SQL Server Management Studio 17.2 liberado para download


Você conhece o SQL Server Management Studio?

SQL Server Management Studio é um ambiente integrado para o gerenciamento de qualquer infra-estrutura SQL do SQL Server banco de dados SQL. SQL Server Management Studio fornece ferramentas para configurar, monitorar e administrar as instâncias de SQL. Use o SQL Server Management Studio para implantar, monitorar e atualizar os componentes de camada de dados usados por suas aplicações, bem como construir consultas e scripts.

Use o SQL Server Management Studio (SSMS) para consultar, projetar e gerenciar seus bancos de dados e data warehouses, onde quer que estejam – no computador local ou na nuvem.

SQL Server Management Studio é grátis!

Baixar o SQL Server Management Studio 17,2

Baixar o SQL Server Management Studio 17,2 atualizar pacote (atualizações 17 para 17,2)

A instalação de 17 SSMS não atualizar ou substituir as versões do SQL Server Management Studio 16.x ou anterior. SSMS 17 instalações lado a lado com as versões anteriores para que ambas as versões estão disponíveis para uso. Se um computador contiver instalações lado a lado de SQL Server Management Studio, verifique se que você começar a versão correta para suas necessidades específicas. A versão mais recente é rotulado como Microsoft SQL Server Management Studio 17e tem um novo ícone:

SSMS 17.x

Informações de versão

O número de versão: 17,2 o número de compilação para esta versão: 14.0.17177.0.

Novidades

SSMS 17,2 é a versão mais recente do SQL Server Management Studio. A geração de 17 do SQL Server Management Studio fornece suporte para quase todas as áreas de recurso no SQL Server 2008 através de SQL Server de 2017. Versão 17 também suporta SQL Analysis Service PaaS.

Versão 17,2 inclui:

    • Autenticação de vários fatores (AMF)
      • Autenticação de usuário múltiplo AD Azure para autenticação Universal com autenticação de vários fatores (UA com AMF)
      • Um novo campo de entrada de credencial do usuário foi adicionado para autenticação Universal com AMF para oferecer suporte à autenticação multi-usuário.
    • A caixa de diálogo de conexão agora suporta os seguintes métodos de 5 autenticação:
      • Autenticação do Windows
      • Autenticação do SQL Server
      • Active Directory – Universal, com o apoio do MFA
      • Active Directory – senha
      • Active Directory – integrado
    • Banco de dados de importação/exportação para assistente de DacFx agora pode usar autenticação Universal com AMF.
    • ADAL biblioteca gerenciada usada pela autenticação Azure AD Universal com AMF foi atualizada para versão 3.13.9.
    • Uma nova interface CLI suportando configuração de admin AD Azure para banco de dados SQL e SQL Data Warehouse.
    • Janela de saída possui entradas para consultas executadas durante a expansão de nós do pesquisador de objetos.
    • Habilitado o modo de exibição designer para bancos de dados SQL Azure
    • Mudaram-se as opções de script padrão para scripts de objetos de Object Explorer no SQL Server Management Studio:
      • Anteriormente, o padrão em uma instalação nova era ter o destino do script gerado a versão mais recente do SQL Server (atualmente SQL Server 2017).
      • No SSMS 17,2 foi adicionada uma nova opção: Configurações de Script Match a fonte. Quando definida como True, o script gerado destina-se a mesma versão, tipo do motor e do motor edition como servidor do objeto sendo roteirizado é de.
      • O valor de Configurações de Script Match a fonte é definido para True por padrão, para que novas instalações do SQL Server Management Studio automaticamente padrão serão sempre scripts de objetos para o mesmo destino que o servidor original.
      • Quando o valor de Configurações de Script Match a fonte é definido como False, as opções de destino script normal serão habilitadas e funcionam como fizeram anteriormente.
      • Além disso, todas as opções de script foram movidas para a sua própria seção – Opções de versão. Eles não estão mais sob Opções gerais de Scripting.
    • Adicionado suporte para nuvens nacional em “Restaurar a partir de URL”
    • QueryStoreUI relatórios agora suporta adicional métricas (número de linhas, DOP, CLR tempo etc.) do sys.query_store_runtime_stats.
    • IntelliSense agora é suportado por banco de dados SQL Azure.
    • Segurança: caixa de diálogo conexão será o padrão para não confiar em certificados de servidor e solicitando criptografia para conexões de banco de dados SQL Azure
    • Melhorias gerais em torno de suporte para o SQL Server no Linux:
      • Nó de correio do banco de dados está de volta
      • Abordadas algumas questões relacionadas com caminhos
      • Melhorias de estabilidade de Monitor de atividade
      • Caixa de diálogo Propriedades de Conexão exibe a plataforma correta
    • Relatório de servidor Dashboard desempenho agora disponível como um relatório padrão:
      • Pode se conectar ao SQL Server 2008 e versões mais recentes.
      • Subrelatório de índices ausentes usa Pontuação para ajudar a identificar índices mais útil.
      • Estatísticas de espera histórica sub relatam agora agregados esperas ser categoria. Ocioso e esperas de sono filtrados por padrão.
      • Novo histórico travas subrelatório.
    • Pesquisa de plano de execução nó permite buscar em Propriedades do plano. Facilmente procure qualquer propriedade de operador como nome da tabela. Para usar esta opção quando visualizar um plano:
      • Botão direito do mouse no plano e no menu de contexto clique na opção Localizar nó
      • Usar CTRL + F

