Microsoft libera o .Net Core v2.0.5


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o .NET Core v2.0.5. Esta versão pode ser utilizada para desenvolvimento via linha de comando, editor de texto, Visual Studio 2017, Visual Studio Code ou Visual Studio for Mac.

O .NET Core é uma versão modular, multiplataforma e open-source do .NET Framework. O SDK (kit para desenvolvimento de software) v2.1.4 e o .NET Core Runtime v2.0.5 para Windows estão disponíveis para download aqui.

Na mesma página é possível encontrar o .NET Core e outros downloads para Linux e macOS. Instruções para instalação em diferentes distribuições do Linux estão disponíveis no link acima.

Imagens da versão 2.0.5 do .NET Core também estão disponíveis no Docker Hub. Elas podem ser usadas no Linux e no Nano Server.

Microsoft disponibiliza o .NET Core v2.0.5
A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o .NET Core v2.0.5. Esta versão pode ser utilizada para desenvolvimento via linha de comando, editor de texto, Visual Studio 2017, Visual Studio Code ou Visual Studio for Mac

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com –  11 jan 2018 | 9:42 am.

Anúncios

Microsoft anuncia o lançamento do Powershell Core 6.0


A Microsoft anunciou nesta semana a disponibilidade do PowerShell Core 6.0, uma versão multi-plataforma e open-source do PowerShell, para Windows, macOS e Linux.

Apesar do “6.0” no nome, esta é a primeira versão oficial do PowerShell Core.

A versão para Windows do PowerShell Core 6.0 é compatível com o Windows 7, Windows 8.1, Windows 10, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016.

A versão para macOS é compatível com a versão 10.12 e posteriores e a versão para Linux é compatível com distribuição como Ubuntu, CentOS, Red Hat Enterprise Linux, OpenSUSE e Fedora.

Assim como o .NET e o .NET Core, o PowerShell Core é uma versão open-source do PowerShell. A Microsoft não pretende mais lançar novas versões do Windows PowerShell “normal”, com a 5.1 sendo a última*.

*Ela continuará recebendo correções durante seu ciclo de vida, mas a 5.1 é a última grande versão do Windows PowerShell.

O PowerShell Core também pode ser usado mesmo em sistemas com o Windows PowerShell instalado.

Alguns recursos suportados pelo Windows PowerShell, como PowerShell Workflows, Snap-ins e cmdlets WMlv1, não são suportados no PowerShell Core 6.0, mas isso pode mudar no futuro.

O PowerShell Core será atualizado regularmente pela Microsoft.

Microsoft lança o PowerShell Core 6.0

A empresa anunciou seu plano de tornar o PowerShell open-source e compatível com macOS e Linux em 2016. A empresa também disponibilizou uma versão de testes na época.

Profissionais de TI interessados podem obter mais informações no post com o anúncio da versão 6.0 publicado aqui pela Microsoft.

Instruções para download e instalação do PowerShell Core 6.0 no Windows podem ser encontradas aqui. Já as instruções para download e instalação no macOS e Linux estão disponíveis aqui.

Fontes e Direitos Autorais: PowerShell Team Blog – 10/01/2018.

Microsoft adiciona versão Beta do cliente OpenSSH no Windows 10 v1709


Desenvolvedores e profissionais de TI interessados já podem testar o cliente OpenSSH no Windows 10 v1709 (o Windows 10 Fall Creators Update).

Em 2015 a empresa anunciou que estava trabalhando para incluir o suporte nativo para OpenSSH no Windows. SSH ou Secure Shell é uma ferramenta de linha de comando presente no UNIX e em distribuições do Linux usada para realização de conexões criptografadas a servidores remotos.

Além do cliente, o servidor OpenSSH também está presente como versão Beta no Windows 10 v1709. O detalhe é que ambos precisam ser habilitados manualmente.

Como habilitar a versão Beta do cliente OpenSSH no Windows 10 v1709

Para habilitar a versão Beta do cliente OpenSSH no Windows 10 v1709, siga os passos abaixo:

– Abra o aplicativo Configurações e clique em Aplicativos:


– Em Aplicativos e recursos clique no link Gerenciar recursos opcionais:


– Clique no botão Adicionar um recurso:


– Você verá o cliente e o servidor OpenSSH Beta na lista. Clique no item desejado e depois em Instalar:


Microsoft inclui versão Beta do seu cliente OpenSSH no Windows 10 v1709

 

#17 – Para que serve


Olá você, boa noite.

Tudo bem? Este é mais um post da sessão Para que serve, plena sexta – feira, enquanto meus alunos da Fatec São Roque estão quebrando a cabeça e gastando um pouco dos neurônios na resolução de exercícios, estou aqui para compartilhar um pouco do conhecimento adquirido nos alguns dias.

Quando eu falei sobre conhecimento adquirido, estou me referindo a algumas novidades adicionadas na nova versão do Microsoft SQL Server, neste caso mais especificamente a versão 2017. E ai você já realizou o download? Espero que a resposta seja positiva e você já esteja utilizando, pois caso contrário o post de hoje talvez não seja a solução da dúvida ou problema que você esta esperando.

Mas antes de falar do post, vamos destacar um pouco sobre o Microsoft SQL Server 2017. Acredito que você deva saber que no último mês de outubro, a Microsoft realizou mais um lançamento de uma nova versão do Microsoft SQL Server, estou me referindo a versão 2017. Por acaso você estão utilizando esta nova versão? Caso ainda não tenha feito, aproveite e faça agora mesmo acessando o link: https://www.microsoft.com/en-us/sql-server/sql-server-2017.

Se você, assim como eu realizou o download no mesmo dia do lançamento, ou seja, dia 02/10, pode ter um certo tempo para notar que a cada nova versão, o produto esta evoluindo, tanto no seu processo de instalação que realmente é fantástico e muito prático, como também, na quantidade de recursos, funcionalidades e componentes internos apresentados a partir desta da versão 2017.

Voltando para o post de hoje, como de costume a cada nova versão a Microsoft em conjunto com o seu time de engenheiros e desenvolvedores tem o hábito de adicionar um conjunto novo de funcionalidades e recursos, dentre eles alguns voltados especificamente para a área de desenvolvimento, no caso de comandos, stored procedures e functions adicionadas a grande linguagem Transact-SQL.

Logicamente na versão 2017 isso não seria diferente, e justamente pensando neste tipo de oportunidade para aquisição de conhecimento que o post de hoje será dedicado a duas novas funções adicionadas a partir desta versão sendo elas: Concat_WS e Translate.

E ai por acaso você já as conhece, espero que não, mas caso já tenha encontrado alguma informação ou até mesmo tenha feito uso, fique a vontade para contribuir com este post deixando seu comentário.

Seguindo em frente, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre estas novas funções, desta forma, seja bem vindo ao #17 – Para que serve – Novas String Functions Concat_WS e Translate adicionadas ao Microsoft SQL Server 2017.

Introdução

Em diversos momentos trabalhando com diversos dados armazenados em nossas tabelas temos a necessidade de realizar a concatenação entre eles, ou seja, estabelecer uma possível forma de união destes diversos valores e apresentar de uma única coluna ou até mesmo linha de registro.

Procedimento que até a versão 2012 do Microsoft SQL Server nos exigia um pouco de linhas de código para realizar esta atividade, sendo que, a mesma agora na versão 2o17 tornou-se ainda mais simples e fácil através da nova string function Concat_WS.

Você pode estar pensando, mas qual o motivo do tipo de engenheiros do SQL Server em adicionar uma função similar a Concat, na verdade não existe um motivo, o que existe e posso dizer é que a Concat e a Concat_WS podem ser consideradas irmãs ou até mesmo funções que se complementam.

Neste sentido o WS pode ser reconhecido como o argumento (concatenate with separator) separador, aquele caracterer que será utilizado para separar um valor string do outro mais ao mesmo tempo estará fazendo parte do conjunto de valores que serão concatenados.

Para que você possa entender e conhecer melhor a função Concat_WS, vou apresentar alguns exemplos:

— Exemplo 1 – Obtendo informações sobre as tabelas, utilizando o hífen como separador —
SELECT CONCAT_WS( ‘ – ‘, name, OBJECT_ID, create_date, modify_date) AS TablesInfo
FROM sys.tables
Go

Após a execução do Exemplo 1, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 1 abaixo:


Figura 1 – Dados concatenados e separados pelo sinal de hífen.

