Script Challenge – 15 – A resposta….


Boa tarde, pessoal…

Tudo bem?  Seja mais uma vez muito bem vindo ao meu blog, mais especificamente ao post que apresenta a resposta para o Script Challenge – 2018 – Post 15, publicado em fevereiro de 2019, sendo este respectivamente o terceiro post após o retorno desta desafiadora sessão em meu blog denominada Script Challenge (Script Desafiador ou Desafio do Script) como queiram traduzir.

Espero que você já tenha ouvido falar desta sessão ou acessado alguns dos posts publicados na mesma, caso ainda não tenha feito, fique tranquilo você vai encontrar no final deste post uma pequena relação contendo os últimos desafios lançados e seus respostas.

Vamos então falar um pouco mais sobre o último desafio, estou me referindo ao Script Challenge 14, desta forma, seja bem vindo a mais um post da sessão Script Challenge.


Script Challenge 15

Falando do desafio de número 15, o mesmo foi publicado no mês de fevereiro de 2019, período de data em que praticamente todos nós estamos começando a iniciar nossas atividades profissionais e principalmente acadêmicas.

Começo de ano não é fácil, volta as aulas, correria de comprar material escolar, renovação de mensalidades, matrículas, IPVA, IPTU, tanta conta para pagar que as coisas acabam se tornando um grande furação em nossas vidas e precisamos de alguma maneira, anotar, gerenciar ou auditar tudo o que estamos fazendo.

Pois bem, o Script Challenge 15 possui um pouco relação ou conexão com toda esta loucura, não necessariamente com a volta as volta as aulas, ou impostos que devemos pagar.

Na verdade, sabemos que existem determinadas situações, ações, procedimentos e demais atividades que se não cumprimos da maneira que estava preestabelecida acabamos de alguma forma sendo notificados ou até mesmo penalizados, pensando justamente desta forma, o Script Challenge 15 se relaciona.

Continuando nossa história, quero lhe perguntar: E ai já matou a charada? Acho que ainda não! Não é mesmo?

Mas para te ajudar mais um pouco vou apresentar a Figura 1 que contem todo código Transact-SQL utilizado neste desafio, contendo trechos ou partes de código ocultas, procedimento que realizei no post que contempla o lançamento deste desafio como forma de aumentar o nível de dificuldade:

Figura 1 – Código Transact-SQL apresentado no Script Challenge 15.

Bom chegou a hora de revelar o que exatamente este bloco de código se propõem a fazer, chegou o momento de revelar e desvendar este desafio. A seguir apresento a resposta para o Script Challenge 15 e o todo bloco de código disponível para você utilizar em seus ambientes de trabalho ou estudos.

A resposta

Como você pode ter percebido, no decorrer deste post e também no post de lançamento, procurei de uma forma bastante simples mas não explícita exibir ao longo do texto, pequenas dicas que poderiam ajudar, nortear e quem sabe indicar uma possível resposta ou solução para o desafio.

Falando mais diretamente, a resposta para o Script Challenge 15, esta totalmente relacionada as nossas atividades diárias, mas não no mundo real, mas sim no mundo virtual, estou me referindo a chamada auditoria, palavrinha que para muitos chega a dar calafrios. Não é mesmo?

Mas se mesmo assim, você ainda não conseguiu adivinhar ou até mesmo pode estar se perguntando: Qual a relação do Script Challenge – 15 tem haver com auditoria? A resposta para seu questionamento é muito simples, para qualquer Administrador de Banco de Dados, Administrador de Servidores, Desenvolvedor, enfim um profissional de tecnologia, tudo o que fazemos basicamente em um computador deve de alguma forma ser monitorada, auditada, controlada, afim de gerar evidência do que foi feito e por quem foi feito, como uma forma de nos proteger e si proteger.

Então a resposta para o Script Challenge 15 se relaciona com a possibilidade que o script apresenta em nos ajudar a identificar tudo o que esta sendo acesso, manipulado e processado, por quem, como, quando, onde e de que forma ao se conectar em um servidor ou instância de banco de dados Microsoft SQL Server, isso tudo em tempo real, ou como gostam de dizer Real Time.

De uma forma muito simples e direta, esta é a resposta, auditoria em tempo real. Abaixo apresento o script original que ilustra esta capacidade que o Microsoft SQL Server em conjunto com suas visões e funções de gerenciamento dinâmico possui:

— Script Challenge 15 – A resposta – Realizando Auditoria em tempo real (In Live) —

Use Master
Go

SELECT ser.session_id As ‘SessionID’,
ssp.ecid,
DB_NAME(ssp.dbid) As ‘DatabaseName’,
ssp.nt_username as ‘User’,
ser.status As ‘Status’,
ser.wait_type As ‘Wait’,
SUBSTRING (sqt.text,  ser.statement_start_offset/2,
(CASE WHEN
ser.statement_end_offset = -1 THEN LEN(CONVERT(NVARCHAR(MAX), sqt.text)) * 2
ELSE ser.statement_end_offset
END – ser.statement_start_offset)/2) As ‘Individual Query’,
sqt.text As ‘Parent Query’,
ssp.program_name As ‘ProgramName’,
ssp.hostname,
ssp.nt_domain As ‘NetworkDomain’,
ser.start_time
FROM sys.dm_exec_requests ser INNER JOIN sys.sysprocesses ssp
On ser.session_id = ssp.spid
CROSS APPLY sys.dm_exec_sql_text(ser.sql_handle)as sqt
WHERE ser.session_Id > 50
AND ser.session_Id NOT IN (@@SPID)
ORDER BY SessionID, ssp.ecid
Go

Então, agora você deve ter gostado deste desafio, não é verdade? Ter a capacidade de identificar, monitorar e registrar tudo o que esta sendo acessado ou manipulado em tempo real, com certeza é algo útil e de extrema importância para qualquer empresa.

A Figura 2 apresentada abaixo, ilustra o conjunto de dados retornados após a execução do Script Challenge – 15:
Figura 2 – Informações coletadas em tempo real, dentre elas SessionID, DatabaseName e ProgramName.

Dentre o conjunto de colunas retornadas pelo Script Challenge 15, destaco algumas:

  • User – Apresenta o nome do usuário que esta conectado e processando a query;
  • Status – Apresenta o status em tempo real da execução, waiting ou suspended da query;
  • Wait – Apresenta qual é o Wait Types utilizado pela query;
  • Individual Query – Apresenta se a query processada esta sendo executada de forma individual, em conjunta ou até mesmo se ele é uma sequência de execuções de blocos de código; e
  • ProgramName – Apresenta o nome do programa, aplicações ou software que esta disparando a execução da query.

Muito bom, sensacional, conseguimos, chegamos ao final, esta é a resposta para o Script Challenge 14, fico extremamente feliz por ter conseguido compartilhar este conteúdo com vocês.

Espero que você tenha gostado deste novo post da sessão Script Challenge!


Sua Participação

No post de lançamento deste desafio, contei com a sua participação através de uma enquete contendo algumas opções de respostas que poderiam estar relacionadas com o Script Challenge 15. A seguir apresento o resultado desta enquete:

A opção mais votada com 44% dos votos é justamente a resposta correta para este desafio: ” O bloco de código apresentado se relacionado com a possibilidade de realizar o monitoramento de sessões e programas que solicitaram dados em tempo real ao SQL Server.”

Referências

Agradecimentos

Obrigado por sua visita, espero que este conteúdo aqui apresentado como um possível “desafio” possa ser útil e ao mesmo tempo prover conhecimento, aprendizado ou mostrar recursos e problemas existentes no Microsoft SQL Server que as vezes parecem não ter uma resposta.

Um forte abraço nos encontramos em breve nas demais sessões e especialmente em outubro de 2019 em mais um post da sessão Script Challenge.

Até mais….

Microsoft libera nova preview do SQL Server 2019 denominada 2.4


Ontem a Microsoft através do seu time MSSQLTiger, disponibilizou a nova versão preview da próxima versão do Microsoft SQL Server 2019.

Este novo preview foi batizado de SQL Server 2019 2.4 (quinta versão), vale ressaltar que nos últimos meses a Microsoft vem trabalhando fortemente para liberação de novas versões preliminares.

Novidades

Um dos destaques desta nova versão preliminar faz referência a integração do SQL Server com o Apache Spark™ e o HDFS com o SQL Server, criando assim  uma nova plataforma de dados unificada, que possibilita um grande salto no produto relacionado com os novos padrões de dados e processamento em larga escala.

Segundo informações fornecidas pela Microsoft, o SQL Server 2019 oferece mais segurança, disponibilidade e desempenho para todas as cargas de dados, além de trazer novas ferramentas de conformidade (relacionadas a GDPR e LGPD), melhor desempenho em hardware moderno e alta disponibilidade em Windows, Linux e contêineres.

A Figura 1 abaixo ilustra a página inicial do website da Microsoft dedicado ao Microsoft SQL Server 2019:

Figura 1 – Introdução ao Microsoft SQL Server 2019.

Melhorias

Esta versão inclui melhorias de versões CTP anteriores para corrigir bugs, melhorar a segurança e otimizar o desempenho.

Além disso, os seguintes recursos são adicionados ou aprimorados para SQL Server 2019 pré-visualização CTP 2.4:

    • Cluster de grande volume de dados
      • Orientação na GPU suporte para a execução de profunda aprendizagem com TensorFlow no Spark.
      • Atualização em tempo real para Spark 2.4.
    • Mecanismo de banco de dados
      • Novo evento estendido.query_post_execution_plan_profile
      • Nova DMF retorna o equivalente o último plano de execução real conhecido para a maioria das consultas.sys.dm_exec_query_plan_stats
      • Criptografia de dados transparente (TDE) varredura – suspender e continuar.
    • SQL Server Analysis Services
      • Relacionamentos muitos-para-muitos em modelos tabulares.
      • Configurações de propriedade para a gerenciamento de recursos.

Download

Dentre as opções disponíveis, você poderá optar tanto para rodar em ambientes físicos como Windows e Linux ou virtualizados através de máquinas virtuais ou containers, conforme Figura 2 abaixo ilustra:

Figura 2 – Plataformas para download disponíveis para versão 2.3 do Microsoft SQL Server 2019.