Para obter uma lista completa de alterações, consulte SQL Server Management Studio – Changelog (SSMS).

Suporte para versões

    • Esta versão do SQL Server Management Studio funciona com todas as versões suportadas do SQL Server 2008 – 2017 de SQL Server e fornece o maior nível de suporte para trabalhar com as mais recentes características de nuvem no banco de dados SQL Azure e SQL Azure Data Warehouse.
    • Não há nenhum bloco explícito para SQL Server 2000 ou SQL Server 2005, mas alguns recursos podem não funcionar corretamente.
    • Além disso, o SSMS 17 pode ser instalado lado a lado com o SQL Server Management Studio 16.x ou SQL Server 2014 SSMS e versões anteriores.

Sistemas operacionais com suporte

Esta versão do SQL Server Management Studio suporta as seguintes plataformas de 64 bits quando usado com o mais recente disponível service pack:

    • 10 Windows (64 bits)
    • Windows 8.1 (64 bits)
    • Windows 8 (64 bits)
    • Windows 7 (SP1) (64-bit)
    • Windows Server 2016 *
    • Windows Server 2012 R2 (64 bits)
    • Windows Server 2012 (64 bits)
    • Windows Server 2008 R2 (64 bits) 

* O SSMS 17 baseia-se na shell do Visual Studio 2015 isolada, que foi lançado antes de 2016 de servidor Windows. Microsoft leva a sério o compatibilidade de aplicativo e garante que já enviados com aplicações continuam a correr sobre as versões mais recentes do Windows. Para minimizar problemas na execução do SQL Server Management Studio em 2016 de servidor Windows, certifique-se de que SSMS tem todas as últimas atualizações aplicadas. Se você tiver quaisquer problemas com o SQL Server Management Studio no Windows Server 2016, contate o suporte. A equipe de suporte determina se o problema for com o SQL Server Management Studio, Visual Studio, ou com compatibilidade do Windows. A equipe de suporte roteia a questão para a equipe apropriada para maiores investigações.

Idiomas disponíveis

Esta versão do SQL Server Management Studio pode ser instalado nos seguintes idiomas:+

SQL Server Management Studio 17,2:
chinês (República Popular da China) | Chinês (Taiwan) | Inglês (Estados Unidos) | Francês | Alemão | Italiano | Japonês | Korean | Português (Brasil) | Russas | Espanhol

SQL Server Management Studio 17,2 atualizar pacote (atualizações 17 para 17,2):
chinês (República Popular da China) | Chinês (Taiwan) | Inglês (Estados Unidos) | Francês | Alemão | Italiano | Japonês | Korean | Português (Brasil) | Russas | Espanhol

Download de versões anteriores

Versões anteriores do SQL Server Management Studio

Links adicionais

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft – 07/08/2017 – https://docs.microsoft.com/en-us/sql/ssms/download-sql-server-management-studio-ssms

Microsoft anuncia o SQL Server 2012 Service Pack 4


A Microsoft anunciou no blog SQL Server Release Services que está planejando lançar o SQL Server 2012 Service Pack 4 ainda este ano.

O Service Pack 3 (ou SP3) foi lançado em novembro de 2015 e trouxe novidades como:

• Aprimoramentos de escalabilidade e desempenho para o mecanismo de armazenamento.

• Melhorias no desempenho da verificação de consistência.

• Dicas de consulta para fornecer controle granular enquanto estiver usando o Resource Governor.

• Adicionais recursos por meio de melhorias na DMV, Extended Events e planos de consulta de monitoramento.

