Dica do Mês – SQL Operations Studio – View as Chart

Olá, amantes de banco de dados e profissionais de tecnologia.

Bom dia, bom dia, bom dia….. Tudo bem? Que bom te encontrar por aqui mais uma vez, seja bem, volte sempre. Este é mais um post da sessão Dica do Mês, sessão dedicada a compartilhar mensalmente dicas, novidades, curiosidades e demais informações relacionadas ao Microsoft SQL Server, Banco de Dados e Tecnologias de Banco de Dados.

No post de hoje, quero dividir com você um recurso que conheci recentemente adicionado ao novo SQL Operations Studio, ferramenta que a Microsoft esta trabalhando a todo vapor para se tornar muito em breve um produto confiável, prático e robusto, da mesma maneira que aconteceu com o Management Studio (“isso já faz um tempinho, lá em 2005”), e principalmente multiplataforma(um produto interoperável).

Se por acaso você ainda não conhece esta nova ferramenta da Microsoft, fique calmo, seu primeiro preview foi lançado no final de 2017, e caso você queria conhecer um pouco mais sobre este novo produto, acesse: https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/sql-operations-studio/what-is?view=sql-server-2017.

 

Falando um pouco mais sobre o post de hoje, normalmente quando executamos uma query no Microsoft SQL Server Management Studio, temos a possibilidade de apresentar o retorno de dados em tela no formato de tabela, texto ou se quisermos salvar em um arquivo texto, agora no SQL Operations Studio, temos algumas outras formas de apresentar ou salvar nosso retorno de dados, dentre elas a que eu mais gostei e acredito que você também vai gostar é conhecida como View as Chart (Visualizar como gráfico).

Como assim visualizar como gráfico? É isso mesmo, que você esta pensando, visualizar o resultado da sua query em alguns modelos predefinidos de gráfico em tempo real. Olha que fiquei de queijo caído com este recurso.

E ai, esta curioso em saber um pouco mais sobre esta nova forma de apresentar seus dados? Eu estou, e não vejo a hora de poder dividir com você um pouco deste recurso.

Então, vamos em frente, vou tentar mitigar a sua curiosidade e ao mesmo também satisfazer os meus objetivos. Sendo assim, seja bem vindo ao post – Dica do Mês – SQL Operations Studio – View as Chart.

Tenho a certeza visualizar seus dados em forma de gráfico, vai lhe ajudar muito nos momentos de análise e tomada de decisão.


Introdução

Lançado em novembro de 2017, o SQL Operations Studio, possui algumas missões um pouco indigestas (na minha opinião), mas que podem ser alcançadas, dentre elas:

  1. Se tornar um produto conhecido;
  2. Ser reconhecido como um produto independente e multiplataforma;
  3. Ser utilizado com uma ferramenta de apoio ao atual Management Studio;
  4. Não ser rotulado ou visto como o substituto do Management Studio para Windows; e
  5. Ser utilizado em ambientes Linux e Mac.

Mesmo com esta pequena relação de missões a serem cumprida, a Microsoft esta trabalhando de forma árdua a realmente lançar uma versão final do produto o mais breve possível (eu mesmo esperei um pouco mais para instalar o produto na minha máquina).

Mas, vamos em frente, dentro as novidades e melhorias adicionadas na última preview lançada do SQL Operations Studio (em 28/03/2018), aquela que mais me chamou a atenção, foi justamente a introdução do botão View as Chart, sendo este visível logo após o processamento e apresentação do resultado de um query.

Se você já estou utilizando este produto, talvez não tenha ainda percebido a presença deste ou outros botões que surgem em nossa tela ao lado da result as table que exibe as linhas de dados processadas, pois bem, a Figura 1 abaixo ilustra este e os demais botões:

Figura 1 – Apresentação dos botões View as Chart na guia de resultados exibida pelo SQL Operations Studio.

Agora eu acredito que você vai conseguir encontrar mais facilmente estes botões logo após processar suas querys no SQL Operations Studio.

