Retrospectiva 2019 – Um grande objetivo realizado e muitas batalhas vencidas

Juro que eu tentei contar tudo o que vivi no decorrer deste ano, mas tenho a certeza que algumas coisas ficaram pelo caminho.


Bem vindos amigos….

Estamos de volta, ao vivo diretamente do meu blog, para contar como foi o ano de 2019.

Como você esta? Preparado para os últimos dias deste ano? Já fez aquela reserva de epocler? Ainda não, sempre a tempo…. Nesta época do ano, a grande maioria das pessoas abusa um pouco mais da comida e bebida.

Da mesma maneira que realizei em 2018, tomei coragem para elaborar um post e contar para todos como foi o meus 365 dias vividos com muitos altos e baixos neste ano de 2019 que se aproxima do seu fim.

Introdução

De uma forma simples, vou destacar mês a mês os posts aqui compartilhados, os eventos presenciais e online que participei (alias se eu for participar de todos os eventos, reuniões, encontros que recebo convite, teria que se multiplicar em três ou quatros, sinceramente falando melhor não, pois um só já é bastante chato….kkkkkkk), palestras, atividades diárias nos fóruns MSDN e TechNet, participação mensal no Gallery TechNet, participação semanal no SQLServerCentral.com, bancas de TCCs, PTGs e TGs, entre os demais momentos que possa julgar importante.

2019 chegou assustando, passou e 2020 a deus pertence….

Então, vamos lá, espero que de alguma forma você possa se sentir parte da minha vida no decorrer deste post.

Seja bem – vindo a Retrospectiva 2019.

Continue Lendo “Retrospectiva 2019 – Um grande objetivo realizado e muitas batalhas vencidas”

Retrospectiva 2018 – Um ano muito diferente na minha vida

Falar sobre tudo o que aconteceu em um ano, ou melhor nos 365 dias vividos não é fácil, eu tentei….


Alô você, boa noite…

Tudo bem? Eu estou bem, mesmo após estes últimos dias de comilança (“Festas de final de ano sempre abusamos um pouco.”).

Pois bem, este não um post dedicado a tecnologias ou produtos da Microsoft, ao contrário, a muito tempo venho pensando e criando coragem para elaborar um post que conte um pouco do meu trabalho, das minhas atividades acadêmicas e profissionais, como também da minha correria como MVP e MIE Expert nas ações e atividades promovidas pela Microsoft que eu estou sempre envolvido.

Introdução

Atribui o título de Retrospectiva, mas, não sei bem se este post pode ser chamado ou intitulado desta forma, mesmo assim, vou dividir e até mesmo compartilhar com vocês minha rotina realizada nos 365 que se decorreram ao longo deste ano de 2018, sabendo que o ano ainda não acabou e que alguma coisa de diferente pode acontecer, sei que você que esta neste momento lendo este post entende e compreende o que estou dizendo.

De uma forma bastante simples, vou destacar mês a mês os posts aqui compartilhados, os eventos presenciais e online que participei (alias se eu for participar de todos que recebo convite, teria que se multiplicar em três ou quatros, sinceramente falando melhor não, pois um só já é bastante chato….kkkkkkk), palestras, atividades diárias nos fóruns MSDN e TechNet, Participação Mensal no Gallery TechNet, Participação Semanal no SQLServerCentral.com, bancas de TCCs e TGs, entre demais momentos que possa julgar importante.

2018 chegou e já passou, 2019 esta pedindo passagem…

Então, vamos lá, espero que de alguma forma você possa se sentir parte da minha vida no decorrer deste post, além de uma pequeno história do que aconteceu em cada mês, vou destacar os principais posts publicados no meu blog, como também os scripts que foram disponibilizados no Gallery TechNet e outras ações de destaque em outras mídias sociais, blogs e portais de tecnologia:

Janeiro

Começo de ano não é fácil, entrar novamente na rotina, se organizar após a festas de natal e ano novo é sempre complicado, mas em 2018 tudo começou bem cedo, compra dos uniformes escolares, materiais para volta as aulas, logicamente o aniversário da minha pequena Fernanda e sua nova oportunidade profissional, este foi um mês que mudou o decorrer do 2018.

Claro que não foi somente isso, pude descansar muito, voltar a ficar 30 dias em casa após o ano de 2017 de grandes mudanças profissionais, impactos financeiros e principalmente voltar a colocar minha consultoria de volta aos trabalhos foi bastante desgastante, conflitante e temoroso, mas a vida tem que continuar e já no segundo dia de 2018 publiquei o primeiro post do ano que me trouxe uma nova oportunidade de mostrar o meu trabalho.

Destaques:

#19 – Para que serve

Dica do Mês – SQL Setup ToolSuite Introduction

Microsoft SQL Server – Audit Events – Ocorrência de Restore Database

Microsoft SQL Server – Audit Events – Ocorrência de Backup Database

Fevereiro

Segundo mês do ano, voltamos ao trabalho, novas turmas, novos alunos, novos desafios e com ele sempre algumas mudanças, dentre elas o desafio de lecionar um pouco sobre IoT e principalmente Arduino (plaquinha danada de boa, mas que eu levei um tempinho para conhecer), tirando um pouco da tensão por trabalhar com este conteúdo, outro grande obstáculo a ser superado era a ideia de organizar um evento voltado para IoT na Fatec São Roque, evento que no mês de Junho você vai saber como foi.

Não posso deixar de citar o aniversário da minha pequena Malú.

Destaques:

Material de Apoio – Fevereiro 2018

Microsoft SQL Server – Audit Events – Find Errors for Sort Warnings

Microsoft SQL Server – Audit Events – Find Errors for Missing Column Statistics

Short Scripts – Fevereiro 2018 – Transaction Log

Março

Legal, chegamos no primeiro trimestre de 2018, agora sim o ano esta começando pois o carnaval acabou e com ele os “brasileiros” começam a pensar de verdade no que vão fazer no resto do ano (este não é o meu pensamento, mas sim um fato que a cada ano fica mais evidente), deixando um pouco de demagogia e até crítica de lado, um novo desafio se apresentava no decorrer deste mês, como aumentar ainda mais a audiência e visitação do meu blog que estava passando por um momento de turbulências, foi então que no dia 01/03 resolvi “ressuscitar” a antiga sessão que estava bastante esquecida no meu blog denominada Script Challenge (uma similaridade a sessões já existentes em outros blogs dedicados ao Microsoft SQL Server).

Estava também esperançoso para retornar ao mestrado, mais isso não aconteceu da forma que eu esperava, sendo assim, decidi voltar a me dedicar ao meu blog e tentar reconquistar novos seguidores em minhas redes sociais.

Essa não foi uma tarefa muito fácil, definir um novo formato, abordagem e até mesmo algo que trouxe-se mais visitantes ao blog sem conflitar com as sessões já existentes tomou um pouco do meu tempo, mas no final das contas de seu certo e no decorrer de 2018 outros posts desta mesma sessão foram publicados e em 2019 serão mais ainda.

O mês de março já estava acabando, parecia que tudo esta tranquilo, mas um situação bem fora do comum se apresentou, recebi informações da possível existência de um farsante como usuário dos fóruns do MSDN e TechNet aqui Brasil, e neste caso eu como moderador era responsável em tentar evidenciar e reportar o fato, foi então um momento muito incomum, contatar o profissionais da Microsoft localizados em Redmond em conjunto com meu MVP Leader Glauter Januzzi afim de monitorar este usuário, situação que somente no final deste ano conseguimos resolver.

