#21 – Para que serve


Olá, pessoal, bom dia.

Tudo bem? E a i como esta a loucura na sua cidade, devido a esta paralisação dos caminhoneiros em todo Brasil? Posso dizer que aqui em São Roque, interior do estado de São Paulo não esta nada fácil.

Independente da falta de combustível, gás de cozinha, entre outras coisas, não me pode faltar força de vontade e disposição para estar aqui no meu blog, publicando mais um post da sessão Para que serve, sendo este o post de número 21.

É a vida de um DBA e MVP não é fácil, mesmo com o Brasil muito prejudicado e praticamente parado, tenho alguns afazeres para hoje, por este e outros motivos, acordei bem cedo para compartilhar com vocês um dos novos recursos adicionados ao Microsoft SQL Server 2017.

Como todos nós já sabemos, a cada nova versão que a Microsoft disponibilizado do SQL Server, uma nova avalanche de conceitos, funcionalidades, comandos e diversidade de possibilidades são adicionadas ao produto, no post de hoje vou apresentar propriamente uma nova funcionalidade deste fascinante Sistema Gerenciador de Banco de Dados, que veio justamente para ser um divisor de águas em uma das principais atividades de qualquer DBA, o tão temido processo de reindexação(reindex) ou reconstrução(rebuild) de índices em nossos ambientes de bancos de dados.

Acredito que você Administrador de Servidores, DBA ou Profissional de TI, já deve ter se deparado por algum momento em situações que necessitavam ou requeriam o processamento de atividades relacionadas aos procedimentos de manutenção de um ou mais índices existentes em um banco de dados, e ai aquela tão ingrata pergunta.

A que horas vamos realizar este procedimento sem impactar em nossos ambientes? E logicamente você já se deparava em seus pensamentos: “Meu deus, vou ter que passar mais uma noite acordado, fazendo manutenções….” Posso dizer por experiência própria que esta é uma da mais duras realidades que eu já enfrentei nesta minha longa jornada de profissional de TI desde 1994… Mas seguinte em frente, a partir do Microsoft SQL Server 2017 isso mudou, o time de engenheiros e desenvolvedores desta nova versão adicionaram um novo recurso denominado “Resumable Online Index Rebuilds”, em uma simples tradução “Reconstrução Online de Índice resumível”, ou seja, a possibilidade de reconstruir um índice de forma online de acordo com a sua necessidade, tendo a possibilidade de interromper o processo de reconstrução sem correr qualquer risco de perda.

Isso não é coisa de outro mundo? A resposta é não, isso é coisa do Microsoft SQL Server 2017.

Sendo assim, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre o post de número 21 da sessão Para que serve. Então seja bem vindo ao #21 – Para que serve – Resumable Online Index Rebuilds.

Espero que você goste….


Introdução

Quando decidimos trabalhar na área de tecnologia, em diversos momentos temos que saber que esta é um das diversas áreas profissionais que no decorrer da nossa carreira somos obrigados a praticamente abrir mão de nossa vida sociais, familiar e até mesmo pessoal.

Trabalhar na área de tecnologia da informação, nos dias de hoje tem mudado muito se comparado ao início dos anos 80, 90 e provavelmente a partir dos anos 2000 isso mudou mais ainda, principalmente para aqueles que optaram assim como eu para trabalhar com banco de dados, quem nunca teve que passar horas e horas madrugada a dentro realizando manutenções em seus ambientes de bancos de dados, com a “simples” missão de tudo estar funcionando a partir de um determinado horário, é parece fácil, parece ser algo simples, parece ser algo suportável, mas não é, e pensando nisso(demorou) que a partir da versão 2017 do Microsoft SQL Server, nós Administradores de Bancos de Dados e Profissionais de Tecnologia, temos a possibilidade de realizar algumas das mais preocupantes atividades de administração de bancos de dados de uma maneira mais usual, simples e pode-se dizer “humana” que é a atividade de reconstrução de índice.

As atividades relacionadas a manutenções de bancos de dados, ainda mais aquelas relacionadas diretamente a índices, são por diversas vezes as mais demoradas, atividades que dependem totalmente do uso de CPU e Disco, recursos físicos de hardwares que podem apresentar em algum momento sobrecarga de processamento, ocasionando situações de contenção “gargalos”, lentidão na leitura e escrita de dados, que nos obrigam a ter que interromper as atividades em execução ou planejadas a posterior.

Legal, acredito que você já tenha conhecido um pouco sobre este recurso de forma conceitual, vamos agora colocar a mão nos teclados e conhecer de forma prática como fazer dele, para isso vamos preparar nosso ambiente a partir de agora.

Criando o Ambiente

Para realizar nossa simples prática, começaremos pela execução do Bloco de Código 1, responsável por criar a seguinte estrutura:

  • Database: ResumableOnlineIndexRebuilds;
  • Table: ResumableOnlineIndexRebuildsTable;
  • Clustered Index: PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo; e
  • Data Compression: Page.

