SQL Operations Studio Preview v0.25.4 – Janeiro 2018


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o SQL Operations Studio Preview v0.25.4. A ferramenta está disponível para Windows, macOS e Linux.

Se você ainda não conhece esta nova ferramenta, saiba que o SQL Operations Studio é uma ferramenta gratuita para gerenciamento do SQL Server, Azure SQL Database e Azure SQL Data Warehouse.

A primeira versão Preview pública foi lançada no início de novembro de 2017. De acordo com o changelog, a versão 0.25.4 traz correções de bugs, corrige um problema com o tamanho do ícone no menu Iniciar, muda o campo Nome do servidor para Servidor na caixa de diálogo Conexão e mais.

Confira a lista completa de melhorias e correções disponíveis no changelog clicando aqui.

Microsoft SQL Operations Studio Preview v0.25.4

A versão para Windows do SQL Operations Studio Preview v0.25.4 está disponível para download aqui com instalador e aqui em versão portátil (não requer instalação). As versões para outras plataformas e as instruções de instalação podem ser encontradas aqui.

Para maiores informações acesse: https://docs.microsoft.com/en-us/sql/sql-operations-studio/what-is

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft – 17/01/2018 – https://docs.microsoft.com/en-us/sql/sql-operations-studio/release-notes

Anúncios

Microsoft SQL Server Data Tools v15.5.1 para Visual Studio 2017 disponível


O SQL Server Data Tools v15.5.1 é uma ferramenta de desenvolvimento moderna que você pode baixar gratuitamente para criar bancos de dados relacionais do SQL Server, bancos de dados SQL do Azure, pacotes do Integration Services, modelos de dados do Analysis Services e relatórios do Reporting Services.

Com o SSDT, você pode projetar e implantar qualquer tipo de conteúdo do SQL Server com a mesma facilidade com que desenvolve um aplicativo no Visual Studio.

O SQL Server Data Tools v15.5.1 para Visual Studio 2017 está disponível para download aqui e é compatível com o Windows 7 SP1, Windows 8.1, Windows 10, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016.

SQL Server Data Tools v15.5.1 para Visual Studio 2017Esta versão do SSDT pode ser instalada nos seguintes idiomas:

Chinês (República Popular da China) | Chinês (Taiwan) | Inglês (Estados Unidos) | Francês | Alemão | Italiano | Japonês | Coreano | Português (Brasil) | Russo | Espanhol

De acordo com o changelog, esta versão traz a correção de um problema no qual o instalador trava na pós-instalação do SQL Server Integration Services e a correção de um problema no qual a instalação falha com a seguinte mensagem de erro: “Não há suporte para a operação de metarquivo solicitada (0x800707D3)”.

IMPORTANTE: Antes de instalar o SSDT v15.5.1 para Visual Studio 2017, desinstale as extensões “Projetos do Microsoft Analysis Services” e “Projetos do Microsoft Reporting Services”, caso eles já estejam instalados no VS 2017 e feche todas as instâncias do VS.

Mais informações sobre o SQL Server Data Tools podem ser encontradas aqui. Ele também possui uma versão para o Visual Studio 2015.

Fontes e Direitos Autorais: https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/ssdt/changelog-for-sql-server-data-tools-ssdt

Microsoft Visual Studio 2017 v15.6 Preview 2 e Visual Studio for Mac Version 7.4 Preview disponíveis


A Microsoft anunciou a disponibilidade do Visual Studio 2017 v15.6 Preview 2. A versão Preview 1 original foi disponibilizada no dia 7 de dezembro de 2017.

De acordo com o changelog publicado aqui pela Microsoft, o Visual Studio 2017 v15.6 Preview 2 traz correções para múltiplos bugs, opções de depuração agora estão disponíveis para Embedded ARM GCC.

Esta nova versão Preview também traz uma extensa lista de melhorias no suporte para Visual C++, o instalador do Visual Studio foi melhorado e agora quando você instalá-lo pela primeira vez ou atualizá-lo via Web você verá um processo de instalação mais transparente:

Microsoft Visual Studio 2017 v15.6 Preview 2

O Preview 2 também inclui o suporte parta navegação por fontes descompiladas. Habilite isto acessando Tools > Options > Text Editor > C# > Advanced > Enable navigation to decompiled sources:

A lista completa com todas as novidades nesta versão Preview pode ser vista no link acima.