O Microsoft Server 2019 Preview 2.4 para Windows está disponível em arquivos ISO, arquivo .cab para os seguintes idiomas:

  • Inglês;
  • Alemão;
  • Japonês;
  • Espanhol;
  • Coreano;
  • Russo;
  • Italiano;
  • Francês;
  • Chinês (simplificado);
  • Chinês (tradicional); e
  • Português (Brasil)‎.

Saiba mais sobre o SQL Server 2019

Caso você queria saber mais sobre esta nova versão do Microsoft SQL Server e seus principais recursos, selecione um dos links abaixo:

https://info.microsoft.com/ww-landing-SQLDB-Microsoft-SQL-Server-WhitePaper.html

http://download.microsoft.com/download/8/B/6/8B643729-6224-4ECC-8C50-3292B8156F0E/SQL_Server_2019_Transform-Data_into_Insights_Infographic_EN_US.pdf

http://download.microsoft.com/download/D/2/5/D2519504-0ACD-4CD7-9C34-AB85D5824F34/SQL_Server_2019_Top_10_Reasons_to_Choose_Infographic_EN_US.pdf

https://info.microsoft.com/ww-landing-intro-sql-server-2019.html

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com – SQL Server BlogSQL Server Team – 27/03/2019.
Leia na integra acessando: https://docs.microsoft.com/en-us/sql/sql-server/what-s-new-in-sql-server-ver15?view=sql-server-ver15#ctp-24

O que é o Microsoft ‘ Windows Lite ‘ OS?


Falar de uma nova versão, leve do Windows tem sido cada vez mais comum desde o final do ano passado, principalmente após algumas referências ao  “Windows Lite ” terem aparecido dentro de um dos muitos Windows Insider Preview liberados regularmente.

Não demorou muito para o primeiro relatório surgir e apresentar alguns detalhes sobre o Windows Lite. A partir daí, entendemos que o Windows Lite vai ser o concorrente da Microsoft Chrome OS… assim como o Windows 10 S supostamente foi.

Windows Lite será ideal para você?

Isso levanta a questão, o que exatamente será esse “Windows Lite”? Esforços anteriores da Microsoft em tentar fazer uma versão do Windows 10 para o mercado do Chrome OS tem se aumentado ainda mais.

Um cliente querendo comprar um dispositivo Windows provavelmente está esperando que ele seja capaz de executar programas como Google Chrome e muitas outras aplicações Win32 que não estão Microsoft Store. Para a Microsoft ter a hipótese de fazer um sistema operacional que está equilibrado como o Chrome OS ou mais leve que o iOS , precisa cortar os laços com a marca Windows.

A diferença com Windows Lite, é que ele corta todos os laços com o que vamos esperar de um produto de “Windows”, muito que os rumores sugerem que Microsoft nem venha a fazer referência ao nome “Windows” quando provavelmente realizar seu anunciado oficial. 

Fazendo isso abre a Microsoft esta abrindo as portas em relação a capacidade do seu novo sistema operacional, ela estará na verdade evitando expectativas de disponibilidade do app, como também permitindo a própria empresa experimentar e se aventurar em um novo território, quando se trata de experiência do usuário.

Usuários do Windows vem para esperar uma barra de tarefas familiar e começar a combinação de botão e se afastar muito longe de que experiência causa problemas para os usuários. Caso no ponto: Windows 8. Não ligar para a nova versão do Windows deve ajudar a Microsoft a afastar isso.

Voltando à nossa pergunta inicial, que é de Lite para Windows? Simplificando, é para pessoas que não precisam de dispositivos com um Windows completo. É para as mesmas pessoas que estão olhando para o iPad com iOS e pensamento Sim, eu faço o que eu preciso fazer com algo assim. Mesmo para as pessoas que compram dispositivos de Chrome OS.

A Microsoft vai direto para esse mercado, o que eu gosto de chamar o mercado de “computação de luz”. Computação de luz é um dispositivo e experiência de sistema operacional que foi projetado para sair do modo e atender as necessidades básicas da maioria das pessoas usando um laptop ou tablet.

O que mais pode significar Windows Lite ?

Neste sentido, o Windows Lite muito provavelmente vai para ser um grande jogador na estratégia de educação da Microsoft, que também tem visto Chrome OS com este potencial.

A Microsoft não pode perder o mercado de educação para o Chrome OS e iOS, mas 10 Windows em si não é suficiente para competir mais nesta indústria, uuitas escolas querem uma plataforma que é simples e fácil de manter.

A web também é uma parte enorme do Windows Lite. Me disseram que muito esta sendo priorizar a web com suas experiências nos laços profundos neste novo sistema operacional. Eu não ficaria surpreso se a Microsoft anunciar um Windows Lite PCs como dispositivos que vêm com o gabinete de graça, ou Office web apps.

Windows Lite é tanto um competidor ao lado do Chrome OS como ele também está competindo com o Google Docs. Chrome OS e Google Docs estão amarrados juntos muito bem, e eu espero ver o mesmo com Lite Windows e Office Online. O Windows Lite é para usuários casuais, pessoas em educação e a multidão de computação luz.

Se você é alguém que verifica e-mail, escreve documentos, elabora planilhas, faz apresentações, ouve música, assiste a Netflix e navega Reddit, então Windows Lite, assim como o Chrome OS e o iPad, é para você.

É uma versão do Windows que está se esforçando muito para não ser Windows, e estou interessado em ver até onde a Microsoft leva essa ideia.

Fontes e Direitos Autorais: Zac Bowden – Editor Sênior no Windows Central – 30/01/2019.
Leia na integra acessando: https://www.windowscentral.com/who-windows-lite-going-be

Retrospectiva 2018 – Um ano muito diferente na minha vida


Alô você, boa noite…

Tudo bem? Eu estou bem, mesmo após estes últimos dias de comilança (“Festas de final de ano sempre abusamos um pouco.”).

Pois bem, este não um post dedicado a tecnologias ou produtos da Microsoft, ao contrário, a muito tempo venho pensando e criando coragem para elaborar um post que conte um pouco do meu trabalho, das minhas atividades acadêmicas e profissionais, como também da minha correria como MVP e MIE Expert nas ações e atividades promovidas pela Microsoft que eu estou sempre envolvido.

Introdução

Atribui o título de Retrospectiva, mas não sei bem se este post pode ser chamado ou intitulado desta forma, mesmo assim, vou dividir e até mesmo compartilhar com vocês minha rotina realizada nos 365 que se decorreram ao longo deste ano de 2018, sabendo que o ano ainda não acabou e que alguma coisa de diferente pode acontecer, sei que você que esta neste momento lendo este post entende e compreende o que estou dizendo.

De uma forma bastante simples, vou destacar mês a mês os posts aqui compartilhados, os eventos presenciais e online que participei (alias se eu for participar de todos que recebo convite, teria que se multiplicar em três ou quatros, sinceramente falando melhor são, pois um só já é bastante chato….kkkkkkk), palestras, atividades diárias nos fóruns MSDN e TechNet, Participação Mensal no Gallery TechNet, Participação Semanal no SQLServerCentral.com, bancas de TCCs e TGs, entre demais momentos que possa julgar importante.

2018 chegou e já passou, 2019 esta pedindo passagem…

Então, vamos lá, espero que de alguma forma você possa se sentir parte da minha vida no decorrer deste post, além de uma pequeno história do que aconteceu em cada mês, vou destacar os principais posts publicados no meu blog, como também os scripts que foram disponibilizados no Gallery TechNet e outras ações de destaque em outras mídias sociais, blogs e portais de tecnologia:

Janeiro

Começo de ano não é fácil, entrar novamente na rotina, se organizar após a festas de natal e ano novo é sempre complicado, mas em 2018 tudo começou bem cedo, compra dos uniformes escolares, materiais para volta as aulas, logicamente o aniversário da minha pequena Fernanda e sua nova oportunidade profissional, este foi um mês que mudou o decorrer do 2018.

Claro que não foi somente isso, pude descansar muito, voltar a ficar 30 dias em casa após o ano de 2017 de grandes mudanças profissionais, impactos financeiros e principalmente voltar a colocar minha consultoria de volta aos trabalhos foi bastante desgastante, conflitante e temoroso, mas a vida tem que continuar e já no segundo dia de 2018 publiquei o primeiro post do ano que me trouxe uma nova oportunidade de mostrar o meu trabalho.

Destaques:

#19 – Para que serve

Dica do Mês – SQL Setup ToolSuite Introduction

Microsoft SQL Server – Audit Events – Ocorrência de Restore Database

Microsoft SQL Server – Audit Events – Ocorrência de Backup Database

Fevereiro

Segundo mês do ano, voltamos ao trabalho, novas turmas, novos alunos, novos desafios e com ele sempre algumas mudanças, dentre elas o desafio de lecionar um pouco sobre IoT e principalmente Arduino (plaquinha danada de boa, mas que eu levei um tempinho para conhecer), tirando um pouco da tensão por trabalhar com este conteúdo, outro grande obstáculo a ser superado era a ideia de organizar um evento voltado para IoT na Fatec São Roque, evento que no mês de Junho você vai saber como foi.

Não posso deixar de citar o aniversário da minha pequena Malú.

Destaques:

Material de Apoio – Fevereiro 2018

Microsoft SQL Server – Audit Events – Find Errors for Sort Warnings

Microsoft SQL Server – Audit Events – Find Errors for Missing Column Statistics

Short Scripts – Fevereiro 2018 – Transaction Log

Março

Legal, chegamos no primeiro trimestre de 2018, agora sim o ano esta começando pois o carnaval acabou e com ele os “brasileiros” começam a pensar de verdade no que vão fazer no resto do ano (este não é o meu pensamento, mas sim um fato que a cada ano fica mais evidente), deixando um pouco de demagogia e até crítica de lado, um novo desafio se apresentava no decorrer deste mês, como aumentar ainda mais a audiência e visitação do meu blog que estava passando por um momento de turbulências, foi então que no dia 01/03 resolvi “ressuscitar” a antiga sessão que estava bastante esquecida no meu blog denominada Script Challenge (uma similaridade a sessões já existentes em outros blogs dedicados ao Microsoft SQL Server).