• Melhorias no desempenho ao abrir e ler arquivos XEL usando leitor XEvent Linq.

Microsoft anuncia o SQL Server 2012 Service Pack 4

SQL Server 2012 Service Pack 4

De acordo com a Microsoft, o SQL Server 2012 Service Pack 4 será o último Service Pack para a versão 2012 do SQL Server e além de ser uma coleção de hotfixes, ele também trará mais de 20 melhorias com foco na performance, escalabilidade e diagnóstico com base no feedback de clientes e da comunidade.

Mais especificamente, o Service Pack 4 incluirá:

– Todas as correções e atualizações cumulativas para o SQL Server 2012.

– Melhorias na performance e escalabilidade.

– Recursos de monitoramento adicionais através de melhorias no DMV, Extended Events e Query Plans.

– Melhorias com base no feedback da comunidade.

– Melhorias introduzidas originalmente pelo SQL Server 2014 SP2 e SQL Server 2016 SP1.

A Microsoft confirmou que o SQL Server 2012 Service Pack 4 será lançado em setembro deste ano e um anúncio com mais informações sobre a atualização será publicado na época do lançamento.

Fontes e Direitos Autorais: SQL Server Release Services – SourabhAgarwal https://blogs.msdn.microsoft.com/sqlreleaseservices/announcing-sql-server-2012-service-pack-4/

Windows Server receberá duas grandes atualizações por ano


Assim como já ocorre com o Windows 10 e com o Office 365 ProPlus, o Windows Server passará a receber duas grandes atualizações por ano.

Com o lançamento de cada uma destas atualizações, o System Center Configuration Manager também será atualizado para oferecer suporte. No caso do Windows 10, a Microsoft informou em abril deste ano que ele receberá uma atualização em março e outra em setembro.

Já sobre o Windows Server, o novo ciclo de atualizações do sistema operacional agora indica que ele receberá uma grande atualização durante a primavera norte-americana (entre março e junho) e uma durante o outono norte-americano (entre setembro e dezembro).

A primeira grande atualização do Windows Server, que será lançada entre setembro e dezembro de 2017, não deve receber um nome específico como as do Windows 10, como Creators Update, por exemplo. Ao invés disso ela deverá ser conhecida apenas pelo seu número de versão – possivelmente 1709.

Também foi confirmado que o Server Core receberá duas grandes atualizações por ano.

Fontes e Direitos Autorais: ZDNet – 15/06/2017 – 16:04 GMT. http://www.zdnet.com/article/microsoft-to-deliver-two-windows-server-feature-updates-per-year-starting-this-fall/#ftag=RSSbaffb68

Atualização Cumulativa 3 para SQL Server 2016 SP1


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana a Atualização Cumulativa 3 para SQL Server 2016 SP1.

O primeiro Service Pack do SQL Server 2016 foi lançado pela empresa em 17 de novembro de 2016 e está disponível para download aqui.

SQL Server 2016

O SQL Server 2016 traz recursos críticos inovadores com desempenho em memória e análise operacional integrada. Os recursos de segurança abrangentes, como a tecnologia de criptografia ininterrupta (Always Encrypted), ajudam a proteger seus dados fixos e em movimento, e uma solução avançada de alta disponibilidade e recuperação de desastres acrescenta novos aprimoramentos à tecnologia AlwaysOn.

As organizações terão visões mais aprofundadas de todos os seus dados com novos recursos que vão além da business intelligence, executando a análise avançada diretamente dentro de seus bancos de dados e apresentando visualizações avançadas para oferecer visões de negócios de qualquer dispositivo.

Atualização Cumulativa 3 para SQL Server 2016 SP1

Você também pode se beneficiar da nuvem em hiperescala, com novos cenários híbridos habilitados pela nova tecnologia de banco de dados elástico (Stretch Database), que permite expandir dinamicamente seus dados transacionais a quente e a frio até o Microsoft Azure de forma segura, para que seus dados estejam sempre à disposição para consultas, independentemente do tamanho.

O SQL Server 2016 também oferece uma plataforma de banco de dados completa para a nuvem híbrida, permitindo criar, implantar e gerenciar facilmente soluções que abrangem instalações locais e na nuvem.

Saiba mais sobre ele aqui.

Atualização Cumulativa 3 para SQL Server 2016 SP1

De acordo com o artigo KB4019916 publicado no site de suporte da Microsoft, a Atualização Cumulativa 3 para SQL Server 2016 SP1 contém correções para problemas encontrados depois do lançamento do SQL Server 2016 SP1. Essa atualização cumulativa também inclui todas as correções de todas as atualizações anteriores.