— Bloco de Código 1 —
— Criando o Banco de Dados —
Create Database ResumableOnlineIndexRebuilds
Go

— Acessando o Banco de Dados —
Use ResumableOnlineIndexRebuilds
Go

— Criando a Tabela ResumableOnlineIndexRebuildsTable —
Create TABLE ResumableOnlineIndexRebuildsTable
(Codigo int IDENTITY(1,1) NOT NULL,
Cliente int NOT NULL,
Vendedor varchar(30) NOT NULL,
Quantidade smallint NOT NULL,
Valor numeric(18, 2) NOT NULL,
Data date NOT NULL
Constraint [PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo] Primary Key (Codigo))
WITH(Data_Compression=PAGE)
Go

Perfeito, ambiente criado, vamos para o próximo passo, Bloco de Código 2, responsável por inserir um massa de dados aleatória, com uma quantidade de linhas de registros que pode variar de 1 até 1.ooo.ooo(milhão de linhas), contar quantas linhas temos em nossa tabela e seu espaço de alocado:

— Bloco de Código 2 —
— Inserindo a Massa de Dados na Tabela ResumableOnlineIndexRebuildsTable —
Declare @Texto Char(130),
@Posicao TinyInt,
@ContadorLinhas Int

Set @Texto = ‘0123456789@ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ\_abcdefghijklmnopqrstuvwxyzŽŸ¡ÀÁÂÃÄÅÆÇÈÉÊËÌÍÎÏÐÑÒÓÔÕÖÙÚÛÜÝàáâãäåæçèéêëìíîïðñòóôõöùúûüýÿ’ — Existem 130 caracteres neste texto —

Set @ContadorLinhas = Rand()*1000000 — Definir a quantidade de linhas para serem inseridas —

While (@ContadorLinhas >=1)
Begin

Set @Posicao=Rand()*130

If @Posicao <=125
Begin
Insert Into ResumableOnlineIndexRebuildsTable (Cliente, Vendedor, Quantidade, Valor, Data)
Values(@ContadorLinhas,
Concat(SubString(@Texto,@Posicao+2,2),SubString(@Texto,@Posicao-4,4),SubString(@Texto,@Posicao+2,4)),
Rand()*1000,
Rand()*100+5,
DATEADD(d, 1000*Rand() ,GetDate()))
End
Else
Begin
Insert Into ResumableOnlineIndexRebuildsTable (Cliente, Vendedor, Quantidade, Valor, Data)
Values(@ContadorLinhas,
Concat(SubString(@Texto,@Posicao-10,1),SubString(@Texto,@Posicao+4,6),SubString(@Texto,@Posicao-12,3)),
Rand()*1000,
Rand()*100+5,
DATEADD(d, 1000*Rand() ,GetDate()))

End

Set @ContadorLinhas = @ContadorLinhas – 1
End

Observação: A quantidade de linhas e tempo de processamento vai depender única e exclusivamente do hardware que você esta utilizando.

— Contando a quantidade de linhas da Tabela ResumableOnlineIndexRebuildsTable —
Select Count(*) From ResumableOnlineIndexRebuildsTable
Go

— Descobrindo o tamanho da Tabela Pedidos —
Exec sp_spaceused ‘ResumableOnlineIndexRebuildsTable’
Go

Por enquanto nenhuma novidade, acredito que você deve ter conseguido executar os blocos de código de forma simples e tranquilo, nosso próximo passo é conhecer e aplicar o processo de rebuild de índice através deste novo recurso, para isso vamos começar utilizando o Bloco de Código 3 apresentado abaixo:

— Bloco de Código 3 —
Alter Index [PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo] ON ResumableOnlineIndexRebuildsTable
Rebuild With(ONLINE=ON, RESUMABLE=ON)
Go

Note que estamos fazendo uso neste procedimento de rebuild de dois novos parâmetros adicionados ao comando Alter Index, sendo eles:

  • OnLine: Determina que o processo de rebuild será feito de forma online (por páginas) ou não. Vale ressaltar que o Resumable index rebuild tem suporte somente para o rebuild online, sendo assim, este parâmetro é obrigatório e   devemos sempre utilizar o parâmetro ONLINE=ON.
  • Resumable: Orienta o Database Engine a definir se o rebuild será feito permitindo ou não o uso da opção de Pause/Resume.

Além destes dois principais parâmetros, foram também adicionados outros três como complementares:

  • Max_Duration: Permite definir em minutos, a quantidade de tempo que o rebuild irá executar antes de ser suspenso automaticamente. Esse valor deve ser maior que 0 e menor ou igual a 10080 (1 semana), algo que poderá lhe permitir estabelecer um janela de trabalho e aplicar o procedimento de rebuild de forma programada.
  • Pause: Utilizando esse parâmetro, a operação de rebuild será pausada e ficará aguardando uma nova instrução Alter Index para este índice dar continuidade ao processo ou então o comando ABORT, para interromper o rebuild.
  • Abort: Parâmetro utilizado para interromper o rebuild do índice.

Importante

Dependendo do conjunto de parâmetros utilizados e seus respectivos valores, o Database Engine poderá apresentar algumas mensagens de erros dentre elas:

Mensagem 1 – Informa que você fez uso do parâmetro Resumable=On, mas o parâmetro Online=Off.

Msg 11438, Level 15, State 1, Line 2
The RESUMABLE option cannot be set to ‘ON’ when the ONLINE option is set to ‘OFF’

Mensagem 2 Orienta e informa caso o tempo limite informado acima seja atingido e processo de rebuild ainda não foi concluído e mesmo será interrompido:

Msg 3643, Level 16, State 1, Line 20
The operation elapsed time exceeded the maximum time specified for this operation. The execution has been stopped.
Msg 596, Level 21, State 1, Line 19
Cannot continue the execution because the session is in the kill state.
Msg 0, Level 20, State 0, Line 19
A severe error occurred on the current command. The results, if any, should be discarded.

Seguindo em frente, vamos agora similar um processo de resumo (resume) do nosso índice. Vamos então realizar o processo de resume através do Bloco de Código 4:

— Bloco de Código 4 —
Alter Index [PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo] ON ResumableOnlineIndexRebuildsTable
Resume
Go

Nota: Uma forma simples e prática de simular um processo de interrupção do Resumable Index é interromper a execução da query clicando no botão Cancel Executing Query.