Estava também esperançoso para retornar ao mestrado, mais isso não aconteceu da forma que eu esperava, sendo assim, decidi voltar a me dedicar ao meu blog e tentar reconquistar novos seguidores em minhas redes sociais.

Essa não foi uma tarefa muito fácil, definir um novo formato, abordagem e até mesmo algo que trouxe-se mais visitantes ao blog sem conflitar com as sessões já existentes tomou um pouco do meu tempo, mas no final das contas de seu certo e no decorrer de 2018 outros posts desta mesma sessão foram publicados e em 2019 serão mais ainda.

O mês de março já estava acabando, parecia que tudo esta tranquilo, mas um situação bem fora do comum se apresentou, recebi informações da possível existência de um farsante como usuário dos fóruns do MSDN e TechNet aqui Brasil, e neste caso eu como moderador era responsável em tentar evidenciar e reportar o fato, foi então um momento muito incomum, contatar o profissionais da Microsoft localizados em Redmond em conjunto com meu MVP Leader Glauter Januzzi afim de monitorar este usuário, situação que somente no final deste ano conseguimos resolver.

Destaques:

Script Challenge – 13 – A resposta….

Dica do Mês – Microsoft SQL Server 2017 – SQL Graph Databases

Microsoft SQL Server – Audit Events – Identifying File Shrink Events

Microsoft SQL Server – Audit Events – Auto Database Growth Information

Abril

Mês um pouco mais de tensão e receios, este é o mês que passo pelo processo de análise e renovaçã anual como MVP, todas as minhas contribuições nos últimos 12 meses são sumarizadas, computadas, analisadas e principalmente ponderadas para que estabelecer um mínimo de relevância no meu trabalho que me permita ou não ser novamente reconhecido como MVP, mas esta história eu lhe como mais no mês de Julho, o que posso lhe dizer que entre Maio de 2017 e Abril de 2018 moderei mais de 8.700 dúvidas e posts publicados nos fóruns de SQL Server no Brasil.

Outro momento importante neste primeiro quartil do ano de 2018, foi a publicação de mais uma questão minha no maior portal dedicado ao Microsoft SQL Server, o SQLServerCentral.Com, em sua sessão QotD – Question of the Day, contendo um total de 666 visualizações e respostas.

Além disso, participei presencial do MVP.Conf, primeira conferência nacional dos MVPs da Microsoft realizada em São Paulo, tive a honra de levar os alunos da Etec São Roque neste evento, foi a maior caravana de estudantes presentes, um momento muito marcante na minha vida acadêmica.

Estava me esquecendo de destacar o aniversário da minha mãe (ela merece um post exclusivo por ter me aguentado em seu ventre) e o meu no dia 28.

Destaques:

Material de Apoio – Abril 2018

#20 – Para que serve

Microsoft libera Cumulative Update #6 para SQL Server 2017 RTM

Dica do Mês – SQL Operations Studio – View as Chart

Microsoft SQL Server – Audit Events – Adding and Finding Auto Statistics

Microsoft SQL Server – Audit Events – Find Errors for Missing Join Predicates

Manage the suspect_pages Table on SQL Sever 2017

Maio

O mês de maio foi bastante tranquilo, já começamos a se organizar para o final do semestre, este foi um período de 2018 que mais me deparei com demandas profissionais, foi um momento que tive a oportunidade de atender clientes em três localidades distantes ao mesmo tempo: Rio Grande do Sul, Bahia e Paraná isso me representou uma grande oportunidade e satisfação em poder demonstrar o meu trabalho em localidades geograficamente distantes da minha localidade.

Mas nem todos os momentos foram de alegria, neste mês me deparei com uma situação que a muito anos não vivenciava, o quanto algumas “pessoas” podem ser tão desonestas, a devido a uma situação que não vou detalhar mas que marcou muito que mudei brutalmente a minha forma de negociação e prestação de serviços, e não somente isso, me fez tomar a decisão de novamente interromper minhas atividades de consultoria na área de banco de dados para um período, fui buscar me aperfeiçoar, amadurecer profissionalmente como um empreendedor e dono do seu próprio negócio, mas nada de buscar ajuda do Sebrae ou algo parecido, fui na verdade conversar com pessoas que possuem seus próprios negócios aqui em São Roque para entender como eles sobrevivem, posso dizer que foi um momento de grande aprendizado.

A primeira decisão após este período sabático, mudar o nome fantasia da minha empresa, deixando de chamar Jr-Softwares para se tornar Galvão Tecnologia, momento de muito temor pois mudar o nome ou razão social não é tão simples.

Destaques:

Short Scripts – Maio 2018

Microsoft disponibiliza atualização cumulativa 7 para o Microsoft SQL Server 2017

#21 – Para que serve

Microsoft SQL Server 2016 SP2 – Atualização Cumulativa 1 disponível

Page considered Suspect in SQL Server 2017

Microsoft SQL Server – TempDB – Number of Reads and Writes

Microsoft SQL Server – TempDB – Monitoring space used by queries

Junho

Agora sim, estamos na metade do ano, 2018 esta voando, passando rápido, você se lembra que no mês de Fevereiro eu havia comentado do evento que estava ajudando a idealizar e organizar, pois bem, ele de fato aconteceu, o chamado 1º Encontro Tecnológico de Internet das Coisas foi devidamente no dia 26/06 com a presença de diversos profissionais de tecnologia da região.

Uma nova conquista também me foi conferida no decorrer do mês de Junho, a publicação de um Script de minha autoria no portal SQLServerCentral.com em sua sessão Scripts, honra e reconhecimento que aconteceu novamente no mês de Julho com um outro Script que me permitiu aprender muito.

Destaques:

Windows 10 IoT Core Services, nova versão do Windows 10 para dispositivos inteligentes

Material de Apoio – Junho 2018

Script Challenge – 2018 – Post 14

Entering random data into a table

Microsoft SQL Server-Comparative between sparse column and non-sparse column

Microsoft SQL Server – Identificar relacionamento lógico de registros em tabelas

Julho

Estamos virando a chave do ano, entramos na segunda metade de 2018, dois trimestres já se passaram, mês que me permitiu comemorar mais um reconhecimento como MVP sendo esta a minha décima primeira renovação anual consecutiva, meu décima segundo ano no programa como MVP e a partir desta renovação o MVP de Data Platform mais antigo do Brasil.

Continuando neste mês de conquistas, tive o prazer de compor as bancas de professores avaliadores dos trabalhos de graduação dos alunos do curso de Sistemas de Informação para Internet da Fatec São Roque.

Com destacado no mês de Junho, tive o reconhecimento de ter um novo Script de minha autoria publicado no SQLServerCentral.com, script que me possibilitou a troca de conhecimento com um dos maiores profissionais de banco de dados relacional do mundo Jeff Moden , agradeço muito a ele pela oportunidade de aprender.

Destaques:

Windows Server 2019 Preview build 17709 disponível para download

Microsoft SQL Server 2017 Cumulative Update 9 disponível

Dica do Mês – Ocultando uma instância em execução do Microsoft SQL Server

Microsoft SQL Server-Creating an annual calendar with holidays

Microsoft SQL Server-Identifying indexes that present duplicate columns

User Stored Procedure for Backup of user databases

Agosto

Meu deus, o segundo semestre chegou, este é o segundo quartil do ano, estamos próximos de terceiro trimestre de 2018, e como de costume mais um desafio é colocado na minha vida, voltar a lecionar uma das disciplinas que eu não trabalhava desde 2012 conhecida por muitos como Sistemas Operacionais, mas que para o Centro Paulo Paulo no curso de sistemas para internet é denominada Servidores e seus Sistemas Operacionais, tive que voltar a estudar, lêr os bons e tradicionais livres de Andrew Stuart Tanenbaum.

Não somente isso, voltar a estudar e praticar a administração de servidores Windows Server algo que eu sempre faço, mas o desafio era trabalhar de forma prática com Suse Linux, RedHat e Ubuntu, olha foram manhã de muito estudo e práticas para conseguir entregar algo de qualidade para meus pupilos, acredito ter feito da melhor forma possível.

Por outro lado, agreguei em minha coleção de disciplinas novas, um dedicada a área de gestão e negócios que esta totalmente relacionada com Banco de Dados, disciplina que mistura dado, informação, conhecimento e tomada de decisão com as possibilidades que as empresas podem ter a partir do momento que fazem uso de um banco de dados relacional e evoluem para um Data Warehouse.

Passado alguns dias, uma boa notícia, havia sido escolhido para a disciplina de Introdução a Criptografia no Mestrado da UFSCar em Sorocaba, mas devido a questões particulares tomei a decisão de não dar continuidade ao mestrado em 2018 e buscar uma nova oportunidade em outra instituição em 2019.

Um momento muito especial neste mês de agosto, foi a oportunidade de bater um papo com o MVP Leader Glauter Januzzi em umas das suas ações com líder dos MVPs, foi um momento impar e totalmente diferente, como também, poder fazer parte das ações de tradução de produtos da Microsoft, ação que eu já havia participado nos anos de 2008, 2009 e 2010, mas que agora tinha um objetivo diferente.

Outro momento muito importante que vivenciei no dia 03/08 a oportunidade de ter participado da Bienal do Livro em conjunto com minha esposa Fernanda, e conhecer alguns dos maiores nomes do Time de Hacking e Stem da Microsoft Corporation que estavam presentes nos estandes da Microsoft na Bienal.

Para fechar o mês, mais um reconhecido a fim conferido e ofertado pela Microsoft, agora na área de Educação, pelo segundo ano seguido foi nomeado MIE Expert – Microsoft Innovative Educator Expert for 2018-2019, prêmio me permitiu ter um engajamento ainda maior na área acadêmica.

