Microsoft anuncia modo escuro no OneNote e melhorias na navegação


O OneNote é um programa de anotações incrivelmente popular da Microsoft que é usado por milhões de clientes em todo o mundo. Enquanto o OneNote apresenta uma variedade de ferramentas como a capacidade de desenhar, o mesmo ainda não se sente uma ferramenta  unificada ou até mesmo integrado com o sistema operacional de um certo modo.

Repare no seguinte cenário, observe que sempre ao acessar o OneNote, o mesmo apresenta um ambiente totalmente brilhante, isso ao longo do seu uso, pode tornar seu usabilidade um pouco cansativa, e não só isso, este brilho pode gerar possível danos as nossas retinas.

Desta maneira, o aplicativo é sempre incrivelmente brilhante, não importa se o seu sistema operacional é personalizado para ir fácil sobre os olhos. Felizmente, isso está prestes a mudar muito em breve.

De acordo com um relatório da aggiornamenti Lumia, a Microsoft está adicionando um tema escuro para o OneNote em seus próximas atualizações. Não é claro quando esse recurso será liberado, mas parece que ele já está rolando para um seleto grupo de insiders do Windows na atual fase de testes.

A Figura 1 abaixo ilustre o OneNote em modo escuro (Dark Mode):Figura 1 – Visual do OneNote em uso apresentando o Dark Mode.

Além do modo escuro, o OneNote parece estar recebendo navegação melhorada. Segundo o Vice-Presidente da Microsoft Laura Buttler informou em uma nota: “um novo conjunto de aprimoramentos foram adicionados, permitindo assim estabelecer a navegação melhorada”,  outros indícios destes possíveis aprimoramentos também foi encontrar em imagens recentes publicadas no Twitter.

Esperemos que as alterações irão tornar o OneNote ainda mais fácil de usar,  o qual está disponível em uma variedade de plataformas do Windows para o Mac, por isso é uma ferramenta bastante versátil.

Fonte e Direitos Autorais: Windows Central – Asher Madan  – 06/02/2019.
Leia na integra acessando: https://www.windowscentral.com/onenote-gets-dark-mode-and-improved-navigation-soon

Anúncios

Microsoft confirma desativação dos protocolos TLS 1.0 e 1.1 para Microsoft Edge e Internet Explorer em 2020


A Microsoft anunciou no último dia 15 de outubro em seu blog que os protocolos TLS 1.0 e 1.1 no Microsoft Edge e Internet Explorer serão desativados por padrão a partir do primeiro semestre de 2020.

Estas versões do protocolo Transport Layer Security serão desativadas nas versões suportadas dos dois navegadores da empresa, conforme notificação da Microsoft, que também ressalta que 19 de janeiro de 2019 marca o 20º aniversário do TLS 1.0 – versão inaugural do protocolo para criptografia e autenticação de conexões seguras na Web

Nos últimos 20 anos, outras versões do TLS mais avançadas e seguras foram lançadas e o suporte para o TLS 1.3 em uma futura versão do Microsoft Edge já está em desenvolvimento.

Como as versões 1.0 e 1.1 deverão ser depreciadas formalmente pela IETF (Internet Engineering Task Force) no final deste ano, a recomendação é que sites migrem para as versões mais recentes do protocolo o mais rápido possível.

Preparando seus sites e organizações

Dados da SSL Labs mostram que 94% dos sites hoje já suportam o TLS 1.2 e menos de 1% das conexões feitas diariamente no Microsoft Edge usam o TLS 1.0 ou 1.1:

Microsoft desativará o TLS 1.0 e 1.1 no Microsoft Edge e Internet Explorer em 2020A Microsoft optou por anunciar bem antes que desativará o TLS 1.0 e 1.1 no Microsoft Edge e Internet Explorer para que os sites que ainda fazem uso destas versões tenham tempo suficiente para se preparar e fazer o upgrade para a versão 1.2 ou 1.3.

Esta mudança segue os semelhantes anúncios feitos pela Apple, Google e Mozilla, suporte mais seguro, suporte com melhor performance, conexões seguras, ajudando a avançar uma experiência de navegação mais segura para todos.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft – Windows.blog – 15/10/2018 –  https://blogs.windows.com/msedgedev/2018/10/15/modernizing-tls-edge-ie11/#yItMJIZHSkMwOiY3.97

Windows Admin Center Preview v1808 disponível


A Microsoft publicou em seu blog algumas novidades sobre o Windows Admin Center Preview v1808, disponibilizado nesta semana para os participantes do Windows Insider Program e do Windows Insider Program for Business.

Caso você ainda não o conheça, o Admin Center (ex-Project Honolulu) é uma experiência flexível e instalada localmente que possibilita o gerenciamento do Windows Server usando o navegador, através desta nova plataforma de gerenciamento da Microsoft, você terá a possibilidade de substituir diversas soluções de gerenciamento e configuração, como snap-ins do Microsoft Management Console, o Server Manager do Windows Server, o Gerenciador de Tarefas, entre outras possíveis soluções nativas ou de terceiros.

Há Microsoft informa que está implementando uma nova infraestrutura para suportar futuros cenários de gerenciamento e para melhorar a experiência com cenários híbridos do Azure Site Recovery e Azure Update Management.

Outra grande novidade, se relaciona com as configurações de servidor, como variáveis de ambiente, área de trabalho remota e configurações de RBAC (Role-based access control), esta a partir deste preview disponíveis como uma ferramenta separada na lista de ferramentas do gerenciador do servidor no Admin Center Preview.

As configurações do host para o Hyper-V também estão disponíveis em servidores “standalone” e clusters Hyper-V habilitado, incluindo também que as configurações do host para o Hyper-V em um cluster possam realizar mudanças de configurações em todos os nós ao mesmo tempo sem necessitar de qualquer tipo de configuração individual.

Em relação aos recursos de Máquinas Virtuais, o Windows Admin Center Preview v1808, possui agora uma uma nova seção com opções de segurança para as VMs:

Novidades no Windows Admin Center Preview v1808

O Windows Admin Center Preview v1808 apresenta uma nova ferramenta Apps & Features, que permite que os administradores gerenciem remotamente componentes instalados no Windows.

Durante a conexão a um cliente com Windows 10, a ferramenta carregará os aplicativos instalados (Microsoft Store e Win32) e recursos que podem ser habilitados/desabilitados. Durante a conexão a um servidor, você verá apenas os aplicativos:

Winadc 1808 02
Lista de aplicativos catalogados pelo Admin Center.

A ferramenta pode ser instalada a partir da lista de extensões disponíveis no gerenciador de extensões.

Além das novidades mencionadas acima, esta versão Preview traz versões atualizadas de algumas ferramentas como o Agendador de Tarefas, melhorias no suporte para o compartilhamento de arquivos, entre outros ajustes.