Vamos avançar mais um pouco…..

View as Chart

Ao imaginar a possibilidade de apresentar nosso retorno de dados em tela, tendo como base, formatos predefinidos de gráficos é algo que nos permite estabelecer uma série de palavras do momento, dentre elas: Análise de Dados, Tomada de Decisão, Modelagem de Negócios, Mineração de Dados, Business Intelligence, enfim… possibilidade de tentar rotular um resultado apresentado como um gráfico, os fascinados por administração e gestão vão adorar. Sinceramente falando, não vejo que este recurso possa ser rotulado para todas as possíveis áreas, mas em especial uma dentre as mais diversas podemos, sendo ela: Análise de Dados.

Apresentar um conjunto de dados no formato de gráfico, com certeza é algo visualmente falando mais atrativo, bonito e didático do que simplesmente apresentar um monto de valores em uma tabela com colunas que muitas vezes não conseguir expressar ou transmitir seu significado.

Analisar um ou mais dados, é uma atividade diferencial para qualquer profissional da área de tecnologia, principalmente aqueles que possuem a ingrata missão de tentar através do números, símbolos e indicadores orientar seus clientes, empresas e parceiros em momento chaves para tomada de decisão, por outro lado ter a possibilidade de simular situações com base no processamento em tempo real de dados coletados ao longo de tempo e ver o que pode acontecer caso algo venha e mudar pode sim ser um grande “pulo do gato”.

Ao meu ver é justamente isso que podemos tentar adjetivar este recurso adicionado ao SQL Operations Studio, a capacidade de proporcionar um análise de dados para os profissionais de tecnologia, dentre eles: Desenvolvedores, Programadores e Administradores de Bancos de dados, que podem em tempo real realizar possíveis simulações e testes com seus dados nem necessitar utilizar ferramentas específicas para esta atividade.

Vamos em frente que atrás vem o DBA correndo (kkkkk)…..

Exibindo um Chart

Para que possamos realizar nossas práticas, vou utilizar o mesmo ambiente que venho trabalhando nos meus últimos post, mais especificamente o banco de dados utilizado no jogo de videogame Fifa 2018 recentemente compartilhado no meu blog.

Pois bem, caso você não deseje fazer o download do banco de dados, nas práticas que vamos realizar neste post, estou compartilhando um arquivo no formato JSON que justamente apresenta a massa de dados específica que iremos utilizar, além disso, o arquivo já esta pronto para você realizar o processo de importação caso esteja utilizando o Microsoft SQL Server 2016 ou superior. Faça o download do arquivo JSON clicando aqui.

Importante: Vale ressaltar que por questões de segurança a plataforma WordPress.com não permite upload de arquivo com extensão .json, sendo assim, foi adicionado ao final do arquivo a extensão .doc, após realizar o download basta remover esta extensão o final do nome do arquivo mantendo a extensão .json.

Caminhando mais um pouquinho….

Vou deduzir que você conseguiu realizar o download do arquivo, em seguida acessou seu Microsoft SQL Server 2016 ou 2017 e importou este conjunto de dados para dentro de um específico banco de dados, show de bola, sucesso, vamos em frente.

Agora com este dados disponíveis para serem acessados, podemos fazer uso do recurso View as Chart, para isso acesse o SQL Operations Studio, conecte-se em seu banco de dados, abra uma nova query e execute o Bloco de Código 1 apresentado abaixo, sendo esta a query base que utilizaremos para proporcionar a criação e execução de nossos gráficos:

— Bloco de Código 1 —

Select Top (50) Name,
Age,
Nationality,
Overall,
Potential
From PlayerPersonalData
Order By Overall Desc, Potential DESC
Go

Observe a simplicidade da query que utilizaremos, não se espante é isso mesmo, algo bastante simples para trabalhar com 50 linhas de registros armazenadas em um tabela denominada PlayerPersonalData.