Destaques:

Material de Apoio – Agosto 2018

#22 – Para que serve

Microsoft SQL Server 2017 – Cumulative Update 10

Windows Admin Center Preview v1808 disponível

Microsoft SQL Server-transaction relationship using Transaction Log

Microsoft SQL Server – Diferença básica entre operadores Rollup e Cube

Setembro

O mês de setembro, acredito que tenha sido o mais diferente do todos os outros que havia se passado em 2018, voltei a participar das reuniões mensais de MVPs realizadas pelo Glauter Januzzi, reuniões que também participei em Outubro, Novembro e Dezembro.

Tive a oportunidade de ter o meu nome destacou em neste reunião com um curador e mantenedor dos fóruns nacionais de SQL Server tanto no MSDN e TechNet, como também, me destaquei como um dos principais MVPs envolvidos no projeto de localização e tradução do termos, frases e palavras para os novos produtos da Microsoft.

Por fim no dia 06 o aniversário do Edu e no dia 28 do João Pedro, ambos meus “pequenos” garotos.

Destaques:

Short Scripts – Setembro 2018

Microsoft oficializa a disponibilidade geral do novo Office 2019

Microsoft SQL Server Data Tools v15.8.1 para Visual Studio 2017 liberado para download

Microsoft SQL Server – Informações sobre a execução de Jobs e Steps

Microsoft SQL Server – Obtendo o histórico de execução de jobs

Outubro

Segundo quartil de 2018 se apresenta, nele continuo minha caminhada semanal de respostas e moderadores de perguntas e dúvidas aplicadas no decorrer do ano nos fóruns MSDN e TechNet Brasil dedicados ao Microsoft SQL Server, ainda mais agora com esta responsabilidade de ser um curador ou mantenedor destas plataformas, atividade que tento fazer quase que diariamente mas requer tempo, cuidado e muito sensatez para diferenciar a dúvida da profanação.

Algo um pouco fora do comum acontece neste período, recebo solicitação de alguns participantes dos Fóruns para indicação como futuros novos MVPs, uma situação bastante fora do comum e até mesmo difícil de se resolver, mas como de costume deixou bem claro que não faço indicações pois cabe a própria Microsoft identificar seus futuros representantes.

Uma outra situação que também se apresenta neste mesmo momento, é a confirmação de um usuário dos fóruns brasileiros forjando a postagens de dúvidas e respostas, ou seja, ele mesmo postava e respondia com outro perfil somente para aumentar sua pontuação e se tornar líder no ranking, situação que como eu destaquei no mês de Março, deu muito trabalho mais conseguimos comprovar que era um mal elemento.

Fora tudo isso, tive a oportunidade de realizar a única palestra presencial de 2018 na 6ª Semana da Tecnologia da Fatec São Roque, com o tema: Introdução ao Data Mining aplicado em Business para Commerce, como também, a satisfação de conhecer pessoal dois grandes profissionais conhecedores de MongoDB: Leandro Domingues e Jhonatan de Souza Soares.

Para fechar o mês publico mais uma questão do dia para o SQLServerCentral.com, esta que até o presente momento ainda não foi publicada.

Destaques:

Microsoft divulga a disponibilidade do novo Microsoft Windows Server 2019

Microsoft Hyper-V Server 2019 disponível

Script Challenge – 14 – A resposta….

Microsoft confirma desativação dos protocolos TLS 1.0 e 1.1 para Microsoft Edge e Internet Explorer em 2020

Dica do Mês – Comando Restore Database Page – Restaurando páginas de dados de uma tabela no Microsoft SQL Server

Material de Apoio – Outubro 2018

Microsoft SQL Server – Identificando as querys com maior média de consumo de CPU

Microsoft SQL Server – Identificando o consumo de CPU por Banco de Dados

Novembro

Penúltimo mês de 2018 se apresentando para fazer parte desta história, em novembro tive a oportunidade de participar nos dia 19/11 e 28/11 das bancas de avaliação dos Trabalhos de Conclusão do Curso dos alunos da Etec São Roque, momento muito especial vivido no dia 28/11 na Câmara dos Vereadores de São Roque.

Por outro lado, foi no mês de novembro que alguns sustos e medos se apresentaram, minha esposa Fernanda teve alguns problemas de saúde se agravando, consultas com Neurologista, Ginecologista foram necessárias mas graças a deus tudo correu bem e no mês de dezembro tivemos boas notícias.

O final de semestre se aproximando e com ele o final de ano, a correria começando a aumentar devido aos prazos finais de para conclusão de notas, faltas, correção de provas, trabalhos, bancas de tccs e mais um evento a ser realizado na Fatec São Roque o qual eu estava totalmente envolvido.

No finalzinho do mês, passado alguns meses desde a última consultoria, decido retornar a minhas atividades de consultor, atualizo minhas apresentações, portfólio, página da minha empresa, cadastrados nos websites do governo, coloco novamente no ar a Galvão Tecnologia e passado dois ou três dias meu telefone particular toca, e um novo cliente se apresenta.

Destaques:

Próximas versões do Windows 10 poderão ter os codinomes Vanadium e Vibranium

Nova versão do Kit de Desenvolvimento Quântico da Microsoft

Microsoft SQL Server 2019 Preview 2.1 liberado

Short Scripts – Novembro 2018

Microsoft SQL Server 2014 SP3 liberado para download

Microsoft SQL Server – Identificando as contas que estão executando os serviços

Microsoft SQL Server – Monitorando os serviços através da XP_ServiceControl

Dezembro

E ai chegamos no último mês de 2018, último trimestre, último quartil, últimos 31 dias de um ano totalmente diferente dos demais 37 que eu já havia vivido, um ano totalmente dedicado aos estudos, tanto profissionais, acadêmicos, mas principalmente pessoais e espirituais.

Os primeiros 15 dias de dezembro foram muito, mas muito intensos, final de semestre chegou, tinha mais de 120 provas, trabalhos, listas de exercícios para serem corrigidos, terem suas notas validadas e lançadas, 21 bancas de trabalho de graduação para serem assistidas, bem como, o evento que encerrava uma das minhas disciplinas, aquela que eu comecei em 2018 e me dedicar mais afinco que envolvia IoT.

Pois bem, no dia 08/12 em conjunto com meus alunos do 4º Semestre de Sistemas para Internet, realizado o 2º Encontro Tecnológico de IoT da Fatec São Roque.

Neste mesmo período de dias aconteceram o Microsoft Ignite e o MVP Day em São Paulo, mas infelizmente não tive a oportunidade de participar destes eventos.

No dia 15 aniversário do meu herói, meu pai, completou mais um aninho de vida.

Desta forma, estou aqui neste momento finalizando este post no dia 27/12 ás 02:50hrs, tendo seu início no dia 26/12 ás 23:34hrs.

Destaques:

Aproximadamente 120 milhões de brasileiros tiveram seus números de CPF expostos de forma indevida na Internet

Quatro novos tema para Windows 10

Novos ícones para o Microsoft Office 365 são apresentados

Microsoft 365 Insider Program anunciado pela Microsoft

Material de Apoio – Dezembro 2018

#23 – Para que serve

Retrospectiva 2018 – Um ano muito diferente na minha vida

Microsoft SQL Server – Monitorando – Fila de disco em tempo real

Microsoft SQL Server – Alterando o valor mínimo de Memória RAM alocada

Conclusão

Talvez você que esta lendo este post, possa se perguntar: Não seria melhor ele ter feito uma retrospectiva destacando em números os resultados obtidos ou até mesmo o que ele alcançou?

A resposta para esta dúvida ou pergunta é muito simples NÃO. 

Pois muitos vezes os números podem ser mal interpretados, ou como eu costumo dizer para meus alunos, os números podem se tornar gelados, algo sem significado ou relevância para quer os identifica, análise, julga ou interpretar.

Procurei mostrar como minha vida no decorrer deste ano foi intensa, tenho a certeza que fatos, situações ou momentos foram esquecidos ou até mesmo deixados de lado, mas talvez a relevância do que aqui foi apresentado pode ilustrar o quanto temos de afazeres, responsabilidades e momentos de grande importância que nos permitem alcançar tudo aquilo que em algum momento sonhados ou desejamos para nossas vidas.


Agradecimento

Quero agradecer em muito a sua visita, sinto-me honrado em poder compartilhar um pouco do que fiz e produzi no decorrer de ano de 2018.

Felicidades, lhe desejo um final de ano fantástico e 2019 com muita saúde e paz.

Abraços.

Material de Apoio – Outubro 2018


Bom dia, bom dia, bom dia…

Tudo bem? Estamos no mês de outubro, as eleições terminaram, e os brasileiros escolheram os seus representantes, passado estes últimos acontecimentos, começamos a direcionar nossos esforços e pensamentos nos acontecimentos de final de ano, aquele momento tão esperado por todos esta mais uma vez se aproximando e nossos sonhos de um futuro melhor começam novamente a serem renovados.

Como de costume, estou aqui mais uma vez procurando colaborar e compartilhar com a comunidade técnica em mais um post da sessão Material de Apoio dedicado exclusivamente ao meu blog.

Espero que você esteja gostando do conteúdo aqui disponibilizado, como também, possa me ajudar a torná-lo ainda melhor no decorrer do tempo com a sua participação.

O post de hoje

Seja bem-vindo a mais um post da sessão Material de Apoio, sendo o quarto do ano de 2018 e de número 159 no total desta sessão.

Para aqueles que já acompanham o meu blog a um certo tempo, os posts dedicados a sessão Material de Apoio, possuem o objetivo de compartilhar o conhecimento de recursos, funcionalidades e procedimentos que podemos realizar no Microsoft SQL Server.

Hoje não será diferente, estou trazendo alguns dos mais recentes scripts  catalogados nos últimos meses, que atualmente estão compondo a minha galeria de códigos formada ao longo dos anos de trabalho como DBA e atualmente como Professor de Banco de Dados.

Neste post você vai encontrar arquivos relacionados exclusivamente ao recurso de Linked Server, sendo este, uma funcionalidade existente a muitos anos no Microsoft SQL Server, que nos permite de uma forma bastante simples, mas não muito prática e performática estabelecer um canal de acesso entre fontes de dados distintas, possibilitando em tempo real que o próprio SQL Server possa acessar e manipular dados entre estas fontes, bem como, armazenar estes mesmos dados internamente.

