Material de Apoio – Junho 2019


Olá, muito boa tarde….

Tudo bem? Antes de começar este post, quero lhe perguntar: Esta preparado para férias de meio de ano? Ainda não, como diria aquele famoso apresentando “O louco meu…..”, poxa vida, eu não vejo a hora de poder descansar um pouco, mesmo não sendo férias, mas sim um pequeno recesso de 10 ou 15 dias já ajuda bastante.

Pois bem, antes de pensarmos neste merecido descanso, estou de volta cumprindo a minha missão de colaborar e compartilhar com a comunidade técnica mais um post da sessão Material de Apoio dedicado exclusivamente ao meu blog.

Espero que você esteja gostando do conteúdo aqui disponibilizado, como também, possa me ajudar a torná-lo ainda melhor no decorrer do tempo com a sua participação.

O post de hoje

Seja bem-vindo a mais um post da sessão Material de Apoio, sendo o terceiro post da sessão em 2019 e de número 163 no total da mesma.

Para aqueles que já acompanham o meu blog a um certo tempo, os posts dedicados a sessão Material de Apoio, possuem o objetivo de compartilhar o conhecimento de recursos, funcionalidades e procedimentos que podemos realizar no Microsoft SQL Server.

Hoje não será diferente, estou trazendo alguns dos mais recentes scripts catalogados nos últimos meses, que atualmente estão compondo a minha galeria de códigos formada ao longo dos anos de trabalho como DBA e atualmente como Professor de Banco de Dados.

Neste post você vai encontrar arquivos relacionados com os seguintes temas:

1 – Begin Catch;
2 – Begin Try;
3 – Buffer Page;
4 – Chave Estrangeira;
5 – Chave Primária;
6 – Cláusula From;
7 – Cláusula Where;
8 – Comando DBCC Ind;
9 – Comando DBCC Page;
10 – Comando DBCC TraceOff;
11 – Comando DBCC TraceOn;
12 – Comando Delete;
13 – Comando Exec;
14 – Comando Insert;
15 – Comando Order By;
16 – Comando Select;
17 – Comando Update;
18 – Create Function;
19 – Create Stored Procedure;
20 – Create Table;
21 – Create View;
22 – DataType Char();
23 – DataType Int;
24 – DataType SmallInt;
25 – Diretiva Set;
26 – End Catch;
27 – End Try;
28 – ForceSeek;
29 – Função Error_Line();
30 – Função Error_Message();
31 – Função Error_Number();
32 – Função Error_Procedure();
33 – Função Error_Severity();
34 – Função Error_State();
35 – Funções de Captura e Apresentação de Erros;
36 – Funções Analíticas;
37 – Funções de Ranking;
38 – Heap Table;
39 – Índices;
40 – Key Lookup;
41 – OffSet Table;
42 – Operador Lógico Condicional Case;
43 – Operador Lógico Condicional IF;
44 – Page Header;
45 – Páginas de Dados;
46 – Registros Fantasmas;
47 – System Table Sys.SysIndexes;
48 – System Table Sys.Tables;
49 – System View Sys.index_columns;
50 – System View Sys.indexes; e
51 – Tratamento de Erros e Exceções.

Espero que este conteúdo possa lhe ajudar em seus atividades profissionais e acadêmicas. Por questões de compatibilidade com a plataforma WordPress.com, todos os arquivos estão renomeados com a extensão .docx ao final do seu respectivo nome, sendo assim, após o download torna-se necessário remover esta extensão, mantendo somente a extensão padrão .sql.

Material de Apoio

1 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Criando Stored Procedure + Tratamento de Erros com Begin Try.sql

2 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Criando uma Heap Table, Adicionando Primary Key e Simulando uso de índices Clustered.sql

3 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Simulando – Cenários de utilização de índices.sql

4 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Simulando Key Lookup.sql

5 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Acessando as informações sobre índices e página de dados.sql

6 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Trabalhando com Views – Funções de Agregação – Junção de Tabelas.sql

7 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Identificando as colunas utilizadas em uma view.sql

8 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Utilizando Claúsula Output.sql

9 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Trabalhando com funções de Ranking.sql

10 – Material de Apoio – Junho – 2019 – Trabalhando com funções analíticas.sql

Fique a vontade para copiar, editar, compartilhar e distribuir estes arquivos com seus contatos, aproveite se possível deixe seu comentário, críticas, sugestões e observações.