A lista de bugs corrigidos inclui um que causa um erro interno no SQL Server Analysis Service durante o processamento de um modelo Tabular, um que faz com que o consumo de memória aumente demais em certos cenários e um que faz com que o SQL Server 2016 pare de responder quando o evento estendido “Latch_Suspend_End” é iniciado incorretamente.

A Atualização Cumulativa 3 para SQL Server 2016 SP1 está disponível para download aqui. Já quem usa o SQL Server 2016 sem o SP1 pode fazer o download da Atualização Cumulativa 6 aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com –

Novidades no Windows 10 Creators Update


Confira neste artigo algumas novidades no Windows 10 Creators Update (ou Windows 10 v1703), que foi lançado oficialmente hoje pela Microsoft.

Novidades no Windows 10 Creators Update

Uma das novidades no Windows 10 Creators Update é o suporte para conteúdo 3D. Esta atualização do Windows 10 inclui o novo aplicativo Paint 3D.

O aplicativo é baseado na Universal Windows Platform e além dos recursos básicos de edição de imagens e desenho, ele traz o suporte para criação de formas em 3D e interface otimizada para uso com telas sensíveis ao toque.

O aplicativo também suporta recursos “tradicionais” como recorte de imagens, inserção de textos, criação e formas 2D e outros.

Novidades no Windows 10 Creators Update

Com o Windows 10 Creators Update, o suporte para conteúdo 3D também estará presente no Microsoft Edge e no PowerPoint.

Os usuários poderão inserir objetos 3D em slides do PowerPoint e também é possível usar o zoom para visualizar detalhes específicos dos objetos.

No caso do Microsoft Edge, o HoloLens poderá utilizado para navegar por conteúdo 3D no navegador. Com o HoloLens, os objetos poderão ser “movidos” para fora do navegador para facilitar a interação.

Objetos em 3D também poderão ser obtidos em sites como o remix3d.com e através do próprio aplicativo Paint 3D.

Já que falamos em conteúdo 3D e HoloLens, o Windows 10 Creators Update traz a plataforma Windows Mixed Reality (ex-Windows Holographic). Com ela o sistema operacional suportará realidade aumentada com dispositivos como o HoloLens e realidade virtual com dispositivos que custarão a partir de US$ 299.

Isto significa que os fabricantes interessados em criar experiências de realidade virtual agora poderão usar o Windows 10 como plataforma para seus dispositivos.

Usuários com dispositivos compatíveis poderão usar o aplicativo Mixed Reality Portal como ponto de partida para a plataforma Windows Mixed Reality.

O Windows 10 Creators Update também traz diversas melhorias na experiência de instalação e atualização do sistema operacional. Durante a instalação “limpa” do Windows 10 com o Creators Update, a assistente pessoal Cortana poderá guiar o usuário durante algumas etapas do processo. Ela também suportará comandos de voz nesta etapa.

No caso da experiência de atualização, as novidades no Windows 10 creators Update incluem diversas novas opções para o agendamento da instalação das atualizações.

Por exemplo, você poderá reiniciar e instalar a atualização imediatamente, especificar exatamente quando a atualização será instalada e o PC reinicializado ou poderá clicar no botão Snooze, que interromperá o processo de atualização completamente por três dias caso você precise usar o PC de forma ininterrupta neste período:

Além disso, a seção Horário ativo foi melhorada para que o Windows não instale a atualização durante um horário que o usuário precisa do PC pronto para uso:

As atualizações precisarão de menos reinicializações do que no Windows 10 atual e os download das atualizações não causará mais um grande impacto na performance do PC.

As opções avançadas do Windows Update na edição Pro do sistema operacional também foram atualizadas e agora trazem mais opções:

Para quem usa o PC durante a noite, o Windows 10 inclui a nova opção Luz noturna. Esta opção ajuda a reduzir a emissão de luz azul quando o usuário utiliza o PC.

O usuário também pode definir quando a opção Luz noturna será ativada automaticamente (do início da noite ao início da manhã ou em um horário específico):


Sobre o Microsoft Edge, uma das novidades no Windows 10 Creators Update é o suporte nativo para ebooks no formato ePUB. O navegador suporta tanto livros protegidos, como os comprados através da Windows Store*, como os obtidos através de outras fontes:

*Disponibilidade pode variar dependendo da região.

O Microsoft Edge também traz diversas melhorias na navegação, como o suporte para visualização de abas abertas sem sair da atual e o suporte para “reserva de guias”.

