#28 – Para que serve

Utilizando o operador relacional Pivot em combinação com querys dinâmicas, funções Stuff(), String_Agg() e muito mais…..


Olá pessoal, boa tarde!!!

E aí, estão no ritmo do carnaval? Se for igual eu tenho a certo que não, particularmente eu não sou muito adepto desta tradicional festa brasileira e nos últimos anos considerada mundial, mesmo assim vou fazer uso dela na escrita deste post para ajudar você a se sentir na avenida.

Que bom saber que mesmo neste feriadão que estamos vivendo você está dando uma passadinha aqui no meu blog, espero que esta visita possa ser muito proveitosa e enriquecedora.

No post de hoje, vou demonstrar um dos mais tracionais operadores relacionais existente no Microsoft SQL Server adicionado a partir da versão 2005, que nos permite utilizar como expressões de Table-Valued (Tabela Valorizada) dentro de outra tabela. Tenho a certeza que em algum momento você já deve ter feito uso deste operador.

Continue Lendo “#28 – Para que serve”

Microsoft SQL Server Management Studio 18.0 Preview 4 disponível

Primeira versão do Management Studio com suporte a próxima versão 2019 do Microsoft SQL Server.


No decorrer desta semana em seu grande evento Ignite 2018 realizado em Orlando, a Microsoft anunciou a disponibilidade da próxima versão do Microsoft SQL Server 2019 e também liberou para download a última versão preview do Microsoft SQL Server Management Studio 18.0.

O SQL Server Management Studio é um ambiente integrado para gerenciar qualquer infraestrutura de SQL, do SQL Server para o Banco de Dados SQL do Microsoft Azure. O SSMS fornece ferramentas para configurar, monitorar e administrar instâncias do SQL. Use o SSMS para implantar, monitorar e atualizar os componentes da camada de dados usados pelos seus aplicativos, além de construir consultas e scripts.

Através do SQL Server Management Studio (SSMS) podemos realizar consultas, criar e gerenciar seus bancos de dados e data warehouses, independentemente de onde estiverem – no computador local ou na nuvem.

De acordo com o changelog publicado aqui pela Microsoft, a versão 18.0 traz correções de bugs e novidades como o suporte para o SQL Server 2019 Preview, tamanho de download reduzido, melhorias na acessibilidade, suporte para instalação em uma pasta diferente da padrão e mais.

A Figura 1 apresentada abaixo, ilustre a tela de apresentação do novo Microsoft SQL Server Management Studio 2019 após a instalação:

Figura 1 – Tela de apresentação do Microsoft SQL Server Management Studio 18.0 Preview 4.

O Microsoft SQL Server Management Studio v18.0 Preview 4 (build 15.0.18040.0) está disponível para download, através do link: https://go.microsoft.com/fwlink/?linkid=2014662.

A Figura 2 apresentada abaixo, destaca as informações sobre esta nova versão do Microsoft SLQ Server Management Studio 18.0 Preview 4 após a instalação:
Figura 2 – Informações sobre o Microsoft SQL Server Management Studio 18.0 Preview 4.

Compatível com as versões do Microsoft SQL Server versão 2008 até 2019, bem como, para versões e arquiteturas de sistemas operacionais 64 bits: Windows 10 v1607 ou posterior, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016.

Informações sobre a versão
Número de lançamento: 18.0 (Preview 4).
Número de compilação: 15.0.18040.0.
Data de lançamento: 24 de setembro de 2018.

Idiomas disponíveis

Esta nova versão do Microsoft SQL Server Management Studio 18.0 Preview 4 esta disponível para os seguinte idiomas:

Chinese (Simplified) | Chinese (Traditional) | English (United States) | French | German | Italian | Japanese | Korean | Portuguese (Brazil) | Russian | Spanish

Importante
A instalação do Microsoft SQL Server Management Studio 18.0 Preview 4 não atualiza ou substitui as versões do Microsoft SQL Server Management Studio 17.x ou anterior.