Para saber mais sobre as novidades apresentadas neste novo preview, acesse: https://blogs.windows.com/windowsexperience/2018/08/14/announcing-windows-admin-center-preview-1808/#IafcvibYoKufKGG0.97

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft – https://docs.microsoft.com/en-us/windows-server/manage/windows-admin-center/understand/what-is

Microsoft Virtual Academy – Novo treinamento sobre noções básicas do Windows Server 2016


Nos últimos dias a Microsoft adicionou a sua biblioteca de cursos on-line disponibilizados no Microsoft Virtual Academy, um novo curso dedicado exclusivamente ao Windows Server 2016, trata-se do curso de Noções Básicas, focado em profissionais, estudantes e entusiastas que querem conhecer um pouco mais sobre o sistema operacional da Microsoft utilizado em servidores.

A Microsoft Virtual Academy (ou MVA) oferece treinamento online da Microsoft realizado por especialistas para ajudar os tecnólogos a aprender constantemente, com centenas de cursos em múltiplos idiomas. A MVA é gratuita e o serviço inteiro é hospedado no Microsoft Azure. Além dos treinamentos, ela também oferece para download diversos ebooks gratuitos.

O treinamento é dividido em seis módulos que apresentam a versão 2016 do Windows Server, que foi lançada em setembro de 2016 durante a conferência Ignite e disponibilizada oficialmente em outubro do mesmo ano.

O Treinamento

O primeiro módulo centra-se na instalação do novo sistema operacional e na comparação da funcionalidade de diferentes versões.

No segundo módulo, são apresentadas as novas funções na área de identidade. O terceiro módulo apresenta os novos recursos da rede.

O módulo 4 fornece uma visão geral dos novos recursos e melhorias na memória. No quinto módulo, são apresentadas as novas funções no campo da virtualização. Após uma pequena introdução ao Hyper-V, também é mostrado como criar e configurar máquinas virtuais.

No último módulo, a Microsoft aborda os contêineres que fornecem uma extensão da virtualização.

Treinamento gratuito: Noções básicas sobre o Windows Server 2016
O treinamento é dividido em seis módulos que apresentam a versão 2016 do Windows Server, que foi lançada em setembro de 2016 durante a conferência Ignite e disponibilizada oficialmente em outubro do mesmo ano

Módulos do treinamento gratuito Noções básicas sobre o Windows Server 2016:

01 | Introdução ao Windows Server 2016
O primeiro módulo se concentra na instalação do novo sistema operacional e na comparação da funcionalidade de diferentes versões.

02 | Serviços de diretório do Windows Server 2016
No segundo módulo, são apresentadas as novas funções no campo da identidade.

03 | Serviços de rede no Windows Server 2016
No terceiro módulo você receberá uma introdução às novas funções na rede.

04 | Soluções de armazenamento do Windows Server 2016
Este módulo fornece uma visão geral dos novos recursos e melhorias de memória.

05 | Virtualização do Windows Server 2016
No quinto módulo são apresentadas as novas funções no campo da virtualização.

06 | Windows Server 2016 Container Basics
O último módulo tem como foco os contêineres.

Para maiores informações e acesso ao treinamento clique aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com – 05/02/2018.

Project Honolulu Technical Preview v1711 build 15002


A Microsoft anunciou em seu blog Server Management Experience a disponibilidade no TechNet Evaluation Center do Project Honolulu Technical Preview v1711 build 15002.

Project Honolulu Technical Preview v1711 build 15002

Disponível para download aqui, o Project Honolulu é uma experiência flexível e instalada localmente que possibilita o gerenciamento do Windows Server usando o navegador.

Com ele você pode substituir diversas soluções de gerenciamento e configuração, como snap-ins do Microsoft Management Console, o Server Manager do Windows Server, o Gerenciador de Tarefas e etc.

O Project Honolulu Technical Preview v1711 build 15002 pode ser instalado no Windows 10, no Windows Server 2016 e no Windows Server Technical Preview. As instruções para instalação e requisitos estão disponíveis através do link: https://docs.microsoft.com/en-us/windows-server/manage/honolulu/deployment-guide

Quem já tem o Honolulu instalado verá uma notificação “Update available” em sua página inicial indicando que a atualização está disponível.

As novidades neste build incluem uma nova ferramenta Remote Desktop, melhorias na performance da interface e mais.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft | TechNet – 07/12/2017 – https://blogs.technet.microsoft.com/servermanagement/2017/12/07/1711-update-to-project-honolulu-technical-preview-is-now-available/

Novidades no Windows 10 Creators Update


Confira neste artigo algumas novidades no Windows 10 Creators Update (ou Windows 10 v1703), que foi lançado oficialmente hoje pela Microsoft.

Novidades no Windows 10 Creators Update

Uma das novidades no Windows 10 Creators Update é o suporte para conteúdo 3D. Esta atualização do Windows 10 inclui o novo aplicativo Paint 3D.

O aplicativo é baseado na Universal Windows Platform e além dos recursos básicos de edição de imagens e desenho, ele traz o suporte para criação de formas em 3D e interface otimizada para uso com telas sensíveis ao toque.

O aplicativo também suporta recursos “tradicionais” como recorte de imagens, inserção de textos, criação e formas 2D e outros.

Novidades no Windows 10 Creators Update

Com o Windows 10 Creators Update, o suporte para conteúdo 3D também estará presente no Microsoft Edge e no PowerPoint.

Os usuários poderão inserir objetos 3D em slides do PowerPoint e também é possível usar o zoom para visualizar detalhes específicos dos objetos.

No caso do Microsoft Edge, o HoloLens poderá utilizado para navegar por conteúdo 3D no navegador. Com o HoloLens, os objetos poderão ser “movidos” para fora do navegador para facilitar a interação.

Objetos em 3D também poderão ser obtidos em sites como o remix3d.com e através do próprio aplicativo Paint 3D.

Já que falamos em conteúdo 3D e HoloLens, o Windows 10 Creators Update traz a plataforma Windows Mixed Reality (ex-Windows Holographic). Com ela o sistema operacional suportará realidade aumentada com dispositivos como o HoloLens e realidade virtual com dispositivos que custarão a partir de US$ 299.

Isto significa que os fabricantes interessados em criar experiências de realidade virtual agora poderão usar o Windows 10 como plataforma para seus dispositivos.

Usuários com dispositivos compatíveis poderão usar o aplicativo Mixed Reality Portal como ponto de partida para a plataforma Windows Mixed Reality.

O Windows 10 Creators Update também traz diversas melhorias na experiência de instalação e atualização do sistema operacional. Durante a instalação “limpa” do Windows 10 com o Creators Update, a assistente pessoal Cortana poderá guiar o usuário durante algumas etapas do processo. Ela também suportará comandos de voz nesta etapa.

No caso da experiência de atualização, as novidades no Windows 10 creators Update incluem diversas novas opções para o agendamento da instalação das atualizações.

Por exemplo, você poderá reiniciar e instalar a atualização imediatamente, especificar exatamente quando a atualização será instalada e o PC reinicializado ou poderá clicar no botão Snooze, que interromperá o processo de atualização completamente por três dias caso você precise usar o PC de forma ininterrupta neste período:

Além disso, a seção Horário ativo foi melhorada para que o Windows não instale a atualização durante um horário que o usuário precisa do PC pronto para uso:

As atualizações precisarão de menos reinicializações do que no Windows 10 atual e os download das atualizações não causará mais um grande impacto na performance do PC.