Os usuários podem acessar as guias abertas clicando no botão “Mostrar visualizações de guias” :


Já a “reserva de guias” permite que você separe um conjunto de sites para visualização posterior. Para fazer isso, abra os sites que você quer separar e clique no botão “Reservar estas guias”:

Os sites que você separou poderão ser acessados clicando no botão “Guias que você reservou” e depois em “Restaurar guias”:


Na parte de segurança, o navegador traz o Windows Defender Application Guard, que ajuda a proteger o PC contra sites maliciosos e certos tipos de ataques na Web.

As empresas podem ativar este recurso, que utiliza tecnologia de virtualização, com Editor de Política de Grupo Local no Windows 10 Enterprise:

Para os gamers, o Windows 10 Creators Update traz a nova categoria Jogos no aplicativo Configurações:

Nela eles podem encontrar todas configurações relacionadas a jogos, incluindo DVR (para captura de imagens e gravações de vídeos de jogos), Barra de jogo, Streaming de jogos e o Modo de Jogo, que otimiza o Windows 10 para oferecer melhor performance durante as partidas:

O Windows 10 Creators Update introduziu a Central de Segurança do Windows Defender, que basicamente reúne as opções de segurança e outros recursos relacionados em um só lugar.

Se o usuário tiver uma solução antivírus de terceiros, a Central oferecerá acesso rápido e também oferecerá a opção para habilitar a verificação periódica do Windows Defender, que oferecerá uma camada extra de proteção:

Para as empresas, o Windows 10 Creators Update introduz diversas novidades no Windows Defender Advanced Threat Protection. Confira algumas delas aqui.

Sobre as melhorias com foco na privacidade,� confira este post da Microsoft.

Os usuários da plataforma de virtualização Hyper-V agora poderão utilizar o novo assistente para criação rápida de máquinas virtuais, o que agilizará o processo caso seja necessário criar múltiplas máquinas virtuais rapidamente.

Para abrir o assistente basta clicar em “Criação Rápida” no Gerenciador do Hyper-V:

Outras novidades no Windows 10 Creators Update incluem:

– Barra de endereços no Editor do Registro:

– Touchpad virtual:

– Mais opções de cores para personalização da interface:

– Suporte para download de temas na Windows Store:

– Suporte para pastas de aplicativos no menu Iniciar:

– Mais opções de personalização para o menu Iniciar:

– Bloqueio dinâmico:

– Sensor de armazenamento:

Estas são apenas algumas das novidades no Windows 10 Creators Update. A Microsoft já começou os trabalhos na próxima grande atualização do Windows 10, que é conhecida pelo codinome Redstone 3 e deve ser lançada até o final deste ano.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com  –

Microsoft lança o Windows 10 Creators Update


A Microsoft lançou hoje, 11 de abril, o Windows 10 Creators Update, terceira grande atualização para o novo sistema operacional da empresa.

A primeira, conhecida pelo codinome Threshold 2 (ou Windows 10 v1511), foi lançada em novembro de 2015. Já a segunda, conhecida como Windows 10 Anniversary Update (ou Windows 10 v1607) foi lançada em agosto de 2016.

Lançamento do Windows 10 Creators Update

O Windows 10 Creators Update, conhecido oficialmente como Windows 10 v1703, poderá ser obtido gratuitamente via Windows Update a partir desta terça-feira.

Ele também está disponível desde o dia 5 através do novo Assistente de Atualização e da Media Creation Tool, uma ferramenta que pode ser utilizada para a criação de uma nova mídia de instalação (ISO, DVD ou pendrive) e para atualização de uma instalação existente do Windows 10.

Microsoft lança o Windows 10 Creators Update

As ISOs do Windows 10 Creators Update também já estão disponíveis para os assinantes da MSDN e uma versão de avaliação do Windows 10 Enterprise v1703 pode ser obtida no TechNet Evaluation Center.

Sobre o Windows Update, é importante destacar que nem todos receberão a atualização imediatamente com este método. A disponibilidade terá início globalmente hoje para PCs, mas algumas regiões devem receber a atualização antes de outras. Já o Windows 10 Mobile Creators Update será lançado no dia 25 de abril.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com  –

#13 – Para que serve


Muito boa noite galera, tudo bem?

Noite de sábado, temperatura agradável, galera curtindo uma pizza, balada entre outras coisas e eu estou aqui para compartilhar com você mais um post da minha sessão Para que serve, hoje o post de número 13. Você esta pensando, post de número 13 não é nada muito “ospicioso” como diária um personagem de novela (kkkkk).