— Exemplo 2 – Concatenando caracteres utilizando o sinal de dois pontos como separador —
Select CONCAT_WS(‘ :: ‘, ‘Pedro Antonio Galvão Junior’, ‘Idade:37’, ‘MVP desde 2007’) As Info
Go

Após a execução do Exemplo 2, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 2 abaixo:


Figura 2 – Dados concatenados e separados pelo sinal de dois pontos.

Observação: Note que nos dois exemplos apresentados acima o primeiro argumento ou parâmetro obrigatório que deve ser especificado na função Concat_WS é justamente o elemento separador, o qual vai estar envolvido diretamente entre cada conjunto de valores informados sequencialmente na função.

Dando continuidade, vamos conhecer a função Translate, inicialmente fazendo uma rápida analogia ao seu nome parece que esta nova função seria algo similar a um tradutor de texto, na verdade ela tem um papel entre aspas próximo em relação a tradução de um valor ou sentença de valores string, mas dizer que ela realiza a tradução não é o entendimento correto.

Na verdade esta função realiza em tempo de execução retorna uma nova sentença de valores string com base no conjunto de argumentos declarados em sua sintaxe, sendo que obrigatoriamente o primeiro argumento representa a sentença de valores que deverá ser utilizada, para posteriormente servir como base para nova sentença que será resultando da “tradução”.

Vamos então conhecer um pouco mais sobre esta função, através dos exemplos apresentados a seguir:

— Exemplo 1 – Equação de 2º Grau — Substituindo a letra x pelo número 4 —Select ‘x² – 10x + 24 = 0’ As ‘Antes’
Go

Select Translate(‘x² – 10x + 24 = 0’, ‘x’, ‘4’) As ‘Depois’
Go

Após a execução do Exemplo 1, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 3 abaixo:


Figura 3 – Uso da função Translate aplicada em uma equação de segundo grau.

— Exemplo 2 – Método de Bhaskara – Substituindo as letras A e C pelos valores 1 e 8 informados respectivamente com grupos de valores em cada argumento —
Select N’∆ = b² – 4 * a * c’ As ‘Antes’

Go

Select Translate(N’∆ = b² – 4 * a * c’ , ‘ac’, ’18’) As ‘Depois’
Go

Após a execução do Exemplo 2, você deverá obter um resultado similar conforme apresenta a Figura 4 abaixo:


Figura 4 – Uso da função Translate aplicada ao método de bhaskara.

Observação: Note que nos dois exemplos apresentados anteriormente argumento ou parâmetro obrigatório que deve ser especificado na função Translate corresponde ao valores ou sentença string, o qual será utilizada como elemento base para “tradução” e apresentação do novo conjunto de valores ou sentença após sua execução. 

Muito bem, desta forma, chegamos ao final de mais uma post da sessão Para que Serve….


Referências

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/ms186862(v=sql.110).aspx

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/functions/concat-ws-transact-sql

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/t-sql/functions/translate-transact-sql

https://docs.microsoft.com/pt-br/sql/t-sql/functions/string-functions-transact-sql

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/10/01/16-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/06/28/15-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/04/30/14-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/03/25/13-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2017/01/23/12-para-que-serve/

Conclusão

Como sempre a Microsoft e toda sua equipe nos surpreende com sua capacidade de trabalho, fortalecendo cada vez mais o Microsoft SQL Server não somente com um SGBD ou ferramenta de banco de dados, mas sim um ambiente completo para qualquer tipo de análise, desenvolvimento e administração que esteja relacionada com dados.

Destacando as novas funções apresentadas neste post Concat_WS e Translate, atividades como concatenação de dados que já havia se tornada mais fácil a partir da versão 2o12, agora se tornou algum praticamente irrelevante no que diz respeito a complexidade.

Sem se esquecer da função Translate que através de um simples argumento nos permite “realizar uma possível tradução de caracteres” muito similar a antiga e útil função Replace, mas que trabalha de uma forma mais ágil independente da posição do caracter dentro do conjunto de valores apresentados.

Este é o fantástico Microsoft SQL Server, eita produto bão so……

Agradecimentos

Chegou a hora do descanso, se preparar para um novo dia que daqui a pouco estará raiando, espero que você possa fazer o mesmo, aproveitar o seu dia ainda mais, tentar viver um pouco sem se preocupar com os problemas.