Segue abaixo a relação de temas relacionados ao uso Linked Server:

  • Access;
  • Active Directory;
  • Excel;
  • Query Dinâmica;
  • Remote Servers;
  • Senhas;
  • sp_addlinkedserver;
  • sp_addlinkedsrvlogin;
  • sp_droplinkedsrvlogin;
  • sp_dropserver;
  • Stored Procedure;
  • sys.linked_logins;
  • sys.server_principals;
  • sys.servers;
  • Transações; e
  • Variáveis.

Espero que este conteúdo possa lhe ajudar em seus atividades profissionais e acadêmicas. Por questões de compatibilidade com a plataforma WordPress.com, todos os arquivos estão renomeados com a extensão .docx ao final do seu respectivo nome, sendo assim, após o download torna-se necessário remover esta extensão, mantendo somente a extensão padrão .sql.

Material de Apoio

A seguir apresento a relação de arquivos  selecionados:

1 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Acessando – Active Directory via Linked Server.sql

2 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Configurando – Linked Server entre Access 2010 e SQL Server 2008.sql

3 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Criando – Linked Server entre Access e Banco de Dados com Senha.sql

4 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Criando – Linked Server para acesso ao Excel.sql

5 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Trabalhando com Transaçoes no Linked Server.sql

6 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Obtendo informacoes sobre o Linked Server.sql

7 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Trabalhando com Query Dinâmica em conjunto com Linked Server e Variável.sql

8 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Trabalhando com Linked Server e seus recursos básicos.sql

9 – Material de Apoio – Outubro 2018 – Linked Server – Realizando um update através de uma conexão via Linked Server.sql

Fique a vontade para copiar, editar, compartilhar e distribuir estes arquivos com seus contatos, aproveite se possível deixe seu comentário, críticas, sugestões e observações.

Nota: Todos os arquivos disponibilizados foram obtidos ou criados com autorização de seus autores, sendo estes, passíveis de direitos autorais.

Links

Caso você queira acessar os posts anteriores da sessão, não perca tempo utilize os links listados abaixo:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/08/14/material-de-apoio-agosto-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/06/19/material-de-apoio-junho-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/04/05/material-de-apoio-abril-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/02/13/material-de-apoio-fevereiro-2018/

Agradecimento

Quero agradecer imensamente a sua visita, sinto-me honrado e orgulhoso de contar com a sua presença.

Não deixe de acessar os outros posts das demais sessões, o próximo post desta sessão será publicado no mês de dezembro, até lá, continue aproveitando cada momento da sua vida, desfrutando com muita sabedoria os momentos de galeria e também os desafios que são colocada ao nosso redor.

Um forte abraço, muita saúde, sucesso e nos encontramos no final do ano (que na verdade já chegou)….

Script Challenge – 14 – A resposta….


Boa tarde, pessoal…

Tudo bem?  Seja mais uma vez muito bem vindo ao meu blog, mais especificamente ao post que apresenta a resposta para o Script Challenge – 2018 – Post 14, publicado em junho de 2018, sendo este respectivamente o segundo post após o retorno desta desafiadora sessão em meu blog denominada Script Challenge (Script Desafiador ou Desafio do Script) como queiram traduzir.

Espero que você já tenha ouvido falar desta sessão ou acessado alguns dos posts publicados na mesma, caso ainda não tenha feito, fique tranquilo você vai encontrar no final deste post uma pequena relação contendo os últimos desafios lançados e seus respostas.

Vamos então falar um pouco mais sobre o último desafio, estou me referindo ao Script Challenge 14, desta forma, seja bem vindo a mais um post da sessão Script Challenge.


Script Challenge 14

Falando do desafio de número 14, o mesmo foi publicado no mês de junho de 2018, período de data em que o mundo todo praticamente direcionou os seus olhares para a Rússia, mais especificamente para os jogos de futebol que estavam ocorrendo no país naquele momento.

Pois bem, o Script Challenge 14 não tem nenhum relação com o mundo do futebol, muito menos com o esporte, e como diria aquele apresentador do programa que passa ao domingos: “Sabe o que isso significa? Nada…..”.

Na verdade não é bem assim, para todos aqueles que trabalham com tecnologia e são responsáveis em armazenar, compartilhar, gerenciar e manter dados armazenados em banco de dados, sabe muito bem o quanto temos que nos preocupar em estabelecer boas práticas de retenção de dados afim de podermos ter uma quem sabe vida tranquila ou momentos de lazer.

Continuando nossa história, quero lhe perguntar: E ai já matou a charada? Eu acredito que sim!

Mas para te ajudar mais um pouco vou apresentar a Figura 1 que contem todo código Transact-SQL utilizado neste desafio, contendo trechos ou partes de código ocultas, procedimento que realizei no post que contempla o lançamento deste desafio como forma de aumentar o nível de dificuldade:

Figura 1 – Código Transact-SQL apresentado no Script Challenge 14.

Bom chegou a hora de revelar o que exatamente este bloco de código esta fazendo, chegou o momento de revelar e desvendar este desafio, a seguir apresento a resposta para o Script Challenge 14 e o trecho de código disponível para você utilizar em seus ambientes de trabalho ou estudos.

A resposta 

Como você pode ter percebido, no decorrer deste post e também no post de lançamento, procurei de uma forma bastante simples mas não explícita exibir ao longo do texto, pequenas dicas que poderiam ajudar, nortear e quem sabe indicar uma possível resposta ou solução para o desafio.

Mas se mesmo assim, você ainda não conseguiu adivinhar ou até mesmo esta se perguntando qual a relação do Script Challenge – 14 tem haver com um momento de lazer, calma que eu já vou te responder.

A resposta é muito simples, para qualquer Administrador de Banco de Dados, Administrador de Servidores, Desenvolvedor, enfim um profissional de tecnologia, tudo o que fazemos basicamente em um computador é manipular dados (Criar, Atualizar, Excluir).

Tudo o que fazemos esta relacionado com esta palavrinha pequena, mas de altíssima importância e pensando neste sentido a resposta para este desafio se relaciona a estimativa de crescimento de um arquivo de backup, e o quanto esta atividade tão importante e de alta complexidade pode impactar totalmente na vida daqueles que assim como eu um dia ou por diversos momentos teve que abrir mão do seu convívio familiar para se dedicar a acompanhar esta atividade.

Então a resposta para o Script Challenge 14 se relaciona com a possibilidade que o script apresenta em nos ajudar a identificar e estimar o quanto de espaço livre em disco em megabytes ainda teremos antes da execução do backup database levando-se em consideração o tamanho do arquivo de backup a ser criado.

Isso mesmo, esta é a resposta, e o script original que apresenta esta funcionalidade apresentada abaixo:

— Script Challenge 14 – A resposta – Identificando o total de espaço livre em disco antes da realização do backup database — 

— Criando a Stored Procedure —
USE AdventureWorksDW2016
Go

CREATE PROCEDURE dbo.dbo.EstimatedDriveFreeSpaceAndDBSize (
@drvLetter VARCHAR (5),
@enoughSpaceForBackupFlag BIT OUTPUT
)
AS
BEGIN
DECLARE @estimatedBackSizeMB INT,
@estimatedDriveFreeSpaceMB INT,
@dbCheckMessage varchar(80)

SET NOCOUNT ON

SET @dbCheckMessage = Concat (‘Checking database ‘, DB_NAME ())

SELECT @estimatedBackSizeMB = round (sum (a.total_pages) * 8192 / SQUARE (1024.0), 0)
FROM sys.partitions p JOIN sys.allocation_units a
                                            ON p.partition_id = a.container_id
                                           LEFT JOIN sys.internal_tables it
                                            ON p.object_id = it.object_id

CREATE TABLE #freespace

(drive VARCHAR (5),

MBFree DECIMAL (8, 2))

INSERT INTO #freespace (Drive, MBFree)
EXEC xp_fixeddrives

SELECT @estimatedDriveFreeSpaceMB = MBFree
FROM #freespace
WHERE drive = @drvLetter

IF @estimatedBackSizeMB * 1.15 < @estimatedDriveFreeSpaceMB
 SET @enoughSpaceForBackupFlag = 1
ELSE
 SET @enoughSpaceForBackupFlag = 0

SELECT DatabaseName = db_name(),
Estimated_Back_Size_MB = @estimatedBackSizeMB,
Estimated_Drive_Free_Space_MB = @estimatedDriveFreeSpaceMB,
EnoughSpaceForBackupFlag = @enoughSpaceForBackupFlag

DROP TABLE #freespace
SET NOCOUNT OFF
END
GO

Então, agora você deve ter gostado deste desafio, não é verdade? Poder estimar o espaço livre em disco e o tamanho ocupado pelo arquivo mesmo sem executar o Backup Database é realmente uma grande funcionalidade que o Microsoft SQL Server possui.

Observações

  1. Estamos criando uma User Stored Procedure EstimatedDriveFreeSpaceAndDBSize;
  2. A mesma possui um parâmetros de entrada de valores: @drvLetter (utilizado para informar qual a letra da unidade de disco que iremos analisar); e
  3. Um parâmetro de saída @enoughSpaceForBackupFlag (utilizado no momento da execução da stored procedure como sinalizar responsável em apresentar uma mensagem ao usuário).

Para que você possa entender mais ainda sobre como podemos obter os resultados apresentados por este script, declaro a seguir uma possível maneira de executar o Script Challenge – 14:

— Executando o Script Challenge – 14 —

USE AdventureWorksDW2016
Go

DECLARE @enoughSpaceForBackupFlag bit

EXEC Master.dbo.EstimatedDriveFreeSpaceAndDBSize ‘S’, @enoughSpaceForBackupFlag OUTPUT

PRINT @enoughSpaceForBackupFlag
IF @enoughSpaceForBackupFlag = 1
PRINT ‘Continue to Backup…’
ELSE
PRINT ‘Drive Space Problem…’
GO

A Figura 2 apresentada abaixo, ilustra o conjunto de dados retornados após a execução do Script Challenge – 14:

Figura 2 – Informações relacionadas a estimativa de tamanho do arquivo de backup e espaço livre em disco em megabytes.

