Dica do Mês – Conhecendo a nova DMF sys.dm_exec_input_buffer no Microsoft SQL Server 2016

Bom dia, bom dia, bom dia….. Feliz 2017

Salve, salve comunidade, estou retorno hoje, conforme o prometido após alguns dias de “descanso mental”. Espero que todos tenham passado um ótimo fim de ano e estejam preparados para os desafios de 2017.

Estamos completando o primeiro ano da sessão Dica do Mês, sendo este o post de número 12, poxa vida muito legal ver o quanto de conteúdo e conhecimento já foi transmitido nesta sessão.

Hoje dia 16 de Janeiro primeiro post de 2017 dedicado mais uma vez ao Microsoft SQL Server, dentre os quais voltados exclusivamente a versão 2016, vou destacar um assunto bem conhecido de qualquer DBA denominado Input Buffer.

Não vou destacar do que se trata este conceito mais sim apresentar como a partir do SQL Server 2016 podemos recurperar e coletar as informações relacionado a ele de uma maneira diferente se comparado com as versões anteriores.

Então vamos lá, seja bem vindo ao Dica do Mês número 12……

Introdução

Reconhecer e identificar o que esta sendo transacionado dentro do seu servidor ou instância do Microsoft SQL Server para muitos é coisa de outro mundo, para outros coletar estes dados não passa de um simples comando que você pode executar.

Na verdade os lados da moeda tem a sua verdade, identificar e entender o que esta sendo transacionado não é uma tarefa fácil por isso pode ser considerado algo fora da terra, como também, coletar e armazenar é algo muito simples, e realmente é!!!

Desde as versões mais antigas do SQL Server a maneira mais comum e menos consumista de se obter informações sobre o Buffer ou Input Buffer dentro de um servidor ou instância era através do comando DBCC Input Buffer, onde bastava simplesmente executar este comando para se obter a informações sobre o buffer de uma sessão específica.

Agora na versão 2016 desta RC0 a Microsoft de um novo jeitinho para se obter estes dados através do uso da nova DMF – Dynamic Management Function ou Função de Gerenciamento Dinâmico chamada Sys.dm_exec_input_buffer.

Ao executar pela primeira vez esta DMF, pensei que seria um recurso substituto ao bem e velho DBCC Input Buffer, ao começar a brincar um pouco mais com ela  observei que existe uma pequena similaridade entre ambos.

Similaridade que se tornou mais clara na maneira que a sys.dm_exec_input_buffer apresentar os dados coletados que estão sendo transacionados, o que também acabou ficando somente nisso, durante as diversas execuções que realizei, foi possível  reconhecer algumas pequenas diferenças que podemos reconhecer como vantagens no uso da sys.dm_exec_input_buffer em comparação ao DBCC InputBuffer.

Sys.dm_exec_input_buffer x DBCC Input Buffer

Basicamente a forma de uso de ambos os recursos não posso dizer que seja algo muito diferente, o DBCC InputBuffer você executa de forma direta passando o SID da sessão a qual você deseja obter o buffer, já a sys.dm_exec_input_buffer o mínimo a favor é executar um comando Select direcionado para esta DMF.

Falando das vantagens destaco abaixo as mais fáceis de se identificar:

  1. Ao executar a dmf o resultado é apresentado diretamente como um conjunto de linhas, o que permite em uma bloco de código obter os input buffers de diversas sessões, uma grande vantagem se comparada com o DBCC Input Buffer;
  2. Outra diferença clara é a capacidade de realizar joins com outras DMFs dentre elas: sys.dm_exec_sessions, sys.dm_exec_connections e sys.dm_exec_requests através do uso do operador Cross Join;
  3. Através da execução de uma simples query através do comando select podemos recuperar o buffer de diversas entradas de sessões distintas sem a necessidade de criar um script, tabela temporária ou tabela auxiliar; e
  4. Possibilidade armazenar o resultado da relação de buffers coletados em uma nova tabela.

Exemplos

Como já mencionei anteriormente a forma de uso da sys.dm_exec_input_buffer é bem simples e fácil, como também, a apresentação dos dados coletados, os dois exemplos apresentados a seguir demonstram como podemos fazer uso desta nova DMF no Microsoft SQL Server 2016:

— 1 – Executando um simples Select —
SELECT * FROM sys.dm_exec_input_buffer(52, 0);

dica-12-01Figura 1 – Buffer coletado da sessão 52.

— 2 – Utilizando o operador Cross Apply —
SELECT es.session_id, ib.event_info
FROM sys.dm_exec_sessions AS es
CROSS APPLY sys.dm_exec_input_buffer(es.session_id, NULL) AS ib
WHERE es.session_id > 50;

dica-12-02Figura 2 – Buffers coletados após a execução do exemplo 2.

Referências

Conclusão

Como de costume a cada nova versão ou atualização a Microsft esta apresentando diversas inovações e melhorias no Microsoft SQL Server, mantendo o produto no seu mais alto nível de funcionalidades, recursos e inovações.

Neste post você pode perceber que mais uma vez isso esta presente, uma nova maneira de se obter informações sobre os buffers que estão sendo transacionados e processados dentro de um servidor ou instância do SQL Server através da DMF sys.dm_exec_input_buffers.

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua visita, agradeço sua atenção, fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Conto com a sua presença em mais este ano aqui no meu blog….

Feliz 2017!!!

Anúncios

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP - Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade - ESAMC Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1995 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator - Administrador de Banco de Dados - SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, Triggers. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping. Atualmente trabalho como Administrador de Banco de Dados no FIT - Instituto de Tecnologia da Flextronics, como também, Consultor em Projetos de Tunnig e Performance para clientes, bem como, Professor Titular na Fatec São Roque. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP - SQL Server renovada desde 2007.

3 comentários em “Dica do Mês – Conhecendo a nova DMF sys.dm_exec_input_buffer no Microsoft SQL Server 2016”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s