procurando estabelecer um padrão. No post de hoje, já começo a apresentar um pouco do layout e organização que pretenso manter para os próximos posts.

Então vamos lá, seja bem vindo a mais um Dica do Mês!!!


Introdução

Um das principais atividades de um DBA (Database Administrator) é cuidar e selar para vida de seus servidores e bancos de dados. Mas por diversas situações em alguns momentos algo pode fugir do controle ou simplesmente começar a funcionar de uma maneira diferente da qual estava sendo executado.

Isso também pode acontecer com o Microsoft SQL Server e seus recursos programavéis, dentre eles aqueles que os desenvolvedores tendem a criar para atender necessidades específicas em seus projetos.

Para tais recursos como: Stored Procedure, Triggers, Functions o Microsoft SQL Server apresenta uma infinidade de funcionalidades que permitem a cada versão ou até mesmo atualização serem implementados de maneiras e formas distintas, situação muito comum de se encontrar.

O post de hoje trata justamente uma situação muito corriqueira de se encontrar dentro de um ambiente de banco de dados, no qual estamos fazendo uso de user functions e precisamos de alguma maneira descobrir se esta função esta gerando algum tipo de mudança de comportamento durante ou após sua execução, estou me referindo as chamadas estatísticas de execução.

Problema

Em diversos momentos temos a necessidade obter informações sobre as estatísticas de processamento por parte de um determinado recurso que o Microsoft SQL Server possa estar processando ou tenha sido processado, até o Microsoft SQL Server 2000 essa uma tarefa muito árdua ou praticamente impossível de ser realizada de maneira rápida, cenário que começou a mudar um pouco de comportamento a partir do Microsoft SQL Server 2005.

Solução

A partir da versão 2005 a Microsoft introduziu o conceito de visões de sistemas que permitiam coletar dados estatísticos de execução de querys, posteriormente melhorado no Microsoft SQL Server 2008 a partir da adição do recurso de DMV – Dynamic Management Views, onde tinhamos a possibilidade de rastrear e encontrar informações sobre Stored Procedures e Triggers, através das DMVs:

Onde respectivamente estas DMVs, permitiam obter informações sobre os dados de execução de Stored Procedures e Triggers executadas.

Agora na versão 2016 a Microsoft introduziu no novo SQL Server uma nova DMV, chamada sys.dm_exec_function_stats, que nos permite obter informações sobre os dados estatísticos de processamento e execucação de uma user function.

Vamos então colocar a “mão na massa” ou melhor nos teclados e executar o exemplo apresentando abaixo para que possamos entender como esta nova dmv poderá nos ajudar.

Exemplo

Para que possamos realizar este cenário de exemplo vou utilizar o Microsoft SQL Server 2016 Express em conjunto com o banco de dados de exemplo Microsoft SQL Server 2016 Adventure Works disponibilizados nos seguinte link: https://www.microsoft.com/download/details.aspx?id=49502

Dando continuidade vamos executar o primeiro bloco de código, denominado Bloco de Código 1.

— Bloco de Código 1 —

bloco-de-codigo-1

 

Não se precoupe com a lógica aplicada ao código, o importante é que você observe a existência de três user functions existentes dentro do banco de dados AdventureWorks2016, sendo elas:

  • dbo.ufnGetStock;
  • dbo.ufnGetProductDealerPrice; e
  • dbo.ufnGetProductStandardCost.

Agora que nosso bloco de código 1 foi executado o Microsoft SQL Server através do Database Engine em conjunto com Execution Plan, deve ter criado para nosso select e principalmente as functions utilizadas dentro um cache de execução contendo as informações sobre o processamento realizado e o quanto custou para executar cada function envolvida neste código.

E justamente neste momento que poderemos fazer uso da nova DMV sys.dm_exec_function_stats para obter os principais indicadores estatísticos coletados através do cache criado pelo SQL Server com base no bloco de código 1. Vamos então executar o Bloco de Código 2 apresentado abaixo.

— Bloco de Código 2 —

bloco-de-codigo-2

Observe que além da sys.dm_exec_function_stats estamos utilizando em conjunto a sys.dm_exec_sql_text que nos permite obter mais detalhes sobre o código do objeto programado executado, neste caso as functions apresentadas anteriormente.

A Figura 1 apresentada abaixo ilustra a relação de dados estatísticos armazenando no cache de execução do database engine e coletados através da  sys.dm_exec_function_stats:

figura1-sys-dm_exec_function_statsFigura 1 – Dados estatísticos de processamento das functions utilizadas no bloco de código 1.

Referências

Conclusão

Como de costume a cada nova versão ou atualização a Microsft esta apresentando diversas inovações e melhorias no Microsoft SQL Server.

Isso não foi diferente na versão 2016 que agora através da nova DMV sys.dm_exec_function_stats nos permite obter informações estatísticas de processamento de nossas functions armazenadas em cache.

Desta forma, temos a possibilidade de analisar estes dados e permitir ter uma melhor análise de processamento por parte das aplicações que necessitam fazer uso de functions, com certeza este recurso será muito importante e de extrema utilidade para qualquer profissional da área de banco de dados e desenvolvimento.

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua visita, agradeço sua atenção, fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Até mais.

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação pela Uninove - Campus São Roque. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Cursando Mestrado em Ciências da Computação - UFSCar - Campus - Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping, para versões: 2000, 2005, 2008, 2008 R2, 2012 e 2014. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP - SQL Server renovada desde 2007.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s