@04 – O que Acontece?

No 4º post da sessão O que Acontece. Você vai conhecer um breve resumo sobre as 7 características existentes nos Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados, em especial no Microsoft SQL Server.


Olá, bom dia. Feliz 2022!

Estou lentamente retornando minhas atividades relacionadas a comunidade Microsoft e principalmente ao mundo do Microsoft SQL Server, após um período dedicado a conclusão do meu curso de Mestrado na área de Geoprocessamento e Modelagem Matemática.

Seja bem-vindo ao @04 – O que Acontece? 

Seguindo as tradição, antes de apresentar o terceiro post, quero destacar alguns pontos sobre esta sessão, em especial o tipo de conteúdo que você leitor vai encontrar em cada post relacionado a ela:

1 – Os posts publicados nesta sessão envolvem um pouco do Micrososft SQL Server, na verdade o objetivo dela é tentar mostrar como ele SQL Server, o qual aqui eu vou denominar como caixa, pensa exclusivamente fora dela, ou seja, como este grandioso SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) faz para que tenhamos nossos dados armazenados e apresentados em tela, em adicional como podemos de uma forma simples aprender, conhecer, desvendar os comportamentos realizados por ele além do uso das habituais ferramentas de administração: SQL Server Management Studio ou Azure Data Studio.

2 – Os posts, não apresentam o objetivo de demonstrar recursos, comandos, funcionalidades ou ensinar algo novo, na verdade eu quero tentar mostrar o que acontece muitas vezes quando por exemplo você esta processando um simples comando Select buscando milhões de dados em uma tabela, e o SQL Server Management Studio vai apresentando aos poucos os registros. Serão exclusivamente estes cenários, comportamentos e formas de atuação envolvendo o SQL Server e o ambiente que ele se encontra;

3 – Os posts, não terão uma estrutura padrão, na verdade, O que Acontece, foi idealizado da mesma forma que inicialmente começamos a pensar. Vamos reunindo conhecimentos, ideias, possibilidades, hipóteses, analisando alternativas, mensurando teorias, até tentar construir algo mais concreto;

4 – Não será estabelecido um calendário de publicação, ao contrário, sempre que algum pensamento fora da caixa pairar sobre a minha cabeça, ou coisas do meu dia-a-dia relacionados as minhas experiências profissionais ou acadêmicas, novos posts serão publicados, bem como, os atuais atualizados e corrigidos;

5 – Não vou me ater ao certo ou errado, melhor ou pior, tecnicamente perfeito ou melhor tecnicamente, o que eu quero é tentar como eu já destaquei ilustrar o que acontece do lado de fora do SQL Server, o que ele muitas vezes esta realizando e não temos ideia do que está acontecendo; e

6 – Vou tentar em cada post trazer uma ferramenta, aplicativo ou utilitário existente no próprio sistema operacional que possa nos ajudar a observar e entender o que está acontecendo de preferência em tempo real, em adicional, se possível utilizarei vídeos para elucidar de forma mais didática o objetivo do post.

Continue Lendo “@04 – O que Acontece?”

@03 – O que Acontece?

No 3º post da sessão O que Acontece. Você vai conhecer um pouco sobre Storage Engine, Armazenamento e Lazy Writer, componentes e tarefas existentes no Microsoft SQL Server, envolvidos diretamente na leitura e acesso a dados.


Bom dia!

Feliz 2021, estamos abrindo os trabalhos deste ano em meu blog, como mais um novo post da sessão O que acontece.

Seja bem-vindo ao @03 – O que Acontece? 

Seguindo as tradição, antes de apresentar o terceiro post, quero destacar alguns pontos sobre esta sessão, em especial o tipo de conteúdo que você leitor vai encontrar em cada post relacionado a ela:

1 – Os posts publicados nesta sessão envolvem um pouco do Micrososft SQL Server, na verdade o objetivo dela é tentar mostrar como ele SQL Server, o qual aqui eu vou denominar como caixa, pensa exclusivamente fora dela, ou seja, como este grandioso SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) faz para que tenhamos nossos dados armazenados e apresentados em tela, em adicional como podemos de uma forma simples aprender, conhecer, desvendar os comportamentos realizados por ele além do uso das habituais ferramentas de administração: SQL Server Management Studio ou Azure Data Studio.

2 – Os posts, não apresentam o objetivo de demonstrar recursos, comandos, funcionalidades ou ensinar algo novo, na verdade eu quero tentar mostrar o que acontece muitas vezes quando por exemplo você esta processando um simples comando Select buscando milhões de dados em uma tabela, e o SQL Server Management Studio vai apresentando aos poucos os registros. Serão exclusivamente estes cenários, comportamentos e formas de atuação envolvendo o SQL Server e o ambiente que ele se encontra;

3 – Os posts, não terão uma estrutura padrão, na verdade, O que Acontece, foi idealizado da mesma forma que inicialmente começamos a pensar. Vamos reunindo conhecimentos, ideias, possibilidades, hipóteses, analisando alternativas, mensurando teorias, até tentar construir algo mais concreto;

4 – Não será estabelecido um calendário de publicação, ao contrário, sempre que algum pensamento fora da caixa pairar sobre a minha cabeça, ou coisas do meu dia-a-dia relacionados as minhas experiências profissionais ou acadêmicas, novos posts serão publicados, bem como, os atuais atualizados e corrigidos;

5 – Não vou me ater ao certo ou errado, melhor ou pior, tecnicamente perfeito ou melhor tecnicamente, o que eu quero é tentar como eu já destaquei ilustrar o que acontece do lado de fora do SQL Server, o que ele muitas vezes esta realizando e não temos ideia do que está acontecendo; e

6 – Vou tentar em cada post trazer uma ferramenta, aplicativo ou utilitário existente no próprio sistema operacional que possa nos ajudar a observar e entender o que está acontecendo de preferência em tempo real, em adicional, se possível utilizarei vídeos para elucidar de forma mais didática o objetivo do post.

Continue Lendo “@03 – O que Acontece?”

Morre o criador do Unix e da linguagem C

Por suas criações, Dennis Ritchie é considerado um dos pais da computação atual.


Dennis Ritchie, criador do Unix e da linguagem de programação C, morreu aos 70 anos. Conhecido como “dmr”, ele é considerado um dos pais da computação atual – se não fosse por ele, nem Bill Gates nem Steve Jobs teriam moldado o futuro da informática, uma vez que as primeiras plataformas criadas por ambos foram baseadas na linguagem C, desenvolvida por “drm”.

Ritchie começou sua carreira em 1967, na Bell Labs, logo após receber o diploma de doutor em física pela Universidade de Harvard. Em 1973, ele criou (junto com Ken Thompson) o Unix, sistema operacional que foi a base, décadas mais tarde, do Linux e Mac OS X. O Unix foi inovador por ser muito barato, compatível com qualquer máquina e permitir a instalação de vários softwares.

Hoje, C é a segunda linguagem de programação mais popular do mundo (e a que tem mais linhas de código escritas). Dela drivaram outras, como C++ e Java.

Por suas criações, “dmr” criou o prêmio Turing em 1983 e a Medalha Nacional de Tecnologia em 1998, das mãos do então presidente dos EUA Bill Clinton. “dmr” faleceu no final de semana passado, mas sua morte só foi confirmada nesta quinta-feira, 13.

Fonte e Direitos Autorais: 13 de outubro de 2011| 16h06| Por Tatiana de Mello Dias.

%d blogueiros gostam disto: