#17 – Para que serve


Olá você, boa noite.

Tudo bem? Este é mais um post da sessão Para que serve, plena sexta – feira, enquanto meus alunos da Fatec São Roque estão quebrando a cabeça e gastando um pouco dos neurônios na resolução de exercícios, estou aqui para compartilhar um pouco do conhecimento adquirido nos alguns dias.

Quando eu falei sobre conhecimento adquirido, estou me referindo a algumas novidades adicionadas na nova versão do Microsoft SQL Server, neste caso mais especificamente a versão 2017. E ai você já realizou o download? Espero que a resposta seja positiva e você já esteja utilizando, pois caso contrário o post de hoje talvez não seja a solução da dúvida ou problema que você esta esperando.

Mas antes de falar do post, vamos destacar um pouco sobre o Microsoft SQL Server 2017. Acredito que você deva saber que no último mês de outubro, a Microsoft realizou mais um lançamento de uma nova versão do Microsoft SQL Server, estou me referindo a versão 2017. Por acaso você estão utilizando esta nova versão? Caso ainda não tenha feito, aproveite e faça agora mesmo acessando o link: https://www.microsoft.com/en-us/sql-server/sql-server-2017.

Se você, assim como eu realizou o download no mesmo dia do lançamento, ou seja, dia 02/10, pode ter um certo tempo para notar que a cada nova versão, o produto esta evoluindo, tanto no seu processo de instalação que realmente é fantástico e muito prático, como também, na quantidade de recursos, funcionalidades e componentes internos apresentados a partir desta da versão 2017.

Voltando para o post de hoje, como de costume a cada nova versão a Microsoft em conjunto com o seu time de engenheiros e desenvolvedores tem o hábito de adicionar um conjunto novo de funcionalidades e recursos, dentre eles alguns voltados especificamente para a área de desenvolvimento, no caso de comandos, stored procedures e functions adicionadas a grande linguagem Transact-SQL.

Logicamente na versão 2017 isso não seria diferente, e justamente pensando neste tipo de oportunidade para aquisição de conhecimento que o post de hoje será dedicado a duas novas funções adicionadas a partir desta versão sendo elas: Concat_WS e Translate.

E ai por acaso você já as conhece, espero que não, mas caso já tenha encontrado alguma informação ou até mesmo tenha feito uso, fique a vontade para contribuir com este post deixando seu comentário.

Seguindo em frente, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre estas novas funções, desta forma, seja bem vindo ao #17 – Para que serve – Novas String Functions Concat_WS e Translate adicionadas ao Microsoft SQL Server 2017.

Introdução

Em diversos momentos trabalhando com diversos dados armazenados em nossas tabelas temos a necessidade de realizar a concatenação entre eles, ou seja, estabelecer uma possível forma de união destes diversos valores e apresentar de uma única coluna ou até mesmo linha de registro.

Procedimento que até a versão 2012 do Microsoft SQL Server nos exigia um pouco de linhas de código para realizar esta atividade, sendo que, a mesma agora na versão 2o17 tornou-se ainda mais simples e fácil através da nova string function Concat_WS.

Você pode estar pensando, mas qual o motivo do tipo de engenheiros do SQL Server em adicionar uma função similar a Concat, na verdade não existe um motivo, o que existe e posso dizer é que a Concat e a Concat_WS podem ser consideradas irmãs ou até mesmo funções que se complementam.

Neste sentido o WS pode ser reconhecido como o argumento (concatenate with separator) separador, aquele caracterer que será utilizado para separar um valor string do outro mais ao mesmo tempo estará fazendo parte do conjunto de valores que serão concatenados.

Para que você possa entender e conhecer melhor a função Concat_WS, vou apresentar alguns exemplos:

— Exemplo 1 – Obtendo informações sobre as tabelas, utilizando o hífen como separador —
SELECT CONCAT_WS( ‘ – ‘, name, OBJECT_ID, create_date, modify_date) AS TablesInfo
FROM sys.tables
Go

Após a execução do Exemplo 1, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 1 abaixo:


Figura 1 – Dados concatenados e separados pelo sinal de hífen.

— Exemplo 2 – Concatenando caracteres utilizando o sinal de dois pontos como separador —
Select CONCAT_WS(‘ :: ‘, ‘Pedro Antonio Galvão Junior’, ‘Idade:37’, ‘MVP desde 2007’) As Info
Go

Após a execução do Exemplo 2, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 2 abaixo:


Figura 2 – Dados concatenados e separados pelo sinal de dois pontos.

Observação: Note que nos dois exemplos apresentados acima o primeiro argumento ou parâmetro obrigatório que deve ser especificado na função Concat_WS é justamente o elemento separador, o qual vai estar envolvido diretamente entre cada conjunto de valores informados sequencialmente na função.

Dando continuidade, vamos conhecer a função Translate, inicialmente fazendo uma rápida analogia ao seu nome parece que esta nova função seria algo similar a um tradutor de texto, na verdade ela tem um papel entre aspas próximo em relação a tradução de um valor ou sentença de valores string, mas dizer que ela realiza a tradução não é o entendimento correto.

Na verdade esta função realiza em tempo de execução retorna uma nova sentença de valores string com base no conjunto de argumentos declarados em sua sintaxe, sendo que obrigatoriamente o primeiro argumento representa a sentença de valores que deverá ser utilizada, para posteriormente servir como base para nova sentença que será resultando da “tradução”.

Vamos então conhecer um pouco mais sobre esta função, através dos exemplos apresentados a seguir:

— Exemplo 1 – Equação de 2º Grau — Substituindo a letra x pelo número 4 —Select ‘x² – 10x + 24 = 0’ As ‘Antes’
Go

Select Translate(‘x² – 10x + 24 = 0’, ‘x’, ‘4’) As ‘Depois’
Go

Após a execução do Exemplo 1, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 3 abaixo:


Figura 3 – Uso da função Translate aplicada em uma equação de segundo grau.

— Exemplo 2 – Método de Bhaskara – Substituindo as letras A e C pelos valores 1 e 8 informados respectivamente com grupos de valores em cada argumento —
Select N’∆ = b² – 4 * a * c’ As ‘Antes’

Go

Select Translate(N’∆ = b² – 4 * a * c’ , ‘ac’, ’18’) As ‘Depois’
Go

Após a execução do Exemplo 2, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 4 abaixo:


Figura 4 – Uso da função Translate aplicada ao método de bhaskara.

Observação: Note que nos dois exemplos apresentados anteriormente argumento ou parâmetro obrigatório que deve ser especificado na função Translate corresponde ao valores ou sentença string, o qual será utilizada como elemento base para “tradução” e apresentação do novo conjunto de valores ou sentença após sua execução. 

Muito bem, desta forma, chegamos ao final de mais uma post da sessão Para que Serve….