As opções avançadas do Windows Update na edição Pro do sistema operacional também foram atualizadas e agora trazem mais opções:

Para quem usa o PC durante a noite, o Windows 10 inclui a nova opção Luz noturna. Esta opção ajuda a reduzir a emissão de luz azul quando o usuário utiliza o PC.

O usuário também pode definir quando a opção Luz noturna será ativada automaticamente (do início da noite ao início da manhã ou em um horário específico):


Sobre o Microsoft Edge, uma das novidades no Windows 10 Creators Update é o suporte nativo para ebooks no formato ePUB. O navegador suporta tanto livros protegidos, como os comprados através da Windows Store*, como os obtidos através de outras fontes:

*Disponibilidade pode variar dependendo da região.

O Microsoft Edge também traz diversas melhorias na navegação, como o suporte para visualização de abas abertas sem sair da atual e o suporte para “reserva de guias”.

Os usuários podem acessar as guias abertas clicando no botão “Mostrar visualizações de guias” :


Já a “reserva de guias” permite que você separe um conjunto de sites para visualização posterior. Para fazer isso, abra os sites que você quer separar e clique no botão “Reservar estas guias”:

Os sites que você separou poderão ser acessados clicando no botão “Guias que você reservou” e depois em “Restaurar guias”:


Na parte de segurança, o navegador traz o Windows Defender Application Guard, que ajuda a proteger o PC contra sites maliciosos e certos tipos de ataques na Web.

As empresas podem ativar este recurso, que utiliza tecnologia de virtualização, com Editor de Política de Grupo Local no Windows 10 Enterprise:

Para os gamers, o Windows 10 Creators Update traz a nova categoria Jogos no aplicativo Configurações:

Nela eles podem encontrar todas configurações relacionadas a jogos, incluindo DVR (para captura de imagens e gravações de vídeos de jogos), Barra de jogo, Streaming de jogos e o Modo de Jogo, que otimiza o Windows 10 para oferecer melhor performance durante as partidas:

O Windows 10 Creators Update introduziu a Central de Segurança do Windows Defender, que basicamente reúne as opções de segurança e outros recursos relacionados em um só lugar.

Se o usuário tiver uma solução antivírus de terceiros, a Central oferecerá acesso rápido e também oferecerá a opção para habilitar a verificação periódica do Windows Defender, que oferecerá uma camada extra de proteção:

Para as empresas, o Windows 10 Creators Update introduz diversas novidades no Windows Defender Advanced Threat Protection. Confira algumas delas aqui.

Sobre as melhorias com foco na privacidade,� confira este post da Microsoft.

Os usuários da plataforma de virtualização Hyper-V agora poderão utilizar o novo assistente para criação rápida de máquinas virtuais, o que agilizará o processo caso seja necessário criar múltiplas máquinas virtuais rapidamente.

Para abrir o assistente basta clicar em “Criação Rápida” no Gerenciador do Hyper-V:

Outras novidades no Windows 10 Creators Update incluem:

– Barra de endereços no Editor do Registro:

– Touchpad virtual:

– Mais opções de cores para personalização da interface:

– Suporte para download de temas na Windows Store:

– Suporte para pastas de aplicativos no menu Iniciar:

– Mais opções de personalização para o menu Iniciar:

– Bloqueio dinâmico:

– Sensor de armazenamento:

Estas são apenas algumas das novidades no Windows 10 Creators Update. A Microsoft já começou os trabalhos na próxima grande atualização do Windows 10, que é conhecida pelo codinome Redstone 3 e deve ser lançada até o final deste ano.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com  –

Microsoft anuncia a compra da Xamarin


A Microsoft anunciou nesta semana a compra da Xamarin, provedora líder em soluções para o desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis.

Microsoft anuncia a compra da Xamarin

Microsoft anuncia a compra da Xamarin

Em associação com o Visual Studio, a Xamarin oferece soluções em desenvolvimento mobile que permitem aos desenvolvedores produzir aplicativos utilizando C# e entregar experiências de apps mobile nativas para todos os principais dispositivos – incluindo iOS, Android e Windows.

A abordagem da Xamarin capacita os desenvolvedores a tirar proveito da produtividade e poder do .NET para produzir aplicativos para dispositivos móveis e utilizar o C# para desenvolver o conjunto completo de APIs nativas e capacidades móveis fornecidas pelas plataformas de dispositivos. Isso permite que os desenvolvedores compartilhem facilmente códigos comuns por seus aplicativos para iOS, Android e Windows e continuem entregando experiências nativas para cada uma das plataformas. As soluções únicas da Xamarin têm impulsionado um incrível crescimento por mais de quatro anos.

A Xamarin conta com mais de 15.000 clientes em 120 países, incluindo mais de cem companhias que fazem parte da lista Fortune 500, e mais de 1,3 milhão de desenvolvedores que utilizam seus produtos e serviços.

Companhias importantes como Alaska Airlines, Coca-Cola Bottling, Thermo Fisher, Honeywell e JetBlue usam Xamarin, assim como produtoras de jogos como SuperGiant Games e Gummy Drop. Com a Xamarin Test Cloud, todos os tipos de desenvolvedores mobile – C#, Objective-C, Java e desenvolvedores de aplicativos híbridos – podem testar e melhorar a qualidade de suas aplicações usando centenas de celulares e dispositivos hospedados na nuvem. A Xamarin foi recentemente considerada uma das principais startups que ajudam a internet a funcionar.

A Microsoft tem uma parceria de longa data com a Xamarin e as duas construíram em conjunto a integração com Visual Studio, Microsoft Azure, Office 365 e Enterprise Mobility Suite para fornecer aos desenvolvedores um fluxo de trabalho de ponta a ponta para aplicativos nativos e seguros por diversas plataformas. As empresas também trabalham para oferecer treinamento, ferramentas, serviços e fluxos de trabalho que os desenvolvedores necessitam para terem sucesso.

Com o anúncio da compra da Xamarin, ambas levarão esse trabalho ainda mais adiante para tornar suas ferramentas e serviços de desenvolvimento ainda melhores com uma integração mais profunda e experiências de desenvolvimento ainda mais refinadas.

A combinação de Xamarin, Visual Studio, Visual Studio Team Services e Azure fornece uma solução de desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis completa que provê tudo o que você precisa para desenvolver, testar, entregar e instrumentalizar aplicativos para cada dispositivo.

Fonte: Microsoft Brasil – 25 de Fevereiro de 2016.

Microsoft alerta para o fim do suporte para versões antigas do Internet Explorer


A partir de 12 de janeiro 2016, o suporte para versões antigas do Internet Explorer será encerrado. Depois desta data, somente a versão atual do Internet Explorer disponível para um sistema operacional com suporte receberá suporte técnico e atualizações de segurança.

