Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6. Disponível para MySQL, SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase), Oracle Database, IBM DB2 e Access, o Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

A ferramenta automatiza todos os aspectos da migração. A versão 7.6 inclui o suporte para:

– Migração do MySQL 4.1 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase) 11.9 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do Oracle Database 9.0 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, Azure SQL DB e Azure SQL Data Warehouse.

– Migração do IBM DB2 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.7 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

IMPORTANTE: A versão 32 bits da ferramenta foi descontinuada. Ela está disponível agora somente para plataformas 64 bits.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6

Baixe o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6

Download da versão 7.6 para MySQL
Download da versão 7.6 para Access
Download da versão 7.6 para SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase)
Download da versão 7.6 para Oracle Database
Download da versão 7.6 para IBM DB2

O Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6 é compatível com o Windows 10, Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016. Ele também requer o .NET Framework 4.5.2 ou posterior.

As páginas de download também listam alguns requisitos específicos, como MySQL Connector/ODBC e SAP ASE OLEDB/ADO.Net/ODBC provider.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com – https://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=54258&WT.mc_id=rss_alldownloads_all – 25/09/2017.

Anúncios

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.3


A Microsoft disponibilizou para download o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.3. Disponível para MySQL, Sybase, Oracle Database, IBM DB2 e Access, o Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

A ferramenta automatiza todos os aspectos da migração. A versão 7.3 inclui o suporte para:

– Migração do MySQL 4.1 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do Sybase ASE 11.9 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do Oracle Database 9.07.3 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do IBM DB2 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.8 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

Nota: A versão 7.3 também traz suporte preliminar para o SQL Server vNext CTP para Windows e Linux.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.3

Baixe o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.3

Download da versão 7.3 para MySQL
Download da versão 7.3 para Sybase
Download da versão 7.3 para Oracle Database
Download da versão 7.3 para Access
Download da versão 7.3 para IBM DB2

O Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.3 é compatível com o Windows 10 , Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012 e Windows Server 2012 R2. Ele também requer o .NET Framework 4.0 ou posterior.

As páginas de download também listam alguns requisitos específicos, como MySQL Connector/ODBC v5.1 e Sybase OLEDB/ADO.Net/ODBC provider.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com –

Microsoft SQL Server Migration Assistant 7.2


A Microsoft disponibilizou para download no dia 23 de dezembro o SQL Server Migration Assistant 7.2. Disponível para MySQL, Sybase, Oracle Database, IBM DB2 e Access, o Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

A ferramenta automatiza todos os aspectos da migração. A versão 7.2 inclui o suporte para:

– Migração do MySQL 4.1 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do Sybase ASE 11.9 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do Oracle Database 9.07.3 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

– Migração do IBM DB2 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.8 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016 e Azure SQL DB.

Nota: A versão 7.2 também traz suporte preliminar para o SQL Server vNext CTP para Windows e Linux.

Microsoft SQL Server Migration Assistant 7.2

Baixe o Microsoft SQL Server Migration Assistant 7.2

Download da versão 7.2 para MySQL
Download da versão 7.2 para Sybase
Download da versão 7.2 para Oracle Database
Download da versão 7.2 para Access
Download da versão 7.2 para IBM DB2

O Microsoft SQL Server Migration Assistant 7.2 é compatível com o Windows 10 , Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012 e Windows Server 2012 R2. Ele também requer o .NET Framework 4.0 ou posterior.

As páginas de download também listam alguns requisitos específicos, como MySQL Connector/ODBC v5.1 e Sybase OLEDB/ADO.Net/ODBC provider.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com

#06 – Para que serve


Muito boa tarde pessoal……

Mais um dia lindo de muito sol e um pouco de calor para alegrar este sábado! Estou retornando com mais um post dedicado a sessão Para que Serve, sendo este o sexto post desta sessão criada no início de 2016, já passamos da metade do ano.

Pois bem, no post de hoje quero compartilhar com vocês um desafio que passei esta semana realizando a migração de alguns bancos de dados que estavam hospedados em um servidor com o Microsoft SQL Server 2008 R2 Enterprise para um outro servidor rodando o Microsoft SQL Server 2014 Standard.