O Microsoft SQL Server Management Studio 18.0 Preview 4 se instala lado a lado com versões anteriores para que ambas as versões estejam disponíveis para uso.

Para maiores informações acesse: https://docs.microsoft.com/en-us/sql/ssms/sql-server-management-studio-changelog-ssms?view=sql-server-2017

Para realizar o download, basta clicar na imagem abaixo:
Fontes e Direitos Autorais: Microsoft – Docs SQL Tools SQL Server Management Studio (SSMS).

Material de Apoio – Fevereiro 2018


Boa tarde.

Tudo bem? E ai esta curtindo o carnaval?

Espero que sim, eu estou aqui mais uma vez procurando colaborar e compartilhar com a comunidade técnica em mais um post dedicado exclusivamente ao meu blog. Fico feliz em encontrar você aqui fazendo mais uma visita ao meu blog, neste feriado, espero que tenha gostado do conteúdo aqui encontrado.

O post de hoje

 

Seja bem-vindo a mais um post da sessão Material de Apoio, sendo o primeiro do ano de 2018 e de número 155 no total desta sessão.

Para aqueles que já acompanham o meu blog a um certo tempo, os posts dedicados a sessão Material de Apoio, possuem o objetivo de compartilhar o conhecimento de recursos, funcionalidades e procedimentos que podemos realizar no Microsoft SQL Server.

Hoje não será diferente, estou trazendo alguns dos mais recentes scripts  catalogados nos últimos meses, que atualmente estão compondo a minha galeria de códigos formada ao longo dos anos de trabalho como DBA e atualmente como Professor de Banco de Dados.

Neste post você vai encontrar arquivos relacionados com os seguintes temas:

  • Armazenamento de arquivos;
  • Cláusula Values;
  • Comando Select;
    Comando Top;
  • Endereço de e-mails;
  • Excel;
  • Grant All Permissions;
  • Impactos na Ordenação de dados;
  • Índices;
  • Ordenação de Colunas;
  • Passwords;
  • Performance;
  • Random Character;
  • Tabelas;
  • User Defined Function; e
  • Validação de dados.

Espero que este conteúdo possa lhe ajudar em seus atividades profissionais e acadêmicas. Por questões de compatibilidade com a plataforma WordPress.com, todos os arquivos estão renomeados com a extensão .doc ao final do seu respectivo nome, sendo assim, após o download torna-se necessário remover esta extensão, mantendo somente a extensão padrão .sql.

Material de Apoio

A seguir apresento a relação de arquivos  selecionados:

1 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Realizando a validação de endereços de e-mail.sql

2 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Impacto na Ordenação de Colunas em Índice – Comandos DML.sql

3 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Generating A Password in SQL Server with T-SQL from Random Characters.sql

4 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Simple SQL Server Function to Generate Random 8 Character Password.sql

5 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Comando Select em conjunto com comando Top e cláusula Values.sql

6 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Atribuindo Grant All para todas as tabelas.sql

7 – Material de Apoio – Fevereiro 2018 – Como armazenar arquivos do Excel diretamente no SQL Server.sql

Fique a vontade para copiar, editar, compartilhar e distribuir estes arquivos com seus contatos, aproveite se possível deixe seu comentário, críticas, sugestões e observações.

Nota: Todos os arquivos disponibilizados foram obtidos ou criados com autorização de seus autores, sendo estes, passíveis de direitos autorais.

Links

Caso você queira acessar os posts anteriores da sessão, não perca tempo utilize os links listados abaixo:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/11/04/material-de-apoio-novembro-2017/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/08/08/material-de-apoio-agosto-2017/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/05/09/material-de-apoio-maio-2017/

Agradecimento

Quero agradecer imensamente a sua visita, ainda mais hoje neste feriadão prolongado de carnaval.

Não deixe de acessar os outros posts das demais sessões, o próximo post desta sessão será publicado no mês de abril, até lá continue curtindo sua vida e compartilhando suas experiência.

Até a próxima, sucesso….