Referências

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/ms186862(v=sql.110).aspx

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/functions/concat-ws-transact-sql

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/t-sql/functions/translate-transact-sql

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/t-sql/functions/string-functions-transact-sql

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/10/01/16-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/06/28/15-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/04/30/14-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/03/25/13-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/01/23/12-para-que-serve/

Conclusão

Como sempre a Microsoft e toda sua equipe nos surpreende com sua capacidade de trabalho, fortalecendo cada vez mais o Microsoft SQL Server não somente com um SGBD ou ferramenta de banco de dados, mas sim um ambiente completo para qualquer tipo de análise, desenvolvimento e administração que esteja relacionada com dados.

Destacando as novas funções apresentadas neste post Concat_WS e Translate, atividades como concatenação de dados que já havia se tornada mais fácil a partir da versão 2o12, agora se tornou algum praticamente irrelevante no que diz respeito a complexidade.

Sem se esquecer da função Translate que através de um simples argumento nos permite “realizar uma possível tradução de caracteres” muito similar a antiga e útil função Replace, mas que trabalha de uma forma mais ágil independente da posição do caracter dentro do conjunto de valores apresentados.

Este é o fantástico Microsoft SQL Server, eita produto bão so……

Agradecimentos

Chegou a hora do descanso, se preparar para um novo dia que daqui a pouco estará raiando, espero que você possa fazer o mesmo, aproveitar o seu dia ainda mais, tentar viver um pouco sem se preocupar com os problemas.

Mais uma vez obrigado por sua ilustre visita, sinto-me honrado com sua presença, espero que este conteúdo possa lhe ajudar e ser útil em suas atividades profissionais e acadêmicas.

Um forte abraço, até o próximo post da sessão Para que serve…..

Valeu.

 

 

Anúncios

Dica do Mês – Microsoft SQL Server 2017 – Relação de Novas colunas internas


Olá pessoal, bom dia.

Tudo bem? Preparado para um mês que esta se iniciando hoje? Se você me perguntar eu ainda não sei te responder pois acordei a pouco(kkkkkk).

Estou iniciando mais um post da sessão Dica do Mês, hoje algo um pouco diferente, não vou apresentar linhas de código, funcionalidades novas ou algo que conheci, muito menos ferramentas. Caso você venha a me perguntar. “Mas Galvão o que exatamente você esta planejando para hoje?”

A minha resposta é simples, vou compartilhar o que descobri de novo no Microsoft SQL Server 2017 que poderá lhe ajudar em momentos de análise de seus dados, bancos de dados e até mesmo do próprio servidor SQL Server. Parece ser algo de outro mundo mas não é, muito pelo contrário, algo que você facilmente poderá encontrar sem muito esforço.

Mas antes de falar do post, vamos destacar um pouco sobre o Microsoft SQL Server 2017. Acredito que você deva saber que no último mês de outubro, a Microsoft realizou mais um lançamento de uma nova versão do Microsoft SQL Server, estou me referindo a versão 2017. Por acaso você estão utilizando esta nova versão? Caso ainda não tenha feito, aproveite e faça agora mesmo acessando o link: https://www.microsoft.com/en-us/sql-server/sql-server-2017.

Se você, assim como eu realizou o download no mesmo dia do lançamento, ou seja, dia 02/10, pode ter um certo tempo para notar que a cada nova versão, o produto esta evoluindo, tanto no seu processo de instalação que realmente é fantástico e muito prático, como também, na quantidade de recursos, funcionalidades e componentes internos apresentados a partir desta da versão 2017.

Foi pensando neste cenário que o post da sessão Dica do Mês foi concebido, apresentar um pouco das novidades internas que o Microsoft SQL Server 2017 possuí em comparação com seus antecessores.

Sendo assim, seja bem vindo ao post – Dica do Mês – Microsoft SQL Server 2017 – Relação de Novas colunas internas.

Você vai descobrir o conjunto de novos dados técnicos catalogados pelo SQL Server 2017 seremos capazes de obter em real-time……


Introdução

Afim de mostrar o que de novo foi adicionado a partir da versão 2017, decidi identificar o que internamente existe de diferente que não tínhamos na versão 2016 ou anteriores, desta forma, escolhi fazer um comparativo entre a versão 2017 e a versão 2016 SP1, lançado no último mês de abril.

Foi idealizando este cenário, que fiz a simples escolha de utilizar uma velha conhecida system view denominada sys.all_columns presente a partir do Microsoft SQL Server desde a versão 2005. Tenho quase a certeza que você conhece esta system view! Ainda não, poxa vida, isso não é um pecado, mas é algo que talvez possa lhe ser útil.

Basicamente a sys.all_columns, como boa parte das visões de sistemas, apresentam um conjunto de dados técnicos catalogados pelo Microsoft SQL Server afim de ajudar internamente o funcionamento lógico e relacional do produto, mas também, como um guia para nós profissionais de bancos de dados, quanto temos a necessidade de analisar ou identificar dados técnicos, objetos, recursos ou funcionalidades oriundas do SQL Server.

Através desta DMV, temos a capacidade de obter a relação completa de colunas que formam nossos objetos e também os próprios objetos criados pelo SQL Server no processo da instalação ou durante nossas atividades, o que me permitiu identificar os novas colunas internas adicionadas na versão 2017 categorizadas da seguinte maneira:

  • Internal Tables;
  • InLine Table-Valued Function;
  • System Tables;
  • System Views; e
  • User Tables.

A seguir apresento a relação completa das novas colunas internadas adicionadas a partir do Microsoft SQL Server 2017:

Internal Tables

  • _trusted_assemblies.create_date
  • _trusted_assemblies.created_by
  • _trusted_assemblies.description
  • _trusted_assemblies.hash
  • plan_persist_query.query_flags
  • plan_persist_query_hints.batch_sql_handle
  • plan_persist_query_hints.comment
  • plan_persist_query_hints.context_settings_id
  • plan_persist_query_hints.last_query_hint_failure_reason
  • plan_persist_query_hints.object_id
  • plan_persist_query_hints.query_hash
  • plan_persist_query_hints.query_hint_failure_count
  • plan_persist_query_hints.query_hint_id
  • plan_persist_query_hints.query_hints_flags
  • plan_persist_query_hints.query_hints
  • plan_persist_query_hints.query_id
  • plan_persist_query_hints.query_param_type
  • plan_persist_query_hints.statement_sql_handle
  • plan_persist_query_template_parameterization.comment
  • plan_persist_query_template_parameterization.last_parameterization_failure_reason
  • plan_persist_query_template_parameterization.parameterization_failure_count
  • plan_persist_query_template_parameterization.query_param_type
  • plan_persist_query_template_parameterization.query_template_flags
  • plan_persist_query_template_parameterization.query_template_hash
  • plan_persist_query_template_parameterization.query_template_id
  • plan_persist_query_template_parameterization.query_template
  • plan_persist_query_text.query_template_hash
  • plan_persist_wait_stats.count_executions
  • plan_persist_wait_stats.execution_type
  • plan_persist_wait_stats.last_query_wait_time_ms
  • plan_persist_wait_stats.max_query_wait_time_ms
  • plan_persist_wait_stats.min_query_wait_time_ms
  • plan_persist_wait_stats.plan_id
  • plan_persist_wait_stats.runtime_stats_interval_id
  • plan_persist_wait_stats.sumsquare_query_wait_time_ms
  • plan_persist_wait_stats.total_query_wait_time_ms
  • plan_persist_wait_stats.wait_category
  • plan_persist_wait_stats.wait_stats_id