Logo após a execução do Bloco de Código 1 apresentando anteriormente, o SQL Operations Studio deve ter retornado na sua tela um conjunto de dados similar ao apresentado na Figura 2 a seguir:

Figura 2 – Relação de dados apresentados após o processamento do Bloco de Código 1.

Muito bem, observe com atenção a Figura 2, veja que os botões apresentados na respectiva ordem:

  • Save as CSV;
  • Save as JSON(o arquivo json aqui compartilhado, foi criado através deste botão);
  • Save as Excel; e
  • View as Chart, foram habilitados e encontram-se disponíveis para uso, sendo o último botão o qual iremos utilizar para gerar nossos gráficos, sendo assim, clique nele.

Após clicar no botão View as Chart, automaticamente o SQL Operations Studio apresenta um primeiro modelo de gráfico em barras horizontais(HorizontalBar), conforme apresenta a Figura 3 a seguir:

Figura 3 – Gráfico padrão criado no modelo predefinido HorizontalBar.

Como eu havia destacado no início deste post, o SQL Operations Studio através do recurso View as Chart, apresenta um conjunto de gráficos predefinidos que podem ser aplicados ou não dependendo do tipo de retorno de dados apresentado por cada query, a Figura 4 apresentado a seguir, ilustra o conjunto de modelo de gráficos predefinidos independente do conjunto de dados processados pelo Bloco de Código 1:

Figura 4 – Relação de modelos predefinidos existentes no recurso View as Chart.

Legal, temos nossa massa de dados, já sabemos a relação de possíveis modelos de gráficos, o próximo passo é começar a brincar com este recurso em conjunto com suas querys criando novos gráficos, como forma de demonstração de algumas possibilidades, apresento abaixo algumas figuras que ilustram as diversidades de retornos de dados através do recurso View as Chart.

Exemplos de Gráficos

A seguir apresento em sua respectiva ordem as Figuras 5, 6, 7 e 8, que ilustram os modelos de gráficos: Line, Bar e PIE, note que todos os gráficos apresentam uma legenda, como também, podem ser exibidos na posição horizontal e vertical, e ao passar com o mouse em cima da área do gráfico, um hint é apresentado destacando a área e seus respectivos dados:

Figura 5 – Modelo de Gráfico Line.

Figura 6 – Modelo de Gráfico Bar.

Observação: Após exibir um gráfico em tela o SQL Operations Studio, nos permite salvar (Save as image) ou copiar (Copy as image), botões os quais estão disponíveis na barra de ferramentas apresentada em conjunto com nosso gráfico, bem acima da área de gráfico.

Por padrão ao salvar um gráfico como imagem será criado um novo arquivo formato de imagem no padrão .png (Portable Network Graphics, também conhecido como PNG’s Not GIF).

Figura 7 – Modelo de Gráfico Line – Dados analisados no formato de números e distribuídos na posição vertical.

Figura 8 – Modelo de Gráfico PIE – Dados distribuídos na posição vertical.

Ufa, chegamos ao final, sãos e salvos e como de costume com mais uma gama de conhecimento adquirido a partir deste momento. E ai ficou de queijo caiu com este recurso da mesma maneira que eu fiquei quando por acaso o descobrir? Acho que sim, não é verdade.

Então, mas não é somente a possibilidade de gerar gráficos que o View as Chart nos permite, ele também tem um outro botãozinho mágico que fica escondido chamado Create Insight, mas este botão eu vou deixar para que você descubra como fazer uso dele e quais os benefícios ele pode te trazer.