Fim do suporte para versões antigas do Internet Explorer

A Microsoft recomenda que os clientes que executam as versões mais antigas do Internet Explorer atualizem para a versão mais recente, ou seja, o Internet Explorer 11, no Windows 7, Windows 8.1 e Windows 10.

Microsoft alerta para o fim do suporte para versões antigas do Internet Explorer

Internet Explorer 11 x Versões antigas

O Internet Explorer 11 é uma plataforma de navegador consistente e confiável para aplicativos Web corporativos. A maioria das organizações de grande porte possui uma enorme variedade de aplicativos Web que evoluíram ao longo dos últimos 20 anos. Somente o Internet Explorer 11 oferece suporte aos requisitos de segurança, capacidade de gerenciamento, desempenho, compatibilidade com versões anteriores e padrões modernos exigidos pelos grandes portfólios de aplicativos Web.

O Internet Explorer 11 oferece a melhor compatibilidade com versões anteriores de todos os navegadores da Web. Com nove modos de documentos, o Internet Explorer 11 é o único navegador a oferecer emulação de alta fidelidade para versões mais antigas do Internet Explorer. Atualizar os aplicativos para padrões modernos ainda é a melhor estratégia a longo prazo, mas você pode usar a compatibilidade com versões anteriores para fazer a atualização para o Internet Explorer 11 com ainda mais velocidade e facilidade.

Tecnologias modernas da Web, como HTML5, CSS3 e WebGL garantem o funcionamento do Internet Explorer 11 com os sites atuais. À medida que sua empresa migra cada vez mais para aplicativos e serviços baseados na nuvem, você precisa de um navegador de categoria empresarial para ajudar a garantir a continuidade dos negócios. O Internet Explorer 11 proporciona consistência e confiabilidade em suas áreas de trabalho do Windows 7, Windows 8.1 e Windows 10.

O Internet Explorer 11 é mais seguro do que as versões anteriores. Por exemplo, a empresa de segurança independente NSS Labs descobriu em 2010 que o Internet Explorer 8 bloqueava cerca de 85% do malware de engenharia social. Recentemente, ela relatou uma taxa de bloqueio de 99% para o Internet Explorer 11. Com recursos de segurança como o SmartScreen e o Modo Protegido Avançado, o Internet Explorer 11 reduz significativamente os riscos.

O Internet Explorer 11 é rápido graças a melhorias no desempenho do JavaScript, otimização de rede e renderização de texto e JPEG com aceleração por hardware plena. Acha seus aplicativos Web no Internet Explorer 8 lentos? Dê nova vida a eles fazendo a atualização para o Internet Explorer 11, a qual proporcionará um melhor uso do seu investimento em hardware. Algumas organizações justificaram a atualização para o Internet Explorer 11 com base unicamente nos benefícios de desempenho.

O Internet Explorer 11 pode facilitar sua próxima migração para o Windows, já que o Internet Explorer 11 é a única versão do Internet Explorer que funciona tanto no Windows 10 quanto no Windows 8.1. Atualizar para o Internet Explorer 11 no Windows 7 agora pode ajudar a deslanchar a próxima geração de software, serviços e dispositivos.

Embora o Internet Explorer 11 ofereça os benefícios de desempenho mais rápido, maior segurança, melhor compatibilidade com versões anteriores, suporte a padrões modernos, atualizações de segurança e suporte técnico contínuos e migrações de Windows mais fáceis, não nos esquecemos dos custos da atualização. Investimentos como o Modo Empresarial ajudam a reduzir os custos com testes e correções de aplicativos Web.

Atualização para o Internet Explorer 11

Como usuário final, você provavelmente tem as Atualizações Automáticas ativadas e já atualizou para o Internet Explorer 11 sem precisar fazer nada. Caso ainda não tenha ativado as Atualizações Automáticas, clique no botão Procurar atualizações na seção Windows Update do Painel de Controle para começar.

Se você gerencia computadores para sua organização, há vários recursos que podem ajudar os profissionais de TI a atualizar esses computadores para o Internet Explorer 11. Saiba mais aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious

 

TechNet Virtual Lab: Windows 10 para profissionais de TI


A Microsoft disponibilizou recentemente em sua página Laboratórios Virtuais TechNet o laboratório virtual Windows 10 para profissionais de TI.

Os laboratórios virtuais permitem que usuários e profissionais de TI testem recursos dos sistemas operacionais da Microsoft via nuvem como se estivessem usando seus próprios PCs. Isto é útil para quem não quer perder tempo criando uma máquina virtual apenas para testar um recurso específico, por exemplo.

TechNet Virtual Lab: Windows 10 para profissionais de TI

Com este laboratório virtual, profissionais de TI e instituições de ensino poderão testar os novos recursos e funcionalidades do Windows 10.

Além disso, ele também mostrará como fazer o upgrade de equipamentos com Windows 7 para o Windows 10 e como gerenciar dispositivos, apps e usuários no novo sistema operacional da Microsoft.

Confira o laboratório virtual Windows 10 para profissionais de TI clicando aqui.

TechNet Virtual Lab: Windows 10 para profissionais de TI

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious

Imagens do Windows 10 build 10537


A versão 64 bits do Windows 10 build 10537 vazou na Web nesta segunda-feira e já pode ser encontrada em diversos sites de compartilhamento de arquivos.

Este build traz novidades como novas animações para abertura/fechamento de apps, novos ícones em diversas áreas do sistema operacional e melhorias nos menus de contexto.

Entre as áreas que receberam novos ícones no Windows 10 build 10537 estão o Painel de Controle tradicional e o Gerenciador de Dispositivos.

O navegador Microsoft Edge foi atualizado para a versão 21.10537.0.0 e ainda não traz o suporte para o recurso tab preview e o suporte para extensões.

Confira algumas imagens do Windows 10 build 10537:

Imagens do Windows 10 build 10537
windows-10-10537-ss-02
windows-10-10537-ss-03
windows-10-10537-ss-04
windows-10-10537-ss-05
windows-10-10537-ss-06
windows-10-10537-ss-07
windows-10-10537-ss-08
windows-10-10537-ss-09
windows-10-10537-ss-10
windows-10-10537-ss-11
windows-10-10537-ss-12

Saiba mais sobre o novo sistema operacional clicando aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious @ 14 set 2015 | 2:24 pm

Internet Explorer completa 20 anos


Lançado em 16 de agosto de 1995, o Internet Explorer completa 20 anos de vida neste mês. A versão 1.0 do navegador foi distribuída inicialmente junto com o pacote Microsoft Plus! para Windows 95.

Para não deixar a data passar em branco, a equipe do Microsoft Edge publicou em sua conta no Twitter uma pequena mensagem desejando um feliz aniversário para o navegador:

Internet Explorer completa 20 anos

Internet Explorer completa 20 anos

O Internet Explorer 1.0, que pode ser visto na imagem abaixo, era baseado no Spyglass Mosaic, que foi licenciado pela Microsoft e usado para formar a base do código de outras versões do Internet Explorer.