A princípio algo que parece ser bastante tranquilo pois estamos falando de um upgrade de versão, mas na verdade seria um downgrade de edição, isso mesmo estaria evoluíndo no número da versão mas baixando o nível em relação ao tipo da edição. Foi justamente ai que surgiu o desafio identificar quais recursos meus atuais bancos de dados armazenados na edição Enterprise poderiam ser migrados diretamente para a edição Standard sem correr riscos ou se possível tentar limitar o máximo possível de impactos.

Neste momento, comecei a pensar como poderia realizar este tipo de procedimento de uma maneira fácil, ágil e simples, por alguns instantes pensei que poderia fazer uso do Upgrade Advisor, mas precisa de algo que como eu destaquei acima mais rápido e simples, além disso, uma funcionalidade existente dentro do Management Studio.

Por alguns instantes minha cabeça começou a processamento, me senti um Tom Hanks em um dos seus filmes da série O código da Vinci (nossa quem ve parece que isso seria possível kkkkk) foi como tivesse ocorrido um estálo, um momento de pura nostalgia me fazendo lembrar dos treinamentos de SQL Server 2008 e R2 que ministrei anos atrás(kkkk isso já faz tempo).

Voltando a realidade deixando de lado o momento de ator,  para minha alegria acabei rememorando uma das mais interessantes DMVs – Dynamic Management Views (Visão de Gerenciamento Dinâmica), estou me referindo a: sys.dm_db_persisted_sku_features implementada pela equipe de desenvolvedores e engenheiros do SQL Server a partir da versão 2008 e mantida até as atuais versões incluíndo a nova 2016.

E ai, você conhece esta funcionalidade? Já utilizou? Sabe para que ela serve?

Pois bem, estas e outras possíveis perguntas serão respondidas a partir de agora em mais este post da sessão Para que Serve!


Começa agora o #06 – Para que serve.

Quando pensamos em realizar a migração de um ou mais bancos de dados normalmente temos a necessidade de identificar os possíveis riscos e impactos que esta atividade pode apresentar, para muitos profissionais de banco de dados, administradores, gestores, enfim aqueles que de alguma maneira estão envolvidos neste tipo de cenário querer tentar fazer este procedimento no menor tempo possível, visando gerar o tão temido downtime!!! Isso mesmo tempo de parada que os sistemas podem ficar fora do ar.

Normalmente quando estamos se referindo ao Microsoft SQL Server existem alguns pontos de muito atenção que devemos se atentar um deles é a versão e edição que estamos atualmente utilizando mapeando seus recursos e funcionalidades através de um check-list gerando como resultado um mapeamento de compatilidade para estabelecer o nível de aderencia para a futura versão que vamos utilizar, ainda mais se estiverem planejando realizar o downgrade de edição em conjunto com o upgrade de versão.

Pensando nestes riscos e principalmente no mapeamento a Microsoft introduziu a partir da versão 2008 a DMV sys.dm_db_persisted_sku_features que nos permite de maneira rápida e fácil através do management studio ou via script identificar quais as funcionalidades exclusivas da edição Enterprise que podem estar sendo utilizadas. Como você a edição enterprise apresenta um lista de recursos e funcionalidades exclusivos que tornam esta a edição mais completa e poderosa de todas as edições disponíveis para se utilizar em relação ao SQL Server, dentre estas funcionalidades destaco as mais conhecidas:

Seguindo em frente, agora que já conhecemos algumas das funcionalidades exclusivas da edição Enterprise tendo como base as versões do SQL Server 2008 R2 até a versão 2016, vamos então fazer uso da sys.dm_db_persisted_sku_features, para isso vamos conecte em seu servidor SQL Server, abra uma nova query em seguida execute o bloco de código 1 apresentado abaixo:

— Código 1 — Consultando a lista de recursos habilitados —

Use Master

Go

Select * from sys.dm_db_persisted_sku_features

Go

Pronto, simples e prático, é possível notar que nosso Management Studio retornou um select contendo as colunas:

  1. feature_name = Nome da funcionalidade; e
  2. feature_id = Id ou código da funcionalidade.