Antes de encerrarmos, gostaria de contar com a sua participação neste post, respondendo a enquete abaixo:


Referências

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/sql-operations-studio/release-notes?view=sql-server-2017

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/sql-operations-studio/insight-widgets?view=sql-server-2017

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/sql-operations-studio/tutorial-build-custom-insight-sql-server?view=sql-server-2017&viewFallbackFrom=ssdt-18vs2017

Posts Anteriores

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/03/14/dica-do-mes-microsoft-sql-server-2017-sql-graph-databases/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/01/24/dicadomes-sqlservertoolsuiteintroduction/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/11/01/dicadomessql2017novascolunasinternas/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/08/26/dica-do-mes-simulando-a-insercao-de-uma-massa-de-dados-aleatoria/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/05/23/conhecendo-e-aplicando-o-uso-de-atualizacao-de-estatisticas-incrementais/

Conclusão

Como de costume a cada novo produto, versão, service pack ou atualizações que a Microsoft e seu time de engenheiros especialista do SQL Server disponibiliza, novos e novos elementos são implementados ao vasto conjunto de possibilidades que o Microsoft SQL Server nos oferecer.

O SQL Operations Studio é justamente um destes elementos que vem aos poucos adquirindo seu espaços, se tornando componente importante para os desenvolvedores, programadores, analistas e administradores no que se relaciona as tarefas ou atividades oriundas de um ambiente de banco de dados.

A partir da nova versão do SQL Operations Studio, temos um grande recurso que nos permite utilizar modelos de gráficos predefinidos como fonte de análise dos dados os quais foram processados e apresentados em nossa tela, através do View as Chart, a Microsoft trouxe um pequeno ambiente que nos permite analisar, validar e tomar possíveis decisões de acordo com as simulações de dados processadas em real time em nossas querys.

Agradecimentos

Agradeço a você por sua atenção e visita ao meu blog. Fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Um forte abraço, nos encontramos no próximo post a ser publicado no mês de junho.

Salve o SQL Operations Studio, estamos todos ansiosos ter esperando…

Um forte abraço, sucesso e até o próximo post.

Anúncios

Autor: Junior Galvão - MVP

Profissional com vasta experiência na área de Tecnologia da Informação e soluções Microsoft. Graduado no Curso Superior em Gestão da Tecnologia de Sistemas de Informação pela Uninove – Campus São Roque. Pós-Graduado no Curso de Gestão e Engenharia de Processos para Desenvolvimento de Software com RUP na Faculdade FIAP – Faculdade de Informática e Administração Paulista de São Paulo. Pós-Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação Faculdade – ESAMC Sorocaba. Formação MCDBA Microsoft, autor de artigos acadêmicos e profissionais postados em Revistas, Instituições de Ensino e WebSistes. Meu primeiro contato com tecnologia ocorreu em 1994 após meus pais comprarem nosso primeiro computador, ano em que as portas para este fantástico mundo se abriram. Neste mesmo ano, comecei o de Processamento de Dados, naquele momento a palavra TI não existia, na verdade a Tecnologia da Informação era conhecida como Computação ou Informática, foi assim que tudo começou e desde então não parei mais, continuando nesta longa estrada até hoje. Desde 2001 tenho atuado como Database Administrator – Administrador de Banco de Dados – SQL Server em tarefas de Administração, Gerenciamento, Migração de Servidores e Bancos de Dados, Estratégias de Backup/Restauração, Replicação, LogShipping, Implantação de ERPs que utilizam bancos SQL Server, Desenvolvimento de Funções, Stored Procedure, entre outros recursos. Desde 2008 exerço a função de Professor Universitário, para as disciplinas de Banco de Dados, Administração, Modelagem de Banco de Dados, Programação em Banco de Dados, Sistemas Operacionais, Análise e Projetos de Sistemas, entre outras. Experiência na Coordenação de Projetos de Alta Disponibilidade de Dados, utilizando Database Mirroring, Replicação Transacional e Merge, Log Shipping, etc. Trabalhei entre 2011 e 2017 como Administrador de Banco de Dados e Coordenador de TI no FIT – Instituto de Tecnologia da Flextronics, atualmente exerço a função de Professor Universitário na FATEC São Roque. CTO da Galvão Tecnologia, consultoria especializada em Gestão de TI, Administração de Servidores Windows Server, Bancos de Dados Microsoft SQL Server e Virtualização. Possuo titulação Oficial Microsoft MVP e reconhecimentos: MCC, MSTC e MIE.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s