#20 – Para que serve


Olá pessoal, bom dia(ou talvez boa madrugada).

Não se espante com o horário, mas neste exato momento são 02:06(duas horas e seis minutos da manhã) quinta – feira dia 12/04, ou seja, um novo dia esta começando.

É a vida de um DBA e MVP não é fácil, sei que nesta quinta terei um dia repleto de afazeres, por este e outros motivos estou aqui no meu blog para compartilhar com vocês um dos novos recursos adicionados ao Microsoft SQL Server nos últimos meses.

Logicamente a cada nova versão que a Microsoft disponibilizado do SQL Server, uma nova avalanche de conceitos, funcionalidades, comandos e diversidade de possibilidades são adicionadas ao produto, mas no post de hoje, não vou apresentar propriamente uma nova funcionalidade deste fascinante Sistema Gerenciador de Banco de Dados, ao contrário, vou destacar uma nova ferramenta adicionado ao Microsoft SQL Management Studio a partir da versão 17.5 lançada no mês de fevereiro de 2018, conhecida como Descoberta e Classificação de Dados ou Data Discovery and Classification disponível para uso a partir da versão 2008.

Talvez você já deve ter ouvido falar de algo relacionado com proteção de informações organizacionais, ou quem sabe a sigla GDPR (General Data Protection Regulation)? Falando de formas gerais, trata-se de uma regulamentação geral de proteção de dados, criada inicialmente a partir de 2016, como uma possível normatização de padrões para proteção de dados organizacionais, respeitando regulamentações mundiais.

Caso ainda não tenha conhecimento ou obtida alguma informação sobre este assunto, recomendo acessar: https://www.gdpr.associates/what-is-gdpr/

Continuando, não vou me aprofundar no conceito, normas e padrões estabelecidos pelo GDPR, mas sim quero compartilhar com vocês esta recurso existente no Management Studio, que pode justamente ser muito útil para possibilitar uma melhor organização dos seus dados, como também, estabelecer uma nova maneira de categorizar os mesmo.

Sendo assim, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre o post de número 20 da sessão Para que serve. Então seja bem vindo ao #20 – Para que serve – Descoberta e Classificação de Dados.


Introdução

Adicionado a partir da versão 17.5 do Management Studio, o recurso Data Discovery and Classification se estabelece com uma nova ferramenta existente internamente no produto, com objetivo de nos permitir discovering (descobrir), classifying (classificar), labeling (rotular) e reporting (relatar) os dados confidenciais em seus bancos de dados.

No qual esta capacidade de descoberta e  classificação dos chamados dados confidenciais, sejam eles relacionados as áreas de negócios, financeiros, de serviços de saúde, marketing ou produção, podem desempenhar um papel fundamental na dimensão da proteção de informações organizacionais. A adoção desta nova funcionalidade implementada no Microsoft SQL Management Studio possível de ser utilizada a partir da versão 2008 e disponível até as atuais versão, nos possibilidade adotar:

  • Padrões de privacidade de dados e aos requisitos de conformidade regulamentar, como o GDPR; e
  • Controlar o acesso, fortalecendo a segurança de bancos de dados/colunas que contêm dados altamente confidenciais.

Data Discovery and Classification apresenta um conjunto de funcionalidades internas, que representam uma coleção de parametrizações para identificação e categorização de dados, que estabelecem uma camada de proteção de informações aplicadas de forma direta e transparente em nossos bancos de dados armazenados diretamente no Microsoft SQL Server, possibilitando e objetivando a proteção dos dados, não apenas do banco de dados, como também para os seguintes elementos:

  • Discovery & recommendations (Descobertas e Recomendações) – Através do mecanismo de classificação, é realizada uma verificação no banco de dados, permitindo identificar as possíveis colunas que contenham dados elegíveis a serem considerados confidenciais.
  • Labeling (Rótulos e Identificações) – Basicamente reconhecida como uma etiqueta ou rótulo de classificação de confidencialidade que estabelecem marcas de persistência em colunas, característica que nos ajuda e diferenciar estes dados de um outro dado “considerado comum”; e
  • Visibility (Visibilidade) – Estado de classificação do banco de dados que permite ser exibido em um relatório detalhado que pode ser impresso/exportado para ser usado para fins de auditoria e conformidade, bem como para outras necessidades.