Desenvolvedores interessados podem fazer o download do Visual Studio 2017 v15.6 Preview 2 aqui ou podem utilizar o link fornecido na página com o changelog.

Fontes e Direitos Autorais: The Visual Studio Blog – 10/01/2018.

Microsoft libera o .Net Core v2.0.5


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o .NET Core v2.0.5. Esta versão pode ser utilizada para desenvolvimento via linha de comando, editor de texto, Visual Studio 2017, Visual Studio Code ou Visual Studio for Mac.

O .NET Core é uma versão modular, multiplataforma e open-source do .NET Framework. O SDK (kit para desenvolvimento de software) v2.1.4 e o .NET Core Runtime v2.0.5 para Windows estão disponíveis para download aqui.

Na mesma página é possível encontrar o .NET Core e outros downloads para Linux e macOS. Instruções para instalação em diferentes distribuições do Linux estão disponíveis no link acima.

Imagens da versão 2.0.5 do .NET Core também estão disponíveis no Docker Hub. Elas podem ser usadas no Linux e no Nano Server.

Microsoft disponibiliza o .NET Core v2.0.5
A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o .NET Core v2.0.5. Esta versão pode ser utilizada para desenvolvimento via linha de comando, editor de texto, Visual Studio 2017, Visual Studio Code ou Visual Studio for Mac

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com –  11 jan 2018 | 9:42 am.

Microsoft abre inscrições para o maratona bots


A Microsoft abriu as inscrições para o Maratona Bots, um curso de capacitação online e gratuito destinado a programadores que querem aprender como criar chatbots, robôs que conversam via chat utilizando recursos de Inteligência Artificial.

O curso terá quatro semanas de duração e os conteúdos didáticos serão liberados semanalmente. O primeiro módulo estará disponível a partir de segunda-feira, dia 15 de janeiro.

Após o término das aulas, os participantes terão até o dia 26 de março para desenvolverem um bot atendendo aos critérios da organização do curso. Os projetos serão avaliados por um time de especialistas da Microsoft. O objetivo é fomentar a criatividade e o aprimoramento técnico dos participantes em serviços de Inteligência Artificial disponíveis na nuvem.

A maratona também fará uma breve introdução aos conceitos de machine learning e Inteligência Artificial, que podem auxiliar na construção de aplicativos de diferentes tipos. São conhecimentos que ajudam a formar um profissional capaz de fazer frente às demandas atuais das empresas interessadas em promover a transformação digital.

Microsoft abre inscrições para o Maratona Bots

O público-alvo principal do curso são os desenvolvedores de software. Profissionais de áreas relacionadas que tenham conhecimento básico de programação e desejam entender melhor a aplicabilidade da tecnologia nos negócios também podem participar.

Além das aulas de vídeo online, o curso terá materiais de apoio em formato PDF e laboratórios práticos. Durante o período de aulas, os participantes poderão tirar suas dúvidas com instrutores que estarão on-line. Depois do encerramento, o conteúdo das aulas continuará disponível na plataforma on-line.

Desenvolvedores e demais interessados podem se inscrever aqui.

Fontes e Direitos autorais: Microsoft News Center Brasil – 10/01/2018.

#19 – Para que serve


Salve galera, boa tarde.

Feliz Ano Novo, Feliz 2018, o tempo passou e hoje dia 02/01 nos encontramos no primeiro dia útil para grande maioria da população mundial, mas que dureza pensar que temos mais 365 dias pela frente para superarmos, por outro lado que bom pensar assim.

Neste primeiro post de 2018 não vou trazer nenhuma novidade relacionada ao Microsoft SQL Server ou banco de dados, mas sim compartilhar como faço em alguns momentos, conceitos já conhecidos da grande maioria.

Hoje quero trazer para vocês um dos assuntos mais discutidos quando estamos trabalhando com nossos servidores de banco de dados, estou me referindo ao período de processamento do comando select dentro de um bloco de transação conhecido como Ciclo de Vida de Query através do comando Select.