Destaques:

Script Challenge – 13 – A resposta….

Dica do Mês – Microsoft SQL Server 2017 – SQL Graph Databases

Microsoft SQL Server – Audit Events – Identifying File Shrink Events

Microsoft SQL Server – Audit Events – Auto Database Growth Information

Abril

Mês um pouco mais de tensão e receios, este é o mês que passo pelo processo de análise e renovação anual como MVP, todas as minhas contribuições nos últimos 12 meses são sumarizadas, computadas, analisadas e principalmente ponderadas para que estabelecer um mínimo de relevância no meu trabalho que me permita ou não ser novamente reconhecido como MVP, mas esta história eu lhe como mais no mês de Julho, o que posso lhe dizer que entre Maio de 2017 e Abril de 2018 moderei mais de 8.700 dúvidas e posts publicados nos fóruns de SQL Server no Brasil.

Outro momento importante neste primeiro quartil do ano de 2018, foi a publicação de mais uma questão minha no maior portal dedicado ao Microsoft SQL Server, o SQLServerCentral.Com, em sua sessão QotD – Question of the Day, contendo um total de 666 visualizações e respostas.

Além disso, participei presencial do MVP.Conf, primeira conferência nacional dos MVPs da Microsoft realizada em São Paulo, tive a honra de levar os alunos da Etec São Roque neste evento, foi a maior caravana de estudantes presentes, um momento muito marcante na minha vida acadêmica.

Estava me esquecendo de destacar o aniversário da minha mãe (ela merece um post exclusivo por ter me aguentado em seu ventre) e o meu no dia 28.

Destaques:

Material de Apoio – Abril 2018

#20 – Para que serve

Microsoft libera Cumulative Update #6 para SQL Server 2017 RTM

Dica do Mês – SQL Operations Studio – View as Chart

Microsoft SQL Server – Audit Events – Adding and Finding Auto Statistics

Microsoft SQL Server – Audit Events – Find Errors for Missing Join Predicates

Manage the suspect_pages Table on SQL Sever 2017

Maio

O mês de maio foi bastante tranquilo, já começamos a se organizar para o final do semestre, este foi um período de 2018 que mais me deparei com demandas profissionais, foi um momento que tive a oportunidade de atender clientes em três localidades distantes ao mesmo tempo: Rio Grande do Sul, Bahia e Paraná isso me representou uma grande oportunidade e satisfação em poder demonstrar o meu trabalho em localidades geograficamente distantes da minha localidade.

Mas nem todos os momentos foram de alegria, neste mês me deparei com uma situação que a muito anos não vivenciava, o quanto algumas “pessoas” podem ser tão desonestas, a devido a uma situação que não vou detalhar mas que marcou muito que mudei brutalmente a minha forma de negociação e prestação de serviços, e não somente isso, me fez tomar a decisão de novamente interromper minhas atividades de consultoria na área de banco de dados para um período, fui buscar me aperfeiçoar, amadurecer profissionalmente como um empreendedor e dono do seu próprio negócio, mas nada de buscar ajuda do Sebrae ou algo parecido, fui na verdade conversar com pessoas que possuem seus próprios negócios aqui em São Roque para entender como eles sobrevivem, posso dizer que foi um momento de grande aprendizado.

A primeira decisão após este período sabático, mudar o nome fantasia da minha empresa, deixando de chamar Jr-Softwares para se tornar Galvão Tecnologia, momento de muito temor pois mudar o nome ou razão social não é tão simples.

Destaques:

Short Scripts – Maio 2018

Microsoft disponibiliza atualização cumulativa 7 para o Microsoft SQL Server 2017

#21 – Para que serve

Microsoft SQL Server 2016 SP2 – Atualização Cumulativa 1 disponível

Page considered Suspect in SQL Server 2017

Microsoft SQL Server – TempDB – Number of Reads and Writes

Microsoft SQL Server – TempDB – Monitoring space used by queries

Junho

Agora sim, estamos na metade do ano, 2018 esta voando, passando rápido, você se lembra que no mês de Fevereiro eu havia comentado do evento que estava ajudando a idealizar e organizar, pois bem, ele de fato aconteceu, o chamado 1º Encontro Tecnológico de Internet das Coisas foi devidamente no dia 26/06 com a presença de diversos profissionais de tecnologia da região.

Uma nova conquista também me foi conferida no decorrer do mês de Junho, a publicação de um Script de minha autoria no portal SQLServerCentral.com em sua sessão Scripts, honra e reconhecimento que aconteceu novamente no mês de Julho com um outro Script que me permitiu aprender muito.

Destaques:

Windows 10 IoT Core Services, nova versão do Windows 10 para dispositivos inteligentes

Material de Apoio – Junho 2018

Script Challenge – 2018 – Post 14

Entering random data into a table

Microsoft SQL Server-Comparative between sparse column and non-sparse column

Microsoft SQL Server – Identificar relacionamento lógico de registros em tabelas

Julho

Estamos virando a chave do ano, entramos na segunda metade de 2018, dois trimestres já se passaram, mês que me permitiu comemorar mais um reconhecimento como MVP sendo esta a minha décima primeira renovação anual consecutiva, meu décima segundo ano no programa como MVP e a partir desta renovação o MVP de Data Platform mais antigo do Brasil.

Continuando neste mês de conquistas, tive o prazer de compor as bancas de professores avaliadores dos trabalhos de graduação dos alunos do curso de Sistemas de Informação para Internet da Fatec São Roque.

Com destacado no mês de Junho, tive o reconhecimento de ter um novo Script de minha autoria publicado no SQLServerCentral.com, script que me possibilitou a troca de conhecimento com um dos maiores profissionais de banco de dados relacional do mundo Jeff Moden , agradeço muito a ele pela oportunidade de aprender.

Destaques:

Windows Server 2019 Preview build 17709 disponível para download

Microsoft SQL Server 2017 Cumulative Update 9 disponível

Dica do Mês – Ocultando uma instância em execução do Microsoft SQL Server

Microsoft SQL Server-Creating an annual calendar with holidays

Microsoft SQL Server-Identifying indexes that present duplicate columns

User Stored Procedure for Backup of user databases

Agosto

Meu deus, o segundo semestre chegou, este é o segundo quartil do ano, estamos próximos de terceiro trimestre de 2018, e como de costume mais um desafio é colocado na minha vida, voltar a lecionar uma das disciplinas que eu não trabalhava desde 2012 conhecida por muitos como Sistemas Operacionais, mas que para o Centro Paulo Paulo no curso de sistemas para internet é denominada Servidores e seus Sistemas Operacionais, tive que voltar a estudar, lêr os bons e tradicionais livres de Andrew Stuart Tanenbaum.

Não somente isso, voltar a estudar e praticar a administração de servidores Windows Server algo que eu sempre faço, mas o desafio era trabalhar de forma prática com Suse Linux, RedHat e Ubuntu, olha foram manhã de muito estudo e práticas para conseguir entregar algo de qualidade para meus pupilos, acredito ter feito da melhor forma possível.