MS_IE1.0_01

O Internet Explorer 3.0, lançado no dia 13 de agosto de 1996, foi a primeira versão do navegador realmente bem sucedida. A versão 3.0 também marca o início da integração do Internet Explorer com o Windows:

MS_IE3.0_02

O lançamento da versão 4.0 em setembro de 1997 marcou o início do domínio do Internet Explorer no mercado de navegadores (quando ele chegou a ter uma fatia de mais de 90%). Este domínio continuou até o lançamento da versão 6.0:

MS_IE4.0_03

Por falar na versão 6.0, ela foi lançada junto com o Windows XP em outubro de 2001 (embora tenha ficado pronta em agosto do mesmo ano) e até hoje é muito criticada por sua grande quantidade de falhas de segurança e problemas de compatibilidade com diversos padrões na Web:

MS_IE6.0_04

Já a versão 7.0, lançada em outubro de 2006, marcou a primeira grande mudança visual no navegador desde o lançamento do IE 1.0 com a inclusão do suporte para tabbed browsing (navegação por abas):

MS_IE7.0_05

A versão 8 foi lançada em março de 2009. Esta versão trouxe melhorias no suporte para alguns padrões da Web como CSS e diversas melhorias na segurança (para a época).

O Internet Explorer 8 também foi o primeiro navegador da Microsoft a passar no teste Acid2.

MS_IE8.0_06

Em 2009, a União Europeia determinou que a Microsoft incluísse no Windows uma tela listando diversos navegadores alternativos. A determinação visava garantir a liberdade de escolha dos usuários do Windows na Europa.

O Internet Explorer 9 chegou ao mercado oficialmente em março de 2011. O desenvolvimento desta versão começou logo após o lançamento da versão 8.

Ele foi anunciado pela Microsoft durante a edição de 2009 da sua Professional Developers Conference (ou PDC).

Esta versão trouxe o suporte para renderização acelerada via hardware, suporte para alguns elementos do HTML5 e um novo mecanismo JavaScript em sua versão 32 bits:

MS_IE9.0_07

O Internet Explorer 10 foi lançado junto com o Windows 8 em outubro de 2012 e em fevereiro de 2013 para Windows 7. O Windows Vista não é suportado.

No Windows 8, o Internet Explorer 10 foi dividido em duas interfaces, a tradicional para uso na área de trabalho e a versão “Moderna”, otimizada para uso com telas sensíveis ao toque.

A versão 10 também trouxe melhorias no suporte para a aceleração via hardware e para diversos padrões da Web, como o CSS3.

MS_IE10.0_08
Com a chegada do Windows 8.1, que foi lançado no dia 18 de outubro de 2013, a Microsoft também lançou o Internet Explorer 11. Esta versão do navegador também está disponível para o Windows 7.

O Internet Explorer 11 trouxe novidades como suporte para o protocolo SPDY, suporte para renderização de elementos 3D usando WebGL, novo modo protegido avançado, melhorias em seu mecanismo de renderização de páginas, melhorias no recurso de proteção contra rastreamento e melhorias em seu mecanismo JavaScript.

MS_IE11.0_09
MS_IE11.Metro_010
O Internet Explorer 11 também está presente no Windows 10, que foi lançado em 29 de julho de 2015. O detalhe é que ele foi substituído pelo Microsoft Edge como o navegador padrão do sistema operacional.

O Microsoft Edge foi desenvolvido como um app da Windows Store, o que agilizará o processo de atualização para novas versões.

O navegador está presente tanto no Windows 10 “tradicional” para PCs e laptops como no Windows 10 Mobile para smartphones e tablets pequenos.

MS_Edge_011
O Internet Explorer completa 20 anos neste mês. Qual foi a primeira versão usada por você?

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious

FAÇA DOWNLOAD DO WINDOWS 10 FINAL RTM


A Microsoft disponiblizou oficialmente o Windows 10 RTM para download através de uma ferramenta específica. Estão disponíveis para download em português as versões Windows 10 Home, Windows 10 Home Single Language e Windows 10 Pro. A versão Windows 10 Business também foi disponibilizada para download via MSDN.

FAÇA DOWNLOAD DO WINDOWS 10 FINAL RTM EM FORMATO ISO

Você pode baixar o Windows 10 diretamente em um pendrive ou em um formato ISO:

1. Clique aqui para fazer download da versão 32 bits ou clique aqui para fazer download da versão 64-bits do Medica Creation Tool, a ferramenta de download do Windows 10:

windows10-0

2. Ao executar a ferramenta, escolha se você quer atualizar o seu computador (Upgrade this PC now) ou criar uma mídia para instalar em outro PC

Faça download do Windows 10 final RTM

3. Selecione o idioma, edição do Windows 10 e a arquitetura (32-bits, 64-bits ou ambas):

Faça download do Windows 10 final RTM

4. Escolha se você deseja copiar os arquivos diretamente para um pendrive (que já deve estar conectado) ou fazer download do arquivo ISO

windows10-4

5. Ao finalizar você tem acesso ao arquivo ou poderá criar um DVD:

download-do-Windows-10-final-RTM

Fontes e Direitos Autorais: BABOO @ 29 JUL 2015 | 9:57 AM.

10 motivos para você preferir o Windows Phone ao Android


O sistema móvel da Microsoft ainda não possui grande participação no mercado de smartphones, não atingindo nem 10% do total. No entanto, se for considerado o crescimento da base de usuários que nos últimos anos vem dobrando, é provável que nos próximos anos tenhamos uma disputa mais acirrada entre Android, iOS e Windows Phone.

A plataforma receberá uma grande mudança assim que o Windows 10 for lançado, com melhorias no desempenho e na interface que deverão atrair ainda mais usuários em um ecossistema unificado. Mas isso não quer dizer que o atual sistema é ruim ou ultrapassado. Pelo contrário: o software tem diversas vantagens em relação aos seus principais concorrentes, em especial o sistema do Google.

A Microsoft investiu pesado na melhoria da interface do usuário no Windows Phone 8.1. Agora, os usuários podem contam com atalhos simplificados e processos mais simples. Com as mudanças, o sistema se aproximou da versão para desktop, ganhando melhorias na integração entre diversos dispositivos equipados com Windows. Se você é um usuário Android e está pensando em trocar de aparelho, o Windows Phone poderá ser uma excelente opção. Em uma análise detalhada, elaboramos uma lista com dez motivos para você preferir o Windows Phone ao Android.

1. Boa integração com os produtos da Microsoft

Windows Phone

Diferente do que acontece com o Android, o Windows Phone possui excelente integração com diversos produtos da Microsoft. A experiência de uso de alguns aplicativos como Skype, Office e Bing é visivelmente superior. A fluidez com que esses aplicativos trabalham no Windows Phone é fruto do desenvolvimento de uma única empresa, a Microsoft. Ou seja, o aparelho ganha em performance pelo fato do sistema e de diversos aplicativos serem desenvolvidos pela mesma fabricante.

2. Aparelhos com excelente design

Windows Phone

Os dispositivos equipados com Windows Phone apresentam um design diferenciado dos concorrentes. Antes da aquisição da Nokia pela Microsoft, já era possível notar que os aparelhos que continham o sistema se destacavam. Tradicionalmente a companhia finlandesa era conhecida por construir ótimos gadgets com aparência invejável e, mesmo após a compra pela Microsoft, os celulares da linha Lumia continuaram muito bem construídos.