Muito bom, sensacional, conseguimos, chegamos ao final, esta é a resposta para o Script Challenge 14, fico extremamente feliz por ter conseguido compartilhar este conteúdo com vocês.

Espero que você tenha gostado deste novo post da sessão Script Challenge!


Sua Participação

No post de lançamento deste desafio, contei com a participação através de uma enquete contendo algumas opções de respostas que poderiam estar relacionadas com o Script Challenge 14. A seguir apresento o resultado desta enquete:

A opção mais votada com 77,78% dos votos é justamente a resposta correta para este desafio: “A qual exibe retorna ao usuário informações relacionadas a estimativa de espaço em disco ocupado pelo arquivo de backup de banco de dados e o espaço livre disponível em disco após a conclusão do backup.”

Referências

Agradecimentos

Obrigado por sua visita, espero que este conteúdo aqui apresentado como um possível “desafio” possa ser útil e ao mesmo tempo prover conhecimento, aprendizado ou mostrar recursos e problemas existentes no Microsoft SQL Server que as vezes parecem não ter uma resposta.

Um forte abraço nos encontramos em breve nas demais sessões e especialmente em fevereiro de 2019 em mais um post da sessão Script Challenge.

Até a próxima…

Azure for Students anunciada pela Microsoft


A Microsoft anunciou no último dia 05/03 o Azure for Students. Desenvolvido para o uso da nuvem, com os estudantes em mente, ele oferece aos alunos verificados acesso total a mais de 25 produtos Azure gratuitos, além de crédito de US$ 100 para uso em produtos pagos, sem exigência de cartão de crédito.

O Azure for Students faz parte do crescente compromisso da Microsoft com a Educação, tanto na nuvem quanto na sala de aula STEM (“Science, Technology, Engineering and Mathematics”, ou Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em português).

Microsoft anuncia o Azure for Students

Você pode começar a construir com qualquer um dos serviços gratuitos e usar o seu crédito Azure para gastar agora:

– Descubra a flexibilidade do Azure por meio da biblioteca de serviços de código aberto.

– Implemente máquinas virtuais Azure, incluindo equipadas com GPUs poderosas, com suporte para Linux, Windows Server, SQL Server, Oracle, IBM e SAP. O Azure oferece aos usuários a flexibilidade de virtualização para uma ampla gama de soluções de computação.

– Crie aplicativos Web e Móveis rapidamente usando .NET, .NET Core, Java, Ruby, Node.js, PHP e Python. Integre o Azure App Service em modelos existentes e obtenha uma produtividade de desenvolvedor incomparável com recursos de ponta, como integração contínua, depuração no site ao vivo e o líder do setor, Microsoft Visual Studio IDE – Integrated Development Environment.

– Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquinas conectam aplicativos, sites e robôs com algoritmos inteligentes para ver, ouvir, falar, entender e interpretar as necessidades de um usuário por meio de métodos naturais de comunicação. Habilitando computadores para aprender com dados e experiências e para agir sem ser programado.

– Aproveite o Big Data analisando todos os dados em um único lugar sem restrições artificiais com o Azure Data Lake Store. O Data Lake Store pode armazenar trilhões de arquivos, e um único arquivo pode ser maior do que um petabyte em tamanho – 200 vezes maior do que outras opções da loja na nuvem.

Para maiores informações, acesse: https://azure.microsoft.com/pt-br/free/students/

Fontes e Direitos Autorais: 

Microsoft adquire PlayFab, fornecedora de serviços de backend para jogos em na nuvem


No final do mês de janeiro a Microsoft realizou a compra e aquisição da empresa PlayFab,  fornecedora de plataforma de serviços backend para construir, desenvolver e lançar jogos conectados à nuvem, conforme anúncio feito por Kareem Choudhry.

Como Satya Nadella, nosso CEO, observou na reunião anual de acionistas: “Estamos nos mobilizando para seguir nossa ampla oportunidade em um mercado de mais de 100 bilhões de jogos. Isso significa ampliar nossa abordagem sobre como pensamos os jogos de ponta a ponta, como começá-los e a maneira que estão sendo criados e distribuídos, e como são jogados e visualizados.”

Mais de 1 bilhão de pessoas jogam videogame, alimentando uma indústria próspera cujo ecossistema está evoluindo e crescendo rapidamente. Muitos setores estão mudando para a nuvem inteligente, e essa tendência é verdadeira também na área de jogos. Isso significa que um número crescente de desenvolvedores procura criar jogos conectados para dispositivos móveis, PCs e consoles, que tenham ênfase nas operações pós-lançamento. No entanto, o custo e a complexidade de alcançar esse resultado por meio de ferramentas e tecnologias personalizadas do servidor são altas, e a PlayFab oferece aos desenvolvedores um modelo atraente que varia naturalmente com os jogadores de seus games.

Os serviços de backend da PlayFab reduzem as barreiras do lançamento para os desenvolvedores de jogos, oferecendo soluções de desenvolvimento com bom custo-benefício para estúdios grandes e pequenos, que escalam seus jogos e os ajudam a engajar, reter e rentabilizar os jogadores. A PlayFab permite que os desenvolvedores usem a nuvem inteligente para criar e operar jogos, analisar dados e melhorar as experiências gerais dos títulos.

A plataforma PlayFab é um complemento natural do Azure para jogos (Visite azure.com/gaming para mais informações). O Azure, disponível localmente em 42 regiões em todo o mundo, fornece infraestrutura de servidores de primeira linha, permitindo que os criadores se concentrem na construção de ótimos jogos com alcance global. Para os jogadores, isso leva a um grau de inovação mais alto e rápido, além de melhores experiências.

Incorporar a experiência da PlayFab, a crescente rede de desenvolvedores de jogos e a poderosa plataforma de jogo como serviço em nossa oferta de produtos é um passo importante para os jogos na Microsoft. A PlayFab atendeu mais de 700 milhões de jogadores e atualmente abriga mais de 1.200 jogos de empresas como Disney, Rovio e Atari. Sua plataforma de jogos inclui alguns dos títulos mais proeminentes do setor, como “Idle Miner Tycoon”, “Angry Birds: Seasons” e “Roller Coaster Tycoon Touch”.

Juntos, o Azure e a PlayFab vão liberar ainda mais o poder da nuvem inteligente para o setor de jogos, permitindo que os desenvolvedores e gamers apreciem em todo o mundo.”

As ferramentas da PlayFab são projetadas para ser usadas por desenvolvedores de jogos em todas as plataformas (móveis, PC e console). Essa aquisição amplia os investimentos e o trabalho que fizemos no Microsoft Azure para fornecer uma plataforma de nuvem de primeira linha para o setor de jogos.

Microsoft anuncia a compra da PlayFabPara mais informações sobre a PlayFab, acesse um post no blog de James Gwertzman, CEO e co-fundador.

Fontes e Direitos Autorais: 

Programa Microsoft para Startups


A Microsoft realizou ontem dia 14/02 o anúncio do programa Microsoft para Startups, que oferece acesso a negócios, tecnologia e benefícios da comunidade e que ajuda as empresas iniciantes a expandir sua base de clientes e a receita, construir uma plataforma confiável que cresça com elas e conectar-se à sua comunidade e clientes.

A empresa alocará US$ 500 milhões nos próximos dois anos para oferecer opções de covenda para startups, além do acesso à tecnologia da Microsoft e novos espaços comunitários que promovam a colaboração dentro dos ecossistemas locais. Startups são um motor de inovação indiscutível, e a Microsoft está em parceria com fundadores e investidores para ajudar a acelerar seu crescimento. Este novo programa foi projetado para ajudar as startups em ações relacionadas á:

Vender para novos clientes, setores e mercados
O programa Microsoft para Startups possui uma abordagem única que liga startups a clientes. A Microsoft possui mais de 30.000 representantes de vendas e 800.000 parceiros cujo objetivo é impulsionar a adoção de soluções de nuvem da Microsoft em empresas de todos os tamanhos e setores em todo o mundo. O programa fornece recursos que preparam suas equipes de marketing e vendas para atender aos padrões dos clientes corporativos e, em seguida, permitir que eles vendam para essas organizações em parceria com a vasta organização de vendas da Microsoft e o ecossistema parceiro.

 

Microsoft anuncia o programa Microsoft para Startups

Inovar rapidamente com o acesso a ferramentas confiáveis ​​de tecnologia, suporte e desenvolvimento
O programa oferece às startups até US$ 120 mil em créditos gratuitos de Azure, suporte técnico de nível empresarial e ferramentas de desenvolvimento para ajudá-los a criar soluções inovadoras na nuvem utilizada ​​por 90% das empresas do ranking Fortune 500.

Acessar os recursos certos no momento certo
O Microsoft para Startups ajuda empresas iniciantes em todas as etapas em ecossistemas de todo o mundo:

Microsoft Reactors são espaços físicos onde empresários, desenvolvedores, investidores e a comunidade empresarial podem se unir para interagir, aprender e compartilhar. Durante o próximo mês, abriremos as portas nos novos espaços Microsoft Reactor em Londres, Sydney, Tel Aviv, Berlim, Xangai e Pequim. Esses espaços somam-se a nossos locais existentes em Redmond, Seattle, San Francisco e Nova York.

– Acesso ao Microsoft ScaleUp (antigo Microsoft Accelerators), ajudando as startups de série A e posterior a se ajustar ao mercado de produtos, aprimorar suas infraestruturas e construir seus negócios usando os serviços Azure e Microsoft Dynamics.

– Conexões com a Microsoft Ventures, equipe estratégica de investimento em capital de risco da Microsoft, cuja missão é ser um parceiro ativo em estágios-chave do crescimento de uma empresa, normalmente investindo entre as séries A e D.

As startups nos inspiram a ir além do possível e construir produtos que melhoram nossas vidas pessoais e profissionais. A Microsoft está animada para se associar a startups para capacitar cada pessoa e organização no planeta.

Para maiores informações acesse: startups.microsoft.com.

Fontes e Direitos Autorais: https://startups.microsoft.com/en-us/ – 14/02/2018.