Por outro lado, agreguei em minha coleção de disciplinas novas, um dedicada a área de gestão e negócios que esta totalmente relacionada com Banco de Dados, disciplina que mistura dado, informação, conhecimento e tomada de decisão com as possibilidades que as empresas podem ter a partir do momento que fazem uso de um banco de dados relacional e evoluem para um Data Warehouse.

Passado alguns dias, uma boa notícia, havia sido escolhido para a disciplina de Introdução a Criptografia no Mestrado da UFSCar em Sorocaba, mas devido a questões particulares tomei a decisão de não dar continuidade ao mestrado em 2018 e buscar uma nova oportunidade em outra instituição em 2019.

Um momento muito especial neste mês de agosto, foi a oportunidade de bater um papo com o MVP Leader Glauter Januzzi em umas das suas ações com líder dos MVPs, foi um momento impar e totalmente diferente, como também, poder fazer parte das ações de tradução de produtos da Microsoft, ação que eu já havia participado nos anos de 2008, 2009 e 2010, mas que agora tinha um objetivo diferente.

Outro momento muito importante que vivenciei no dia 03/08 a oportunidade de ter participado da Bienal do Livro em conjunto com minha esposa Fernanda, e conhecer alguns dos maiores nomes do Time de Hacking e Stem da Microsoft Corporation que estavam presentes nos estandes da Microsoft na Bienal.

Para fechar o mês, mais um reconhecido a fim conferido e ofertado pela Microsoft, agora na área de Educação, pelo segundo ano seguido foi nomeado MIE Expert – Microsoft Innovative Educator Expert for 2018-2019, prêmio me permitiu ter um engajamento ainda maior na área acadêmica.

Destaques:

Material de Apoio – Agosto 2018

#22 – Para que serve

Microsoft SQL Server 2017 – Cumulative Update 10

Windows Admin Center Preview v1808 disponível

Microsoft SQL Server-transaction relationship using Transaction Log

Microsoft SQL Server – Diferença básica entre operadores Rollup e Cube

Setembro

O mês de setembro, acredito que tenha sido o mais diferente do todos os outros que havia se passado em 2018, voltei a participar das reuniões mensais de MVPs realizadas pelo Glauter Januzzi, reuniões que também participei em Outubro, Novembro e Dezembro.

Tive a oportunidade de ter o meu nome destacou em neste reunião com um curador e mantenedor dos fóruns nacionais de SQL Server tanto no MSDN e TechNet, como também, me destaquei como um dos principais MVPs envolvidos no projeto de localização e tradução do termos, frases e palavras para os novos produtos da Microsoft.

Por fim no dia 06 o aniversário do Edu e no dia 28 do João Pedro, ambos meus “pequenos” garotos.

Destaques:

Short Scripts – Setembro 2018

Microsoft oficializa a disponibilidade geral do novo Office 2019

Microsoft SQL Server Data Tools v15.8.1 para Visual Studio 2017 liberado para download

Microsoft SQL Server – Informações sobre a execução de Jobs e Steps

Microsoft SQL Server – Obtendo o histórico de execução de jobs

Outubro

Terceiro quartil de 2018 se apresenta, nele continuo minha caminhada semanal de respostas e moderadores de perguntas e dúvidas aplicadas no decorrer do ano nos fóruns MSDN e TechNet Brasil dedicados ao Microsoft SQL Server, ainda mais agora com esta responsabilidade de ser um curador ou mantenedor destas plataformas, atividade que tento fazer quase que diariamente mas requer tempo, cuidado e muito sensatez para diferenciar a dúvida da profanação.

Algo um pouco fora do comum acontece neste período, recebo solicitação de alguns participantes dos Fóruns para indicação como futuros novos MVPs, uma situação bastante fora do comum e até mesmo difícil de se resolver, mas como de costume deixou bem claro que não faço indicações pois cabe a própria Microsoft identificar seus futuros representantes.

Uma outra situação que também se apresenta neste mesmo momento, é a confirmação de um usuário dos fóruns brasileiros forjando a postagens de dúvidas e respostas, ou seja, ele mesmo postava e respondia com outro perfil somente para aumentar sua pontuação e se tornar líder no ranking, situação que como eu destaquei no mês de Março, deu muito trabalho mais conseguimos comprovar que era um mal elemento.

Fora tudo isso, tive a oportunidade de realizar a única palestra presencial de 2018 na 6ª Semana da Tecnologia da Fatec São Roque, com o tema: Introdução ao Data Mining aplicado em Business para Commerce, como também, a satisfação de conhecer pessoal dois grandes profissionais conhecedores de MongoDB: Leandro Domingues e Jhonatan de Souza Soares.

Para fechar o mês publico mais uma questão do dia para o SQLServerCentral.com, esta que até o presente momento ainda não foi publicada.

Destaques:

Microsoft divulga a disponibilidade do novo Microsoft Windows Server 2019

Microsoft Hyper-V Server 2019 disponível

Script Challenge – 14 – A resposta….

Microsoft confirma desativação dos protocolos TLS 1.0 e 1.1 para Microsoft Edge e Internet Explorer em 2020

Dica do Mês – Comando Restore Database Page – Restaurando páginas de dados de uma tabela no Microsoft SQL Server

Material de Apoio – Outubro 2018

Microsoft SQL Server – Identificando as querys com maior média de consumo de CPU

Microsoft SQL Server – Identificando o consumo de CPU por Banco de Dados

Novembro

Penúltimo mês de 2018 se apresentando para fazer parte desta história, em novembro tive a oportunidade de participar nos dia 19/11 e 28/11 das bancas de avaliação dos Trabalhos de Conclusão do Curso dos alunos da Etec São Roque, momento muito especial vivido no dia 28/11 na Câmara dos Vereadores de São Roque.

Por outro lado, foi no mês de novembro que alguns sustos e medos se apresentaram, minha esposa Fernanda teve alguns problemas de saúde se agravando, consultas com Neurologista, Ginecologista foram necessárias mas graças a deus tudo correu bem e no mês de dezembro tivemos boas notícias.

O final de semestre se aproximando e com ele o final de ano, a correria começando a aumentar devido aos prazos finais de para conclusão de notas, faltas, correção de provas, trabalhos, bancas de tccs e mais um evento a ser realizado na Fatec São Roque o qual eu estava totalmente envolvido.

No finalzinho do mês, passado alguns meses desde a última consultoria, decido retornar a minhas atividades de consultor, atualizo minhas apresentações, portfólio, página da minha empresa, cadastrados nos websites do governo, coloco novamente no ar a Galvão Tecnologia e passado dois ou três dias meu telefone particular toca, e um novo cliente se apresenta.

Destaques:

Próximas versões do Windows 10 poderão ter os codinomes Vanadium e Vibranium

Nova versão do Kit de Desenvolvimento Quântico da Microsoft

Microsoft SQL Server 2019 Preview 2.1 liberado

Short Scripts – Novembro 2018

Microsoft SQL Server 2014 SP3 liberado para download

Microsoft SQL Server – Identificando as contas que estão executando os serviços

Microsoft SQL Server – Monitorando os serviços através da XP_ServiceControl

Dezembro

E ai chegamos no último mês de 2018, último trimestre, último quartil, últimos 31 dias de um ano totalmente diferente dos demais 37 que eu já havia vivido, um ano totalmente dedicado aos estudos, tanto profissionais, acadêmicos, mas principalmente pessoais e espirituais.