Inline table-valued functions

  • dm_db_log_info.database_id
  • dm_db_log_info.file_id
  • dm_db_log_info.vlf_active
  • dm_db_log_info.vlf_begin_offset
  • dm_db_log_info.vlf_create_lsn
  • dm_db_log_info.vlf_first_lsn
  • dm_db_log_info.vlf_parity
  • dm_db_log_info.vlf_sequence_number
  • dm_db_log_info.vlf_size_mb
  • dm_db_log_info.vlf_status
  • dm_db_log_stats.active_log_size_mb
  • dm_db_log_stats.active_vlf_count
  • dm_db_log_stats.current_vlf_sequence_number
  • dm_db_log_stats.current_vlf_size_mb
  • dm_db_log_stats.database_id
  • dm_db_log_stats.log_backup_lsn
  • dm_db_log_stats.log_backup_time
  • dm_db_log_stats.log_checkpoint_lsn
  • dm_db_log_stats.log_end_lsn
  • dm_db_log_stats.log_min_lsn
  • dm_db_log_stats.log_recovery_lsn
  • dm_db_log_stats.log_recovery_size_mb
  • dm_db_log_stats.log_since_last_checkpoint_mb
  • dm_db_log_stats.log_since_last_log_backup_mb
  • dm_db_log_stats.log_truncation_holdup_reason
  • dm_db_log_stats.recovery_model
  • dm_db_log_stats.recovery_vlf_count
  • dm_db_log_stats.total_log_size_mb
  • dm_db_log_stats.total_vlf_count
  • dm_os_enumerate_filesystem.creation_time
  • dm_os_enumerate_filesystem.file_or_directory_name
  • dm_os_enumerate_filesystem.full_filesystem_path
  • dm_os_enumerate_filesystem.has_integrity_stream
  • dm_os_enumerate_filesystem.is_directory
  • dm_os_enumerate_filesystem.is_hidden
  • dm_os_enumerate_filesystem.is_read_only
  • dm_os_enumerate_filesystem.is_sparse
  • dm_os_enumerate_filesystem.is_system
  • dm_os_enumerate_filesystem.is_temporary
  • dm_os_enumerate_filesystem.last_access_time
  • dm_os_enumerate_filesystem.last_write_time
  • dm_os_enumerate_filesystem.level
  • dm_os_enumerate_filesystem.parent_directory
  • dm_os_enumerate_filesystem.size_in_bytes
  • dm_os_file_exists.file_exists
  • dm_os_file_exists.file_is_a_directory
  • dm_os_file_exists.parent_directory_exists
  • dm_sql_referenced_entities.is_incomplete
  • fn_full_dblog.AllocUnitId
  • fn_full_dblog.AllocUnitName
  • fn_full_dblog.Article ID
  • fn_full_dblog.Begin Time
  • fn_full_dblog.Beginlog Status
  • fn_full_dblog.Bulk allocated extent count
  • fn_full_dblog.Bulk allocated extent ids
  • fn_full_dblog.Bulk allocation first IAM Page ID
  • fn_full_dblog.Bulk AllocUnitId
  • fn_full_dblog.Bulk RowsetId
  • fn_full_dblog.Byte Offset
  • fn_full_dblog.Bytes Freed
  • fn_full_dblog.Checkpoint Begin
  • fn_full_dblog.Checkpoint End
  • fn_full_dblog.CHKPT Begin DB Version
  • fn_full_dblog.CHKPT End DB Version
  • fn_full_dblog.CI Index Id
  • fn_full_dblog.CI Table Id
  • fn_full_dblog.Column Offset
  • fn_full_dblog.Command Type
  • fn_full_dblog.Command
  • fn_full_dblog.Compression Info
  • fn_full_dblog.Compression Log Type
  • fn_full_dblog.Context
  • fn_full_dblog.CopyVerionInfo Source Page Id
  • fn_full_dblog.CopyVerionInfo Source Page LSN
  • fn_full_dblog.CopyVerionInfo Source Slot Count
  • fn_full_dblog.CopyVerionInfo Source Slot Id
  • fn_full_dblog.Current LSN
  • fn_full_dblog.Database Name
  • fn_full_dblog.Description
  • fn_full_dblog.Dirty Pages
  • fn_full_dblog.End AGE
  • fn_full_dblog.End Time
  • fn_full_dblog.File ID
  • fn_full_dblog.File Status
  • fn_full_dblog.FileGroup ID
  • fn_full_dblog.Flag Bits
  • fn_full_dblog.Flags
  • fn_full_dblog.Format LSN
  • fn_full_dblog.InvalidateCache Id
  • fn_full_dblog.InvalidateCache keys
  • fn_full_dblog.Last Distributed Backup End LSN
  • fn_full_dblog.Last Distributed End LSN
  • fn_full_dblog.Lock Information
  • fn_full_dblog.Log Record Fixed Length
  • fn_full_dblog.Log Record Length
  • fn_full_dblog.Log Record
  • fn_full_dblog.Log Reserve
  • fn_full_dblog.LogBlockGeneration
  • fn_full_dblog.Logical Name
  • fn_full_dblog.LSN before writes
  • fn_full_dblog.Mark Name
  • fn_full_dblog.Master DBID
  • fn_full_dblog.Master XDESID
  • fn_full_dblog.Max XDESID
  • fn_full_dblog.Meta Status
  • fn_full_dblog.Minimum LSN
  • fn_full_dblog.Modify Size
  • fn_full_dblog.New Size
  • fn_full_dblog.New Split Page
  • fn_full_dblog.New Value
  • fn_full_dblog.NewAllocUnitId
  • fn_full_dblog.Next Replicated End LSN
  • fn_full_dblog.Num Elements
  • fn_full_dblog.Num Transactions
  • fn_full_dblog.Number of Locks
  • fn_full_dblog.Offset in Row
  • fn_full_dblog.Offset
  • fn_full_dblog.Old Size
  • fn_full_dblog.Old Value
  • fn_full_dblog.Oldest Active LSN
  • fn_full_dblog.Oldest Active Transaction ID
  • fn_full_dblog.Oldest Replicated Begin LSN
  • fn_full_dblog.Operation
  • fn_full_dblog.Page ID
  • fn_full_dblog.PageFormat FormatOption
  • fn_full_dblog.PageFormat PageFlags
  • fn_full_dblog.PageFormat PageLevel
  • fn_full_dblog.PageFormat PageStat
  • fn_full_dblog.PageFormat PageType
  • fn_full_dblog.Pages Written
  • fn_full_dblog.Parent Transaction ID
  • fn_full_dblog.Partial Status
  • fn_full_dblog.PartitionId
  • fn_full_dblog.Physical Name
  • fn_full_dblog.Prepare Time
  • fn_full_dblog.Preplog Begin LSN
  • fn_full_dblog.Previous LSN
  • fn_full_dblog.Previous Page LSN
  • fn_full_dblog.Previous Savepoint
  • fn_full_dblog.Publication ID
  • fn_full_dblog.Repl CSN
  • fn_full_dblog.Repl Epoch
  • fn_full_dblog.Repl Flags
  • fn_full_dblog.Repl Min Hold LSN
  • fn_full_dblog.Repl Msg
  • fn_full_dblog.Repl Partition ID
  • fn_full_dblog.Repl Source Commit Time
  • fn_full_dblog.Replicated Records
  • fn_full_dblog.Rowbits Bit Count
  • fn_full_dblog.Rowbits Bit Value
  • fn_full_dblog.Rowbits First Bit
  • fn_full_dblog.RowFlags
  • fn_full_dblog.RowLog Contents 0
  • fn_full_dblog.RowLog Contents 1
  • fn_full_dblog.RowLog Contents 2
  • fn_full_dblog.RowLog Contents 3
  • fn_full_dblog.RowLog Contents 4
  • fn_full_dblog.RowLog Contents 5
  • fn_full_dblog.Rows Deleted
  • fn_full_dblog.RowsetId
  • fn_full_dblog.Savepoint Name
  • fn_full_dblog.Server Name
  • fn_full_dblog.Server UID
  • fn_full_dblog.Slot ID
  • fn_full_dblog.SPID
  • fn_full_dblog.Tag Bits
  • fn_full_dblog.Text Size
  • fn_full_dblog.TextPtr
  • fn_full_dblog.Transaction Begin
  • fn_full_dblog.Transaction ID
  • fn_full_dblog.Transaction Name
  • fn_full_dblog.Transaction SID
  • fn_full_dblog.Virtual Clock
  • fn_full_dblog.VLFs added
  • fn_full_dblog.Xact ID
  • fn_full_dblog.Xact Node ID
  • fn_full_dblog.Xact Node Local ID
  • fn_full_dblog.Xact Type
  • fn_get_audit_file.affected_rows
  • fn_get_audit_file.application_name
  • fn_get_audit_file.client_ip
  • fn_get_audit_file.duration_milliseconds
  • fn_get_audit_file.response_rows
  • fn_xe_file_target_read_file.timestamp_utc