Curso de Extensão – Fundamentos de Data Warehouse e BI


Olá pessoal, bom dia.

Tudo bem?

Em parceria com a Fundação FAT e Fatec São Roque, estarei realizando no mês de outubro um novo curso de extensão voltado para área de análise de dados, mais especificamente sobre Data Warehouse e Business Intelligence.

Ficou interessado sobre o curso? A seguir você poderá encontrar maiores detalhes e informações.

INSCRIÇÕES
Entre 20 de Setembro a 10 de Outubro de 2017
Modalidade Presencial : 28 horas aulas distribuídas ao longo de 07 dias.
Realização : nos dias 16, 17, 18, 19, 20, 23 e 24 de Outubro de 2017 . 
Horário 01 (uma) turma : das 08:00 as 12:00h

CURSO
Este curso visa transmitir aos alunos os conhecimentos básicos dos sistemas de informação de uma empresa, com ênfase na utilização do sistema de apoio a decisão como importante sustentação para otimizar os resultados desejados, mediante a coleta, seleção, armazenamento, processamento e recuperação de dados para prover os executivos das informações relevantes, passadas, presentes e futuras, sobre a empresa e o ambiente, possibilitando tomadas de decisão com o mínimo de incerteza. 

Permitir uma visão clara das técnicas aplicáveis para a construção de um data warehouse, ferramentas, recursos e ciclo de vida, para o desenvolvimento de projetos de data warehouse, que é ajustado às necessidades do negócio


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
• Conceitos básicos. 
• Sistemas de Apoio à Decisão. 
• Os Ecossistemas de Informação. 
• O Ciclo de Vida do DW: Planejamento e Administração, Levantamento de Requisitos, Arquiteturas e Business Intelligence.

METODOLOGIA

• Exercícios práticos em laboratório e prova valendo nota para aprovação
• Serão aprovados e receberão o Certificado de Conclusão do Curso os alunos que cumprirem todas as atividades obrigatórias estabelecidas pela 
avaliação, nos prazos determinados e atingirem níveis de qualidade compatíveis com os objetivos de formação estabelecidos pelo Plano de Curso.

LOCAL E REALIZAÇÃO
Campus da FATEC São Roque
Investimento: R$ 200,00 ou Matricula (R$ 100,00) + 01 parcela (R$ 100,00) – Boleto Bancário.
Dúvidas: Pedro Antonio Galvão Junior – pedro.galvao3@fatec.sp.gov.br

Para realizar a inscrição clique aqui


Agradeço a sua atenção, nos encontramos em breve.

Até mais.

TechNet Virtual Lab: Office 365 Advanced Threat Protection


A Microsoft disponibilizou recentemente em sua página Laboratórios Virtuais TechNet o laboratório virtual Office 365 Advanced Threat Protection – Guia Interativo.

Os laboratórios virtuais permitem que usuários e profissionais de TI testem recursos dos sistemas operacionais e de outros produtos da Microsoft via nuvem como se estivessem usando seus próprios PCs.

Isto é útil para quem não quer perder tempo criando uma máquina virtual apenas para testar um recurso específico.

TechNet Virtual Lab: Office 365 Advanced Threat Protection – Guia Interativo

Para quem não sabe, o Office 365 Advanced Threat Protection oferece proteção em tempo real para email em ambientes corporativos. O serviço foi atualizado no início deste ano e ganhou novos recursos como URL Detonation e Dynamic Delivery.

De acordo com a Microsoft, o recurso URL Detonation ajuda a impedir que os usuários sejam comprometidos por arquivos oferecidos através de URLs maliciosas.

Quando o usuário recebe um email, o Advanced Threat Protection analisa as URLs na mensagem procurando por comportamento malicioso.

Se o usuário clicar no link durante a verificação, ele verá o alerta falando que a mensagem está sendo verificada. Se o link for detectado como malicioso, um novo alerta será exibido recomendando que o usuário não clique no link.

Os administradores podem configurar a política SafeLink para monitorar os cliques dos usuários. Isto é útil para casos onde eles burlam os alertas para acessar sites bloqueados pelo Advanced Threat Protection.

TechNet Virtual Lab: Office 365 Advanced Threat Protection
Já o recurso Dynamic Delivery do Office 365 Advanced Threat Protection permite que os usuários leiam as mensagens de email enquanto os anexos são verificados.

Durante a verificação, o anexo é substituído por um “placeholder” com a notificação indicando que a verificação do verdadeiro anexo está em andamento.

Se o usuário clicar neste “placeholder”, ele verá uma mensagem mostrando o progresso da verificação. Se o anexo for malicioso, o Office 365 Advanced Threat Protection notificará o usuário.

Neste laboratório virtual você verá como o Office 365 Office 365 Advanced Threat Protection pode ajudar a impedir que anexos maliciosos cheguem aos destinatários, proteger usuários contra links maliciosos e mais com recursos como os mencionados acima.

Confira o laboratório virtual clicando aqui e saiba mais sobre o serviço aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com  https://products.office.com/en/exchange/online-email-threat-protection

Microsoft disponibiliza o SQL Server 2016 Training Kit


A Microsoft disponibilizou recentemente no Microsoft Download Center o SQL Server 2016 Training Kit.

O kit é voltado para desenvolvedores, instrutores, consultores e outros profissionais que precisam saber mais sobre as principais novidades introduzidas na nova versão do SQL Server.

Ele contém apresentações, demos, vídeos e outros recursos para ajudar no aprendizado ou para montar uma sessão de treinamento.

Faça o download do SQL Server 2016 Training Kit

O SQL Server 2016 Training Kit está disponível para download gratuitamente aqui. Ele é compatível com o Windows 10, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016.

Microsoft disponibiliza o SQL Server 2016 Training Kit

SQL Server 2016

Lançado em junho deste ano, o SQL Server 2016 traz recursos críticos inovadores com desempenho em memória e análise operacional integrada. Os recursos de segurança abrangentes, como a tecnologia de criptografia ininterrupta (Always Encrypted), ajudam a proteger seus dados fixos e em movimento, e uma solução avançada de alta disponibilidade e recuperação de desastres acrescenta novos aprimoramentos à tecnologia AlwaysOn.

As organizações terão visões mais aprofundadas de todos os seus dados com novos recursos que vão além da business intelligence, executando a análise avançada diretamente dentro de seus bancos de dados e apresentando visualizações avançadas para oferecer visões de negócios de qualquer dispositivo.

Você também pode se beneficiar da nuvem em hiperescala, com novos cenários híbridos habilitados pela nova tecnologia de banco de dados elástico (Stretch Database), que permite expandir dinamicamente seus dados transacionais a quente e a frio até o Microsoft Azure de forma segura, para que seus dados estejam sempre à disposição para consultas, independentemente do tamanho.

O SQL Server 2016 também oferece uma plataforma de banco de dados completa para a nuvem híbrida, permitindo criar, implantar e gerenciar facilmente soluções que abrangem instalações locais e na nuvem.

Saiba mais sobre ele aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com & https://www.microsoft.com/en-us/download/confirmation.aspx?id=54089

#09 – Para que serve


Boa noite pessoal!!! Salve galera….

 

Tudo bem? Como passaram os últimos dias?

Graças a deus continuo forte na minha batalha profissional e acadêmica, como eu sempre falo para meus alunos, a vida é uma roda gigante e não podemos deixar ela parar muito menos perder a chance de curtir e aprender com cada momento.

Seguindo esta onda de oportunidades, estou retornando com mais uma post dedicado a sessão Para que serve, e conforme prometido hoje vamos finalizar o assunto de índices hipotéticos apresentado inicialmente no post: https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/08/06/07-para-que-serve/

Neste post vamos entender como o comando DBCC Autopilot pode influenciar o database engine e seus elementos execution plan e query optimizer na execução de nossas consultas, então vamos nessa galera…..


Começa agora o #09 – Para que serve – Índices Hipotéticos – Final.

 

Conforme apresentado nos posts anteriores o conceito de índices hipotéticos é uma técnica antiga, mas pouco conhecida na área de banco de dados. Para muitos profissionais da área este tipo de recurso acaba sendo algo obscuro e de pouco compreensão, por outro lado outros profissionais destacam como sendo como um recurso que permite simular a existência de um índice de forma lógica. Como em qualquer área profissional ou acadêmica sempre vai existir os dois lados da moeda e cabe a cada um de nós procurar entender, respeitar e conhecer estas opiniões.

Seguindo em frente, vamos dar continuidade em nosso estudo, fazendo uso da estrutura criada anteriormente no post: https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/09/03/08-para-que-serve/

Como você pode ter verificado, criamos o banco de dados HypotheticalDB e dentro dele os seguintes objetos apresentados na Figura 1:

hypotheticaldb-figura1

Figura 1 – Relação de objetos criados no banco de dados HypotheticalDB.

Podemos observar a existência dos três índices hipotéticos criados anteriormente para tabela ClientesCategorias, bem como, o código da tabela ClientesCategorias definido no valor: 597577167. Anote bem este código post nos próximos passos vamos fazer uso do mesmo.

Agora que já relembramos um pouco do que foi feito anteriormente em relação ao nosso ambiente, podemos continuar a fazer uso dos índices hipotéticos em nosso ambiente, onde neste momento vamos fazer com que o Microsoft SQL Server realize o uso deste recurso de forma empírica na execução da nossa query, para tal iremos utilizar o comando DBCC AutoPilot, caso você ainda não conheça ou não se lembre deste comando o mesmo foi apresentada de maneira detalhada no post: https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/08/06/07-para-que-serve/

Então mãos no teclado, chegou a hora de utilizarmos o comando DBCC AutoPilot fazendo uso do bloco de código 1, mas antes de teclar F5, clique no botão “Include Actual Execution Plan” ou tecle Ctrl+M para ativar o mesmo. Para que você possa entender o que será executado neste bloco de código e qual será o resultado apresentado é obrigatório que o plano de execução se encontre ativado.