Mas nenhum dado foi apresentado em ambas as colunas, isso representa que o banco de dados Master não esta fazendo uso de nenhum recurso exclusivo da edição Enterprise. Então vamos similar o uso de uma funcionalidade exclusiva, para isso vou utilizar como exemplo a CDC ou Change Data Capture, introduzida a partir da versão 2008 SQL Server posteriormente se tornou um recurso nativo do SQL Server. Desta forma, vamos utilizar o bloco de código 2 apresentado abaixo:

— Código 2 — Simulando o uso de uma funcionalidade exclusiva da edição Enterprise

— Criando o Banco de Dados CDC —
Create Database CDC
Go
— Habilitando o CDC para o Banco de Dados —
Use CDC
Go
Exec sys.sp_cdc_enable_db
Go
— Criando a Tabela de Exemplo —
Create Table Produtos
(Codigo Int Identity(1,1) Primary Key,
Descricao VarChar(20))
Go
— Habilitando o Change Data Capture para trabalhar sobre a table Produtos —
EXECUTE sys.sp_cdc_enable_table
@source_schema = N’dbo’,
@source_name = N’Produtos’,
@role_name = N’cdc_Admin’;
GO
Ufa estamos quase lá, agora vamos executar novamente o select na dmv sys.dm_db_persisted_sku_features 1 e observar o retorno de dados apresentados pelo Management Studio:

Select * from sys.dm_db_persisted_sku_features

Go

Muito bem, agora sim, observando o resultado do nosso select podemos notar claramente que estamos fazendo uso de uma funcionalidade exclusiva da edição Enterprise, neste caso será apresentado os seguintes valores:

  1. feature_name = ChangeCapture; e
  2. feature_id = 400.
Legal, muito legal mesmo, que fantástico, como o SQL Server é surpreende, sinceramente esse produto esta sempre me supreendendo com sua capacidade de recursos e funcionalidades, com base, neste simples select fica bem mais fácil obter a lista de funcionalidade exclusivas que estamos utilizando e com isso definir toda a estratégia para migração, upgrade ou qualquer outra técnica que podemos adotar para evitar o máximo possível de riscos e impactos para
nosso ambiente, como também, não proporcionar algum tipo de downtime.
Vale ressaltar que este tipo de recurso pode ser muito útil em ambientes considerados pequenos, mas que pode também ser analisado para cenários mais complexos e críticos.
Sucessooooooo, chegamos ao final de mais um post, tenho a certeza que agora vai ser mais fácil planejar qualquer migração de banco de dados ou versão de SQL Server antes mesmo de realizar esta tão misteriosa, intrigante e talvez complexa atividade.

Valeu galera!

Espero que você tenha gostado, que as informações compartilhadas aqui possam lhe ajudar a se tornar cada vez um profisisonal de banco de dados mais reconhecido e valorizado, algo que atualmente as empresas estão deixando muito de reconhecer o verdadeiro papel de um DBA que muitas vezes passa despercebido, mas é de grande e extremo valor para qual instituição, empresa ou corporação.

MICROSOFT SQL SERVER MIGRATION ASSISTANT V6.0.1


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o Microsoft SQL Server Migration Assistant v6.0.1. Disponível para MySQL, Sybase, Oracle Database, IBM DB2 e Access, o Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v6.0.1

Microsoft SQL Server Migration Assistant v6.0.1 está disponível para MySQL, Sybase, Oracle Database, IBM DB2 e Access

A ferramenta automatiza todos os aspectos da migração e a versão 6.0.1 inclui o suporte para migração do MySQL 4.1 e posteriores, Sybase ASE 11.9 e posteriores, Oracle Database 9.07.3 e posteriores, e Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2005, SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014 e para o Azure SQL.

No caso do IBM DB2, ele suporta a migração das versões 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.8 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014 e Azure SQL.

O Microsoft SQL Server Migration Assistant v6.0.1 é compatível com o Windows 10 , Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012 e Windows Server 2012 R2. Ele também requer o .NET Framework 4.0 ou posterior.

BAIXE O MICROSOFT SQL SERVER MIGRATION ASSISTANT V6.0.1

Download da versão 6.0.1 para MySQL
Download da versão 6.0.1 para Sybase
Download da versão 6.0.1 para Oracle Database
Download da versão 6.0.1 para Access
Download da versão 6.0.1 para IBM DB2

As páginas de download também listam alguns requisitos específicos, como MySQL Connector/ODBC v5.1 e Sybase OLEDB/ADO.Net/ODBC provider.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – SID VICIOUS @ 3 MAR 2016 | 10:03 AM

MICROSOFT ALERTA PARA O FIM DO SUPORTE DO SQL SERVER 2005 EM ABRIL


A Microsoft confirmou no site do SQL Server o fim do suporte do SQL Server 2005 no dia 12 de abril de 2016. Este prazo também afeta a versão Express, que é gratuita.