Novo System Center Management Pack v7.0.2.0 para SQL Server


A Microsoft anunciou no último dia 05 de fevereiro no blog SQL Server Release Services a disponibilidade do System Center Management Pack v7.0.2.0 para as versões do SQL Server 2016, 2014, 2012 e 2008.

O Management Pack possibilita a descoberta e monitoramento de bancos de dados, agentes do SQL Server e outros componentes relacionados usando o System Center Operations Manager. De acordo com o anúncio da Microsoft, a versão 7.0.2.0 traz correções para múltiplos bugs. Um deles faz com que scripts de monitoramento falhem com o erro “No coercion operator is defined…”.

System Center Management Pack v7.0.2.0 para SQL Server

Faça o download do System Center Management Pack v7.0.2.0 para SQL Server

Download para SQL Server 2016
Download para SQL Server 2014
Download para SQL Server 2008 e 2012
Download para SQL Server Dashboards

Mais detalhes e a lista com os bugs corrigidos estão disponíveis no post com o anúncio da Microsoft.

Fontes e Direitos Autorais:  – 05/02/2018.

Windows Server Premium Assurance e SQL Server Premium Assurance já estão disponíveis


Anunciados em dezembro passado, os planos Windows Server Premium Assurance e SQL Server Premium Assurance já estão disponíveis para empresas que precisam de mais tempo de suporte para o Windows Server e SQL Server.

Windows Server Premium Assurance e a SQL Server Premium Assurance

De acordo com a Microsoft, estes planos adicionam mais seis anos de suporte para o Windows Server e para o SQL Server. Com isso o tempo mínimo de suporte para estes produtos passa a ser de 16 anos: cinco anos da fase de suporte padrão ou mainstream, cinco anos da fase de suporte estendido e o período extra de seis anos oferecido via Premium Assurance:

Este período adicional de suporte oferece atualizações de segurança classificadas como críticas e como importantes para o Windows Server e SQL Server.

De acordo com o anúncio da Microsoft, as empresas podem comprar os planos Windows Server Premium Assurance e SQL Server Premium Assurance juntos ou separadamente.

Windows Server Premium Assurance e SQL Server Premium Assurance já estão disponíveis

Os dois novos planos já estão disponíveis e os primeiros produtos cobertos por eles são o SQL Server 2008 e 2008 R2, que terão sua fase de suporte estendido encerrada em julho de 2019, e Windows Server 2008 e 2008 R2, que terão sua fase de suporte estendido encerrada em janeiro de 2020.

As ofertas Windows Server Premium Assurance e SQL Server Premium Assurance também são vendidas como complementos para produtos com Software Assurance.

Saiba mais sobre estes planos clicando aqui.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com –

#11 – Para que serve


Boa tarde, boa tarde, boa tardeeeeee…..

Tudo bem pessoal?

Hoje 16 de Dezembro, data inesquecível para qualquer corinthiano, estamos completando mais um aniversário da fantástica e memorável conquista do Mundial de Clubes da Fifa, melhor dizendo o Bi-Campeonato Mundial de Clubes em 2012.

Fico honrado com a sua ilustre visita, seja bem – vindo mais uma vez ao meu blog, espero que você consiga encontrar o que esta procurando ou algo que possa lhe agradar.

Este é mais um post da sessão Para que serve, lançada no início de 2016 e que esta chegando ao post de número 11, isso mesmo estamos no décimo primeiro post dedicado a esta sessão que aos poucos esta conseguindo se tornar uma referência de conhecimento diferenciado no meu Blog.

Após esta tradicional saudação, chegou a hora de falar sobre o #11 – Para que serve de hoje, tenho a certeza que você vai gostar….


Introdução

Como você já deve ter percebido os posts relacionados a esta sessão tem o objetivo de apresentar ou até mesmo em outros casos demonstrar como exemplos de código, aplicativos, utilitários, entre outros elementos envolvidos a banco de dados ou gerenciadores de bancos de dados dentro eles o Microsoft SQL Server podem ser utilizados para se obter uma possível solução de um problema, como em outros casos orientar na sua forma de utilização.