Agora que você já realizou este procedimento, pode dar continuidade e executar o bloco de código 1 apresentado abaixo:

— Bloco de Código – Utilizando o DBCC AutoPilot forçando o uso do índice clusterizado IND_ClientesCategorias_Clusterizado_CodigoComEstatisticas –

Use HypotheticalDB

Go

 

DBCC AUTOPILOT (5, 5, 0, 0, 0) – Ativando o commando DBCC AutoPilot para iniciar uma nova sessão limpando o buffer de comando executados anteriormente —

 

DBCC AUTOPILOT (6,5,597577167,4) – Utilizando o commando DBCC AutoPilot orientado no uso exclusive de índices clusterizado —

GO

 

SET AUTOPILOT ON — Ativando a diretiva —

Go

 

Select C.Codigo,

Cc.Codigo As ‘Categoria do Cliente’,

C.Nome,

C.Endereco,

C.Estado,

C.DataUltimaCompra

From Clientes C Inner Join ClientesCategorias CC

On C.CodigoCategoria = CC.Codigo

Where C.Estado = ‘SP’

Go

 

SET AUTOPILOT OFF — Desativando a diretiva —

GO

 

Acredito que tudo deva ter ocorrido normalmente e você tenha conseguido realizar a execução do bloco de código 1 apresentado acima, neste momento o Management Studio apresentou em sua guia denominada execution plan o conjunto de operadores similares aos apresentados na Figura 2 a seguir:

hypotheticaldb-figura2

Figura 2 – Resultado da execução do bloco de código 1.

 

Note que o plano de execução nos apresenta dois operados do tipo Clustered Index Seek, respeitando a ordem de execução, temos o segundo operador com o custo de 51% de processamento apontando para o nosso índice clusterizado IND_ClientesCategorias_Clusterizado_CodigoComEstatisticas, neste momento você pode estar se perguntando.

Como o Database Engine em conjunto com o Query Optimizer e Execution Plan identificou a existência deste recurso sendo que o mesmo é algo hipotético, algo que somente existe de forma lógica, a resposta pode ser encontrada justamente na maneira que o comando DBCC AutoPilot foi declarado e posteriormente executado, onde temos o seguinte conjunto de valores passados como parâmetros de entrada:

PARÂMETRO DESCRIÇÃO VALOR DECLARADO
TypeID TypeID = 6: Usar apenas índices clusterizados 6
DbID ID do Banco de Dados 6 – HypotheticalDB
TabID Id da Tabela a ser utilizada 597577167
Indid Id do índice a ser utilizado 4

Foi através deste conjunto de valores apresentado no DBCC AutoPilot e posteriormente reconhecido e interpretados pelo database engine que o Query Optimizer e Execution Plan fizeram uso do nosso índice clusterizado.

Não é algo fantástico, realmente uma capacidade de análise e reconhecimento de recursos fora do comum, realmente o Microsoft SQL Server é um produto acima de qualquer suspeita, um software surpreendente.

Para finalizar vamos agora forçar o uso do nosso índice nonclustered IND_ClientesCategorias_NaoClusterizado_CodigoSemEstatisticas e observar qual será o comportamento e resultado apresentado pelo Management Studio após a execução do bloco de código 2 apresentando na sequência:

— Bloco de Código 2 – Forçando o uso do índice não clusterizado IND_ClientesCategorias_NaoClusterizado_CodigoSemEstatisticas –

DBCC AUTOPILOT (5, 5, 0, 0, 0)

DBCC AUTOPILOT (0,5,597577167,2)

GO

 

SET AUTOPILOT ON — Ativando a diretiva —

Go

 

Select C.Codigo,

Cc.Codigo As ‘Categoria do Cliente’,

C.Nome,

C.Endereco,

C.Estado,

C.DataUltimaCompra

From Clientes C Inner Join ClientesCategorias CC

On C.CodigoCategoria = CC.Codigo

Where C.Estado = ‘SP’

Go

 

SET AUTOPILOT OFF — Desativando a diretiva —

GO

 

Verificando o resultado apresentado na Figura 3 abaixo, tendo como base a guia Execution Plan, podemos notar a presença do operador Index Seek apontando para nosso índice não clusterizado: IND_ClientesCategorias_Clusterizado_CodigoComEstatisticas.

hypotheticaldb-figura3
Figura 3 – Resultado da execução do bloco de código 2.

Analisando com mais calma o resultado apresentado na Figura 3, fica fácil identificar a presença do operador Index Seek como já havia destacado, quando o comando DBCC AutoPilot foi executado com o seguinte conjunto de valores:

PARÂMETRO DESCRIÇÃO VALOR DECLARADO
TypeID TypeID = 0: Usar apenas índices não clusterizados 0
DbID ID do Banco de Dados 6 – HypotheticalDB
TabID Id da Tabela a ser utilizada 597577167
Indid Id do índice a ser utilizado 2

Não é algo surpreendente e simples, esse é o Microsoft SQL Server, mais uma vez dando show, mais uma vez com um grande exibição, monstrando toda sua elegância, simplicidade e capacidade de nos supreender no processamento de transações e apresentação de resultados.

Desta forma, chegamos ao final de mais post da sessão Para que serve!


 

Espero que você tenha gostado, que as informações compartilhadas aqui possam lhe ajudar a se tornar cada vez um profissional de banco de dados reconhecido e valorizado, um dos papéis na área de tecnologia mais importantes para qualquer empresa.

Reconher o verdadeiro papel de um DBA dentro de sua estrutura, é reconhecer o verdadeiro valor de seus dados e como eles podem se tornar uma infomação valiosa para sua tomada de decisão.

Caso deseje acessar os posts anteriores desta sessão, utilize os links listados abaixo:

Mais uma vez obrigado por sua visita, um forte abraço, nos encontramos em breve.

Até mais.

DatabaseCast – Banco de Dados na sala de aula


Boa tarde, Pessoal!!!

Gostaria de compartilhar com todos vocês mais um grande reconhecimento para minha carreira profissional e acadêmica, nos últimos dias gravei com a galera do @DatabaseCast mais um podcast dedicado a área de banco de dados.

VitrineDatabaseCast62

Neste episódio do DatabaseCast, Mauro Pichiliani (Twitter | Blog), Wagner Crivelini (@wcrivelini) e o convidado Pedro Antônio Galvão Junior (@JuniorGalvaoMVP) entram na sala de aula para por fim à bagunça. Neste episódio, você vai aprender onde e como banco de dados é ensinado dentro da sala de aula, discutir didática, observar comportamento, ser firme na disciplina, julgar o que é um professor bom ou ruim e saber como não deixar o professor com dor de cabeça.

Para acessar este e outros episódios: https://www.youtube.com/channel/UC8EUZ3gYTxJi-gr4azFJGYA

Veja 11 frases que nunca devem ser ditas no trabalho


No trabalho, frases ou expressões mal colocadas podem arranhar a imagem de um profissional e trazer riscos para a carreira. Até um comentário feito durante o almoço pode ser usado para determinar o caráter do funcionário, segundo artigo publicado na seção de carreiras do site americano Business Insider.

Segundo Sylvia Ann Hewlett, autora do livro “Executive Presence: The missing link between merit and success” (Presença executiva: O elo perdido entre mérito e sucesso, em tradução livre), três ações mostram se o profissional tem potencial para liderar: como age, como se parece e como fala.

“Cada encontro verbal é uma oportunidade vital para criar e nutrir uma impressão positiva”, diz Sylvia.

Algumas frases, porém, acabam com o profissionalismo. Veja 11 coisas que não devem ser ditas no ambiente de trabalho:

1) “Será que isso faz sentido?”
Em vez de ter a certeza de que está sendo entendido, perguntar isso passa a impressão de que você não entendeu sua própria ideia. Troque a pergunta por: “Quais são suas ideias?”

2) “Isso não é justo”
Simplesmente reclamar de uma injustiça não vai ajudar a mudar a situação. Evitar essa frase mostra que você é proativo e que, em vez de reclamar, procura resolver o problema, sem se lamentar.

3) “Eu não tive tempo”
Caso não tenha tido tempo para finalizar uma tarefa ou tenha esquecido dela, é melhor pedir um prazo maior para cumpri-la. A opção é melhor que dar uma resposta que não vai resolver o problema.

4) “Apenas” ou “só”
Usar as palavras “apenas” ou “só” para encher frases – como “Eu apenas quero verificar” ou “Eu só acho que” – pode parecer inofensivo, mas faz com que você pareça estar sempre na defensiva. Falar com mais autoridade não é um problema.

5) “Mandei e-mail há uma semana”
Se alguém não responder uma mensagem, é seu dever ir atrás e garantir que a informação tenha sido repassada e compreendida. Vale mostrar proatividade e se comunicar em vez de esperar que a outra pessoa assuma a culpa.

6) “Eu odeio ou acho chato”
Insultos não têm lugar no ambiente de trabalho, especialmente quando são dirigidos a uma pessoa específica ou a uma prática da empresa. Quem faz isso fica tachado de juvenil e imaturo.

7) “Isso não é minha responsabilidade”
Mesmo se não for uma tarefa específica sua, ajudar e colaborar com outros colegas mostra disposição para trabalhar em equipe e encarar outros desafios.

8) “Você deveria ter…”
Apontar novos caminhos ajuda mais que apontar falhas ou problemas. Em vez de falar o que o colega poderia ter feito, procure ter uma abordagem positiva e dar dicas sobre como fazer melhor no futuro.

9) “Posso estar errado, mas…”
Ninguém deve reduzir a importância do que fala. Para se posicionar, é preciso evitar esse tipo de frase e apresentar suas ideias, esperando contribuir.

10) “Desculpe, mas…”
Não vale se desculpar por ter algo a dizer. Essa expressão indica que o profissional é “automaticamente” irritante.

11) “Na verdade…”
Começar frase como “Na verdade, é bem ali” ou “Na verdade, você pode fazer desta forma” coloca uma distância entre as pessoas, insinuando que o ouvinte está, de alguma forma, errado. A frase pode ser reformulada para passar uma mensagem mais positiva.

Fonte e Direitos Autorais: G1.com – Concurso e Emprego – 17/07/2014 07h00 – Atualizado em 17/07/2014 08h42