Os primeiros 15 dias de dezembro foram muito, mas muito intensos, final de semestre chegou, tinha mais de 120 provas, trabalhos, listas de exercícios para serem corrigidos, terem suas notas validadas e lançadas, 21 bancas de trabalho de graduação para serem assistidas, bem como, o evento que encerrava uma das minhas disciplinas, aquela que eu comecei em 2018 e me dedicar mais afinco que envolvia IoT.

Pois bem, no dia 08/12 em conjunto com meus alunos do 4º Semestre de Sistemas para Internet, realizado o 2º Encontro Tecnológico de IoT da Fatec São Roque.

Neste mesmo período de dias aconteceram o Microsoft Ignite e o MVP Day em São Paulo, mas infelizmente não tive a oportunidade de participar destes eventos.

No dia 15 aniversário do meu herói, meu pai, completou mais um aninho de vida.

Desta forma, estou aqui neste momento finalizando este post no dia 27/12 ás 02:50hrs, tendo seu início no dia 26/12 ás 23:34hrs.

Destaques:

Aproximadamente 120 milhões de brasileiros tiveram seus números de CPF expostos de forma indevida na Internet

Quatro novos tema para Windows 10

Novos ícones para o Microsoft Office 365 são apresentados

Microsoft 365 Insider Program anunciado pela Microsoft

Material de Apoio – Dezembro 2018

#23 – Para que serve

Retrospectiva 2018 – Um ano muito diferente na minha vida

Microsoft SQL Server – Monitorando – Fila de disco em tempo real

Microsoft SQL Server – Alterando o valor mínimo de Memória RAM alocada

Conclusão

Talvez você que esta lendo este post, possa se perguntar: Não seria melhor ele ter feito uma retrospectiva destacando em números os resultados obtidos ou até mesmo o que ele alcançou?

A resposta para esta dúvida ou pergunta é muito simples NÃO. 

Pois muitas vezes os números podem ser mal interpretados, ou como eu costumo dizer para meus alunos, os números podem se tornar gelados, algo sem significado ou relevância para quem os identifica, análise, julga ou interpretar.

Procurei mostrar como minha vida no decorrer deste ano foi intensa, tenho a certeza que fatos, situações ou momentos foram esquecidos ou até mesmo deixados de lado, mas talvez a relevância do que aqui foi apresentado pode ilustrar o quanto temos de afazeres, responsabilidades e momentos de grande importância que nos permitem alcançar tudo aquilo que em algum momento sonhamos ou desejamos para nossas vidas.


Agradecimento

Quero agradecer em muito a sua visita, sinto-me honrado em poder compartilhar um pouco do que fiz e produzi no decorrer de ano de 2018.

Felicidades, desejo um final de ano fantástico e 2019 com muita saúde e paz.

Abraços.

Porque é a Lei de Moore, e não a mobilidade, que está “matando” o PC

Chips podem ter se tornado tão rápidos que mesmo os mais antigos são o suficiente para a maioria dos usuários, reduzindo a necessidade de upgrades e as vendas de novas máquinas.


Embora os rumores da morte do PC sejam um grande exagero – uma indústria que comercializou mais de 350 milhões de unidades em 2012 não está “morta” – não há dúvidas que que os computadores pessoais não vendem tão bem quanto antes. Os analistas ainda prevêem que as vendas de PCs irão exceder em muito as de tablets num futuro próximo, mas a taxa de crescimento nas vendas é praticamente nula. A grande pergunta é: porque?

Há algumas teorias nas quais a sabedoria popular se baseia. Muitos culpam a estagnação nas vendas de PCs em uma economia igualmente estagnada, ou apontam para a ascensão dos smartphones e tablets. Outros argumentam (de forma persuasiva) que o pouco crescimento pode ser atribuído às idiossincrasias do mercado de PCs nos países em desenvolvimento, onde os computadores são um item “de luxo” raramente substituído. Segundo os analistas, uma “segunda onda” de vendas ainda está por vir nestes países.

Assim como a maioria dos setores econômicos, o mercado de PCs é influenciado por uma enorme quantidade de fatores, e há um pouco de verdade em todas as três explicações. Mas entretanto, após observar minha sogra alegremente usando o Facebook e enviando e-mails em um PC de quase 10 anos com um processador Pentium 4, uma possibilidade mais insidiosa me veio à mente.

Será que o desempenho dos processadores atingiu um nível “bom o suficiente” para a maioria dos usuários alguns anos atrás? Seriam estas máquinas mais velhas ainda boas o bastante para completar as tarefas do dia-a-dia de uma pessoa comum, reduzindo o incentivo para um upgrade?

“Antigamente era necessário substituir o PC após alguns anos ou você ficaria muito para trás. Se não fizesse isso, não conseguira nem rodar as versões mais recentes de seus programas”, diz Linley Gwennap, principal analista do Linley Group, uma empresa de pesquisa focada em semicondutores e microprocessadores. “Agora você pode manter o mesmo PC por cinco, seis, sete anos sem problemas. Sim, ele pode ser um pouco lento, mas não o bastante para atrapalhar o uso diário”.

Processadores antigos ainda são o suficiente para o dia-a-dia

Isto pode ser um choque para os entusiastas que tentam tirar o máximo de desempenho de seus PCs, mas o cidadão comum quase nunca converte vídeos, e você não irá vê-lo disputando uma partida de Crysis 3. Em vez disso ele passa a maior parte do tempo em tarefas mais mundanas, geralmente centradas na web: compras online, envio de e-mails, contato com família e amigos em redes sociais, talvez um vídeo ocasional no YouTube – na resolução padrão, nada de HD – ou jogando algumas partidas de Paciência.

Em outras palavras, de forma alguma o tipo de atividade que pede um processador Intel Core i7 overclockado e refrigerado a água. Ou mesmo um dos modernos processadores Intel Core i3 da família Ivy Bridge, se formos honestos.

“Se você está apenas navegando na web, montando algumas planilhas aqui e editando alguns textos ali, não vai notar a diferença entre um processador mais antigo de 2.5 GHz e um modelo recente de 3 GHz”, diz Gwennap.

O PC Pentium 4 de minha sogra engasga um pouco (especialmente aos meus olhos), mas aguenta sem problemas tarefas como o uso básico na web e reprodução de vídeo em definição padrão. Mais ainda, a necessidade por chips sofisticadíssimos pode ser reduzida ainda mais à medida em que mais e mais tarefas que antes exigiam computadores poderosos fazem a transição para servidores na nuvem. Veja por exemplo o editor de imagens Pixlr, da AutoDesk, e a audaciosa iniciativa GeForce Grid da Nvidia, além de uma multidão de serviços de streaming de vídeo. Os Chromebooks estão se tornando populares por um motivo.

moore_borderlands2-360px.jpg
Apesar de todos os efeitos visuais, Borderlands 2 ainda
roda bem em máquinas com processadores Intel Core 2

Processadores Intel Core 2 Duo e Core 2 Quad foram lançados em 2006, e ainda tem bom desempenho mesmo que você esteja levando seu PC além das tarefas básicas na web. Gamers ainda podem jogar a maioria dos títulos modernos (como Borderlands 2 e Skyrim) com bom nível de detalhes e resolução HD em computadores com processadores Core 2. Testes recentes feitos por sites como o Tom’s HardwareOCAholic mostram que estes processadores ainda se comparam bem em relação a alguns modelos mais recentes da AMD e da família Intel Core. Processadores mais antigos da AMD, como o Phenom II X4 Black Edition de 3.4 GHz, lançado em 2009, também ainda “tem jogo”, de acordo com clientes satisfeitosno site especializado Newegg.