Para o post de hoje vou destacar um script que utilizei no decorrer desta semana, na área de uma determinada aplicação, o mesmo não foi a solução do meu problema, mas ajuda de forma considerável.

Basicamente a minha necessidade era identificar ao longo de um período de tempo quais tipos de objetos estavam gerando e acumulando cache em uma instância de banco de dados Microsoft SQL Server 2014, foi justamente para este cenário que de maneira direta realizei o uso da DMF – Dynamic Management Function – sys.dm_exec_cached_plans implementada a partir da versão 2008 do Microsoft SQL Server.

Sys.dm_exec_cached_plans

Esta foi uma das primeiras DMF adicionadas pelo time de desenvolvimento do Microsoft SQL Server na versão 2008, onde a Microsoft introduziu uma nova forma de gerenciamento um servidor ou instância de Banco de Dados.

A sys.dm_exec_cachec_plan tem como finalidade principal retornao conjunto de linhas relacionadas para cada plano de consulta armazenada em cache mantido em memória no SQL Server, possibilitando assim uma execução do conjunto de recursos que necessitam destes objetos de forma mais rápido e simplificada.

Você pode usar essa função de gerenciamento dinâmico para encontrar e identificar dados em tempo real relacionados a:

  • Cached Query Plans;
  • Cached Query Text;
  • Quantidade de memória usada pelo plan cached; e
  • Quantidade de reutilização de plan cached.

Para muitos profissionais, a sys_dm_exec_cached_plans é considerada uma das DMFs mais fácies e práticas para ser utilizada em atividades de análise e manutenção de um banco de dados, devido principalmente por possuir uma sintaxe simples que não requer parâmetros adicionais no momento da sua execução.

#11 Para que serve – Identificando os tipos de cache e quantidade armazenada no Query Plan —

Agora que conhecemos um pouco do que esta relacionada com este post, vamos então conhecer este script que poderá nos ajudar a obter todas as possíveis informações relacionadas aos tipos de cache e demais dados relacionados com esta importante área de armazenamento em memória do Microsoft SQL Server.

Para isso vamos utilizar o Bloco de Código apresentado a seguir, que demonstra como a sys_dm_exec_cached_plans pode ser utilizada:

– Bloco de Código —

sys_dm_exec_cached_plans

Realizando uma rápida análise, fica fácil observar que o uso desta DMF realmente é muito simples, como também, trata-se de um bloco de código com um nível de complexidade muito pequena, onde estamos fazendo uso do conjunto de colunas existente na própria DMF.

A parte mais complexa do código esta relacionado a contagem do total de planos gerados e armazenados em cached para cada tipo de recurso, em conjunto com o total em megabytes ocupado em memória pelo mesmo. Vale ressaltar que este bloco de código foi testado e validado a partir da versão 2008 e demais versões: R2, 2012, 2014 e também 2016.

Após executarmos o bloco de código apresentando anteriormente, o Management Studio deverá retornar um conjunto de colunas e valores similares ao apresentado na Figura 1 apresentada abaixo:

sys_dm_exec_cached_plans-2Figura 1 – Relação de tipos de cache e suas respectivas quantidades armazenadas e memória ocupada.

Agora fica mais fácil notar a existência das colunas Cache TypeTotal Plans e Total MBs, são justamentes estas as colunas que nos permitem encontrar as informações relacionadas aos tipos de cache, total de planos armazenados e espaço ocupado em memória em nosso servidor ou instância de bancos de dados Microsoft SQL Server.

Falando um pouco sobre estas três colunas é possível observar:

Cache Type: Esta coluna apresenta os tipos de cache identificados pela sys_dm_exec_cached_plans.

Total Plans: Retorna a quantidade de Plan Cached armazenadas em tempo real para os respectivos tipos de cache coletados na sys_dm_exec_cached_plans.

Total MBs: Apresenta a quantidade de memória ocupada para cada Cache Type identificados pela sys.dm_exec_plans, sendo este valor correspondente ao total armazenado ao longo do tempo de execução da instância ou servidor de banco de dados, com base, no último processo de reinicialização.