O SQL Server 2005 está atualmente na fase de suporte estendido e depois desta data ele deixará de receber novas atualizações de segurança.

Microsoft alerta para o fim do suporte do SQL Server 2005 em abril

A Microsoft confirmou no site do SQL Server o fim do suporte do SQL Server 2005 no dia 12 de abril de 2016. Este prazo também afeta a versão Express, que é gratuita

FIM DO SUPORTE DO SQL SERVER 2005

Empresas que ainda estão rodando a versão 2005 terão que migrar para uma versão mais recente e suportada do SQL Server se quiserem manter seus ambientes seguros.

Com o fim do suporte do SQL Server 2005, ele não receberá mais nenhuma atualização de segurança. Com isso ele ficará vulnerável a ataques caso novas vulnerabilidades sejam descobertas depois do dia 12 de abril de 2016.

De acordo com a Microsoft, o SQL Server 2014, que é versão mais recente, é 13 vezes mais rápido do que a versão 2005.

Para quem está preocupado com o fim do suporte do SQL Server 2005, a Microsoft colocou no ar uma página com informações úteis para empresas e profissionais de TI.

Disponível aqui, a página oferece informações sobre o upgrade, link para download da versão de avaliação do SQL Server 2014, link para download do SQL Server 2014 Express, link para o Microsoft Assessment and Planning Toolkit, e mais.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – SID VICIOUS @ 3 MAR 2016 | 3:55 PM

SQL Server 2016 Upgrade Advisor Preview v1.3


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana a versão 1.3 do SQL Server 2016 Upgrade Advisor Preview. A versão 2016 do novo SQL Server também está em fase de testes e mais detalhes podem ser encontrados aqui.

SQL Server 2016 Upgrade Advisor Preview v1.3

SQL Server 2016 Upgrade Advisor Preview v1.3

O SQL Server 2016 Upgrade Advisor Preview é uma ferramenta que permite que os usuários de versões anteriores do SQL Server verifiquem seus bancos de dados e detectem possíveis problemas quem podem ocorrer na migração para o SQL Server 2016.

A ferramenta também oferece ajuda na adoção de novos recursos do SQL Server 2016, como Stretch Database, ao analisar e adequar as tabelas existentes dos bancos de dados.

Disponível para download aqui, a versão 1.3 do SQL Server 2016 Upgrade Advisor Preview é compatível com as versões 64 bits do Windows 7, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2 SP1 e Windows Server 2012 R2. Ele também requer o .NET Framework 4.5 ou posterior.

O changelog da versão 1.3 da ferramenta ainda não está disponível.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious @ 25 nov 2015 | 8:34 am

Ainda usa o Windows XP? Veja três razões para migrar agora!


Você precisa mesmo abandonar o Windows XP. Sério. Ele foi um bom sistema operacional e ainda é amado por muitos usuários, mas… tem mais de uma década de vida! E na velocidade com que o mundo da tecnologia evolui, isso o torna quase uma relíquia. E embora ele pareça funcionar bem, o ditado “em time que está ganhando não se mexe” não se aplica ao Windows XP. Ele está perdendo, de várias formas, e quando deixar de ser oficialmente suportado pela Microsoft, em Abril, será oficialmente rebaixado à categoria de “peça de museu”.

Você nem precisa migrar para o Windows 8.1, o Windows 7 já é o bastante. E se você ou algum teimoso que conhece ainda precisa ser convencido a mudar, estas três razões devem ser o suficiente.

1. Produtividade

Olhando de longe, o Windows XP parece produtivo o suficiente. Ele roda os aplicativos de que você precisa, baixa seus e-mails e lhe permite navegar na web. Mas quando você olha de perto, vê que as versões mais recentes do Windows tem recursos que permitem que você trabalhe de forma mais eficiente.