Outras fabricantes também já investiram no sistema da gigante de Redmond, como a Samsung e a HTC, e não há dúvida que os aparelhos que contém o Windows Phone são bastante atraentes aos olhos dos consumidores. Já em relação ao Android, provavelmente você já se deparou com alguns dispositivos desagradáveis.

3. Aplicativos bem construídos

Windows Phone

Apesar da Windows Store ter menos aplicativos que a Google Play, a verdade é que os apps possuem uma qualidade superior. Isso pode ser creditado ao fato do Windows Phone não ser uma plataforma de código aberto. A grande diferença em relação aos apps Android é a aparência minimalista que proporciona um aspecto bem agradável aos apps do Windows Phone. É possível notar essa diferença com mais nitidez em apps como o Facebook e o Skype, por exemplo.

4. Consistência em vários dispositivos

Windows Phone

No Android, a experiência do usuário depende do dispositivo utilizado. Um aparelho de entrada é muito inferior em relação a desempenho do que um smartphone high-end. Já com o Windows Phone isso é diferente: mesmo em telefones mais simples, com poucos recursos de hardware, a experiencia de uso é praticamente a mesma. Toda a linha Lumia, por exemplo, contempla os seus usuários com sistemas eficientes, rápidos e agradáveis.

5. Personalização da tela de bloqueio

Windows Phone

Diferente do que acontece com o iOS e com o Android, cuja a possibilidade de personalizar a tela é pouco explorada, no Windows Phone é possível fazer diversas modificações. Uma das vantagens é poder alterar o fundo das imagens na tela de bloqueio. Outra opção é a de integração com aplicativos que ficarão “ao vivo” na no display. Nessa mesma tela bloqueada, ainda é possível definir algumas fotos para rodar ou então receber informações da música que você está escutando.

6. Possibilidade de jogar games do Xbox One

Windows Phone

Enquanto o Android possui apenas jogos que podem ser instalados através da Google Play, o Windows Phone possui uma excelente integração com o Xbox, plataforma de games da Microsoft. Assim, o usuário poderá tirar o máximo de proveito dos seus jogos favoritos. Com a integração, é possível jogar e receber pontos de sua conta pessoal. Games como Asphalt 6, Jetpack Joyride ou Fifa 14 estão disponíveis para você se divertir. A qualidade presente em um smartphone ou tablet também é excelente.

7. Maior quantidade de armazenamento com OneDrive

Windows Phone

Apesar dos aparelhos com Windows Phone menos potentes possuírem 8 GB de armazenamento internet e suportarem um cartão MicroSD de até 64 GB, o serviço de nuvem OneDrive oferece uma boa quantia gratuita de armazenamento. No caso do Lumia 640 XL, o espaço oferecido é de 30 GB. Isso reduz as chances de você ter de utilizar plataformas de terceiros e ainda pagar por elas.

8. Resumo do que está acontecendo nos aplicativos

Windows Phone

Outra característica interessante no Windows Phone e que não existe no Android é a possibilidade de ver o que está acontecendo em seus aplicativos sem precisar sair da tela inicial. Sem acessar diretamente o app, você pode obter informações sobre clima, últimos tuítes e notificações do Facebook por meio da chamada “live tile”. É claro que o Android disponibiliza os widgets, mas convenhamos que, em termos visuais, não é uma boa alternativa.

9. Assistente Cortana

Windows Phone

Mesmo que ainda não esteja disponível em português, a Cortana já está entre nós. Se você precisa de uma assistente pessoal pronta para ajudá-lo a fazer todos os tipos de tarefas e mantê-lo a par das coisas que realmente importa, esta função é fundamental. Se você quer um assistente de voz que tenha ótima integração com o Bing, a Cortana é sua escolha. Para utilizá-la, basta alterar o idioma de seu Windows Phone para o inglês.

10. Office nativo

Windows Phone

O pacote Office mobile é nativo no Windows Phone, algo que não acontece com o Android. Se você utiliza as ferramentas do Office em seu desktop, nada melhor do que poder contar com ele em seu smartphone ou tablet. Assim você pode utilizar sua conta para sincronizar arquivos, iniciando em seu computador e terminando em seu aparelho celular, por exemplo.

Fontes e Direitos Autorais: CanalTech.com.br – William Nascimento RSS

10 mitos sobre computadores que insistem em resistir ao tempo


Assim como qualquer outra coisa, os computadores são alvos constantes do imaginário popular, que, ao longo dos anos, atribuiu vários mitos e lendas urbanas a eles.

É bem difícil definir como esses mitos surgiram e porquê raios eles foram passando de geração para geração. Apesar disso, é seguro dizer que uma boa parcela dessas fábulas um dia já foi verdade, mas, graças ao avanço da tecnologia, hoje não passam de conversa para boi dormir. Quanto ao restante delas, a maioria surgiu por algum mal-entendido principalmente em torno de como os computadores, o Windows e a própria internet funcionam. A partir daí ideias erradas (e muitas vezes ridículas) se propagaram e ainda estão presentes na cabeça de muita gente como verdades absolutas.

Para acabar de uma vez por todas com essas crenças, desmistificamos 10 delas logo a seguir. Confira:

1. Hackers estão tentando invadir o seu computador o tempo todo

Não há como negar que a internet é um lugar onde os mais incautos acabam sendo vítimas de golpes e invasões hackers por puro descuido. Contudo, ao contrário do que muita gente imagina, aquela figura do hacker que vive trancafiado em um quarto escuro e é alimentado apenas por pizzas jogadas por baixo da porta para não perder o foco nas milhares de invasões diárias que faz não existe.

Essa figura um tanto quanto hollywoodiana não existe e é preciso botar na cabeça que a maioria dos ataques atualmente é automatizada. Ao invés de um sujeito sentado digitando códigos freneticamente na frente de uma tela preta, a ideia aqui é que os hackers desenvolvem ferramentas que se propagam pela internet e infectam computadores em busca de dados pessoais e bancários das vítimas.

Entre os exemplos mais comuns da atualidade estão os malwares que instalam keyloggers, que registram toda e qualquer informação digitada pela vítima no computador; e o phishing, que engana os mais desavisados, levando-os, na maioria das vezes, a um site idêntico ao original, mas que cujo propósito é lhes roubar informações de autenticação.

Diferente do que muitos pensam, os hackers não passam o dia inteiro trancados em ambientes escuros. Na maioria das vezes, ferramentas automatizadas fazem todo o serviço sujo por eles

Diferente do que muitos pensam, os hackers não passam o dia inteiro trancados em ambientes escuros. Na maioria das vezes, ferramentas automatizadas fazem todo o serviço sujo por eles (Imagem: Reprodução)

2. Atualizações automáticas sempre estragam o computador

No passado, atualizar o Windows ou qualquer software era sinônimo de dor de cabeça. Não raramente nos deparávamos com a famosa (e temida) tela azul da morte após instalar um pacote de atualização e voltar atrás era uma tarefa hercúlea.