Acredito que agora ficou bem mais fácil entender os dados retornados após o processamento do bloco de código, como também, o que esta DMF pode nos oferecer de recursos em um momento de análise mais aprofundada do uso dos tipos de cached.

Referências

https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms187404.aspx

https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms189488.aspx

https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms179875.aspx

https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms189747.aspx

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar uns dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/11/15/10-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/10/08/09-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/08/06/07-para-que-serve/

Conclusão

Administrar um banco de dados não é uma tarefa das mais complicadas do mundo, mas quando se referimos em administratar um servidor de banco de dados ou conjunto de servidores de bancos de dados o cenário com certeza muda bastante.

Foi pensando neste tipo de situação que compartilhei com vocês hoje este script no #11 – Para que serve, que apresenta como podemos de maneira fácil, rápida, segura e muito prática encontrar informações relacionadas aos tipos de cache existentes no Microsoft SQL Server, suas respectivas quantidades armazenadas e principalmente o espaço ocupado.

Esta não é uma atividade que você vai realizar todos os dias, particularmente falando, foram poucas as vezes que tive a real necessidade de mergulhar mais a fundo nesta parte de uma instância ou servidor de banco de dados, mas sempre vale a pena conhecer, saber que este de funcionalidade existe e pode ser utilizada de forma rápida e prática.

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua visita, agradeço sua atenção, fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Aproveitando este final de ano, quero lhe desejar um Feliz Natal e Próspero Ano Novo.

Nos encontramos em breve, até lá…..

#10 – Para que serve


O louco meu, pleno feriadão e você esta passando por aqui no meu blog……

Que legal, sensacional, fico honrado com a sua ilustre visita, seja bem – vindo mais uma vez ao meu blog, espero que você consiga encontrar o que esta procurando ou algo que possa lhe agradar.

Este é mais um post da sessão Para que serve, lançada no início de 2016 e que esta chegando ao post de número 10, isso mesmo estamos no décimo post dedicado a esta sessão que aos poucos esta conseguindo se tornar uma referência de conhecimento diferenciado no meu Blog.

É isso ai, após esta tradicional saudação, chegou a hora de falar sobre o #10 – Para que serve de hoje, tenho a certeza que você vai gostar….


Introdução

Como você já deve ter percebido os posts relacionados a esta sessão tem o objetivo de apresentar e em alguns casos demonstrar como exemplos de código, aplicativos, utilitários, entre outros elementos envolvidos a banco de dados ou gerenciadores de bancos de dados dentro eles o Microsoft SQL Server podem ser utilizados para se obter uma possível solução de um problema, como em outros casos orientar na sua forma de utilização.

Para o post de hoje vou destacar um script que utilizei recentemente e posso dizer que foi de grande ajuda, mas antes de apresentar este recurso vou destacar um pouco sobre alguns elementos relacionados a ele, dentre os quais destaco File Growth.

File Growth

E ai você já ouviu falar file growth, ou simplesmente crescimento de arquivo de dados ou log? Se você é um administrador de banco de dados, ou um profissional que já trabalha a algum tempo com o banco de dados, tenho a certeza que já deve ter ouvido falar sobre a importância de se saber como esta configurado o fator de crescimento de um banco de dados e seu arquivos de transações.

Trata-se de uma configuração que pode ser aplicada durante a criação de um banco de dados ou posteriormente, sua importância esta totalmente relacionada ao espaço de armazenamento de dados durante sua utilização, o que poderá impactar na capacidade física de uma unidade de disco em gerenciar o quanto estes arquivos podem consumir e alocar espaço em disco no decorrer do seu tempo de vida.

Ao definir a forma de crescimento ou até mesmo o quanto este arquivo poderá ou não crescer de forma ilimitado o Microsoft SQL Server vai trabalhar no processo de alocação, escrita e manipulação da estrutura física e lógica tanto para os arquivos de dados, como principalmente para os arquivos de log.