Que nada vamos em frente não se preocupe com este número, tenho a certeza que este post será muito legal e apresentará informações de alto astral relacionada ao novo Microsoft SQL Server 2016.

Como você já deve ter percebido os posts relacionados a esta sessão tem o objetivo de apresentar ou demonstrar como  códigos de exemplo, aplicativos, utilitários, enfim recursos relacionados diretamente á banco de dados ou gerenciadores de bancos de dados podem ser utilizados como uma possível solução de problemas, bem como, orientar na sua forma de utilização.

Após esta tradicional saudação, chegou a hora de falar sobre o #13 – Para que serve de hoje, tenho a certeza que você vai gostar.

No post de hoje, vou a destacar uma das mais aguardados melhorias relacionadas ao SQL Server, estou me referindo a capacidade de consultor os histogramas de estatísticas de processamento de forma programada, isso mesmo, agora a partir da nova atualização cumulativa do SQL Server 2016 SP1, conhecida como Cumulative Update 2, temos duas novas DMF – Dynamic Management Function – Função de Gerenciamento Dinâmico que nos permitem de forma direta através do uso do comando Select obter informações sobre os histogramas e dados estatísticos.

Vou fazer um pequeno suspense, não vou revelar o nome de ambas as DMFs, somente no decorrer deste post você vai conhece-las.

Muito bem, após deixar este gostinho de quero mais, chegou a hora de conhecer estas novas funcionalidades e ver como podemos aplicar isso no nosso ambiente.

Como aqui o #13 – Para que serve – Uma nova e mais fácil maneira de obter informações sobre o histograma de estatísticas no Microsoft SQL Server 2016 SP1 –

Introdução

Quando se referimos a estatísticas de bancos de dados, estatísticas de processamento ou estatísticas de consumo de operadores do plano de execução, estamos na verdade se referindo ao bom e velho conceito de estatísticas, o qual devemos voltar no tempo para entender melhor se realmente quisermos saber a importância deste assunto, para este post este não é o foco, na verdade o que eu quero é mostrar que a partir da nova atualização cumulativa aplicada para o Service Pack 1 do SQL Server 2016 os times de engenheiros e desenvolvedores do SQL Server introduziram no produto duas novas DMF denominadas sys.dm_db_stats_histogram e sys.dm_db_stats_properties, onde através do uso destas novas DMFs podemos obter todas as informações relacionadas as estatísticas de processamento de nossas querys e principalmente o histograma de maneira mais rápida, fácil e principalmente legível, pois particularmente falando ler o histograma através do comando DBCC Show_Statistics não era nada fácil(kkkkk).

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada DMF para entender melhor seu funcionamento:

sys.dm_db_stats_histogram: Retorna o histograma de estatísticas para o objeto de banco de dados especificado (tabela ou exibição indexada) no atual SQL Server banco de dados. Semelhante ao DBCC SHOW_STATISTICS WITH HISTOGRAM.

Ao executar esta nova DMF o Microsoft SQL Server 2016 apresentará uma tabela de resultado contendo o seguinte conjunto de colunas, conforme a Tabela 1 ilustra:

Nome da coluna

Column name
Tipo de dados Description
object_id int ID do objeto (tabela ou exibição indexada) para o qual as propriedades do objeto de estatísticas serão retornadas.
stats_id int ID do objeto de estatísticas. É exclusiva na tabela ou exibição indexada. Para obter mais informações, veja sys.stats.
step_number int O número da etapa do histograma.
range_high_key sql_variant Valor da coluna associada superior de uma etapa do histograma. O valor da coluna também será denominado um valor de chave.
range_rows real Número estimado de linhas cujo valor de coluna fica dentro de uma etapa do histograma, excluindo-se o limite superior.
equal_rows real Número estimado de linhas cujo valor de coluna é igual ao limite superior da etapa do histograma.
distict_range_rows bigint Número estimado de linhas com um valor de coluna distinto dentro de uma etapa do histograma, excluindo-se o limite superior.
average_range_rows real Número médio de linhas com valores de colunas duplicados em uma etapa de histograma, exceto o limite superior (RANGE_ROWS / DISTINCT_RANGE_ROWS para DISTINCT_RANGE_ROWS > 0).

sys.dm_db_stats_properties: Retorna propriedades de estatísticas para o objeto de banco de dados especificado (tabela ou exibição indexada) no banco de dados do SQL Server atual. Para tabelas particionadas, consulte a DMF sys.dm_db_incremental_stats_properties.