Outro detalhe importante, estamos fazendo uso do parâmetro Resume o qual deverá informar ao Database Engine que o procedimento de alteração do nosso índice deverá ser resumido. Quando o comando resume for utilizado e no respectivo momento não existir um procedimento de resumable index aplicado, será retornada a seguinte mensagem de erro:

Msg 10638, Level 16, State 1, Line 70
ALTER INDEX ‘RESUME’ failed. There is no pending resumable index operation for the index ‘PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo’ on ‘ResumableOnlineIndexRebuildsTable’.

Monitorando através da sys.index_resumable_operations

Cada alteração aplicada aos nossos índices pode ser monitorada em tempo real através do uso da visão de sistema: sys.index_resumable_operations, a qual teve o acréscimo de uma nova coluna denominada is_resumable, que apresenta a função de informar se o respectivo índice possui o procedimento de resumable aplicado.

O próximo passo consiste no procedimento de pausa (pause), ou seja, realizar uma pausa na execução do resumable index aplicado ao nosso índice, para tal vamos utilizar o Bloco de Código 5 abaixo:

— Bloco de Código 5 —
Alter Index [PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo] ON ResumableOnlineIndexRebuildsTable
Pause
Go

Ao realizar o procedimento de pause interrompendo o rebuild de um índice, a sessão responsável pela execução da operação de rebuild irá receber a mesma mensagem de erro de quando o rebuild é pausado:

Msg 1219, Level 16, State 1, Line 17
Your session has been disconnected because of a high priority DDL operation.
Msg 1219, Level 16, State 1, Line 17
Your session has been disconnected because of a high priority DDL operation.
Msg 596, Level 21, State 1, Line 16
Cannot continue the execution because the session is in the kill state.
Msg 0, Level 20, State 0, Line 16
A severe error occurred on the current command. The results, if any, should be discarded.

 

Vale ressaltar que ao realizar o procedimento de pausa (Pause) a um determinado índice, o mesmo será adicionado na visão sys.index_resumable_operations, tendo a coluna state_desc preenchida com o PAUSED, sendo assim, este rótulo será mantido até que uma outra instrução de Resume ou Abort venha a ser aplicado ao mesmo.

Por fim, nosso último passo consiste em similar o processo de interrupção do procedimento de resumable index, fazendo com que o mesmo deixe de ser mantido como um índice resumível de forma online, através da parâmetro Abort, para isso vamos utilizar o Bloco de Código 6 a seguir:

— Bloco de Código 6 —
Alter Index [PK_ResumableOnlineIndexRebuildsTable_Codigo] ON ResumableOnlineIndexRebuildsTable
Abort
Go

De forma idêntica realizada pelo parâmetro Pause, ao realizar o procedimento de Abort, interrompendo o rebuild de um índice, a sessão responsável pela execução da operação de rebuild irá receber a mesma mensagem de erro de quando o rebuild é pausado:

Msg 1219, Level 16, State 1, Line 17
Your session has been disconnected because of a high priority DDL operation.
Msg 1219, Level 16, State 1, Line 17
Your session has been disconnected because of a high priority DDL operation.
Msg 596, Level 21, State 1, Line 16
Cannot continue the execution because the session is in the kill state.
Msg 0, Level 20, State 0, Line 16
A severe error occurred on the current command. The results, if any, should be discarded.

Mas que beleza, conseguimos realizar o procedimento de abort, neste momento nosso índice não esta mais sendo reconhecido como resumable index, desta forma, o mesmo não poderá ser utilizado com um índice online resumível a qualquer momento.

Praticamente chegamos ao final deste post, falta um pouquinho para encerrar, pois, ainda tenho um último detalhe importante para compartilhar com você a seguir.

Limitações

Pois bem, como tudo em nossas vidas, sempre nos deparamos com situações ou condições que podem nos limitar de fazer uso ou realizar determinadas ações e isso não é diferente com o Resumable Online Index Rebuilds:

  • Suporta somente índices no formato Row Store;
  • Não possui suporte nativo para indexação online aplicada ao system database TEMPDB, ou seja, SORT_IN_TEMPDB do Alter Index não é aplicável;
  • Não possui suporte nativo para colunas do tipo TimeStamp;
  • Não possui suporte nativo com colunas calculadas (computadas);
  • Não é possível utilizar esse recurso em índices desativados; e
  • O Resumable OnLine Index Rebuil não pode ser utilizada dentro de uma transação de usuário, somente em transações relacionadas a atividades de manutenção de índices aplicadas diretamente ao escopo de banco de dados.

Agora sim, chegamos ao final, mas que trabalheira danada deu este post.

Espero que você tenha gostado, eu acredito que sim.


Referências

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/relational-databases/system-catalog-views/sys-index-resumable-operations

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/statements/alter-index-transact-sql

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/relational-databases/system-dynamic-management-views/sys-dm-db-file-space-usage-transact-sql

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/t-sql/statements/create-index-transact-sql

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/statements/alter-index-transact-sql

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/statements/drop-index-transact-sql

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/04/12/20-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/01/02/19-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/12/15/18-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/11/24/17-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/10/01/16-para-que-serve/

Conclusão

Em algum momentos, a otimização de desempenho do banco de dados é sempre uma tarefa chave para o DBA. A manutenção de índice desempenha um papel vital na otimização do desempenho do banco de dados.

Às vezes, em ambientes OLTP (Online Transaction Processing ou Processamento de Transações em Tempo Real) que apresentam um longo tempo de processamentos, temos janelas de manutenção muito limitada e se um índice é grande, pode não ter tempo suficiente para reconstruir o índice.

Analisando estas situações, o Resumable Online Index Rebuilds se apresenta como uma solução de extrema importância e grande aliada na vida do DBA SQL Server, a sua adoção e aplicabilidade pode melhorar drasticamente as rotinas de reconstrução (rebuild) de índices, no que diz respeito ao seu volume de dados, por consequência seu tamanho e claro o quanto este elemento representa nas tarefas de pesquisa de dados realizadas pelas aplicações que fazem acesso a ele.