System Tables

  • syscscolsegments.container_id
  • syscsdictionaries.container_id

User Tables

  • MSreplication_options.install_failures
  • MSreplication_options.major_version
  • MSreplication_options.minor_version
  • MSreplication_options.optname
  • MSreplication_options.revision
  • MSreplication_options.value
  • spt_monitor.connections
  • spt_monitor.cpu_busy
  • spt_monitor.idle
  • spt_monitor.io_busy
  • spt_monitor.lastrun
  • spt_monitor.pack_errors
  • spt_monitor.pack_received
  • spt_monitor.pack_sent
  • spt_monitor.total_errors
  • spt_monitor.total_read
  • spt_monitor.total_write

Views

  • all_columns.graph_type_desc
  • all_columns.graph_type
  • availability_groups.cluster_type_desc
  • availability_groups.cluster_type
  • availability_groups.required_synchronized_secondaries_to_commit
  • availability_groups.sequence_number
  • columns.graph_type_desc
  • columns.graph_type
  • computed_columns.graph_type_desc
  • computed_columns.graph_type
  • database_automatic_tuning_mode.actual_state_desc
  • database_automatic_tuning_mode.actual_state
  • database_automatic_tuning_mode.desired_state_desc
  • database_automatic_tuning_mode.desired_state
  • database_automatic_tuning_options.actual_state_desc
  • database_automatic_tuning_options.actual_state
  • database_automatic_tuning_options.desired_state_desc
  • database_automatic_tuning_options.desired_state
  • database_automatic_tuning_options.name
  • database_automatic_tuning_options.reason_desc
  • database_automatic_tuning_options.reason
  • database_credentials.principal_id
  • database_files.is_persistent_log_buffer
  • database_query_store_options.wait_stats_capture_mode_desc
  • database_query_store_options.wait_stats_capture_mode
  • database_scoped_configurations.is_value_default
  • database_scoped_credentials.principal_id
  • databases.is_temporal_history_retention_enabled
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.closed_time
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.created_time
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.deleted_rows
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.delta_store_hobt_id
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.generation
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.has_vertipaq_optimization
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.index_id
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.object_id
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.partition_number
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.row_group_id
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.size_in_bytes
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.state_desc
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.state
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.total_rows
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.transition_to_compressed_state_desc
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.transition_to_compressed_state
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.trim_reason_desc
  • dm_db_column_store_row_group_physical_stats.trim_reason
  • dm_db_file_space_usage.modified_extent_page_count
  • dm_db_mirroring_connections.address
  • dm_db_tuning_recommendations.details
  • dm_db_tuning_recommendations.execute_action_duration
  • dm_db_tuning_recommendations.execute_action_initiated_by
  • dm_db_tuning_recommendations.execute_action_initiated_time
  • dm_db_tuning_recommendations.execute_action_start_time
  • dm_db_tuning_recommendations.is_executable_action
  • dm_db_tuning_recommendations.is_revertable_action
  • dm_db_tuning_recommendations.last_refresh
  • dm_db_tuning_recommendations.name
  • dm_db_tuning_recommendations.reason
  • dm_db_tuning_recommendations.revert_action_duration
  • dm_db_tuning_recommendations.revert_action_initiated_by
  • dm_db_tuning_recommendations.revert_action_initiated_time
  • dm_db_tuning_recommendations.revert_action_start_time
  • dm_db_tuning_recommendations.score
  • dm_db_tuning_recommendations.state
  • dm_db_tuning_recommendations.type
  • dm_db_tuning_recommendations.valid_since
  • dm_db_xtp_checkpoint_internals.checkpoint_id
  • dm_db_xtp_checkpoint_internals.checkpoint_timestamp
  • dm_db_xtp_checkpoint_internals.is_synchronized
  • dm_db_xtp_checkpoint_internals.last_segment_lsn
  • dm_db_xtp_checkpoint_internals.recovery_lsn
  • dm_exec_query_stats.last_columnstore_segment_reads
  • dm_exec_query_stats.last_columnstore_segment_skips
  • dm_exec_query_stats.max_columnstore_segment_reads
  • dm_exec_query_stats.max_columnstore_segment_skips
  • dm_exec_query_stats.min_columnstore_segment_reads
  • dm_exec_query_stats.min_columnstore_segment_skips
  • dm_exec_query_stats.total_columnstore_segment_reads
  • dm_exec_query_stats.total_columnstore_segment_skips
  • dm_exec_requests.is_resumable
  • dm_os_enumerate_fixed_drives.drive_type_desc
  • dm_os_enumerate_fixed_drives.drive_type
  • dm_os_enumerate_fixed_drives.fixed_drive_path
  • dm_os_enumerate_fixed_drives.free_space_in_bytes
  • dm_os_host_info.host_distribution
  • dm_os_host_info.host_platform
  • dm_os_host_info.host_release
  • dm_os_host_info.host_service_pack_level
  • dm_os_host_info.host_sku
  • dm_os_host_info.os_language_version
  • dm_os_memory_objects.partition_type_desc
  • dm_os_nodes.cpu_count
  • dm_os_sys_info.cores_per_socket
  • dm_os_sys_info.numa_node_count
  • dm_os_sys_info.process_physical_affinity
  • dm_os_sys_info.socket_count
  • dm_os_worker_local_storage.gq_address
  • dm_tran_global_transactions.max_csn
  • dm_tran_global_transactions_enlistments.snapshot_timestamp
  • dm_tran_global_transactions_log.commit_timestamp