Justamente sendo estes os arquivos que normalmente consomem um grande espaço física das unidades de disco para catalogar todas as operações processadas em um banco de dados que devem ser registradas em sua estrutura.

Para este tipo de cenário os gerenciadores de banco de dados através de seu mecanismo de Storage Engine observam e monitoram o que esta sendo processado e armazenado dentro de cada arquivo, caso o mesmo tenho que crescer para alocar uma nova área é com base nas configurações de File Growth definidas para o respectivo arquivo que este crescimento poderá ser realizado em fatores de Kilobytes, Megabytes, Gigabytes ou até mesmo em valores de porcentagem.

#10 Para que serve – Obtendo informações sobre database filegrowth —

Agora que conhecemos um pouco que esta relacionada com este post, vamos então conhecer este script que poderá nos ajudar a obter todas as possíveis informações relacionadas ao fator de crescimento de nossos bancos de dados e suas respectivas estruturas de dados e log.

— Bloco de Código —

filegrowth

Muito bem, observe que este código é bastante simples, estamos basicamente fazendo uso das catalogs views existentes no Microsoft SQL Server desdes suas primeiras versões o que nos permite dizer que este bloco de código pode ser aplicado facilmente a partir da versão 2005 em qualquer nível de edição, além disso, o mesmo já foi testado e aprovado nas últimos duas edições 2014 e 2016.

Após executarmos o bloco de código apresentando anteriormente, o Management Studio deverá retornar um conjunto de colunas e valores similares ao apresentado na Figura 1 apresentada abaixo:

filegrowth1Figura 1 – Relação de bancos de dados e informações sobre o filegrowth.

Podemos notar a existência das colunas AutoGrowthStatus, GrowthValue e GrowthIncrement, são justamentes estas as colunas que nos permitem encontrar as informações relacionadas aos fatores de crescimento configurados para cada banco de dados armazenado em nosso servidor ou instância de bancos de dados Microsoft SQL Server.

Falando um pouco sobre estas três colunas é possível observar:

AutoGrowthStatus: Esta coluna apresenta o status da propriedade Auto Growth, sendo esta definida para informar e o arquivo deverá ou não crescer de forma automática.

GrowthValue: Apresenta que pode ser informado a partir de 0 (zero) que indica ao Microsoft SQL Server que o determinado banco de dados não deverá crescer. Os demais valores podem representar uma indicação de crescimento em tamanho fixo ou até mesmo em porcentagem.

GrowthIncrement: Mostra a forma de incremento do fator de crescimento do banco de dados, sendo orientado e calculado através do número de páginas de dados, se o valor apresentado for igual á 0 (zero) significa que este banco de dados não terá seu crescimento realizado, qualquer outro valor acima de 0 (zero) significa que este banco de dados será impactado em algum momento pelo valor definido nas configurações do crescimento do banco de dados. Vale ressaltar que este valor esta relacionado ao tamanho de 8Kb (Kilobytes) para cada página de dados.

Após esta análise posso dizer que fica mais fácil descobrir qual banco de dados poderá apresentar problemas de crescimento acima no normal ou simplesmente aquele banco de dados que necessita crescer além do estimado.

Referências

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/ms181338(v=sql.110).aspx

https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms178534.aspx

https://msdn.microsoft.com/en-us/library/bb522469.aspx

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar uns dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/08/06/07-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2016/08/06/07-para-que-serve/

Conclusão

Administrar um banco de dados não é uma tarefa das mais complicadas do mundo, mas quando se referimos em administratar um servidor de banco de dados ou conjunto de servidores de bancos de dados o cenário com certeza muda bastante.

Foi pensando neste tipo de situação que compartilhei com vocês hoje este script no #10 – Para que serve, que apresenta como podemos de maneira fácil, rápida, segura e muito prática encontrar informações relacionadas ao file growth, ou simplesmente fator de crescimento.

Considerada uma das configurações mais importantes de um qualquer banco de dados alocado em uma instância ou servidor Microsoft SQL Server.

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua visita, agradeço sua atenção, fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Até mais.