Há um motivo pra isso, diz Gwenapp. A Lei de Moore – pelo menos na forma em que geralmente é mencionada – se transformou na “Teoria Mais ou Menos Desprovada de Moore” nas últimas gerações de processadores.

“Acho que estamos aquém da lei de Moore desde que a Intel atingiu a Power Wall (ponto no qual não vale a pena aumentar o clock de um processador, porque o consumo de energia e calor gerado são excessivos) em 2005”, disse Gwenapp em uma entrevista por telefone. “Nesse ponto energia se tornou o fator limitante, não a tecnologia ou quantidade de transistores”. Os ganhos de desempenho foram reduzidos de forma ainda mais dramática depois que a Intel lançou os primeiros chips baseados na arquitetura Nehalem no final de 2008”.

A Lei de Moore dá de cara com a parede

Antes de entrarmos em mais detalhes, vamos recapitular alguns pontos: a Lei de Moore leva o nome do ex-CEO e co-fundador da Intel, que em 1965 previu que o número de transistores que poderiam ser colocados em um circuito integrado iria dobrar a cada dois anos. A maioria das pessoas cita uma versão modificada da lei, proferida por David House, um executivo da Intel, que alega que o poder de processamento dobra a cada 18 meses. Tecnicamente a Lei de Moore ainda se mantém. É a interpretação de House que tem deixado a desejar.

“O crescimento em desempenho dos processadores da Intel foi reduzido drasticamente”, escreveu Gwennap em uma coluna na newsletter Microprocessor Report em dezembro de 2012. “…mesmo levando em conta o modesto ganho com os novos processadores Sandy Bridge, o desempenho vem aumentando a uma taxa de apenas 10% ao ano entre os desktops e 16% ao ano entre os notebooks (entre 2009 e 2012), muito longe dos bons tempos de um crescimento anual de 60%”.

Em outras palavras, os processadores mais novos não são mais tão superiores aos seus antecessores. Para o usuário comum, que basicamente usa o Facebook, e-mail e iTunes, a diferença no dia-a-dia entre um processador Intel Core 2 e um modelo mais moderno é quase inexistente, não importa o que dizem os benchmarks.

“Certamente acredito que a redução no ganho de desempenho dos computadores é um grande fator [na redução das vendas]”, disse Gwenapp à PCWorld. “Talvez mais ainda que os tablets. Porque substituir seu PC se o novo modelo não é notavelmente mais rápido do que aquele que você comprou dois ou três anos atrás”?

O desempenho fica em segundo plano

Mas o argumento de que “os processadores são bons o suficiente” gera controvérsia. “Estou aqui há 20 anos, e naquela época as pessoas já diziam que um Pentium de 60 MHz com 1 MB de RAM e Windows 3.1 era ‘bom o suficiente’”, disse Dan Snyder, Gerente de PR, na Intel, à PCWorld via e-mail. A idéia do “bom o suficiente” circula desde sempre. Lembram-se do mito de que Bill Gates teria dito que 640 KB de RAM seriam o suficiente para qualquer um?

Mas desta vez há um detalhe: Snyder listou vários exemplos dos mais novos feitos tecnológicos da Intel – como processadores para tablets e gráficos integrados mais poderosos – e embora todos eles sejam realmente intrigantes por mérito próprio, nenhum envolve um salto no desempenho “bruto” do processador (e como poderia, com as limitações da Power Wall?).

Em vez disso, os processadores modernos focam na introdução de extras que agregam valor para complementar o ganho incremental anual de desempenho. Gráficos integrados melhoraram tremendamente nos últimos anos, especialmente nas APUs (Accelerated Processing Units) da AMD e na GPU Intel HD Graphics 4000 inclusa em alguns processadores da família Ivy Bridge. De fato, os gráficos integrados evoluíram ao ponto de serem capazes de oferecer experiências de jogo bastante aceitáveis, se você estiver disposto a reduzir o nível de detalhes gráficos no jogo.

A redução no consumo de energia é outro foco para os fabricantes de chips, e não apenas para aumentar a autonomia de bateria em tablets e notebooks. Os ganhos em energia e desempenho gráfico introduzidos nos processadores modernos podem na verdade ajudar a compensar os ganhos incrementais no desempenho do processador.

moore_amdtrinity-360px.jpg
Este esquemático da arquitetura AMD Trinity mostra a
importância da GPU. Compare o tamanho dela com o das CPUs!

“A Lei de Moore sempre foi sobre o custo dos transistores, mas também sobre o aumento no desempenho, já que com custo menor você seria capaz de colocar mais e mais deles no circuito”, disse Gary Silcott, Gerente Sênior de PR para as CPUs e APUs da AMD via e-mail. “À medida em que exploramos os limites físicos dos materiais, e o custo das fábricas sobe, em determinado ponto o custo dos transistores exige que você eleve o desempenho e amplie a autonomia de bateria no próprio design do chip. É por isso que a AMD migrou para o conceito de computação heterogênea em suas arquiteturas de APUs. Combinando diferentes tipos de processadores (CPUs e GPUs) em um mesmo “Sistema em um Chip” é possível atender à uma gama muito maior de cargas de trabalho, com GigaFLOPS de poder de processamento em uma área muito pequena e consumo de energia muito baixo”.

Isso significa o que parece? “Absolutamente”, disse ele quando perguntei se a AMD planejava focar a maior parte de seus esforços de desenvolvimento na melhoria da eficiência energética e na capacidade dos gráficos integrados, em vez de se concentrar apenas no desempenho do processador. “Esta questão é o cerne de tudo sobre o que estamos falando”.

Uma visão unificada, ao que parece, pode ser o futuro dos processadores. No ano passado a AMD, Qualcomm, ARM, Samsung, Texas Instruments e outros grandes fabricantes de chips criaram aHeterogenous System Architecture Foundation para “impulsionar uma única arquitetura para superar as limitações de programação das CPUs e GPUs atuais”. Em vez de derrubar a barreira do consumo de energia, a HSA Foundation pretende contorná-la usando técnicas de computação paralela.

Uma esperança

Mesmo que o desempenho bruto dos processadores não esteja se acelerando o suficiente para encorajar novas vendas de PCs, o trabalho da HSA Foundation aponta para um futuro brilhante tanto para o usuário comum quanto para os entusiastas. E mesmo que a visão titubeie nos detalhes – notavelmente a Nvidia e a Intel estão ausentes no grupo – os líderes na indústria estão trabalhando duro para desenvolver avanços nos processadores em si.

Tanto a Intel quando a AMD investem pesadamente em pesquisa e desenvolvimento para se manter “na crista da onda” da tecnologia. A Intel, em particular, tem reservados só para este ano US$ 18,2 bilhões – bilhões! – de dólares para pesquisa e aquisições, com planos para a produção de “wafers” (os discos de silício onde os processadores são produzidos) maiores e novas tecnologias de litografia que permitirão à empresa criar transistores cada vez menores nos próximos anos. O processo de 22 nanômetros da família Ivy Bridge é só o começo.