Sendo assim, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre o primeiro post de 2018, post de número 19 da sessão Para que serve. Entã seja bem vindo ao #19 – Para que serve – Ciclo de Vida de Query através do comando Select.


Introdução

Um dos comandos mais utilizados em qualquer Sistema Gerenciador de Banco de Dados ou propriamente um Banco de Dados é o comando Select, sendo este responsável em recuperar linhas do banco de dados e permite a seleção de uma ou várias linhas ou colunas de uma ou várias tabelas, no Microsoft SQL Server isso não é diferente.

Basicamente ao se executar um comando Select podemos estar trabalhando com uma simples query ou conjunto de querys que podem formar uma ou mais transações, é com base neste cenário que o comando Select composto por sua conjunto de argumentos e opções permite estabelecer um ciclo de vida dedicado exclusivamente ao seu período de compilação, execução e encerramento.

Desta forma, algumas perguntas podem surgir decorrentes do seu processo de processamento, dentre as quais destaco:

  1. Quais são as etapas para o processamento de um select? 
  2. Onde inicia e onde termina cada processo?

De uma maneira bastante simples e direta vou tentar responder estas questões, iniciando pela organização da estrutura de componentes utilizadas pelo comando Select, conhecidos como:

  • Relation Engine;
  • Storage Engine; e
  • Buffer Pool.
  1. Relational Engine é responsável pelos processos de Query Optmizer, Query Executor e Parse entre outros, avaliando toda a parte algébrica, sintaxe e plano de execução da Query.
  2. Storage Engine é o cara do I/O, responsável pelo gerenciamento e requisições de disco, alocações, Access Methods Code, Buffer Manager e Transaction MGR.
  3. Buffer Pool tem vários papeis, mas, um dos mais importantes é o gerenciamento de memória para o plano de execução e alocação de páginas no data cache.

A Figura 1 apresentada abaixo ilustra um modelo básico da estrutura de relação entre estes componentes:

Figura 1 – Estrutura dos componentes utilizados pelo comando select.

Logicamente, dentro de cada componente podemos encontrar diversos subcomponentes que formam sua estrutura, responsáveis por diversas ações e procedimentos, formando um ecossistema único para cada elemento, dentre eles destaco o Query Optimizer com suas diversas fases de otimização para gerar o plano de execução mais assertivo.

O Ciclo (Select)

O primeiro passo é estabelecer a conexão entre aplicação (ERP, CRM, Web, etc…) e o SQL Server. Para isso, é utilizado um protocolo chamado Network Interface (SNI). No fundo o SNI utiliza um outro protocolo, na verdade, podem existir vários protocolos e o mais conhecido é o famoso TCP/IP.

A Figura 2 abaixo ilustra o inicio do ciclo de vida do comando select através do acesso feito por uma aplicação:

Figura 2 – Representação do inicio do ciclo de vida do comando select.

Ao realizar a conexão através da comanda e do protocolo (TCP/IP), os pacotes TDS (Tabular Data Stream Endpoints) são encaminhados ao Protocolo Layer, que tem como papel “reconhecer e interpretar” o pacote e validar a informação, assim como sua origem (client). Após isso o conteúdo (SQL Command) do pacote é enviado ao Command Parse.

A Figura 3 apresenta o comportamento do Command Parse após o processo de reconhecimento e interpretação do pacote contendo o comando select ser realizado:

Figura 3 – Comportamento do Command Parse após o processo de reconhecimento dos pacotes.

Neste cenário o CMD Parser vai fazer o seu trabalho, primeiro validando o T-SQL, checando sintaxe, nomes de objetos, parâmetros, palavras chaves. A segunda parte é procurar no Buffer Pool se já existe um plano de execução compatível para está query, se sim, ele recupera este plano e executa (Query Executor), caso contrário, passa o result da análise (Query Tree) para o Query Optmizer que é o responsável por gerar o Execution Plan (plano de execução) que será usado na execução (próxima etapa) do ciclo.