  • dm_tran_version_store_space_usage.database_id
  • dm_tran_version_store_space_usage.reserved_page_count
  • dm_tran_version_store_space_usage.reserved_space_kb
  • dm_xe_session_targets.bytes_written
  • dm_xe_sessions.buffer_full_count
  • dm_xe_sessions.buffer_processed_count
  • dm_xe_sessions.total_bytes_generated
  • external_libraries.external_library_id
  • external_libraries.language
  • external_libraries.name
  • external_libraries.principal_id
  • external_libraries.scope_desc
  • external_libraries.scope
  • external_library_files.content
  • external_library_files.external_library_id
  • external_library_files.platform_desc
  • external_library_files.platform
  • hash_indexes.auto_created
  • hash_indexes.is_ignored_in_optimization
  • identity_columns.graph_type_desc
  • identity_columns.graph_type
  • index_resumable_operations.index_id
  • index_resumable_operations.last_max_dop_used
  • index_resumable_operations.last_pause_time
  • index_resumable_operations.name
  • index_resumable_operations.object_id
  • index_resumable_operations.page_count
  • index_resumable_operations.partition_number
  • index_resumable_operations.percent_complete
  • index_resumable_operations.sql_text
  • index_resumable_operations.start_time
  • index_resumable_operations.state_desc
  • index_resumable_operations.state
  • index_resumable_operations.total_execution_time
  • indexes.auto_created
  • indexes.is_ignored_in_optimization
  • indexes.suppress_dup_key_messages
  • key_constraints.is_enforced
  • masked_columns.graph_type_desc
  • masked_columns.graph_type
  • master_files.is_persistent_log_buffer
  • query_store_plan.plan_forcing_type_desc
  • query_store_plan.plan_forcing_type
  • query_store_runtime_stats.avg_log_bytes_used
  • query_store_runtime_stats.avg_num_physical_io_reads
  • query_store_runtime_stats.avg_tempdb_space_used
  • query_store_runtime_stats.last_log_bytes_used
  • query_store_runtime_stats.last_num_physical_io_reads
  • query_store_runtime_stats.last_tempdb_space_used
  • query_store_runtime_stats.max_log_bytes_used
  • query_store_runtime_stats.max_num_physical_io_reads
  • query_store_runtime_stats.max_tempdb_space_used
  • query_store_runtime_stats.min_log_bytes_used
  • query_store_runtime_stats.min_num_physical_io_reads
  • query_store_runtime_stats.min_tempdb_space_used
  • query_store_runtime_stats.stdev_log_bytes_used
  • query_store_runtime_stats.stdev_num_physical_io_reads
  • query_store_runtime_stats.stdev_tempdb_space_used
  • query_store_wait_stats.avg_query_wait_time_ms
  • query_store_wait_stats.execution_type_desc
  • query_store_wait_stats.execution_type
  • query_store_wait_stats.last_query_wait_time_ms
  • query_store_wait_stats.max_query_wait_time_ms
  • query_store_wait_stats.min_query_wait_time_ms
  • query_store_wait_stats.plan_id
  • query_store_wait_stats.runtime_stats_interval_id
  • query_store_wait_stats.stdev_query_wait_time_ms
  • query_store_wait_stats.total_query_wait_time_ms
  • query_store_wait_stats.wait_category_desc
  • query_store_wait_stats.wait_category
  • query_store_wait_stats.wait_stats_id
  • sequences.last_used_value
  • spatial_indexes.auto_created
  • spatial_indexes.is_ignored_in_optimization
  • spt_values.high
  • spt_values.low
  • spt_values.name
  • spt_values.number
  • spt_values.status
  • spt_values.type
  • syscscontainers.blob_container_id
  • syscscontainers.blob_container_type
  • syscscontainers.blob_container_url
  • system_columns.graph_type_desc
  • system_columns.graph_type
  • tables.history_retention_period_unit_desc
  • tables.history_retention_period_unit
  • tables.history_retention_period
  • tables.is_edge
  • tables.is_node
  • trusted_assemblies.create_date
  • trusted_assemblies.created_by
  • trusted_assemblies.description
  • trusted_assemblies.hash
  • xml_indexes.auto_created
  • xml_indexes.is_ignored_in_optimization

Importante: Vale ressaltar que estas novas colunas estão compondo o conjunto atual de recursos internos já existentes no Microsoft SQL Server, não estou me referindo a novas Internal Tables, DMVs ou Views adicionadas ao produto na versão 2017.

Com isso chegamos ao final de mais um post da sessão Dica do Mês, espero que você tenha gostado, então do meu tradicional encerramento, quero destacar em algumas destas novas colunas serão destaco em posts futuros do meu blog.


Referências

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/ms178596(v=sql.110).aspx

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/ms188021(v=sql.110).aspx

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/relational-databases/system-catalog-views/sys-all-columns-transact-sql

Posts Anteriores

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/08/26/dica-do-mes-simulando-a-insercao-de-uma-massa-de-dados-aleatoria/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/05/23/conhecendo-e-aplicando-o-uso-de-atualizacao-de-estatisticas-incrementais/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/04/13/dica-do-mes-microsoft-sql-server-identificando-as-transacoes-que-estao-utilizando-o-transact-log/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/03/01/dica-do-mes-microsoft-sql-server-2016-sp1-novo-argumento-use-hint-disponivel-para-query-hints/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/01/16/dica-do-mes-conhecendo-a-nova-dmf-sys-dm_exec_input_buffer-no-microsoft-sql-server-2016/

Conclusão

A cada versão do Microsoft SQL Server evolui, a gama de dados técnicos catalogados que nos permitem analisar e ajudar em possíveis cenários de administração ou tomadas de decisão cresce de forma exponencial, com isso, temos um conjunto inimaginável de possibilidades e alternativas que nos possibilitam superior nossos desafios.