Acredito que até aqui esteja tudo tranquilo, espero que você possa estar entendendo os conceitos, para que possamos evoluir a partir de agora na prática, que também será bastante simples de ser utilizada.

Como descobrir, classificar e rotular colunas confidenciais

Vamos então conhecer de forma prática como podemos estabelecer esta forma de classificação e rotulação dos nossos dados, no qual utilizaremos o Microsoft SQL Server Management Studio, tendo como base um banco de dados muito propicio para o ano de 2018.

Pois bem, em nossa prática vamos utilizar um banco de dados denominado Fifa2018 que possui todos os dados existentes no game Fifa 2018 produzido pela EASports, jogado mundialmente nos principais consoles de videogame. Caso você queria fazer o download deste banco de dados disponível para o SQL Server 2016 ou 2017, utilize este link Fifa2018.bak (por questões de compatibilidade com a plataforma wordpress, o arquivo de backup foi renomeado, tendo em seu nome o acréscimo da extensão .doc, sendo assim, basta após realizar o download remover a respectiva extensão).

Mas antes de realizarmos a classificação de forma prática, vale ressaltar que existem dois elementos muito importantes a serem entendidos, denominados:

  1. Labels (Rótulos) – os atributos de classificação principais, são usados para definir o nível de confidencialidade dos dados armazenados na coluna; e
  2. Information Types (Tipos de informações) – Nos fornecem uma granularidade adicional para o tipo dos dados armazenados na coluna, elemento que nos permite identificar de uma maneira mais especifica cada dado contido em sua respectiva coluna.

Passo 1

Dando continuidade, seguimos em frente, agora realizando de maneira prática os processos de descoberta, classificação e rótulo dos nossos dados, posteriormente vamos gerar um relatório que nos permitirá entender de forma gráfica as categorizações atribuídas para nossos respectivos dados, para tal recomendo que você acesso seu Management Studio e conecte em sua instância, procedimento o qual eu já realizei, conforme a Figura 1 abaixo apresenta:

Figura 1 – Instância local do Microsoft SQL Server 2017 conectada.

Passo 2

Nosso próximo passo será selecionar banco de dados Fifa2018, clicando com o botão da direita, posteriormente na opção Task e por último na opção Classify Data conforme ilustra a Figura 2 a seguir:

Figura 2 – Acessando a ferramenta Classify Data existente no Management Studio.

Passo 3

Ótimo, a partir deste momento, o Management Studio acaba de abrir a ferramenta Classify Data, que nos permite realizar os procedimentos de descoberta, classificação e identificação do dados existentes nas tabelas que compõem do banco de dados Fifa2018, conforme apresenta a Figura 3 abaixo:

Figura 3 – Data Classification disponível para classificação dos dados.

Analisando a Figura 3 apresentada acima, podemos observar que em sua barra de status é exibida uma mensagem informando que existem 5 colunas neste base dados que possivelmente podem ser reconhecidas como colunas de dados confidencias.

Você pode estar se perguntando como esta ferramenta realiza este tipo de análise, a resposta é bem simples, neste caso, a análise foi realizada tendo com base as simulações que eu executei justamente para poder escrever este post, por padrão ao ser inicializada pela primeira em um determinado banco de dados a Classify Data não possui informações suficientes para descobrir estas possíveis colunas.

Passo 4

Legal, o próximo passo será muito simples e tranquilo, para poder realizar a classificação dos dados, vamos clicar no botão Add Classification, existente barra de ferramentas.

Ao clicar no botão Add Classification, será apresentada uma nova ribbon chamada Data Classification ao lado direita da sua tela, a qual permitirá que você realiza das respectivas categorizações dos seus dados, de acordo com a tabela, coluna, tipo da informação e rótulo de importância ou sensibilidade do dado (Sensitivity Label), conforme apresenta a Figura 4:

Figura 4 – Barra de Ferramenta – Botão Add Classification e Ribbon – Data Classification.

De posse desta ribbon, você poderá criar suas respectivas classificações de dados, para tentar de ajudar e padronizar nossa prática, a Figura 5 a seguir ilustra o conjunto de classificação dos dados que eu realizei que podem servir como base para que você estabeleça em seu ambiente as respectivas classificações:

Figura 5 – Data Classification realizada.