Realizar uma boa manutenção em qualquer ambiente de banco de dados, é algo que nos traz tranquilidade, saber que estamos adotando soluções para manter nossos ambientes protegidos, íntegros e organizados e papel fundamental para qualquer profissional responsável direta ou indiretamente por esta área.

Neste post, você pode conhecer este novo recurso adicionado a partir do Microsoft SQL Server 2017, o Resumable Online Index Rebuilds, uma importante melhoria adicionada ao produto, que com certeza vai permitir que muitos profissionais de tecnologia e DBAs possam passar noites de mais tranquilas.

E isso ai, este é o fantástico Microsoft SQL Server, que a cada versão ou atualização também esta preocupado com a qualidade de vida daqueles que assim como eu são apaixonados por este produtos…

Vai SQL Server, Vai SQL Server….

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua ilustre visita, sinto-me honrado com sua presença, espero que este conteúdo possa lhe ajudar e ser útil em suas atividades profissionais e acadêmicas.

Um forte abraço, até o próximo post da sessão Para que serve…..

Uma ótima segunda – feira e boa semana.

Valeu.

Script Challenge – 13 – A resposta….


Salve pessoal, bom dia.

Tudo bem?  Seja mais uma vez muito bem vindo ao meu blog, mais especificamente ao post que apresenta a resposta para o Script Challenge – 2017, publicado em outubro de 2017 destacando o retorno da sessão Script Challenge (Script Desafiador ou Desafio do Script) como queiram traduzir.

Espero que você já tenha ouvido falar desta sessão ou acessado alguns dos posts publicados na mesma, caso ainda não tenha feito, fique tranquilo você vai encontrar no final deste post uma pequena relação contendo os últimos desafios lançados e seus respostas.

Vamos então falar um pouco mais sobre o último desafio, estou me referindo ao Script Challenge 13, sendo assim, seja bem vindo a mais um post da sessão Script Challenge.


Script Challenge 13

Falando do desafio de número 13, o mesmo foi publicado no mês de outubro de 2017, período de data que apresenta uma das comemorações mais importantes que ocorrem anualmente em quase todos os países do mundo, mas que especialmente no Estados Unidos da América.

E ai já matou a charada? Eu acredito que sim! Mas para te ajudar mais um pouco vou apresentar a Figura 1 que contem todo código Transact-SQL utilizado neste desafio, contendo trechos ou partes de código ocultas, procedimento que realizei no post que contempla o lançamento deste desafio como forma de aumentar o nível de dificuldade:

Figura 1 – Código Transact-SQL apresentado no Script Challenge 13.

Bom chegou a hora de revelar o que exatamente este pequeno bloco de código esta fazendo, chegou o momento de revelar e desvendar este desafio, a seguir apresento a resposta para o Script Challenge 13 e o trecho de código disponível para você utilizar em seus ambientes de trabalho ou estudos.

A resposta

Tanto no post de lançamento do desafio, bem como, neste post de apresenta a resposta para o mesmo, eu deixei algumas pequenas dicas para tentar ajudar a identificar a resposta, dentre as quais a relação do script com uma das datas comemorativas mais tradicionais dos Estados Unidos, neste caso o Halloween(conhecido tradicionalmente como dia das bruxas).

Mesmo assim você pode estar se perguntando, o que Script Challenge 13 tem haver com dia das bruxas, ué tudo haver, pois quando falamos de bruxas, temos também em mente a relação com magia, fantasias, medo, terror e propriamente a fantasmas, isso mesmos fantasmas, algo que também pode acontecer em nossas tabelas com o passar do tempo conforme vamos realizando as manipulações de dados, torna-se possível se deparar com a ocorrência de possíveis dados fantasmas.

Então a resposta para o Script Challenge 13 é justamente a possibilidade que o script apresenta em identificar uma possível ocorrência de dados fantasmas em nossas tabelas e bancos de dados.

Isso mesmo, esta é a resposta, e o script original que apresenta esta funcionalidade apresentado abaixo:

— Script Challenge 13 – A resposta – Identificando a ocorrência de dados fantasmas —

SELECT db_name(database_id),
                object_name(object_id),
                ghost_record_count,
                version_ghost_record_count
FROM sys.dm_db_index_physical_stats(DB_ID(N’GhostDB’),
                                                                            OBJECT_ID(N’GhostTable’),
                                                                            NULL,
                                                                            NULL ,
                                                                            ‘DETAILED’)
GO

Que coisa de louco isso Galvão! Sim realmente parece ser coisa de outro mundo, mas podem acontecer tranquilamente a qualquer momento, o complicado é imaginar, que nossos bancos de dados, podem ser vítimas deste tipo de situação.

Mas isso não é o fim do mundo, muito ao contrário, para este cenário temos uma grande vantagem. Você pode estar se perguntando qual, a resposta é simples, não precisamos chamar os Casas Fantasmas, nós mesmos podemos resolver facilmente isso. Foi pensando justamente nas possibilidades da ocorrência deste tipo de situação, que além da compartilhar a resposta para este desafio, vou deixar também um cenário de simulação de como é possível ocorrência a existência de dados fantasmas, como também a possibilidade de excluir estes “dados”, a seguir:

— Simulando a ocorrência de dados fantasmas —

— Criando o Banco de Dados – GhostDB —
Create Database GhostDB
Go

— Acessando o Banco de Dados —
Use GhostDB
Go

— Criando a Tabela GhostTable —
Create Table GhostTable
(GhostRecord Int)
Go

— Criando um índice clusterizado —
Create Clustered Index Ind_GhostTable_GhostRecord On GhostTable(GhostRecord)
Go