Esse é o Microsoft SQL Server ainda mais poderoso na versão 2017.

 

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua visita, agradeço sua atenção, fique a vontade para enviar suas críticas, sugestões, observações e comentários.

Um forte abraço, nos encontramos no próximo post a ser publicado no mês de janeiro de 2018.

Vai SQL Server, Vai SQL Server…..

Abraços.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6. Disponível para MySQL, SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase), Oracle Database, IBM DB2 e Access, o Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

A ferramenta automatiza todos os aspectos da migração. A versão 7.6 inclui o suporte para:

– Migração do MySQL 4.1 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase) 11.9 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do Oracle Database 9.0 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, Azure SQL DB e Azure SQL Data Warehouse.

– Migração do IBM DB2 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.7 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

IMPORTANTE: A versão 32 bits da ferramenta foi descontinuada. Ela está disponível agora somente para plataformas 64 bits.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6

Baixe o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6

Download da versão 7.6 para MySQL
Download da versão 7.6 para Access
Download da versão 7.6 para SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase)
Download da versão 7.6 para Oracle Database
Download da versão 7.6 para IBM DB2

O Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6 é compatível com o Windows 10, Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016. Ele também requer o .NET Framework 4.5.2 ou posterior.

As páginas de download também listam alguns requisitos específicos, como MySQL Connector/ODBC e SAP ASE OLEDB/ADO.Net/ODBC provider.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com – https://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=54258&WT.mc_id=rss_alldownloads_all – 25/09/2017.

SQL Server Management Studio 17.2 liberado para download


Você conhece o SQL Server Management Studio?

SQL Server Management Studio é um ambiente integrado para o gerenciamento de qualquer infra-estrutura SQL do SQL Server banco de dados SQL. SQL Server Management Studio fornece ferramentas para configurar, monitorar e administrar as instâncias de SQL. Use o SQL Server Management Studio para implantar, monitorar e atualizar os componentes de camada de dados usados por suas aplicações, bem como construir consultas e scripts.

Use o SQL Server Management Studio (SSMS) para consultar, projetar e gerenciar seus bancos de dados e data warehouses, onde quer que estejam – no computador local ou na nuvem.

SQL Server Management Studio é grátis!

Baixar o SQL Server Management Studio 17,2

Baixar o SQL Server Management Studio 17,2 atualizar pacote (atualizações 17 para 17,2)

A instalação de 17 SSMS não atualizar ou substituir as versões do SQL Server Management Studio 16.x ou anterior. SSMS 17 instalações lado a lado com as versões anteriores para que ambas as versões estão disponíveis para uso. Se um computador contiver instalações lado a lado de SQL Server Management Studio, verifique se que você começar a versão correta para suas necessidades específicas. A versão mais recente é rotulado como Microsoft SQL Server Management Studio 17e tem um novo ícone:

SSMS 17.x

Informações de versão

O número de versão: 17,2 o número de compilação para esta versão: 14.0.17177.0.

Novidades

SSMS 17,2 é a versão mais recente do SQL Server Management Studio. A geração de 17 do SQL Server Management Studio fornece suporte para quase todas as áreas de recurso no SQL Server 2008 através de SQL Server de 2017. Versão 17 também suporta SQL Analysis Service PaaS.

Versão 17,2 inclui:

    • Autenticação de vários fatores (AMF)
      • Autenticação de usuário múltiplo AD Azure para autenticação Universal com autenticação de vários fatores (UA com AMF)
      • Um novo campo de entrada de credencial do usuário foi adicionado para autenticação Universal com AMF para oferecer suporte à autenticação multi-usuário.
    • A caixa de diálogo de conexão agora suporta os seguintes métodos de 5 autenticação:
      • Autenticação do Windows
      • Autenticação do SQL Server
      • Active Directory – Universal, com o apoio do MFA
      • Active Directory – senha
      • Active Directory – integrado
    • Banco de dados de importação/exportação para assistente de DacFx agora pode usar autenticação Universal com AMF.
    • ADAL biblioteca gerenciada usada pela autenticação Azure AD Universal com AMF foi atualizada para versão 3.13.9.
    • Uma nova interface CLI suportando configuração de admin AD Azure para banco de dados SQL e SQL Data Warehouse.
    • Janela de saída possui entradas para consultas executadas durante a expansão de nós do pesquisador de objetos.
    • Habilitado o modo de exibição designer para bancos de dados SQL Azure
    • Mudaram-se as opções de script padrão para scripts de objetos de Object Explorer no SQL Server Management Studio:
      • Anteriormente, o padrão em uma instalação nova era ter o destino do script gerado a versão mais recente do SQL Server (atualmente SQL Server 2017).
      • No SSMS 17,2 foi adicionada uma nova opção: Configurações de Script Match a fonte. Quando definida como True, o script gerado destina-se a mesma versão, tipo do motor e do motor edition como servidor do objeto sendo roteirizado é de.
      • O valor de Configurações de Script Match a fonte é definido para True por padrão, para que novas instalações do SQL Server Management Studio automaticamente padrão serão sempre scripts de objetos para o mesmo destino que o servidor original.
      • Quando o valor de Configurações de Script Match a fonte é definido como False, as opções de destino script normal serão habilitadas e funcionam como fizeram anteriormente.
      • Além disso, todas as opções de script foram movidas para a sua própria seção – Opções de versão. Eles não estão mais sob Opções gerais de Scripting.
    • Adicionado suporte para nuvens nacional em “Restaurar a partir de URL”
    • QueryStoreUI relatórios agora suporta adicional métricas (número de linhas, DOP, CLR tempo etc.) do sys.query_store_runtime_stats.
    • IntelliSense agora é suportado por banco de dados SQL Azure.
    • Segurança: caixa de diálogo conexão será o padrão para não confiar em certificados de servidor e solicitando criptografia para conexões de banco de dados SQL Azure
    • Melhorias gerais em torno de suporte para o SQL Server no Linux:
      • Nó de correio do banco de dados está de volta
      • Abordadas algumas questões relacionadas com caminhos
      • Melhorias de estabilidade de Monitor de atividade
      • Caixa de diálogo Propriedades de Conexão exibe a plataforma correta
    • Relatório de servidor Dashboard desempenho agora disponível como um relatório padrão:
      • Pode se conectar ao SQL Server 2008 e versões mais recentes.
      • Subrelatório de índices ausentes usa Pontuação para ajudar a identificar índices mais útil.
      • Estatísticas de espera histórica sub relatam agora agregados esperas ser categoria. Ocioso e esperas de sono filtrados por padrão.
      • Novo histórico travas subrelatório.
    • Pesquisa de plano de execução nó permite buscar em Propriedades do plano. Facilmente procure qualquer propriedade de operador como nome da tabela. Para usar esta opção quando visualizar um plano:
      • Botão direito do mouse no plano e no menu de contexto clique na opção Localizar nó
      • Usar CTRL + F

Para obter uma lista completa de alterações, consulte SQL Server Management Studio – Changelog (SSMS).