Esse inconveniente, no entanto, ficou para trás e é cada vez mais raro ver alguém reclamando que um update dizimou o computador por completo e exigiu que tudo fosse reinstalado. Nos raros casos em que isso acontece, sempre é possível utilizar a restauração do sistema para retornar a um ponto anterior à instalação ou, na pior das hipóteses, retornar a máquina para o estado de fábrica.

Atualmente, porém, esses casos são extremamente raros e a melhor solução é deixar as atualizações automáticas do seu Windows ou software favorito ativadas para não dar chance ao azar.

3. Você precisa desligar o computador antes de ir dormir

Muita gente cresceu ouvindo os pais dizer que era necessário desligar o computador sempre que ele não fosse ser utilizado. Essa recomendação muito provavelmente surgiu nos primórdios do computador, quando deixar a máquina ligada durante um período ocioso e, sobretudo, durante a noite abria espaço para o surgimento de bugs e queima de peças.

Essa realidade ficou para trás há um bom tempo e atualmente não é mais necessário desligar a máquina com tanta frequência. Isso porque os computadores mais modernos conseguem gerenciar a energia de uma maneira tão eficiente que apenas deixar a máquina “dormindo” já é suficiente para economizar na conta de luz no fim do mês. Além disso, colocar o computador apenas para dormir acelera bastante o processo de inicialização, que é bastante lento quando a máquina é desligada completamente.

Portanto, procure pelas opções de energia do seu computador e configure-as para que elas lhe ajudem a poupar energia ao mesmo tempo em que não comprometem sua produtividade. E mesmo que você acredite que não vale a pena pressionar o botão “Dormir”, dê uma chance à hibernação, que coloca o computador em estado de suspensão completa, sem consumir nenhum watt de energia, e ainda inicializa o computador rapidamente.

Na época do Windows 95, desligar o computador após sua utilização era praticamente obrigatório. Nos tempos atuais, sistemas de consumo eficiente de energia permitem apenas colocar o computador para dormir e hibernar, poupando preciosos minutos no momento da inicialização

Na época do Windows 95, desligar o computador após sua utilização era praticamente obrigatório. Nos tempos atuais, sistemas de consumo eficiente de energia permitem apenas colocar o computador para dormir e hibernar, poupando preciosos minutos no momento da inicialização (Imagem: Reprodução)

4. Vírus e malwares são o motivo do seu computador estar lento

Quando um usuário reclama de lentidão no computador, o que normalmente ouvimos em resposta é um “ele deve estar com vírus”. A verdade é que as pragas digitais atuais são focadas quase que exclusivamente na obtenção de informações pessoais dos incautos e não têm qualquer intenção de prejudicar o desempenho dos computadores, pelo contrário.

A ordem aqui é permanecer escondido, agindo no pianinho, coletando os dados das vítimas. Muitas vezes, até mesmo as mais modernas ferramentas antivírus não conseguem identificar e remover essas pestes, tendo o usuário que partir para uma remoção manual.

Apesar disso, pode ser sim que seu computador esteja infectado e sendo usado numa rede de computadores zumbis, as botnets. Mesmo assim, esses são casos mais raros e, via de regra, o motivo da lentidão é a quantidade excessiva de aplicações iniciando junto com o sistema operacional ou um navegador carregado de extensões desnecessárias.

Em casos mais graves, pode ser que algum componente de hardware esteja com defeito e comprometendo o desempenho da sua máquina. Aqui, o ideal é levar o computador a um técnico especializado e de confiança para saber o que pode estar ocorrendo e fazer uma eventual substituição de peça.

5. O Internet Explorer é lento, vulnerável e ruim

Outrora o navegador mais popular do mundo, há um bom tempo o Internet Explorer é alvo de chacota dos usuários e sobretudo do público geek. O bullying com o browser foi tão grande que a Microsoft se viu obrigada a se livrar da má reputação e recomeçar do zero com o Edge, o novo navegador que virá embutido no Windows 10.

Apesar de todo esse mal-estar, a verdade é que as últimas versões do Internet Explorer vinham apresentando melhorias sensíveis em relação aos tempos mais sombrios. As duas últimas versões do navegador, por exemplo, já ofereciam suporte a um grande leque de padrões web modernos que antes só eram vistos no Chrome e no Firefox. Inclusive uma das funções do navegador da raposa que foi abraçada pela turma de Redmond foi o modo “sandbox”, que permite a desenvolvedores web mexer e visualizar alterações no código HTML em tempo real. Por fim, o Internet Explorer 11 trouxe suporte a multiprocessamento, algo que até agora não é visto em nenhum concorrente.

É claro que ninguém voltará a utilizar o IE só por causa disso, mas a verdade é que ele não é mais aquela piada que outrora foi até sua oitava versão.

Por anos o Internet Explorer foi alvo de piadas em todo lugar na internet. Má fama veio sobretudo após o fiasco do Internet Explorer 6

Por anos o Internet Explorer foi alvo de piadas em todo lugar na internet. Má fama veio sobretudo após o fiasco do Internet Explorer 6 (Imagem: Reprodução)

6. Codecs são necessários para assistir vídeos online

Os dias em que isso foi verdade já ficaram para trás há muito tempo. Na época, para assistir qualquer coisa online era necessário ter uma penca de codecs instalados no computador, sem contar os famigerados RealPlayer, QuickTime e DivX Player. Aqui e acolá surgia um e outro site que exigia o Java, o que geralmente acabava travando qualquer computador mais modesto.

Atualmente, no entanto, essa realidade de trevas já não mais existe e tudo funciona na base do HTML5 ou do Flash.

É importante ressaltar que nenhuma dessas duas tecnologias exige que você baixe e instale codecs específicos. Aqui, tudo é transmitido diretamente para o computador do usuário, sem necessidade de decodificação, e a única exigência é ter ou um navegador com suporte a HTML5 (o que a maioria já oferece) ou o plugin do Flash instalado. Fora isso, jamais clique em banners que demandam a instalação de algo desse tipo, pois, no final das contas, você acabará instalando um punhado de junkware e comprometendo o desempenho do seu computador.

Codecs só são necessários quando você baixa um arquivo de vídeo para o computador – e mesmo nesses casos o melhor a se fazer é optar por algo como o VLC, player para lá de popular que já traz consigo uma enorme quantidade de codecs e nenhuma pegadinha.

7. Muita memória RAM em uso é sinal de que há algo errado

Foi-se o tempo em que 64 MB de memória RAM eram suficientes para dar conta do recado. Contudo, à medida que se torna mais comum vermos computadores com 4 GB, 8 GB e até 16 GB de RAM, mais pessoas relatam que o Windows e outros programas parecem sempre querer mais.

É verdade que cada vez mais não só o Windows, como também o Linux, Mac OS X e até mesmo os sistemas operacionais móveis consomem mais memória, mas isso não é necessariamente algo ruim. O uso cada vez maior de memória RAM é proposital e os softwares atuais são desenvolvidos de maneira tal a alocar cada vez mais recursos nela.