Enquanto isso a corrida da Intel rumo à computação ubíqua – controles por gestos, reconhecimento de fala e mais – não só avança os tradicionais modelos de interface, como também as tecnologias envolvidas geram demanda por mais poder de processamento. Espertos.

moore_haswell-360px.jpg
Durante a CES 2013 a Intel apresentou um conceito que ilustra
sua visão de um Ultrabook Híbrido com processador Haswell

A trégua temporária na ênfase no desempenho a qualquer custo é na verdade uma coisa boa para a indústria, por mais que meu coração geek doa quando digo isso. Encurralados contra a barreira no consumo de energia, a Intel e a AMD estiveram livres para inovar em outras áreas tecnológicas, o que lhes permitiu introduzir mudanças que alteram o próprio conceito de computadores como os conhecemos.

“Com Ultrabooks, Tablets e conversíveis sensíveis ao toque, a distinção entre os dispositivos móveis é cada vez menor”, disse Snyder, da Intel, e novamente ele está certo. Se a empresa não tivesse sido capaz de focar seus esforços na eficiência energética e desempenho gráfico, será que teríamos um aparelho que quebra paradigmas como o Microsoft Surface Pro? Aposto que não.

O lançamento da próxima geração de processadores da Intel, de codinome Haswell, promete inaugurar uma era de híbridos de tablet e notebook leves, sem ventiladores barulhentos, com o poder de processamento de um PC e baterias capazes de durar um dia inteiro. A próxima geração de APUs da AMD e tecnologias recentemente anunciadas como a Turbo Dock prometem o mesmo potencial, e jogos em 3D serão suportados em qualquer lugar.

O futuro é nesta direção. A ausência de ganhos estratosféricos de desempenho sem dúvida deixou muitas pessoas agarradas aos seus velhos PCs muito além do tradicional ciclo de atualizações, mas a “calmaria” também abriu portas que de outra forma teriam se mantido fechadas se a Intel e a AMD tivessem continuado a “pisar fundo” no desempenho do processador. Considere tudo isso como uma espécie de “retirada para reagrupar”, e não um sinal do fim do PC.

Fontes e Direitos Autorais: Brad Chacos, PCWorld EUA – 11-03-2013.

13 supercomputadores que são literalmente gigantes

Da década de 50 aos dias atuais, máquinas gigantes (e algumas bem poderosas) se tornaram indispensáveis para diversos setores.


Das toneladas aos microchips.

Assim é possível resumir as  décadas de evolução da tecnologia computacional — que tem desde monstruosidades  a modelos leves, que cabem na palma da sua mão.

E, apesar do uso dos  computadores ser algo bem popular nos dias atuais, na década de 50 você até  poderia usar um — mas deveria ter a autorização das grandes instituições que  eram as proprietárias desses equipamentos e, caso quisesse ter um próprio, ainda  precisaria de um espaço bem maior que uma escrivaninha (normalmente, uma sala  inteira).
Hoje, com tantos aparatos computacionais pequenos e poderosos  aparecendo a cada dia, tal realidade parece ser ainda mais distante e quase “surreal”. No entanto, ainda é possível encontrar esses computadores gigantes — um deles, o IBM Sequoia, é o supercomputador mais rápido já  criado.
Confira abaixo alguns modelos que estão marcados na história  computacional especialmente por serem grandes. Muito grandes.

1 – Modelo dos anos 50

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Utilizado por técnicos  dos laboratórios da RCA, nos Estados Unidos, o Typhoon é um bom exemplo dos  computadores empregados na década de 50. Na foto, é possível ter um aperitivo  dos painéis com milhares de tubos, botões e fios enrolados que faziam parte  dessa monstruosa máquina.

2 – Auxílio para a comunicação

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Assim como em diversos  setores, houve uma grande evolução tecnológica no ramo de comunicações nas  últimas décadas. Prova disso está nesta foto de 1967, que apresenta o Electric  KDF9 — um dos primeiros e grandes computadores utilizados em um centro de  Edimburgo, na Escócia, para auxiliar na comunicação do país.

3 – Com a engenharia desde o princípio

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) A foto acima mostra uma  das salas do laboratório Lewis Fligh, hoje denominado Centro de Pesquisa John H.  Glenn, em Ohio. Nela, é possível ver um supercomputador (novamente com diversos  painéis, botões e fios) sendo utilizado para auxiliar o setor da engenharia.

4 – Grande utilidade militar

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) O setor militar foi um  dos que mais utilizaram os grandes computadores. Na imagem acima, é apresentado  um dos computadores desenvolvidos em segredo durante a Segunda Guerra Mundial.  Denominado de Electrical Numerical Integrator and Computer, ele estava sendo  utilizado, no momento da foto, por um laboratório de pesquisa balística.

5 – Calculando a rota para a Lua

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Além da área militar,  os computadores gigantes também auxiliaram a NASA na conquista do espaço. Um bom  exemplo disso é o Selective Sequence Electronic Calculator, da IBM, que produziu  tabelas com dados de posicionamento da Lua que foram utilizadas para traçar o  rumo da viagem de Apollo 11, em 1969.

6 – No universo cinematográfico

Assim como acontece nos filmes atuais — em que os computadores auxiliam  fortemente a produção de uma película —, em 1967 os diretores já viram as  potencialidades computacionais no universo cinematográfico.


(Fonte  da imagem: Reprodução/Gizmodo) No caso, uma das  principais diferenças que poderíamos encontrar entre os métodos hoje e da década  de 60 estaria no tamanho das máquinas utilizadas no set de filmagens. A prova  disso está na imagem acima, em que você poderá ver o diretor Michael Caine  utilizando o computador Honeywell nas gravações do filme “Billion Dollar  Brain”.

7 – Dando “pitaco” na economia

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Ainda na década de 60,  outro ramo que quis explorar os benefícios do uso dos computadores foi a  economia. E os investimentos iniciais para isso não foram poucos: só o banco  Midland, de Londres, possuía um complexo computacional que custou mais de 10  milhões de dólares e que atendia diversos setores do país.

8 – Aprimorando táticas de guerra

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Com o passar dos anos,  os computadores foram aprimorados e, com isso, eram ainda mais utilizados para  questões militares. A foto acima, de 1979, mostra o sargento Carlos Ramirez  inserindo informações táticas em um computador no Forte Sill.

9 – Auxílio constante para a NASA

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) A NASA foi a  proprietária de um dos mais poderosos (e grandes) computadores já criados. A  foto acima mostra a sala do N-258 NAS, utilizado em 1993 pelo Centro de  Pesquisas Ames.

10 – Testes de armas nucleares

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Na imagem, de 2000, um  técnico monitora o computador ASCI White. Esta grande máquina é capaz de  realizar 12 trilhões de cálculos por segundo, requer 1,2 megawatt de energia e  foi considerado, no período do seu surgimento, como o supercomputador mais  rápido do mundo. Na época da foto, ele era utilizado pelo Departamento de  Energia para simular testes de armas nucleares.