Ao executar esta nova DMF o Microsoft SQL Server 2016 apresentará uma tabela de resultado contendo o seguinte conjunto de colunas, conforme a Tabela 2 ilustra:

Nome da coluna Tipo de dados Description
object_id int ID do objeto (tabela ou exibição indexada) para o qual as propriedades do objeto de estatísticas serão retornadas.
stats_id int ID do objeto de estatísticas. É exclusiva na tabela ou exibição indexada. Para obter mais informações, veja sys.stats.
last_updated datetime2 Data e hora da última atualização do objeto de estatísticas.
rows bigint O número total de linhas da tabela ou exibição indexada na última atualização das estatísticas. Se as estatísticas forem filtradas ou corresponderem a um índice filtrado, o número de linhas talvez seja menor do que o número de linhas na tabela.
rows_sampled bigint O número total de linhas amostradas para cálculos de estatísticas.
etapas int O número de etapas no histograma. Para obter mais informações, veja DBCC SHOW_STATISTICS.
unfiltered_rows bigint O número total de linhas da tabela antes da aplicação da expressão de filtro (para estatísticas filtradas). Se as estatísticas não forem filtradas, unfiltered_rows será igual ao valor retornado na coluna de linhas.
modification_counter bigint Número total de modificações da coluna de estatísticas principal (a coluna em que o histograma é criado) desde que as últimas estatísticas de tempo foram atualizadas.

Essa coluna não mantém informações para tabelas com otimização de memória.

Agora que o segredo foi revelado, podemos começar a pensar na maneira que estas novas DMFs podem ser utilizadas, para tal vamos fazer uso do banco de dados analítico: AdventureworksDW2016CTP3 disponível para download através do link: http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=49502

Utilizando as novas DMFs

Seguindo em frente vamos começar nossa prática, para tal a primeira coisa a fazer é executar o bloco de código 1 declarado abaixo, antes clique no botão Include Actual Execution Plan em seu Management Studio, pois vamos realizar uma análise após a execução.

— Bloco de Código 1 —

Figura 1 – Instrução select declarada para o bloco de código 1.

Após a execução deste bloco de código obtemos o seguinte conjunto de dados relacionados ao operador Clustered Index Scan, conforme a Figura 2 apresentada abaixo:

Figura 2 – Dados relacionadas ao operador Clustered Index Scan.

Note que estou destacando na figura os dados referentes aos seguintes elementos:

  • Number of Rows Read;
  • Actual Number of Rows;
  • Estimated Number of Rows; e
  • Estimated Number of Rows to be Read.

Você pode estar se perguntando, o porque o Junior Galvão acabou destacados estes valores na Figura 2? A resposta é muito simples, uma das maneiras para tentar entender o comportamento do SQL Server no processamento de seus operadores e procurar ter uma ideia de estatísticas de processamento é justamente através da leitura e entendimento destes quatro conjunto de dados, o que posso dizer que não é a melhor forma para se encontrar informações sobre processamento e estatísticas.

Agora imagine que todas as vezes que você desejar obter informações sobre as estatísticas de processamento e como elas estão armazenadas e seus status, pois bem, é justamente neste ponto que agora no novo SQL Server 2016 SP1 CU 2 você terá facilmente a capacidade de fazer isso acontecer, para tal vamos executar o bloco de código 2 fazendo uso da nova DMF, sys.dm_db_status_histogram.

— Bloco de Código 2 —

Figura 3 – Bloco de código 2.

Observe que estamos fazendo uso da nova DMF sys.dm_db_status_histogram e neste momento nosso Management Studio deverá ter retornado um conjunto de linhas conforme a Figura 4 abaixo ilustra:

Figura 4 – Conjunto de dados estatísticas referentes ao processamento do bloco de código 2.

Ao analisarmos a Figura 4 podemos notar facilmente o conjunto de linhas de retornado contendo todas as informações relacionadas ao histograma da estatísticas de número 2 para a tabela [dbo].[FactResellerSales]. Tenho a certeza que você tão surpreso quanto eu quando executei pela primeira vez este mesmo bloco de código, realmente é assustador a facilidade que temos agora em entender o histograma.

Sensacional, mas como o SQL Server consegui apresentar estes dados desta maneira? Como de costume a resposta é simples, através da capacidade de utilizar em tempo de execução uma Table Valued Function denominada DM_DB_STATS_HISTOGRAM, ou seja, uma função que armazena valores em uma determinada tabela utilizada especificamente para esta nova DMF, a comprovação disso esta na Figura 5 que ilustra o plano de execução utilizado para o processamento do bloco de código 2.