— Inserindo Dados na Tabela GhostTable —
Insert Into GhostTable
Select 100
Go

— Obtendo informações sobre as estatísticas de alocação de dados —
Select object_id,
index_id,
index_depth,
index_level
From sys.dm_db_index_physical_stats(db_id(),
object_id(‘GhostTable’),
object_id(‘Ind_GhostTable_GhostRecord’),
null,
null)
Go

— Obtendo informações sobre o Índice IND_GhostTable_GhostRecord —
Select id, name, root, first
from sys.sysindexes
where id=565577053 — Aqui você vai colocar o ID identificado do índice apresentado na sua máquina —
Go

— Identificando a página de dados que contem os dados inseridos na GhostTable —
SELECT first_page,
(convert(varchar(2), (convert(int, substring(first_page, 6, 1)) * power(2, 8)) +
(convert(int, substring(first_page, 5, 1)))) + ‘:’ + convert(varchar(11),
(convert(int, substring(first_page, 4, 1)) * power(2, 24)) +
(convert(int, substring(first_page, 3, 1)) * power(2, 16)) +
(convert(int, substring(first_page, 2, 1)) * power(2, 8)) +
(convert(int, substring(first_page, 1, 1))))) As Page
FROM SYS.SYSTEM_INTERNALS_ALLOCATION_UNITS
Where first_page = 0x180100000100 — Valor obtido no bloco de código anterior através da coluna root —
Go

— Habilitando a Trace Flag 3604 para apresentar informações sobre as páginas de dados —
DBCC TRACEON (3604)
GO

— Consultando informações sobre as páginas de dados relacionadas o índice Ind_GhostTable_GhostRecord —
DBCC PAGE(GhostDB,1,280,1)
Go

Após obter o resultado do DBCC Page procure pela coluna m_ghostRecCnt, neste momento ela deve esta apresentando o valor m_ghostRecCnt = 0.

— Excluíndo os registros em GhostTable —
Delete from GhostTable
Where GhostRecord=100
Go

— Consultando informações sobre as páginas de dados relacionadas o índice Ind_GhostTable_GhostRecord —
DBCC PAGE(GhostDB,1,280,3)
Go

Agora verifique novamente a coluna m_ghostRecCnt que neste momento deverá apresentar o valor igual á m_ghostRecCnt = 1, este é o indicador da ocorrência de um dado fantasma em nossa tabela.

— Confirmando a existência de um registro fantasmas —
SELECT db_name(database_id),
object_name(object_id),
ghost_record_count,
version_ghost_record_count
FROM sys.dm_db_index_physical_stats(DB_ID(N’GhostDB’), OBJECT_ID(N’GhostTable’), NULL, NULL , ‘DETAILED’)
GO

— Simulando a eliminação de dados fantasmas —
Alter Table GhostTable
Rebuild — Utilize este tipo de procedimento em uma tabela com poucos registros —
Go

— Confirmando a existência de um registros fantasmas —
SELECT db_name(database_id),
object_name(object_id),
ghost_record_count,
version_ghost_record_count
FROM sys.dm_db_index_physical_stats(DB_ID(N’GhostDB’),
OBJECT_ID(N’GhostTable’),
NULL,
NULL ,
‘DETAILED’)
GO

— Liberando espaço alocado anteriormente em disco pelos registros fantasmas —
Exec sp_clean_db_free_space @dbname=N’GhostDB’
Go

Meu deus, conseguimos, chegamos ao final, esta é a resposta para o Script Challenge 13, sinceramente falando achei que não iria conseguir compartilhar este conteúdo com vocês.

Espero que tenham gostado desta da volta desta sessão, como também, a nova maneira que pretendo apresentar os desafios e seus respostas.


Sua Participação

No post de lançamento deste desafio, contei com a participação através de uma enquete contendo algumas opções de respostas que poderiam estar relacionadas com o Script Challenge 13. A seguir apresento o resultado desta enquete:

A opção mais votada com 66,67% dos votos é justamente a resposta correta para este desafio, o qual retorna ao usuário informações relacionadas a identificação de páginas de dados com fragmentação.

Referências

Agradecimentos

Obrigado por sua visita, espero que o retorno desta sessão e o conteúdo aqui apresentado como um possível “desafio” possam ser úteis e ao mesmo tempo prover conhecimento, aprendizado ou mostrar recursos e problemas existentes no Microsoft SQL Server que as vezes parecem não ter uma resposta.

Um forte abraço nos encontramos em breve nas demais sessões e especialmente em junho de 2018 em mais um post da sessão Script Challenge.

Até a próxima…

Short Script – Maio – 2015


Bom dia, pessoal, mais uma semana começando.

Mantendo a tradição e escrita, estou começando mais um mês no meu blog, compartilhamento com todos vocês a minha relação de Scripts que atualmente esta crescendo muito graças ao SQLServerCentral.com.

Venho diariamente estudando e respondendo as questões diárias que são publicadas no SQLServerCentral.com, pelos principais nomes e especialistas em SQL Server do Mundo, estou seguindo nesta caminhada desde o final do mês de fevereiro. Posso dizer que esta sendo uma oportunidade fantástica de relembrar, conhecer, aprender e também descobrir muitos segredos, novidades e principalmente informações sobre o Microsoft SQL Server em todas as suas versões.

Aproveito a oportunidade para indicar e recomendar sua visita ao SQLServerCentral.com, principalmente a sessão de Question of the Day: http://www.sqlservercentral.com/Questions

Pois bem, na relação de Short Scripts que estou disponibilizando hoje, boa parte destes códigos são resultado das questões que eu respondi no SQLServerCentral.com e identifiquei como questões importantes ou relevantes para meus estudos, bem como, para repassar para meus alunos.