Isso tem sido feito basicamente para que o acesso a esses recursos seja cada vez mais rápido e o usuário não fique esperando para que os dados sejam acessados no HD, que é mais lento que a memória RAM. E, ao contrário do que acontecia antigamente, se o seu computador “sentir” que precisa de mais espaço livre na memória RAM, ele próprio irá executar uma limpeza e abrir espaço para algo mais importante.

Portanto, não adianta se preocupar com isso a não ser que o seu computador realmente esteja sofrendo com um desempenho abaixo da média.

A não ser que o desempenho do seu computador esteja abaixo da média, a indicação de muita memória RAM em uso não significa necessariamente que você precisa adicionar um ou dois novos pentes ao computador

A não ser que o desempenho do seu computador esteja abaixo da média, a indicação de muita memória RAM em uso não significa necessariamente que você precisa adicionar um ou dois novos pentes ao computador (Imagem: Reprodução)

8. Antivírus sempre protegerão o seu computador

Embora muita gente já saiba que os softwares antivírus são o último recurso para proteger o computador de uma praga virtual, ainda há quem confie cegamente nesse tipo de ferramenta e acredite que ela é infalível.

A verdade é que a própria Symantec já declarou que seu antivírus, o Norton Antivirus, um dos mais famosos do mundo, não consegue impedir inúmeros tipos de ciberataques. Pior, a maioria dos antivírus sequer protege os usuários dos chamados softwares invasivos, aqueles que são instalados silenciosamente junto com outros softwares e acabam comprometendo o desempenho geral do computador.

Para piorar ainda mais essa realidade, uma série de antivírus gratuitos agora estão trazendo consigo essas pragas, instalando-as sem o conhecimento do usuário. Dito isso, fica bastante claro que os antivírus não são as ferramentas mais confiáveis do mundo.

Mesmo com essa dolorosa verdade, você não deve deixar de lado o seu software antivírus favorito – pelo contrário. Contudo, tenha em mente que ele deve ser a sua última frente de segurança e que você precisa desenvolver hábitos seguros para manter seus arquivos e informações pessoais longe das mãos dos cibercriminosos. Nunca é demais lembrar que um usuário bem informado e precavido é mais eficaz do que muito software de segurança que existe por aí.

9. Desfragmentação manual e ferramentas pagas ajudam a melhorar o PC

Foi-se o tempo em que tínhamos que reservar um horário toda semana para executar a desfragmentação do HD. Atualmente, o usuário não precisa se preocupar com absolutamente nada relacionado a esse assunto, já que o Windows traz uma ferramenta de desfragmentação que faz o serviço automaticamente sem a necessidade de intervenção.

Há casos raríssimos em que o usuário pode querer instalar um jogo muito grande, como Grand Theft Auto V, e seja necessário executar a desfragmentação manual para garantir máximo desempenho. Contudo, esse é um caso bem isolado e específico e, via de regra, não há qualquer necessidade de executar essa rotina manualmente.

Ferramentas pagas que prometem melhorar o desempenho do HD também não valem a pena e surgem como um balde para você jogar dinheiro fora. Em muitos casos, o valor cobrado por softwares como o Diskeeper Professional pode ser usado para comprar um SSD, atualizar o computador e ganhar em desempenho. Portanto, não se preocupe com nada disso, deixe o Windows fazer o serviço dele e guarde o seu dinheiro para investir em algo realmente útil para o seu PC.

10. Limpar o cache melhora o desempenho do computador

Algumas aplicações têm o famoso cache, um conjunto de arquivos que são cópias offline de algo baixado anteriormente da internet. Esses arquivos são armazenados localmente no computador para que, no futuro, quando o conteúdo for acessado novamente não tenha que ser baixado todo da internet. Esse comportamento, como dá para perceber, se traduz em economia de tempo e largura de banda para o usuário.

Apesar disso, nem todo mundo vê o cache como algo bom e acaba baixando ferramentas que prometem livrar o HD desses arquivos temporários baixados da internet e armazenados no computador. A premissa é simples: são arquivos que você não usa (pelo menos não diretamente), logo podem ser excluídos para poupar espaço no disco rígido.

Embora pareça fazer sentido, essa prática força sobretudo os navegadores web a baixarem o conteúdo e o armazenar localmente mais uma vez, consumindo mais banda e gastando mais tempo para carregar as suas páginas mais acessadas. Sem contar que tudo se transforma num ciclo infinito, com você limpando o cache e ele sendo preenchido logo na sequência.

Limpezas no disco rígido nem sempre garantirão um melhor desempenho do computador. A eliminação de cache, por exemplo, apenas tornar a navegação na internet mais lenta e pesada

Limpezas no disco rígido nem sempre garantirão um melhor desempenho do computador. A eliminação de cache, por exemplo, apenas tornar a navegação na internet mais lenta e pesada (Imagem: Reprodução)

Você achava que algum desses mitos eram verdadeiros? Quais outros mitos sobre computadores você conhece? Conta para gente aqui embaixo, na caixa de comentários.
Fontes e Direitos Autorais: CanalTech.com.br – Por Sérgio Oliveira RSS | 21.07.2015 às 10h08

Imagens do Windows 10 build 10240


Agora que a o Windows 10 build 10240 está disponível para os participantes registrados no Windows Insider Program, é hora de conferir algumas imagens.

AVISO: Essa build foi erroneamente considerada RTM nas últimas horas

Além das correções de bugs, este build também traz diversas melhorias no desempenho do navegador Microsoft Edge.

Em testes de desempenho como o WebKit Sunspider, Google Octane e Apple JetStream, o Microsoft Edge é 112%, 11% e 37% mais rápido que o Google Chrome, respectivamente.

O Windows 10 build 10240 disponibilizada para os participantes do Windows Insider Program só pode ser obtida via Windows Update. Imagens ISO não foram disponibilizadas.

Vale destacar que como a Microsoft adotou o modelo Windows as a Service (WaaS ou Windows como Serviço) com o Windows 10, o sistema operacional continuará recebendo novos recursos e funcionalidades além das atualizações e correções tradicionais.

Confira algumas imagens do Windows 10 (build 10240):

Imagens da versão final do Windows 10 (build 10240)
win10-rtm-10240-02
win10-rtm-10240-03
win10-rtm-10240-04
win10-rtm-10240-05
win10-rtm-10240-06
win10-rtm-10240-07
win10-rtm-10240-08
win10-rtm-10240-09
win10-rtm-10240-10
win10-rtm-10240-11
win10-rtm-10240-12
win10-rtm-10240-13
win10-rtm-10240-14
win10-rtm-10240-15
win10-rtm-10240-16
win10-rtm-10240-17
win10-rtm-10240-18
win10-rtm-10240-19
win10-rtm-10240-20
win10-rtm-10240-21
win10-rtm-10240-22
win10-rtm-10240-23
win10-rtm-10240-24
win10-rtm-10240-25

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious @ 15 jul 2015 | 7:04 pm