Mais uma vez obrigado por sua ilustre visita, sinto-me honrado com sua presença, espero que este conteúdo possa lhe ajudar e ser útil em suas atividades profissionais e acadêmicas.

Um forte abraço, até o próximo post da sessão Para que serve…..

Valeu.

 

 

Suporte para Cosmos DB no Azure Storage Explorer já está disponível como Preview


A Microsoft anunciou na semana passada que o suporte para Cosmos DB no Azure Storage Explorer já está disponível como Preview.

Cosmos DB no Azure Storage Explorer

Com o suporte os bancos de dados Cosmos DB podem ser explorados e gerenciados com a mesma experiência de uso que torna o Azure Storage Explorer uma poderosa ferramenta para desenvolvedores que precisam gerenciar armazenamento no Azure.

Para quem não sabe, o Storage Explorer é um aplicativo autônomo que permite que você trabalhe facilmente com dados do Azure Storage no Windows, macOS e Linux.

O aplicativo fornece várias maneiras de se conectar às contas de armazenamento. Isso inclui se conectar a contas de armazenamento associadas às suas assinaturas do Azure, conectar-se às contas de contas de armazenamento e serviços compartilhados por outras assinaturas do Azure e até mesmo se conectar e gerenciar o armazenamento local usando o Emulador de Armazenamento do Azure.

Suporte para Cosmos DB no Azure Storage Explorer já está disponível como Preview
Azure Storage Explorer

O suporte para o Cosmos DB no Azure Storage Explorer permite que você gerencie entidades, manipule dados, crie e atualize ‘stored procedures’ e muito mais.

Para começar, faça o Azure Storage Explorer aqui para Windows, aqui para macOS ou aqui para Linux, confira aqui um artigo para saber mais sobre o Storage Explorer e utilize o manual para ver como gerenciar Cosmos DB no Azure Storage Explorer.

Uma demonstração do Cosmos DB no Storage Explorer está disponível aqui.


Fontes e Direitos Autorais: azure.microsoft.com – 09/11/2017.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6


A Microsoft disponibilizou para download nesta semana o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6. Disponível para MySQL, SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase), Oracle Database, IBM DB2 e Access, o Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

A ferramenta automatiza todos os aspectos da migração. A versão 7.6 inclui o suporte para:

– Migração do MySQL 4.1 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase) 11.9 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

– Migração do Oracle Database 9.0 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2008, SQL Server 2008 R2, SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, Azure SQL DB e Azure SQL Data Warehouse.

– Migração do IBM DB2 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.7 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017 e Azure SQL DB.

IMPORTANTE: A versão 32 bits da ferramenta foi descontinuada. Ela está disponível agora somente para plataformas 64 bits.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6

Baixe o Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6

Download da versão 7.6 para MySQL
Download da versão 7.6 para Access
Download da versão 7.6 para SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase)
Download da versão 7.6 para Oracle Database
Download da versão 7.6 para IBM DB2

O Microsoft SQL Server Migration Assistant v7.6 é compatível com o Windows 10, Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2012, Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016. Ele também requer o .NET Framework 4.5.2 ou posterior.

As páginas de download também listam alguns requisitos específicos, como MySQL Connector/ODBC e SAP ASE OLEDB/ADO.Net/ODBC provider.

Fontes e Direitos Autorais: Microsoft.com – https://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=54258&WT.mc_id=rss_alldownloads_all – 25/09/2017.

Primeiro release candidate do SQL Server 2017 agora disponível


A Microsoft anunciou hoje a disponibilidade no TechNet Evaluation Center do SQL Server 2017 RC1 (Release Candidate 1), a versão de testes pública mais recente do novo SQL Server.