11 – Um dos mais rápidos da Europa

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Um supercomputador da  IBM, capaz de realizar 40 trilhões de cálculos por segundo, já foi considerado o  mais rápido da Europa. Na foto acima, ele é apresentado na Universidade  Politécnica de Barcelona, em 2005.

12 – Velocidades quase incompreensíveis

(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Outro grande computador  que é um dos maiores exemplos de potência já criados é o Roadrunner Base  Capacity — que, na foto acima, aparece no Laboratório Nacional de Los Alamos, em  2007. Ele pode atingir mais de 70 teraFLOPS (Floating point Operations per  Second  — operações de ponto flutuante por segundo) de velocidade e  realizar mais de mil trilhões de cálculos por segundo.

13 – O mais poderoso de todos os supercomputadores

Superando o supercomputador japonês K (que tem um desempenho de mais de oito  quatrilhões de cálculos por segundo), está o IBM Sequoia — que hoje é  considerado o mais potente computador já criado.


(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo) Ocupando cerca de 280  m² de uma sala no Livermore National Laboratory, nos Estados Unidos, ele é capaz  de calcular, em uma hora, o que 6,7 bilhões de pessoas usando calculadoras de  mão por 320 anos conseguiriam calcular.
Além disso, o IBM Sequoia é quase  300 mil vezes mais rápido do que os computadores de 20 anos atrás e é utilizado  para pesquisas nucleares.

Fontes e Direitos Autorais: TechMundo.com.br – Ráisa  Guerra em 3  de Outubro de  2012.

Conhecendo a História do SQL Server


Pessoal, boa noite.

Alguma novidade?

Há algum tempo, venho procurando conhecer mais o SQL Server, como esta fantástica ferramenta surgiu, suas versões preliminares, sua evolução, entre outras coisas.

Desta forma, gostaria de compartilhar com vocês um material que encontrei a algum tempo, acredito que pode dar uma ideia de como o SQL Server vem evoluíndo ao longo dos anos, tornando-se uma das ferramentas SGBD mais respeitadas e conhecidas do mundo todo.

Pois bem, segue abaixo um pouco da História do SQL Server:

———————————————————————————————————————————————

  • Em 1988 a Microsoft lançou sua primeira versão do SQL Server. Ela foi desenvolvida para a plataforma OS/2 juntamente com a Microsoft e a Sybase.

 

  • Durante os anos 90 a Microsoft iniciou o desenvolvimento de uma versão para a plataforma NT. Enquanto o SQL Server estava sendo desenvolvido a Microsoft decidiu que ele deveria ser uma camada encapsulada sobre o sistema operacional NT.

 

  • Em 1992 a Microsoft assumiu a responsabilidade maior sobre o futuro do SQL Server para o NT.

 

  • Em 1993 o Windows NT 3.1 e o SQL Server 4.2 para NT foram lançados. A filosofia da Microsoft em combinar um banco de alta performance com uma interface fácil de usar mostrou-se um sucesso. Microsoft rapidamente tornou-se o segundo mais popular vendedor de softwares de bancos de dados relacionais.

 

  • Em 1994 a Microsoft e a Sybase formalmente encerraram sua parceria.

 

  • Em 1995 a Microsoft lançou a versão 6.0 do SQL Server. Esse lançamento foi uma das maiores rescritas da tecnologia SQL Server. A versão 6.0 aumentou a performance substancialmente provendo mecanismos internos de replicação e administração centralizada.

 

  • Em 1996 a Microsoft lançou a versão 6.5 do SQL Server. Essa versão trouxe melhoras significativas para a tecnologia e disponibilizou diversas novas funcionalidades.

 

  • Em 1997 a Microsoft lançou a versão Enterprise do SQL 6.5.

 

  • Em 1998 a Microsoft lançou a versão 7 do SQL Server o qual foi completamente rescrito.

 

  • Em 2000 a Microsoft lançou o SQL Server 2000. O SQL Server 2000 é o lançamento mais importante do SQL Server até o momento. Essa versão foi construída sobre o framework do SQL Server 7.0. De acordo com o time de desenvolvimento do SQL Server essas mudanças foram desenvolvidas para tornar essa tecnologia mais nova pelos próximos 10 anos.

 

  • 2003 – O SQL Server 2000 ganha a sua versão em 64-bit podendo acessar maiores quantidades de memória. Infelizmente o time teve de escolher e optou por lançar o SQL Server 2000 apenas para o Itanium.

 

  • 2005 – É lançado o SQL Server 2005 (com o codinome Yukon) com grande integração a plataforma .NET. O SQL Server dá mais um passo em direção às grandes plataformas corporativas. A Microsoft exibe alguns grandes casos de sucesso (como a Xerox que consegue realizar até 7.000.000 de transações diárias utilizando o SQL Server 2005 e a Bovespa que é a bolsa de valores do Brasil).

 

  • 2007 – A Microsoft divulga em uma feira mundial de Business Intelligence o lançamento do SQL Server 2008 previsto para 2008. O principal slogan é “ir um pouco além do relacional”. Novas funcionalidades como tipos de dados geográficos, controle de carga por usuário, etc estão previstas.

 

  • Nesse link, http://www.insidesqlserver.com/companion/History%20of%20SQL%20Server.pdf, a história é contada por Kalen Delaney. Ela trabalhou no projeto e hoje é uma das fundadoras da Empresa SQL (Solid Quality Learning) que é uma das maiores empresas de SQL Server do mundo. Em alguns pontos, ela conhece mais de SQL Server do que a própria Microsoft. Só é uma pena que a história do link pare no SQL Server 2000.

Achada evidência de seleção natural humana

A ilha, chamada Ile aux Coudres, fica no rio St. Lawrence, a cerca de 80 km a nordeste de Quebec. Os registros de sua igreja mantêm arquivos excepcionalmente completos de nascimentos, casamentos e mortes. A partir desses dados, uma equipe de pesquisadores conduzida por Emmanuel Milot e Denis Reale, da Universidade de Quebec, em Montreal, extraíram as histórias de vida de mulheres nascidas na ilha entre 1799 e 1940.

Há tempos supôs-se que as pessoas, ao colocarem telhados sobre suas cabeças e plantarem sua própria comida, estariam se protegendo das forças da seleção natural. Dados coletados do genoma humano na última década mostraram que essa suposição não é verdadeira: as marcas da seleção natural são visíveis em no mínimo 10 por cento do genoma.

E essa é uma seleção que ocorreu somente nos últimos 5 mil a 25 mil anos, pois sinais de episódios mais antigos de seleção são abafados pela constante mutação na sequência de DNA.


//

Nova York- Em registros paroquiais de uma ilha franco-canadense, pesquisadores encontraram o que pode ser a instância mais recente de evolução humana em resposta à seleção natural.A ilha, chamada Ile aux Coudres, fica no rio St. Lawrence, a cerca de 80 km a nordeste de Quebec. Os registros de sua igreja mantêm arquivos excepcionalmente completos de nascimentos, casamentos e mortes. A partir desses dados, uma equipe de pesquisadores conduzida por Emmanuel Milot e Denis Reale, da Universidade de Quebec, em Montreal, extraíram as histórias de vida de mulheres nascidas na ilha entre 1799 e 1940.