O Aero Snap, um recurso que surgiu no Windows 7, torna muito mais simples tarefas como maximizar, minimizar e organizar janelas, basta arrastá-las para os cantos da tela. Arraste para cima para maximizar, para baixo para minimizar, e para a esquerda ou direita para prender a janela à metade correspondente da tela. Quando você começa a usar o Aero Snap ele parece apenas uma curiosidade de pouco valor, mas rapidamente se torna algo natural. E depois de usá-lo por um tempo, você irá descobrir que ele simplifica seu trabalho e irá se arrepender do tempo que perdeu arrastando janelas pra lá e pra cá no Windows XP.

O Windows 8 tem outro recurso que pode lhe ajudar a economizar ainda mais tempo: o File History é similar ao “Time Machine” no Mac OS X: ele analisa seus arquivos a cada duas horas e armazena cópias das mudanças incrementais ao longo do tempo. Se você por acidente sobrescrever uma apresentação crucial, ou decidir abandonar as mudanças e voltar às coisas como era algumas horas atrás, é fácil restaurar um arquivo a qualquer ponto em sua história.

Outro recurso que economia tempo é a Manutenção Automática (Automatic Maintenance), que cuida daquelas pequenas e tediosas tarefas que são necessárias para manter seu PC bem ajustado e otimizado, como a desfragmentação do HD, varreduras contra malware, atualizações do sistema operacional e testes de diagnóstico, enquanto você dorme.

Depois que você se acostumar com estes recursos no Windows 7 ou Windows 8, irá se perguntar como conseguiu viver sem eles por tanto tempo.

2. Novas tecnologias

Usar um sistema operacional que tem mais de uma década de vida irá colocá-lo numa situação difícil quanto aos periféricos e dispositivos que você pode usar com ele. À medida em que novas tecnologias são desenvolvidas, elas geralmente são projetadas com os sistemas operacionais mais recentes em mente, e provavelmente não serão suportadas no Windows XP.

O USB 3.0 é um bom exemplo. A maioria dos dispositivos baseados nesse padrão deve funcionar, tecnicamente falando, no Windows XP porque eles são compatíveis com o padrão anterior. Mas irão entrar em “modo de compatibilidade” com o USB 2.0 e transferir dados com um décimo do desempenho potencial do USB 3.0. E note que mesmo o USB 3.0 está ficando “velhinho” e eventualmente será substituído por tecnologias ainda mais rápidas das quais o Windows XP não saberá fazer proveito.

Não importa se você está falando de impressoras sem fios, teclados Bluetooth ou monitores 4K, será difícil, e às vezes impossível, encontrar drivers e suporte para que as novas tecnologias funcionem com o Windows XP.

3. Segurança

Esse é o principal motivo. Mesmo hoje o Windows XP é inerentemente mais arriscado, e quando a Microsoft encerrar o suporte ao sistema, em Abril, seu PC estará praticamente indefeso. No início de dezembro a Microsoft lançou um boletim de segurança avisando os usuários sobre uma vulnerabilidade “dia zero” no Windows XP. Segundo relatos esta falha está sendo ativamente explorada pelos malfeitores, mas não afeta as versões mais recentes do Windows.

Especialistas em segurança acreditam que os criminosos possam estar “estocando” falhas do Windows XP, aguardando o fim do suporte oficial. Neste ponto não haverá mais boletins de segurança ou correções de falhas críticas no sistema, e a temporada de “caça ao usuário” estará aberta.

Tim Rains, diretor de “Trustworthy Computing” na Microsoft, avisou os usuários do Windows XP de um outro problema em potencial. Criminosos frequentemente esperam um desenvolvedor lançar um patch e então fazem a “engenharia reversa” da atualização para descobrir qual falha ela corrige e projetar um ataque para explorá-la. Após o fim do suporte ao Windows XP, os criadores de malware podem começar a analisar os patches do Windows 7 e 8 em busca de falhas que também se apliquem ao XP e, se elas existirem, criar um ataque. E sem suporte, não haverá patches para proteger o Windows XP.

migrarxp_seguranca-580px.jpg Segundo a 15ª Edição do Security Intelligence Report da Microsoft, o número de máquinas com Windows XP infectadas por malware é mais de 6x maior que o de máquinas infectadas rodando o Windows 8.1 de 64 Bits

O mais recente Security Intelligence Report da Microsoft mostra que quando exposto a um volume similar de ameaças em potencial do Windows XP SP3 tem uma taxa de infecção por malware quase duas vezes superior à do Windows 7e e 650% superior à do Windows 8 em um sistema de 64 Bits. Máquinas com o Windows XP são mas propensas a invasão e infecção do que as que rodam versões mais novas do Windows. Os efeitos destas invasões são tipicamente muito mais insidiosos, e a eliminação da ameaça geralmente toma mais tempo.