Importante: Analisando a Figura 5, podemos notar a utilização de cinco colunas diferentes em nossa prática, todas existentes na tabela PlayerAllData, além disso, a coluna Sensitivity Label apresenta rótulos de sensibilidade diferentes para cada coluna, o que nos permite justamente identificar a existência de diversos rótulos, sendo este, um elemento importante para vai nos permitir ou não mostrar este dado em determinados procedimentos aos quais nosso banco de dados venha a ser envolvido.

Passo 5

Muito bem, você conseguiu, agora vamos avançar mais um pouco, já estamos quase no final, nosso próximo e extremamente importante passo consiste em salvar este conjunto de classificação de dados realizado anteriormente, para isso, nada mais claro e óbvio que clicar no botão Save “salvar” existente na barra de ferramentas da Classify Data, sendo assim, mãos no mouse e clique no botão Save.

Após realizar o procedimento de salvar, temos a partir de agora um conjunto de classificação e rotulamento de dados definido em nosso ambiente, o que nos permite realizar análise do nível se importância, confidencialidade e sensibilidade dos dados aqui definidos de acordo com nossas regras de negócio.

Passo 6

Nosso último passo esta relacionado com a capacidade de análise que esta nova ferramenta Classify Data nos permite fazer, tendo a disponibilidade de gerar um relatório contendo as informações referentes ao conjunto de classificação de dados que nós definimos no Passo 4, com isso, possibilitando estabelecer uma possível análise para posterior tomada de decisão no que se relacionada as colunas selecionadas como possíveis dados confidenciais ou dados organizacionais.

Para realizar este passo, vamos clicar no botão View Report (Exibir Relatório), procedimento que realizará o processamento e apresentação do relatório criado pelo Classify Data contendo o conjunto de informações relacionadas a nossa classificação de dados, conforme apresenta a Figura 6 abaixo:

Figura 6 – Data Classification Report – Relatório de Classificação de Dados.

Pronto, ai esta nosso relatório, simples, rápido e prático, nosso conjunto de classificação de dados apresentado, nos permitindo entender de forma gráfica os procedimentos de descoberta, classificação e rotulagem de dados.

Com isso chegamos ao final do post de número 20 da sessão Para que serve. Gostou?

Fale a verdade este post foi fácil, tranquilo? Não é mesmo!


Referências

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/relational-databases/security/sql-data-discovery-and-classification

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/relational-databases/security/sql-data-discovery-and-classification

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/relational-databases/security/dynamic-data-masking

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/relational-databases/security/encryption/always-encrypted-database-engine

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/01/02/19-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/12/15/18-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/11/24/17-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/10/01/16-para-que-serve/

Conclusão

Estamos vivendo um mundo cada vez mais tecnológico, conectado, rápido, evolutivo e muito agressivo no que se diz respeito ao valor de uma informação para nós usuário e principalmente para empresas.

Atender justamente a este conjunto de exigência diárias, satisfazendo também os órgãos mundiais em suas definições, normas e obrigações acabam exigindo de qualquer empresa um constante acompanhamento e cumprimento de deveres. Desta forma, a Microsoft esta se adequando uma nova realidade e preocupação que cresce a cada dia, como proteger de forma mundial os dados e futuras informações geradas a todo os momentos por cada um dos indivíduos e organizações existentes em nosso planeta, sabendo da importância de se respeitar as leis, normas e padrões organizacionais e governamentais.

Neste post, você conheceu pouco sobre como o Microsoft SQL Server esta preparado para atender estas leis, através da nova ferramenta adicionada internamente no Management Studio, chamada de Data Discovery and Classification, na qual nos permite através do recurso Classify Data estabelecer a classificação dos nossos dados armazenados em cada coluna existente em um banco de dados, e não somente isso, definir o nível de importância deste dado, como também, a sensibilidade do mesmo para ser apresentado ou envolvido em algum tipo de procedimento de acesso ou manipulação, visando garantir e fortalecer que esta dado deve ser tratado de forma diferenciada em comparação com um possível “dado comum”.