Ao longo desse período de 140 anos, a idade em que as mulheres tiveram seu primeiro filho – um traço altamente hereditário – caiu de 26 para 22 anos.Graças a essa mudança, as mulheres tinham, em média, quatro filhos a mais em sua vida reprodutiva.

A descoberta ”sustenta a ideia de que os humanos ainda estão evoluindo’’, escrevem os pesquisadores na edição de segunda-feira de The Proceedings of the National Academy of Sciences.

Segundo Milot, testes estatísticos permitiram que os pesquisadores distinguissem entre os efeitos da seleção natural e aqueles das práticas culturais afetando a idade do casamento.

”A visão comum é que a evolução é um processo lento’’, disse ele. ”Mas biólogos evolucionários já sabem, há muitas décadas, que a evolução pode ser bastante rápida’’.

Há tempos supôs-se que as pessoas, ao colocarem telhados sobre suas cabeças e plantarem sua própria comida, estariam se protegendo das forças da seleção natural. Dados coletados do genoma humano na última década mostraram que essa suposição não é verdadeira: as marcas da seleção natural são visíveis em no mínimo 10 por cento do genoma.

E essa é uma seleção que ocorreu somente nos últimos 5 mil a 25 mil anos, pois sinais de episódios mais antigos de seleção são abafados pela constante mutação na sequência de DNA.

Geneticistas examinando essa sequência não conseguem identificar episódios de seleção natural mais recentes do que 5 mil anos, a menos que o sinal seja particularmente forte, pois são necessárias muitas gerações para que uma versão nova e aprimorada de um gene apareça em toda numa população. Porém, biólogos evolucionários acreditam que podem detectar a seleção natural em funcionamento no passado recente, examinando os dados fenotípicos, ou naturais.

Esses dados são encontrados em grandes estudos médicos, como o estudo cardíaco Framingham, no qual muitas características de uma população são monitoradas ao longo de vários anos. Usando sofisticadas técnicas estatísticas, biólogos dizem poder distinguir traços que estejam mudando sob pressão da seleção natural, seja por efeitos ambientais ou pela deriva genética – a mudança genética aleatória que ocorre entre gerações.

Sintetizando os resultados de 14 estudos num artigo, publicado no ano passado em Nature Reviews Genetics, um grupo liderado por Stephen C.

.tephen C. Stearns, de Yale, escreveu que ”o quadro emergente é que a seleção está agindo em sociedades pós-industriais para reduzir a idade da primeira reprodução em ambos os sexos, elevar a idade da menopausa nas mulheres e melhorar traços como colesterol total no sangue – características associadas ao risco de doenças e mortalidade’’.

O estudo de biólogos da Universidade de Quebec é uma boa análise de ”um conjunto extraordinário de dados’’, afirmou Stearns, além de ser ”o exemplo mais recente de uma resposta genética à seleção numa população humana’’.

”Nossa cultura está mudando e a biologia está tentando acompanhá-la’’, explicou. ”Mas a cultura muda com maior rapidez – os genes não conseguem acompanhar os iPads’’.

Segundo Milot, as alterações genéticas se mostraram tão claramente em seu estudo porque outros fatores, que as poderiam ocultar, foram minimizados pelas condições sociais específicas em Ile aux Coudres. A ilha foi concedida por decreto real aos padres que administravam o seminário de Quebec e colonizada por 30 famílias que chegaram entre 1720 e 1773. As famílias assumiram a agricultura e em seguida, outras atividades, como a pesca. Ao longo do período foi mantida uma igualdade considerável e a população foi poupada das gradações de riqueza que podem influenciar aqueles que têm muitos filhos.

Além disso, como a maioria das pessoas se casava localmente, a população da ilha se tornou consideravelmente pura, apesar da proibição de casamentos entre primos de primeiro ou segundo grau.

Esses dois fatores, e a homogeneidade da população, deixaram um campo aberto para a proeminência de efeitos genéticos, afirmou Milot.

Estudos como o de Ile aux Coudres podem identificar a mão da seleção natural apenas nos dados mantidos pelos registros da igreja. Porém, muitos outros traços além daqueles da história de vida estão provavelmente sendo moldados pela seleção natural. Muitos aspectos da personalidade são hereditários, disse Milot, e ”seria extremamente interessante examinar se nossas sociedades mutáveis causam modificações nas pressões da seleção em tais traços’’.

Jonathan Pritchard, geneticista populacional da Universidade de Chicago, disse que ”rápidas adaptações desse tipo são plausíveis, em princípio’’.

Em características que são influenciadas por muitos genes, a seleção natural pode agir rapidamente – pois não precisa esperar pela chegada de uma nova mutação favorável. Tudo o que ela precisa fazer é aumentar a abundância de alguns dos genes afetando o traço em questão, um processo conhecido como ”varredura suave’’. Se a idade da primeira reprodução é influenciada por muitos genes distintos, ”é concebível que a seleção possa ser extremamente forte’’, concluiu.

Fontes e Direitos Autorais: Por The New York Times • Quarta-feira, 05 de outubro de 2011 – 08h25.

A difícil recuperação pós-terremoto

Quatro meses depois do terremoto no Japão, empresas de tecnologia do país ainda enfrentam dificuldades.


Os grandes fabricantes japoneses de bens eletrônicos de consumo devem anunciar lucros muito reduzidos para o segundo trimestre, devido ao terremoto de março, mas o foco agora está em determinar se conseguirão cumprir previsões de recuperação rápida, dada a fragilidade da economia mundial.

—-
Siga o ‘Link’ no Twitter e no Facebook

As estimativas médias agora mostram que Panasonic e Sharp devem cair ao vermelho no trimestre, enquanto Nintendo deve reportar modesto lucro operacional de 10 bilhões de ienes (US$ 127 milhões). Sony e Canon também devem divulgar quedas consideráveis em seu lucro trimestral.

A maioria dos conglomerados de eletrônica tem projeções de receita estagnada ou em pequena queda para o ano fiscal que se estende até março de 2012, o que coloca em destaque a expectativa de fortes melhoras assim que superem as dificuldades de produção relacionadas ao desastre.

Mas dúvidas sobre as perspectivas quanto ao resto do ano começam a surgir, diante da alta renovada do iene ante o dólar e o euro, alimentadas por preocupações sobre o nível de dívidas do governo.

“As preocupações estão se transferindo da ponta da oferta à da demanda”, disse Yoshiharu Izumi, analista do JPMorgan em Tóquio. “O aspecto macroeconômico domina. O iene forte não é tanta preocupação; o problema é a demanda final pelos produtos.”

Os consumidores dos Estados Unidos e Europa continuam desanimados e os economistas estão reduzindo suas projeções de crescimento. A confiança dos consumidores dos EUA atingiu a marca mais baixa em quase 30 meses, no começo de julho, enquanto preocupações sobre dívidas e medidas de austeridade dos governos estão reprimindo o interesse dos consumidores em muitas partes da Europa.

Na China, uma redução no setor fabril também está causando preocupação.

No mercado interno, a confiança dos consumidores japoneses está melhorando um pouco depois do recuo causado pelo terremoto e tsunami de 11 de março, que causou ao menos 15 mortes e criou uma longa crise na usina nuclear de Fukushima, ao norte de Tóquio.

Fontes e Direitos Autorais: Estadao.com.br – Link – REUTERS – 22 de julho de 2011| 15h31.