Em nossos sete CTPs community technology previews () até à data, o SQL Server 2017 emitiu:

  • Linux suporte para cargas de trabalho de nível 1, missão crítica Suporte a SQL Server 2017 para Linux inclui as mesmas soluções de alta disponibilidade em Linux como Windows Server, incluindo sempre em grupos disponibilidade integrados com soluções de clustering Linux nativas como marca-passo.
  • Gráfico de processamento de dados no SQL Server Com os recursos de dados de gráfico disponíveis no SQL Server 2017 e banco de dados SQL Azure, clientes podem criar nós e bordas e descobrir as relações complexas e muitos-para-muitos.
  • Processamento de consultas adaptável Processamento de consultas adaptativo é uma família de recursos do SQL Server 2017 que mantém automaticamente consultas de banco de dados executando de forma mais eficiente possível sem a necessidade de ajuste adicional de administradores de banco de dados. Além da capacidade de ajustar concessões de memória de modo de lote, o conjunto de recursos inclui junções adaptável de modo lote e intercalados com capacidades de execução.
  • Integração do Python para análises avançadas Serviços de aprendizagem de máquina Microsoft traz-lhe agora a capacidade de executar a análise de no banco de dados usando Python ou R de forma escalável e em paralelo. A capacidade de executar análises avançadas em seu armazenamento operacional sem ETL significa mais rápido tempo de ideias para os clientes enquanto implantação fácil e extensibilidade rica tornam rápido se levantar e correr sobre o modelo certo.

Principais aprimoramentos no Release Candidate 1

No SQL Server RC1 de 2017, houve vários aprimoramentos de recurso da Nota:

  • SQL Server no Active Directory Linux integração – Com RC1, o SQL Server no Linux suporta autenticação de diretório ativo, que permite que clientes associados ao domínio em Windows ou Linux para autenticar ao SQL Server usando suas credenciais de domínio e o protocolo Kerberos. Confira o Guia de introdução instruções.
  • Transport Layer Security (TLS) para criptografar dados – SQL Server no Linux pode usar TLS para criptografar os dados transmitidos através de uma rede entre um aplicativo cliente e uma instância do SQL Server. SQL Server no Linux suporta os seguintes protocolos TLS: TLS 1.0, 1.1 e 1.2. Confira o Guia de introdução instruções.
  • Aprimoramentos de serviços de aprendizagem de máquina – No RC1, nós adicionamos mais recursos de modelo de gerenciamento para R Services no Windows Server, incluindo gestão de biblioteca externa. A nova versão também oferece suporte nativo marcando.
  • SQL Server Analysis Services (SSAS) Além das melhorias para SSAS de CTPs anterior do SQL Server 2017, RC1 adiciona adicionais exibições de gerenciamento dinâmico, permitindo a análise de dependência e emissão de relatórios. Consulte o blog do Analysis Services para obter mais informações.
  • SQL Server Integration Services (SSIS) no Linux O preview do SQL Server Integration Services no Linux agora adiciona suporte para qualquer driver de ODBC Unicode, se ele segue as especificações do ODBC. (Driver ODBC ANSI não é suportado).
  • SQL Server Integration Services (SSIS) no Windows Server RC1 adiciona suporte para dimensionamento do SSIS em ambientes de alta disponibilidade. Os clientes agora podem habilitar sempre para SSIS, configurando o Windows Server failover clustering para o dimensionamento do mestre.

SQL Server 2017 para desempenho mais rápido

SQL Server 2017 tem vários novos parâmetros, demonstrando um desempenho mais rápido do que os bancos de dados do competidor e contra as versões mais antigas do SQL Server:

Dinamize sua DevOps usando SQL Server 2017

Em SQL Server 2017, introduzimos o suporte para SQL Server em contêineres baseados em Linux, um benefício para os clientes usando recipientes em desenvolvimento ou produção. Estamos também trabalhando para ajudar os desenvolvedores a começar a desenvolver um app para o SQL Server mais rápido possível com instruções de instalação, trechos de código e outras informações úteis.

No nosso novo microsite DevOps usando o SQL Server, que lançou hoje, desenvolvedores e gerentes de desenvolvimento podem aprender como integrar o SQL Server em suas tarefas de DevOps. Encontre demos, documentação e blogs, bem como vídeos e apresentações da conferência. Ou então, junte-se a conversa de DevOps em nossos canais de Gitter.

Começar com o SQL Server RC1 de 2017 hoje!

Tente o release candidate do SQL Server 2017 hoje! Começar com nossos tutoriais de desenvolvedor atualizadas que mostram como instalar e usar o SQL Server 2017 no macOS, Docker, Windows e Linux e rapidamente construir um aplicativo em uma linguagem de programação de sua escolha. Para mais formas de começar, tente o seguinte:

Fontes e Direitos Autorais: July 17, 2017.