Sem dúvida uma grande ferramenta adicionada ao Microsoft SQL Server, que mostra o quanto a Microsoft e seus respectivos times de produto estão envolvidos preocupados em atender e respeitar todas as possíveis leis, normas e regras.

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua ilustre visita, sinto-me honrado com sua presença, espero que este conteúdo possa lhe ajudar e ser útil em suas atividades profissionais e acadêmicas.

Um forte abraço, até o próximo post da sessão Para que serve…..

Boa noite e uma ótima quinta – feira.

Até mais.

 

 

 

Retrocompatibilidade no Xbox One suporta jogos com múltiplos discos


O primeiro jogo com múltiplos discos suportado pela retrocompatibilidade no Xbox One é o Deux Ex: Human Revolution Director’s Cut.

Outros jogos com múltiplos discos devem ser suportados no futuro. Os usuários podem votar em quais jogos que poderão ser adicionados futuramente através do site Xbox Feedback.

No site é possível votar em títulos como Skyrim, Tales of Vesperia, Lost Odyssey e muitos outros.

Retrocompatibilidade no Xbox One suporta jogos com múltiplos discos Retrocompatibilidade no Xbox One suporta jogos com múltiplos discos - {focus keyword}

Com a retrocompatibilidade os jogos do Xbox 360 rodarão da mesma forma no Xbox One, mas com o suporte para alguns recursos do novo console. Por exemplo, os usuários poderão capturar screenshots, fazer o streaming de gameplays e gravar suas partidas nos jogos do Xbox 360 rodando no Xbox One

Com a retrocompatibilidade no Xbox One os jogos do Xbox 360 rodarão da mesma forma, mas com o suporte para alguns recursos do novo console.

Por exemplo, os usuários poderão capturar screenshots, fazer o streaming de gameplays e gravar suas partidas nos jogos do Xbox 360 rodando no Xbox One.

A Microsoft também confirmou que todos os jogos do Xbox 360 disponibilizados futuramente como parte do programa Games with Gold já serão compatíveis com o Xbox One.

A lista mais recente com os jogos suportados por este recurso pode ser encontrada aqui e mais detalhes sobre a retrocompatibilidade estão disponíveis aqui.

Fontes e Direitos Autorias: Baboo.com – Sid Vicious @ 16 mai 2016 | 9:21 am

Fifa 14: vídeo mostra Pelé na versão para Xbox One


Fifa 14 ganhou um novo trailer que mostra o Rei do Futebol, Pelé, em ação. O vídeo mostra o eterno camisa 10 da seleção brasileira e suas habilidades com a bola. O intuito é promover o movo Ultimate Team do game que na versão para Xbox One terá lendas do futebol, como Bergkamp, Figo e Romário, e que chega às lojas na próxima sexta-feira (22), junto com o novo console da Microsoft.

Pelé em Fifa 14 para Xbox One (Foto: Reprodução / TechTudo)Pelé em Fifa 14 para Xbox One (Foto: Reprodução / TechTudo)

O modo Ultimate Team de Fifa 14 para Xbox One será diferenciado das outras versões. Haverá a possibilidade de contar com lendas do futebol no seu card, além de outras cartas com habilidades especiais.

Além disso, em comparação com as versões para consoles como Xbox 360, PlayStation 3 e PCs, no novo console da Microsoft, o game trará gráficos mais realistas, incluindo animações externas – como torcidas e até gandulas. A mecânica do jogo também conta com melhorias, como uma movimentação mais solta dos atletas virtuais e melhorias na inteligência artificial dos jogadores.

Fontes e Direitos Autorais: Diego Borges Da redação – TechTudo – 20/11/2013 10h51 – Atualizado em 20/11/2013 11h02

 

Microsoft revelará novo Xbox nesta terça-feira


Novo Xbox: sigilo garantiu poucos vazamentos sobre o novo console da Microsoft

São Paulo – O sucessor do Xbox 360 será revelado nesta terça-feira (21) pela Microsoft. A empresa realizará um evento em sua sede em Redmond, nos Estados Unidos, às 10h (horário de Brasília), para fazer o anúncio oficial.

Diferente do caso do PS4, apresentado pela Sony em 20 de fevereiro, o novo Xbox não sofreu com diversos vazamentos de fotos e informações – nem mesmo o nome do console, que pode ser Xbox 720, Xbox 8, Xbox Infinity, Novo Xbox ou apenas Xbox, parece ter consenso entre os boatos.