Nesta relação, você terá a oportunidade de conhecer e aprender um pouco mais sobre:

·         Análise e Lógica Condicional com operadores Not, And e Or;
·         Colunas Computadas;
·         Complexidade Lógica;
·         CTE Recursiva;
·         Declaração de variáveis do Tipo XML em conjunto com Select;
·         Função Coalesce em conjunto com Left Join e valores nulos; e
·         Funções Char(), NChar(), Unicode() e ASCII();
·         Identificando ausência de índices em tabelas;
·         Índices Clusterizados e Índices Chaves;
·         Índices com colunas duplicadas;
·         Operador Intersect;
·         Taxas de Fragmentação de Tabelas antes e depois do Rebuild;
·         Transações aninhadas;
·         Utilitário BCP para criação de arquivos XML.

 

Legal, a seguir você poderá encontrar os Short Scripts separados por seus respectivos conteúdos:

  • Análise, Precedência e Lógica Condicional com operadores Not, And e Or    VALUES ( 1, ‘Baseball Hat’ ),           ( 3, ‘Snowboard’ ),           ( 5, ‘Shows’ )SELECT ID   WHERE Product = ‘Bicycle’ OR Product = ‘Snowboard’ AND ID = 4

 

  1.    FROM @Logic
  2.            ( 4, ‘Goggles’ ),
  3.          ( 2, ‘Bicycle’ ),
  4. INSERT INTO @Logic
  5. DECLARE @Logic TABLE ( ID INT, Product VARCHAR(50) )

 

  • Colunas Computadas   (   , col1Computed AS LEFT(col1, 4)   , col2Computed AS LEFT(col2, 4)   , col3Computed AS LEFT(col3, 4)   , col4Computed AS LEFT(col4, 4) 

 

  1.    );
  2.    , col4 CHAR(8) NOT NULL
  3.    , col3 CHAR(8) NULL
  4.    , col2 VARCHAR(8) NOT NULL
  5.      col1 VARCHAR(8) NULL
  6. CREATE TABLE t
  7. Complexidade Lógica

DECLARE @AA VARCHAR(12) = ‘AAA’

,@XXX           VARCHAR(12) = ‘AAA’

,@YYY           VARCHAR(12) = ‘BBB’

,@ZZZ           VARCHAR(12) = ‘CCC’

,@AAXXX         VARCHAR(12) = ‘XXAAA’

,@AAYYY         VARCHAR(12) = ‘XXBBB’

,@AAZZZ         VARCHAR(12) = ‘XXCCC’

,@XXXCount       INT = 1

,@YYYCount       INT = 1

,@ZZZCount       INT = 1

,@AAXXXCount     INT = 1

,@AAYYYCount     INT = 1

,@AAZZZCount     INT = 1

,@Result       INT;

 

— Much to your chagrin, you encounter the following logic in a SQL SP.

— You may assume that each local variable is DECLAREd and @AA,

— @XXX, @YYY, @ZZZ, @AAXXX, @AAYYY, @AAZZZ each have a value assigned,

— with only @AA required to be NOT NULL. Each @xxxCount variable

— is also assigned an integer value.

SET @Result = 0;

 

IF @AA = @XXX

BEGIN

IF @XXXCount > @AAXXXCount SET @Result = 2

END

ELSE IF @AA = @YYY

BEGIN

IF @YYYCount > @AAYYYCount SET @Result = 2

END

ELSE IF @AA = @ZZZ

BEGIN

IF @ZZZCount > @AAZZZCount SET @Result = 2

END

ELSE IF @AA = @AAXXX

BEGIN

IF @XXXCount = @AAXXXCount SET @Result = 3

END

ELSE IF @AA = @AAYYY

BEGIN

IF @YYYCount = @AAYYYCount SET @Result = 3

END

ELSE IF @AA = @AAZZZ

BEGIN

IF @ZZZCount = @AAZZZCount SET @Result = 3

END

 

— Identify the equivalent logic from the options shown:

— Option 1:

SET @Result = 0;

 

IF @AA = @XXX AND @XXXCount > @AAXXXCount SET @Result = 2

ELSE IF @AA = @YYY AND @YYYCount > @AAYYYCount SET @Result = 2

ELSE IF @AA = @ZZZ AND @ZZZCount > @AAZZZCount SET @Result = 2

ELSE IF @AA = @AAXXX AND @XXXCount = @AAXXXCount SET @Result = 3

ELSE IF @AA = @AAYYY AND @YYYCount = @AAYYYCount SET @Result = 3

ELSE IF @AA = @AAZZZ AND @ZZZCount = @AAZZZCount SET @Result = 3

 

SELECT [Option 1:]=@Result

SELECT @Result = NULL;

 

 

— Option 2:

IF @AA = @XXX AND @XXXCount > @AAXXXCount SET @Result = 2

ELSE IF @AA = @YYY AND @YYYCount > @AAYYYCount SET @Result = 2

ELSE IF @AA = @ZZZ AND @ZZZCount > @AAZZZCount SET @Result = 2

ELSE IF @AA = @AAXXX AND @XXXCount = @AAXXXCount SET @Result = 3

ELSE IF @AA = @AAYYY AND @YYYCount = @AAYYYCount SET @Result = 3

ELSE IF @AA = @AAZZZ AND @ZZZCount = @AAZZZCount SET @Result = 3

ELSE SET @Result = 0;

 

SELECT [Option 2:]=@Result

SELECT @Result = NULL;

 

— Option 3:

SELECT @Result = CASE @AA

WHEN @XXX THEN CASE WHEN @XXXCount > @AAXXXCount THEN 2 ELSE 0 END

WHEN @YYY THEN CASE WHEN @YYYCount > @AAYYYCount THEN 2 ELSE 0 END

WHEN @ZZZ THEN CASE WHEN @ZZZCount > @AAZZZCount THEN 2 ELSE 0 END

WHEN @AAXXX THEN CASE WHEN @XXXCount = @AAXXXCount THEN 3 ELSE 0 END

WHEN @AAYYY THEN CASE WHEN @YYYCount = @AAYYYCount THEN 3 ELSE 0 END

WHEN @AAZZZ THEN CASE WHEN @ZZZCount = @AAZZZCount THEN 3 ELSE 0 END

END;

 

SELECT [Option 3:]=@Result          — Not identical

SELECT @Result = NULL;

 

— Option 4:

SELECT @Result = CASE @AA

WHEN @XXX THEN CASE WHEN @XXXCount > @AAXXXCount THEN 2 ELSE 0 END

WHEN @YYY THEN CASE WHEN @YYYCount > @AAYYYCount THEN 2 ELSE 0 END

WHEN @ZZZ THEN CASE WHEN @ZZZCount > @AAZZZCount THEN 2 ELSE 0 END

WHEN @AAXXX THEN CASE WHEN @XXXCount = @AAXXXCount THEN 3 ELSE 0 END

WHEN @AAYYY THEN CASE WHEN @YYYCount = @AAYYYCount THEN 3 ELSE 0 END

WHEN @AAZZZ THEN CASE WHEN @ZZZCount = @AAZZZCount THEN 3 ELSE 0 END

ELSE 0 END;

 

SELECT [Option 4:]=@Result

SELECT @Result = NULL;

 

— Option 5:

SELECT @Result = CASE @AA

WHEN @XXX THEN CASE WHEN @XXXCount > @AAXXXCount THEN 2 END

WHEN @YYY THEN CASE WHEN @YYYCount > @AAYYYCount THEN 2 END

WHEN @ZZZ THEN CASE WHEN @ZZZCount > @AAZZZCount THEN 2 END

WHEN @AAXXX THEN CASE WHEN @XXXCount = @AAXXXCount THEN 3 END

WHEN @AAYYY THEN CASE WHEN @YYYCount = @AAYYYCount THEN 3 END

WHEN @AAZZZ THEN CASE WHEN @ZZZCount = @AAZZZCount THEN 3 END

ELSE 0 END;

 

SELECT [Option 5:]=@Result   — Not identical

 

  • CTE Recursiva set @DataFim = ‘20150430’;with CTE_Datas as   select @DataIni as Data, @DataFim as DataFim   union all   select DATEADD(DAY, 1, Data), DataFim   where Data < DataFim 

 

  1. select Data from CTE_Datas
  2. )
  3.    from CTE_Datas
  4. (
  5. set @DataIni = ‘20150401’;
  6. declare @DataIni date, DataFim date;

 

  • Declaração de variáveis do Tipo XML em conjunto com Select

 

DECLARE @Xml XML = N’

<products>

<product id=”1″ name=”Adjustable Race” />

<product id=”879″ name=”All-Purpose Bike Stand” />

<product id=”712″ name=”AWC Logo Cap” />

<product id=”19910″ name=”Cozonac” />

</products>’;

 

SELECT

xt.xc.value(‘@id’, ‘INT’) AS ProductID,

xt.xc.value(‘@name’,’NVARCHAR(50)’) AS Name

FROM

@Xml.nodes(‘/products/product’) AS xt(xc);

 

  • Função Coalesce em conjunto com Left Join e valores nulos(a int null, c int null)(x int null, z int null)

 

  1. y int null,
  2. Create table #xyz
  3. b int null,
  4. Create table #abc

 

 

Insert Into #abc values(null, null, 3), (1,null,3),(1,null,null),(null,2,null)

 

Insert Into #xyz values(null,2,3),(null,null,1),(null,null,2)

 

— Q1

SELECT

*

FROM

#abc a

LEFT JOIN #xyz x

ON a.a = x.x

AND a.b = x.y;

 

— Q2

SELECT

*

FROM

#abc a

LEFT JOIN #xyz x

ON COALESCE(a.a, 9) = COALESCE(x.x, 9)

AND COALESCE(a.b, 9) = COALESCE(x.y, 9);

 

 

  • Funções Char(), NChar(), Unicode() e ASCII()SELECT ASCII(36)   SELECT NCHAR(10084)  

 

    1. SELECT UNICODE(10084)
    2. SELECT CHAR(36)
  • Identificando ausência de índices em tabelas             user_scans, ID.equality_columns, FROM sys.dm_db_missing_index_group_stats GS LEFT OUTER JOIN sys.dm_db_missing_index_groups IG                                                                                                                                                                                                                                LEFT OUTER JOIN sys.dm_db_missing_index_details ID Where ID.database_id = DB_ID(‘CycleCount’) 

 

    1. ORDER BY avg_total_user_cost * avg_user_impact * (user_seeks + user_scans)DESC
    2.                                                                                                                                                                                                                                On (ID.index_handle = IG.index_handle)
    3.                                                                                    On (IG.index_group_handle = GS.group_handle)
    4.              ID.inequality_columns, ID.included_columns, ID.statement
    5. SELECT avg_total_user_cost, avg_user_impact, user_seeks,
  • Índices Clusterizados e Índices Chaves

 

SELECT t.name, i.name, i.type_desc, c.name

FROM sys.tables t

INNER JOIN sys.indexes i

INNER JOIN sys.index_columns ic

INNER JOIN sys.columns c

ON ic.object_id = c.object_id AND ic.column_id = c.column_id

ON i.object_id = ic.object_id AND i.index_id = ic.index_id

ON t.object_id = i.object_id AND i.index_id = 1;

GO

 