Suporte para versões

    • Esta versão do SQL Server Management Studio funciona com todas as versões suportadas do SQL Server 2008 – 2017 de SQL Server e fornece o maior nível de suporte para trabalhar com as mais recentes características de nuvem no banco de dados SQL Azure e SQL Azure Data Warehouse.
    • Não há nenhum bloco explícito para SQL Server 2000 ou SQL Server 2005, mas alguns recursos podem não funcionar corretamente.
    • Além disso, o SSMS 17 pode ser instalado lado a lado com o SQL Server Management Studio 16.x ou SQL Server 2014 SSMS e versões anteriores.

Sistemas operacionais com suporte

Esta versão do SQL Server Management Studio suporta as seguintes plataformas de 64 bits quando usado com o mais recente disponível service pack:

    • 10 Windows (64 bits)
    • Windows 8.1 (64 bits)
    • Windows 8 (64 bits)
    • Windows 7 (SP1) (64-bit)
    • Windows Server 2016 *
    • Windows Server 2012 R2 (64 bits)
    • Windows Server 2012 (64 bits)
    • Windows Server 2008 R2 (64 bits) 

* O SSMS 17 baseia-se na shell do Visual Studio 2015 isolada, que foi lançado antes de 2016 de servidor Windows. Microsoft leva a sério o compatibilidade de aplicativo e garante que já enviados com aplicações continuam a correr sobre as versões mais recentes do Windows. Para minimizar problemas na execução do SQL Server Management Studio em 2016 de servidor Windows, certifique-se de que SSMS tem todas as últimas atualizações aplicadas. Se você tiver quaisquer problemas com o SQL Server Management Studio no Windows Server 2016, contate o suporte. A equipe de suporte determina se o problema for com o SQL Server Management Studio, Visual Studio, ou com compatibilidade do Windows. A equipe de suporte roteia a questão para a equipe apropriada para maiores investigações.

Idiomas disponíveis

Esta versão do SQL Server Management Studio pode ser instalado nos seguintes idiomas:+

SQL Server Management Studio 17,2:
chinês (República Popular da China) | Chinês (Taiwan) | Inglês (Estados Unidos) | Francês | Alemão | Italiano | Japonês | Korean | Português (Brasil) | Russas | Espanhol

SQL Server Management Studio 17,2 atualizar pacote (atualizações 17 para 17,2):
chinês (República Popular da China) | Chinês (Taiwan) | Inglês (Estados Unidos) | Francês | Alemão | Italiano | Japonês | Korean | Português (Brasil) | Russas | Espanhol

Download de versões anteriores

Versões anteriores do SQL Server Management Studio

Links adicionais

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft – 07/08/2017 – https://docs.microsoft.com/en-us/sql/ssms/download-sql-server-management-studio-ssms

Primeiro release candidate do SQL Server 2017 agora disponível


A Microsoft anunciou hoje a disponibilidade no TechNet Evaluation Center do SQL Server 2017 RC1 (Release Candidate 1), a versão de testes pública mais recente do novo SQL Server.

Em nossos sete CTPs community technology previews () até à data, o SQL Server 2017 emitiu:

  • Linux suporte para cargas de trabalho de nível 1, missão crítica Suporte a SQL Server 2017 para Linux inclui as mesmas soluções de alta disponibilidade em Linux como Windows Server, incluindo sempre em grupos disponibilidade integrados com soluções de clustering Linux nativas como marca-passo.
  • Gráfico de processamento de dados no SQL Server Com os recursos de dados de gráfico disponíveis no SQL Server 2017 e banco de dados SQL Azure, clientes podem criar nós e bordas e descobrir as relações complexas e muitos-para-muitos.
  • Processamento de consultas adaptável Processamento de consultas adaptativo é uma família de recursos do SQL Server 2017 que mantém automaticamente consultas de banco de dados executando de forma mais eficiente possível sem a necessidade de ajuste adicional de administradores de banco de dados. Além da capacidade de ajustar concessões de memória de modo de lote, o conjunto de recursos inclui junções adaptável de modo lote e intercalados com capacidades de execução.
  • Integração do Python para análises avançadas Serviços de aprendizagem de máquina Microsoft traz-lhe agora a capacidade de executar a análise de no banco de dados usando Python ou R de forma escalável e em paralelo. A capacidade de executar análises avançadas em seu armazenamento operacional sem ETL significa mais rápido tempo de ideias para os clientes enquanto implantação fácil e extensibilidade rica tornam rápido se levantar e correr sobre o modelo certo.

Principais aprimoramentos no Release Candidate 1

No SQL Server RC1 de 2017, houve vários aprimoramentos de recurso da Nota:

  • SQL Server no Active Directory Linux integração – Com RC1, o SQL Server no Linux suporta autenticação de diretório ativo, que permite que clientes associados ao domínio em Windows ou Linux para autenticar ao SQL Server usando suas credenciais de domínio e o protocolo Kerberos. Confira o Guia de introdução instruções.
  • Transport Layer Security (TLS) para criptografar dados – SQL Server no Linux pode usar TLS para criptografar os dados transmitidos através de uma rede entre um aplicativo cliente e uma instância do SQL Server. SQL Server no Linux suporta os seguintes protocolos TLS: TLS 1.0, 1.1 e 1.2. Confira o Guia de introdução instruções.
  • Aprimoramentos de serviços de aprendizagem de máquina – No RC1, nós adicionamos mais recursos de modelo de gerenciamento para R Services no Windows Server, incluindo gestão de biblioteca externa. A nova versão também oferece suporte nativo marcando.
  • SQL Server Analysis Services (SSAS) Além das melhorias para SSAS de CTPs anterior do SQL Server 2017, RC1 adiciona adicionais exibições de gerenciamento dinâmico, permitindo a análise de dependência e emissão de relatórios. Consulte o blog do Analysis Services para obter mais informações.
  • SQL Server Integration Services (SSIS) no Linux O preview do SQL Server Integration Services no Linux agora adiciona suporte para qualquer driver de ODBC Unicode, se ele segue as especificações do ODBC. (Driver ODBC ANSI não é suportado).
  • SQL Server Integration Services (SSIS) no Windows Server RC1 adiciona suporte para dimensionamento do SSIS em ambientes de alta disponibilidade. Os clientes agora podem habilitar sempre para SSIS, configurando o Windows Server failover clustering para o dimensionamento do mestre.