Foi bom enquanto durou

O Windows XP foi um sistema operacional incrível, e podemos dizer que foi a melhor versão na história do Windows. Mas o Windows 7 é um sucessor digno de seu legado, e o Windows 8.1 também é um excelente sistema operacional. E ao se apegar ao Windows XP você está perdendo recursos e tecnologias que podem ajudá-lo a trabalhar de forma mais eficiente e simplificar sua vida.

Mesmo que isso não o atraia, a realidade é que o Windows XP será um pesadelo de segurança quando o suporte acabar, e insistir em usá-lo será algo impraticável, se não impossível.

Fontes e Direitos Autorais: Tony Bradley, PCWorld EUA – 02 de janeiro de 2014 às 07h00.

Internet começa a migrar para o IPv6 nesta quarta-feira


São Paulo – A Internet Society agendou para esta quarta-feira (06) o início da campanha de troca do atual protocolo IPv4 para a próxima geração IPv6. O objetivo da mudança é ampliar o número de IPs (número que identifica cada dispositivo conectado à rede) disponíveis.

Fornecedoras de equipamentos, provedores e empresas de conteúdo, como Akamai, AT&T, Cisco, Facebook, Google, Bing, Yahoo! etc. são algumas das companhias que apoiam a causa.

Apesar da mudança, a maioria dos usuários não deve sentir diferenças.  “99,95% das pessoas será capaz de acessar os serviços sem interrupção. Caso eles não se conectem via IPv6, serão redirecionados para o protocolo IPv4. No entanto, como acontece com qualquer tecnologia de próxima geração, pode haver falhas”, afirmou o Google, em junho do ano passado, ao anunciar um teste de migração.

O IPv6 é o formato que vai substituir o atual padrão IPv4, baseado em 32 bits, que possui limite de 4,3 bilhões de combinações. A popularização de smartphones, tablets e outros dispositivos conectados forçou a ampliação do número de IPs.

Com o novo formato, o total de combinações disponíveis salta para 340 undecilhões (ou 3.4×10 elevado a 38).

Fontes e Direitos Autorais: , de INFO Online • Quarta-feira, 06 de junho de 2012 – 09h29.

FIA atualiza portal e aprimora gestão de conteúdo com solução Microsoft


A Fundação Instituto de Administração (FIA) reformulou, em janeiro deste ano, seu portal para garantir mais facilidade na organização, gestão e publicação do conteúdo. Acessada por alunos, professores, pesquisadores e interessados em serviços de consultoria, o site da instituição tinha navegação difícil e, internamente, era administrado por uma série de profissionais.
O gerente de marketing da FIA, Roberto Alonso, explica que eram milhares de páginas para serem gerenciadas, o que tornava o trabalho lento e complicado. “Cada informação estava em uma página diferente, e a estrutura não permitia alterações simples”, conta.
Depois de analisar websites de universidades em todo o mundo, o Departamento de Tecnologia da Informação da FIA percebeu que era hora de evoluir e encontrou a solução na plataforma de colaboração Microsoft SharePoint. “Queríamos uma plataforma amigável, colaborativa e com design adequado ao nosso posicionamento”, lembra Alonso.
De acordo com a FIA, o portal trouxe mais facilidade na organização, gestão e publicação do conteúdo. Houve ainda aumento no número de páginas visitadas, já que as informações são encontradas com mais rapidez e clareza, garante o executivo. “Houve um salto de qualidade na comunicação com todos os públicos estratégicos da instituição”, assinala Paes.
A FIA também conseguiu reduzir significativamente o número de páginas administradas. “O portal agora representa a imagem da instituição: uma escola de negócios com um conteúdo diferenciado e nobre”, finaliza Alonso.

Fontes e Direitos Autorais: ComputerWorld – Da Redação – 29 de maio de 2012 – 09h00.