Ao receber as instruções o Query Optimizer,  identifica a query realizando diversas etapas (fases 0,1,2) de otimização, afim de encontrar o plano mais eficiente, com base no “cost-based” (I/O, CPU). Nesta etapa as estatísticas são utilizadas servindo como Input de informação para tomada de decisão do Query Optimizer. Após o termino desta etapa, o plano de execução está pronto, passando o bastão para o Query Executor

O Query Executor é quem executa a Query, na verdade ele executa o plano de execução, colocando os operadores para trabalhar. É neste ponto também que ocorre a interação com a Storage Engine via interface Access Methods (OLE DB).

Seguindo em frente, Access Methods passa a solicitação para o Buffer Manager recuperar a página de dados, se a página especifica estiver em memória, o Buffer Pool solicita ao Data Cache que recupere a pagina, e retorna ao Access Methods (leituras logicas). Ao contrário, os dados são recuperados do disco (leituras físicas), colocados em cache e devolvendo o controle para o Access Methods. 

De posse dos dados, o Access Methods devolve a informação para o Relational Engine que será enviada ao Client que a solicitou, assim o resultando do comando select é apresentado na tela da aplicação exibindo assim os dados solicitados pelo usuário. Desta maneira, nosso ciclo ou melhor o ciclo de vida do comando select esta concluído, conforme a Figura 4 apresenta abaixo:

Figura 4 – Ciclo de vida do comando select concluído e dados apresentados para o usuário.

Com isso chegamos ao final do primeiro post de 2018 e post de número 19 da sessão Para que serve.


Referências

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/queries/select-transact-sql

https://technet.microsoft.com/en-us/library/ms189559(v=sql.90).aspx

http://www.sqlservergeeks.com/sql-server-architecture-part-2-the-relational-engine/

https://blogs.msdn.microsoft.com/tcaserta/2016/01/04/sql-server-fundamentos-storage-engine-parte-i/

https://blogs.msdn.microsoft.com/tcaserta/2016/01/04/sql-server-fundamentos-storage-engine-parte-i/

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/12/15/18-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/11/24/17-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/10/01/16-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/06/28/15-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/04/30/14-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/03/25/13-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/01/23/12-para-que-serve/

Conclusão

Como sempre a Microsoft e toda sua equipe nos surpreende com sua capacidade de trabalho, fortalecendo cada vez mais o Microsoft SQL Server não somente com um SGBD ou ferramenta de banco de dados, mas sim um ambiente completo para qualquer tipo de análise, desenvolvimento e administração que esteja relacionada com dados.

Este é o fantástico Microsoft SQL Server, surpreendente em todos os sentidos…

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua ilustre visita, sinto-me honrado com sua presença, espero que este conteúdo possa lhe ajudar e ser útil em suas atividades profissionais e acadêmicas.

Um forte abraço, até o próximo post da sessão Para que serve…..

Valeu.

Microsoft disponibiliza atualização cumulativa 9 para SQL Server 2014 SP2


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana a Atualização Cumulativa 9 para SQL Server 2014 SP2. Esta atualização contém correções para os problemas que foram descobertos depois do lançamento do SQL Server 2014 SP2.

O SP2 foi lançado pela Microsoft em julho de 2016.

Atualização Cumulativa 9 para SQL Server 2014 SP2

De acordo com o artigo KB4055557 publicado no site de suporte da Microsoft, a Atualização Cumulativa 9 altera o build para 12.0.5563.0 e traz correções para múltiplos bugs.

Entre os bugs corrigidos estão que faz com que o DBCC CHECKDB retorne erros de consistência se a função SOUNDEX é usada em certos cenários e um que gera o erro “Invalid comparison due to NO COLLATION”.

A lista completa com todos os bugs corrigidos por esta atualização cumulativa pode ser vista no link acima.

A Atualização Cumulativa 9 para SQL Server 2014 SP2 está disponível para download aqui em múltiplos idiomas para plataformas 32 e 64 bits.

Atualização Cumulativa 9 para SQL Server 2014 SP2
De acordo com o artigo KB4055557 publicado no site de suporte da Microsoft, a Atualização Cumulativa 9 altera o build para 12.0.5563.0 e traz correções para múltiplos bugs

Correcções incluídas neste pacote de atualizações cumulativas


Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com – 19/12/2017 –https://support.microsoft.com/pt-br/help/4055557/cumulative-update-9-for-sql-server-2014-sp2