SQL Server 2017 para desempenho mais rápido

SQL Server 2017 tem vários novos parâmetros, demonstrando um desempenho mais rápido do que os bancos de dados do competidor e contra as versões mais antigas do SQL Server:

Dinamize sua DevOps usando SQL Server 2017

Em SQL Server 2017, introduzimos o suporte para SQL Server em contêineres baseados em Linux, um benefício para os clientes usando recipientes em desenvolvimento ou produção. Estamos também trabalhando para ajudar os desenvolvedores a começar a desenvolver um app para o SQL Server mais rápido possível com instruções de instalação, trechos de código e outras informações úteis.

No nosso novo microsite DevOps usando o SQL Server, que lançou hoje, desenvolvedores e gerentes de desenvolvimento podem aprender como integrar o SQL Server em suas tarefas de DevOps. Encontre demos, documentação e blogs, bem como vídeos e apresentações da conferência. Ou então, junte-se a conversa de DevOps em nossos canais de Gitter.

Começar com o SQL Server RC1 de 2017 hoje!

Tente o release candidate do SQL Server 2017 hoje! Começar com nossos tutoriais de desenvolvedor atualizadas que mostram como instalar e usar o SQL Server 2017 no macOS, Docker, Windows e Linux e rapidamente construir um aplicativo em uma linguagem de programação de sua escolha. Para mais formas de começar, tente o seguinte:

Fontes e Direitos Autorais: July 17, 2017.

Lançado: Preview público para SQL Server 2017 e pacote de gerenciamento de replicação (CTP4)


Microsoft anuncia o SQL Server 2017 Management Pack CTP4 bits com novas funcionalidades na versão (6.7.60.0).

Faça o download do preview público em:

Pacote de gerenciamento do Microsoft System Center (comunidade técnica Preview 4) para o SQL Server 2017

Pacote de gerenciamento do Microsoft System Center (Community Technology Preview 4) para replicação do SQL Server 2017

Novos recursos e correções para o SQL Server 2017 Windows e Linux MP (6.7.60.0)

  • Implementado sempre na monitorização em Windows e Linux
  • Fluxos de trabalho implementados de latência de disco
  • Adicionado nova “Falha no logon” alerta regra para evento SQL Server #18456
  • Adicionado suporte para as credenciais do AD no modo sem agente no Windows
  • Adicionado relatório de previsão de espaço DB
  • Corrigido problema: informação de localização de arquivo diferente do “sys. master_files” e “sysfiles” causa erro quando arquivos do grupo de disponibilidade de banco de dados secundário estão em caminho diferente
  • Corrigido problema: fluxos de trabalho não podem se conectar a uma instância quando apenas o protocolo de memória compartilhada está habilitado
  • Introduziu uma série de melhorias para o pacote de gerenciamento

Novos recursos e correções para janelas de replicação SQL Server 2017 MP (6.7.60.0)

  • Adicionado um número de monitores e regras de desempenho para criar o mesmo modelo de saúde, tal como apresentado no MPs de replicação do SQL Server 2008-2016
  • Melhorada e refatorado gestão pacote de módulos
  • Corrigido uma série de questões
Recurso/Workflow CTP1 (6.7.18.0) CTP2 (6.7.40.0) CTP3 (6.7.55.0) CTP4 (6.7.60.0)
Objetos de núcleo
Descoberta do mecanismo de DB W/L W/L W/L W/L
Descoberta de motor local DB (característica única do windows) Em Em Em
Instâncias de Cluster do SQL Em Em Em Em
A descoberta de DB W/L W/L W/L W/L
Descoberta de grupo de arquivos DB W/L W/L W/L W/L
Detecção de arquivos DB W/L W/L W/L W/L
Arquivo de Log DB descoberta W/L W/L W/L W/L
Descoberta de política DB W/L W/L W/L
Descoberta de grupo de arquivos FILESTREAM Em Em Em
Descoberta de grupo de arquivos de dados otimizados para memória W/L W/L W/L
Dados de memória otimizado de arquivos recipientes descoberta W/L W/L W/L
Pool de recursos de motor DB descoberta W/L W/L
Descoberta do agente SQL W/L W/L
Sempre na descoberta Em W/L
Características
Monitoramento sem agente W/L W/L W/L W/L
Misto de acompanhamento (característica única do windows) Em Em Em Em
Agente de monitoramento (característica única do windows) Em Em Em Em
Credenciais do SQL W/L W/L W/L W/L
Credenciais do AD Em Em Em Em
Suporte OLTP na memória W/L W/L W/L
Suporte a SQL Server Express Em Em Em Em
Módulo de MSSQL LogReader W/L W/L W/L
Suporta nomes longos (característica única do windows) Em Em Em Em
Assistente de multithreading W/L W/L W/L
Execução de tarefas W/L W/L
Suporte de estivador L L
Cenários de monitoramento
Estado de saúde de motor DB monitoramento W/L W/L W/L W/L
Monitoramento de desempenho de motor do DB W/L W/L W/L W/L
Serviço de mecanismo de DB pacote de monitoramento de conformidade W/L W/L W/L
Monitoramento de configuração DB W/L W/L W/L W/L
Desempenho de grupo de arquivos otimizado para memória de dados DB monitoramento W W W
Métricas de monitoramento da CPU e desempenho W W W
Envio de monitoramento de logs W W W
Monitoramento da integridade do WMI W/NA W/NA W/NA
Base do evento monitoramento (400 + regras de alerta) W/L W/L W/L
Coleta de métricas DB espaço monitoramento e desempenho W W W W
Coleta de métricas DB espaço monitoramento e desempenho para objetos Filestream W W W
Coleta de métricas DB espaço monitoramento e desempenho para objetos ἑκατόν W W W
Serviço iniciador Daemon de filtro de texto completo SQL monitoramento W W W
Monitoramento do SQL Agent W/L W/L
Sempre a monitorização W W/L

Gend Le

Concluído

W – suportado em Windows

L – suportado no Linux

W/L – com suporte em Windows e Linux

W/NA – com suporte no Windows, mas não aplicável para Linux

Todos os detalhes sobre a nova funcionalidade podem ser encontrados no guia de operações do que pode ser baixado junto com o pacote de gerenciamento. Funcionalidade completa estará disponível com o SQL Server 2017 GA. Esta versão CTP cobre apenas um subconjunto de regras e monitores. Vamos trabalhar no sentido de funcionalidade completa como nós liberamos novos CTPs.

Fontes e Direitos Autorais: SQL Server Release Services – SourabhAgarwal.
https://blogs.msdn.microsoft.com/sqlreleaseservices/released-public-preview-for-sql-server-2017-and-replication-management-pack-ctp4/