Conheça todos os rumores sobre o Xbox 720 

Imersão – Tudo indica que o novo Xbox terá diferenciais importantes com relação ao Wii U e ao PS4, que formam por enquanto a oitava geração dos consoles. Os periféricos devem ser um desses fatores de destaque, principalmente com o IllumiRoom. Trata-se de um projetor que expande o campo de imagens dos jogos, que normalmente ficam restritos ao monitor, para toda a parede da sala, ampliando significativamente a visualização de cenários nos games. Este projetor já foi apresentado oficialmente pela Microsoft, mas a empresa ainda não confirma seu uso no novo Xbox.

 

Veja demonstração do IllumiRoom divulgada pela Microsoft

Rumores dão conta de dois adicionais que podem tornar a experiência do Xbox 720 ainda mais imersiva: uma nova versão do Kinect (com melhoria no hardware, melhor captação de áudio e melhor reconhecimento de voz, expressões faciais, profundidade de sala e formas corporais) e os Kinect Glasses, óculos de realidade aumentada que supostamente possibilitariam a visualização de personagens e outros elementos de jogo na sala de estar no contexto do jogo.

Polêmica – Um boato que ganhou enorme proporção foi o do novo console necessitar de conexão em tempo integral para funcionar. A medida seria uma forma de conter a pirataria, exigindo códigos de ativação para todos os jogos, e acabaria também, de forma colateral, com a possibilidade de utilizar jogos usados.

Recentemente, um suposto memorando vazado da Microsoft indicava que a característica não está sendo cogitada em função da conexão de banda larga ainda não ser popularizada, podendo prejudicar a experiência de jogo de muitos consumidores.

Independente disso, há grande possibilidade dos lançamentos digitais desde o primeiro dia serem uma constante no novo Xbox – o que já seria um golpe maciço sobre os jogos vendidos em mídia física para o console.

Entre as demais especulações sobre o novo Xbox, estão a mudança do disco de DVD para Blu-ray de 50GB, uma maior integração com o recurso SmartGlass (tornando dispositivos móveis em uma segunda tela para o console) e uma grande quantidade de aplicativos para ampliar ainda mais a capacidade do console enquanto media center.

Confira quais são os 5 serviços que precisam melhorar no novo Xbox

Entre os possíveis jogos para o novo Xbox, alguns títulos multiplataforma já foram anunciados para “consoles da próxima geração”, como Call of Duty: Ghosts, Assassin’s Creed IV: Black Flag e Wolfenstein: The New Order. Entre os games exclusivos, é possível esperar continuações de franquias de sucesso como Halo, Gears of War e Forza, que supostamente já estão em desenvolvimento e podem ser anunciados oficialmente amanhã.

Saiba quais são as 5 franquias que queremos de volta no novo Xbox

Os boatos indicam que o console custará 500 dólares em sua versão mais parruda, mas deve ganhar também uma alternativa mais leve. Os jogos custariam 70 dólares e a chegada do novo sistema ao mercado ocorreria entre novembro e dezembro deste ano.

Boa parte dessas confirmações devem ocorrer amanhã, às 10h, quando a Microsoft revelar o novo Xbox – que será o “vencedor da próxima geração” na opinião do criador da Atari, Nolan Bushnell.

Fontes e Direitos Autorais: 

• segunda, 20 de maio de 2013.

Xbox 720 não rodará jogos do disco após instalação, diz rumor


Um novo rumor sobre o Xbox 720 sugere que os jogos para o console rodarão diretamente do seu disco rígido, e que não vão precisar dos discos originais após a instalação. De acordo com a fonte do site VGleaks, o recurso é parte do plano da Microsoft de combate à pirataria.

O sucessor do Xbox 360 deve mesmo bloquear jogos online (Foto: Divulgação)O sucessor do Xbox 360 deve mesmo bloquear jogos online (Foto: Divulgação)

Assim, o sucessor do Xbox 360 incluirá um HD de grande capacidade, para “armazenar um grande número de jogos”. Podemos esperar algo com, no mínimo, 500gb. Segundo o site, todos os jogos serão instalados no HD, e jogar um game diretamente do seu disco não será possível. Isto significa, por outro lado, que também será impossível emprestar ou revender um título usado já instalado.