  • Índices com colunas duplicadas   (select distinct object_name(i.object_id) tablename,i.name indexname,                                       from sys.index_columns ic1 inner join                                                              ic1.column_id=c.column_id                                           ic1.object_id=i.object_id and                                      order by index_column_id FOR XML PATH(”)),1,2,”)               where object_id=i.object_id and index_id=i.index_id) as columnlist        sys.index_columns ic on i.object_id=ic.object_id and            sys.objects o on i.object_id=o.object_id    (select distinct object_name(i.object_id) tablename,i.name indexname,                                       from sys.index_columns ic1 inner join                                                              ic1.column_id=c.column_id                                           ic1.object_id=i.object_id and                                     order by index_column_id FOR XML PATH(”)),1,2,”)               where object_id=i.object_id and index_id=i.index_id) as columnlist        sys.index_columns ic on i.object_id=ic.object_id and            sys.objects o on i.object_id=o.object_id        substring(t2.columnlist,1,len(t1.columnlist))=t1.columnlist and          (t1.columnlist=t2.columnlist and t1.indexname<>t2.indexname))

 

  1. Go
  2.        (t1.columnlist<>t2.columnlist or
  3. where o.is_ms_shipped=0) t2 on t1.tablename=t2.tablename and
  4.                                    i.index_id=ic.index_id inner join
  5.        from sys.indexes i inner join
  6.                from sys.index_columns ic
  7.                                            ic1.index_id=i.index_id
  8.                                      where ic1.index_id = ic.index_id and
  9.                                            sys.columns c on ic1.object_id=c.object_id and
  10.              (select distinct stuff((select ‘, ‘ + c.name
  11.      where o.is_ms_shipped=0) t1 inner join
  12.                                    i.index_id=ic.index_id inner join
  13.        from sys.indexes i inner join
  14.                from sys.index_columns ic
  15.                                            ic1.index_id=i.index_id
  16.                                      where ic1.index_id = ic.index_id and
  17.                                            sys.columns c on ic1.object_id=c.object_id and
  18.              (select distinct stuff((select ‘, ‘ + c.name
  19. select t1.tablename,t1.indexname,t1.columnlist,t2.indexname,t2.columnlist from

 

  • Operador Intersect

 

CREATE TABLE A ( x INT )

 

INSERT INTO A

VALUES ( 18 ),

( 20 ),

( 4 ),

( 1 ),

( 2 )

 

CREATE TABLE B ( Y INT )

 

INSERT INTO B

VALUES ( 1 ),

( 20 ),

( 2 ),

( 3 )

 

SELECT X AS ‘Intersecting’

FROM A

INTERSECT

SELECT Y

FROM B

 

  • Taxas de Fragmentação de Tabelas antes e depois do Rebuild

 

Select

object_name(ddips.object_id) [Table_name],

convert(decimal(5,2),isnull(ddips.avg_fragmentation_in_percent,0)) [Ext_frag],

ddips.page_count [Pages],

ddips.compressed_page_count

From sys.dm_db_index_physical_stats(db_id(), object_id(‘produtos’), null, null, ‘detailed’) ddips

  • Transações aninhadas

 

CREATE Table TranTable(col varchar(3))

GO

 

BEGIN TRAN A

INSERT INTO TranTable (col) Values (‘abc’)

BEGIN TRAN B

INSERT INTO TranTable (col) Values (‘def’)

SAVE TRAN B

BEGIN TRAN C

INSERT INTO TranTable (col) Values (‘ghi’)

COMMIT TRAN C

ROLLBACK TRAN B

INSERT INTO TranTable (col) Values (‘xyz’)

COMMIT TRAN A

GO

 

Select col from TranTable

GO

 

Drop TABLE TranTable

GO

 

  • Utilitário BCP para criação de arquivos XML

 

— Exemplo 1 —

 

DECLARE @FileName varchar(50),

@bcpCommand varchar(2000)

 

SET @FileName = ‘C:\Users\test.xml’

SET @bcpCommand = ‘bcp “SELECT

”CustomerID” AS ”Parameter/name”, CustomerID AS ”Parameter/value”,

”ContactName” AS ”Parameter/name”, ContactName AS ”Parameter/value”,

”CompanyName” AS ”Parameter/name”, CompanyName AS ”Parameter/value”

FROM Sales.Customers

FOR XML PATH(”T2Method”), ROOT(”Parking”), TYPE, ELEMENTS” queryout “‘

 

SET @bcpCommand = @bcpCommand + @FileName + ‘” -T -c -x’

 

print(@bcpCommand)

 

EXEC master..xp_cmdshell @bcpCommand

 

 

 

— Exemplo 2 —

Declare @Contador Int,

@FileName varchar(50),

@bcpCommand varchar(2000)

 

Set @Contador = 1

 

While @Contador <=(Select Count(IDdaSuaTabela) from SuaTabela)

Begin

 

SET @bcpCommand = ‘bcp “SELECT ”CustomerID” AS ”Parameter/name”, CustomerID AS ”Parameter/value”,

”ContactName” AS ”Parameter/name”,

ContactName AS ”Parameter/value”,

”CompanyName” AS ”Parameter/name”,

CompanyName AS ”Parameter/value”

FROM Sales.Customers

Where IDdaSuaTabela = @Contador

FOR XML PATH(”T2Method”), ROOT(”Parking”), TYPE, ELEMENTS” queryout “‘

 

SET @FileName = ‘C:\Users\test-arquivo-‘+Convert(Varchar(10),@Contador)+’.xml’

SET @bcpCommand = @bcpCommand + @FileName + ‘” -T -c -x’

 

EXEC master..xp_cmdshell @bcpCommand

 

Set @Contador += 1

End

Mais uma vez obrigado por sua visita, fique à vontade para compartilhar este material com seus contatos. Dúvidas, comentários, sugestões e críticas, envie seu comentário ou se preferir um e-mail.

Até mais.