Figura 5 – Plano de execução gerado para o processamento do bloco de código 2.

Continuando nossa jornada, o próximo passo é fazer uso da outra DMF, no caso a sys.dm_db_stats_properties, onde a qual vamos nos permitir obter o mesmo conjunto de valores referente ao cabeçalho da estatística o mesmo realizado através do comando DBCC SHOW_STATISTICS com a opção WITH STATS_HEADER.

Vamos então executar o bloco de código 3 apresentado a seguir:

Figura 7 – Bloco de código 3.

E qual será o resultado obtido após o processamento do bloco de código 3? A resposta é apresentada na Figura 7 a seguir:

Figura 7 – Resultado do processamento do bloco de código 3.

Show de bola, temos exatamente o mesmo conjunto de dados retornados pela DMF sys.dm_db_stats_properties da mesma forma que teríamos se estivéssemos utilizando do bom e velho DBCC SHOW_STATISTICS, não é realmente fantástico, só de imaginar a capacidade de possibilidades que teremos de utilizar estes dados a partir de agora realmente é algo surreal.

Da mesma forma que o SQL Server 2016 SP1 CU2 utiliza uma Table Valued Function para armazenar e apresentar os consumidos e coletados pelo processamento da sys.dm_db_status_histogram, também é utilizada uma outra Table Valued Function para o processamento da sys.dm_db_stats_properties denominada DM_DB_STATS_PROPERTIES.

Para finalizar nossa brincadeira e mostrar como estas novas funcionalidades podem nos ajudar, vamos utilizar o bloco de código 4 para através dele conseguir especificar uma determinada range_key existe em nossas estatísticas. Poxa vida especificar em um comando select qual determinada faixa de valores estatísticas nós queremos obter dados realmente é acima do que estávamos pensando, por incrível que isso possa parecer, é totalmente possível de ser feito a partir de agora.

— Bloco de Código 4 —

Figura 8 – Retorno de dados referentes ao filtro da faixa de valores.

Putz, que coisa louco, meu deus, temos com base no bloco de código 4 a comprovação que podemos através do uso de outras DMFs inline retornado dados estatísticos com base em filtros ou predicados declarados na cláusula where existente na linha 26 onde, a coluna sh.range_high_key é justamente uma coluna pertencente a nova DMF sys.dm_db_stats_histogram.

Que loucura isso, fora de série esta nova capacidade do SQL Server, fantástico, inimaginável, fora do comum o que o time de engenheiros do SQL Server fizeram desta vez, show.

Referências

https://msdn.microsoft.com/library/mt794645.aspx

https://blogs.msdn.microsoft.com/sql_server_team/easy-way-to-get-statistics-histogram-programmatically/

https://support.microsoft.com/en-us/help/4013106/cumulative-update-2-for-sql-server-2016-sp1

http://msdn.microsoft.com/library/jj553546.aspx

http://msdn.microsoft.com/library/ms174384.aspx

https://msdn.microsoft.com/pt-br/library/mt761751.aspx

https://msdn.microsoft.com/pt-br/library/ms177623.aspx

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/01/23/12-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/12/16/11-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/11/15/10-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/10/08/09-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/08/06/07-para-que-serve/

Conclusão

A maneira como nossos dados estão constantemente sendo processados é algo que a cada dia um DBA ou profissional de banco de dados se pergunta. Saber em qual momento uma determinada query, transação ou simplesmente um comando select pode ocasionar algo tipo de impacto em nosso ambiente ainda é mais preocupante. Foi justamente pensando nisso que a Microsoft e seu time de profissionais que trabalham com o SQL Server buscaram responder a partir da disponibilidade das duas novas DMFs: sys.dm_db_stats_histogram e sys.dm_db_stats_properties recursos adicionados na versão 2016 SP1 e disponível também para próximas versão do SQL Server, dentre elas a SQL Server vNext.
Esta nova maneira de acessar e consultar os dados coletados e armazenados no histograma poderá ajudar em muito os profissionais de banco de dados e desenvolvedores a entender como seus estatísticas de processamento de dados estão sendo afetadas com base nos processos de manipulação.
Neste post você pode mais uma vez observar que o Microsoft SQL Server esta em constante evolução, um dos produtos mais prestigiados pela Microsoft, buscando sempre trazer melhorais e inovações, algo de extrema importância para qualquer profissional que trabalha com esta tecnologia.

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua visita, agradeço sua atenção, fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Nos encontramos em breve, até lá…..