Além disso, as informações do VGleaks fazem referência a outro rumor antigo sobre o Xbox 720: que o console exigirá conexão permanente à internet. Mais um fator na direção do bloqueio a jogos usados. Sempre online, não é difícil imaginar um sistema que verifique a autenticidade de cada jogo assim que for iniciado no console.

O mais estranho é que, após instalado, o disco do jogo se torna basicamente inútil, a menos que uma nova instalação do game seja necessária. É importante frisar que a Microsoft não confirmou nenhuma destas informações, mas deve revelar o novo Xbox em breve.

Fontes e Direitos Autorais: Via Gaming Everything – 22/03/2013 08h11 – Atualizado em 22/03/2013 08h11.

O Kinect é só o começo

Depois de hackeado, o controle de games da Microsoft é usado em projetos como o de um robô que rastreia vítimas em áreas de desastres.


O Kinect é só o começo

Depois de hackeado, o controle de games da Microsoft é usado em projetos como o de um robô que rastreia vítimas em áreas de desastres.

 

Poucos dias foram necessários para invadir o Kinect, da Microsoft, e fazer coisas que levaram a fabricante ameaçar até chamar a polícia contra mais de 1 milhão de pessoas que compraram o produto nos dez dias depois de 4 de novembro de 2010, quando foi lançado nos Estados Unidos. A maioria dos consumidores correu para casa, plugou o sistema no console Xbox e começou a experimentar uma nova maneira de jogar. O Kinect detecta gestos a distância e os utiliza para controlar o game. Como diz o slogan: “Você é o controle”.

 

Alguns dos compradores, no entanto, estavam planejando seguir as palavras da Microsoft mais literalmente. Para esses habilidosos hackers, foi uma rara oportunidade de inspecionar o funcionamento de um eletrônico de consumo de uma grande empresa e descobrir o que ele pode realmente fazer.

 

A tecnologia usada no Kinect inclui uma sofisticada câmera para detecção de profundidade e um scanner infravermelho. Fazê-lo funcionar com qualquer computador e novos aplicativos eram os próximos passos. “No dia em que o Kinect foi anunciado, ficamos pensando: ‘Vamos fazer a engenharia reversa’”, diz Kyle Machulis, hacker da Califórnia.

 

O que aconteceu depois surpreendeu os hackers. A Adafruit Industries, empresa de Nova York que produz kits de eletrônica do tipo faça você mesmo, anunciou no dia do lançamento que daria 1 000 dólares à primeira pessoa que conseguisse fazer o Kinect rodar no Windows ou em outro sistema operacional. A Microsoft também deu um incentivo, mesmo sem querer. Poucas horas após o anúncio, a companhia disse que não iria tolerar modificações no Kinect e que “trabalharia de maneira muito próxima das forças da lei para garantir que o Kinect fosse resistente a modificações”. Era o desafio que os hackers queriam. A Adafruit dobrou o prêmio para 2 000 dólares.

 

“De repente, virou uma corrida”, diz Machulis. Mas ele e seus amigos estavam estagnados. Fazer engenharia reversa é como quebrar um código. Os hackers precisam ouvir a “conversa” entre um aparelho e o computador para finalmente entender a linguagem que os dois usam para se comunicar. Mas o Kinect produz uma grande quantidade de dados que vêm de sua câmera, de seus quatro microfones e do sistema de detecção de profundidade. É preciso ter um hardware chamado USB analyser (analisador de USB) para ler e gravar todos esses dados. A Adafruit e vários outros já tinham comprado um aparelho desses, mas a entrega só seria feita dentro de alguns dias.

 

Enquanto eles esperavam, outros começaram a trabalhar. Já no dia 6 de novembro, um sábado, o hacker chamado AlexP tinha conseguido controlar os motores do Kinect. A Microsoft tentou abafar a notícia, dizendo que o Kinect não tinha sido hackeado. A comunidade viu isso como uma afronta. E o prêmio da Adafruit subiu para 3 000 dólares.

Fonte e Direitos Autorais: Jim Giles, da New ScientistQuinta-feira, 24 de março de 2011 – 07h49.