Nota: Todos os arquivos disponibilizados foram obtidos ou criados com autorização de seus autores, sendo estes, passíveis de direitos autorais.

Links

Caso você queira acessar os posts anteriores da sessão, não perca tempo utilize os links listados abaixo:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2019/04/17/material-de-apoio-abril-2019/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2019/02/04/material-de-apoio-fevereiro-2019/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/12/18/material-de-apoio-dezembro-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/10/30/material-de-apoio-outubro-2018/

Agradecimento

Quero agradecer imensamente a sua visita, sinto-me honrado e orgulhoso de contar com a sua presença.

Não deixe de acessar os outros posts das demais sessões, o próximo post desta sessão será publicado no mês de agosto, até lá, continue aproveitando cada momento da sua vida, desfrutando com muita sabedoria os momentos de galeria e também os desafios que são colocados ao seu redor.

Um forte abraço, muita saúde, sucesso, nos encontramos em breve.

Valeu.

Microsoft Edge Chromium Based muito próximo de ser liberado


O Microsoft Edge baseado no Chromium agora com WebView2 e isso é algo muito bom e que iria acontecer mais cedo ou mais tarde. Por quê?

A resposta é simples, porque é o WebView que permite aos desenvolvedores criar conteúdo da Web em seus aplicativos, incluindo páginas de entrada para determinados serviços ou PWA, que dependem quase inteiramente do conteúdo da web.

Agora, com o WebView2 sendo alimentado pelo mesmo motor do Chromium que impulsiona a nova versão do Edge, a experiência pode ser melhor de diversas maneiras, especialmente porque deve ser mais interoperável com as experiências da Web criadas para outras plataformas. Para mostrar os recursos do WebView2, a Microsoft estará desenvolvendo uma nova experiência de add-ins para seus aplicativos do Office no futuro, impulsionada pelo novo controle.

Afim de garantir que a experiência dos usuários seja consistente em todos os dispositivos Windows, o controle WebView2 será atualizado com o próprio navegador Edge por padrão, o que significa que todos os usuários terão os mesmos recursos, independentemente de qual versão do Windows eles estejam executando.

Caso os desenvolvedores queiram ter mais controle sobre a experiência, eles podem enviar seus aplicativos com uma versão específica do WebView2 e atualizá-los em seu próprio ritmo.

microsoft edge
A chegada do WebView2 facilitará o processo de login dentro de aplicações web e muito mais

O melhor de tudo é:

O mais importante é que o WebView2 abre as portas para unificação do browser rumo a completa substituição do motor EdgeHTML e MSHTML ainda usado no Edge que vem com o Windows 10. A novidade anunciada era um dos passos que faltava para a completa migração do browser padrão do Windows 10 para sua nova versão e para que enfim aconteça sua liberação geral e irrestrita para todos os usuários do Windows.

Dessa forma, não deve demorar para a Microsoft liberar o novo Edge baseado no Projeto Chromium ser entregue junto com uma grande atualização do seu sistema operacional, colocando um fim na era do Edge baseado no EdgeHTML, deixando de ser apenas um programa Beta.

O que é o Microsoft Chromium Based?

O novo Microsoft Edge é um browser da Microsoft criado com base no Projeto Chromium, que é um projeto de código aberto também utilizado pelo Google para desenvolver o Chrome. Ele faz uso do motor Blink. A mudança radical da Microsoft visa elevar o nível de compatibilidade do seu navegador afim de aumentar o engajamento dos seus usuários e a popularidade do browser.

O Edge Chromium based ainda está em sua fase inicial de desenvolvimento, tanto que atualmente ele só está disponível em versões consideradas Alpha. Nem o Beta foi liberado ainda. Existem dois canais para escolher, o Canary e o DEV.

Clique aqui para obter mais informações sobre o novo Edge e também para fazer o download a versão que mais lhe agrada.

Fonte e Direitos Autorais: Blog – Windows.com – / Program Manager, WebView – 19/06/2019.
Leia na integra acessando: https://blogs.windows.com/msedgedev/2019/06/18/building-hybrid-applications-with-the-webview2-developer-preview/#zEWM4oLlHDEKkkGT.97

4 cursos gratuitos para apostar na profissão do futuro Cientista de Dados


O profissional que atua em Ciência de Dados tem sido cada vez mais demandado pela indústria de tecnologia. Afinal, todas as empresas estão se transformando digitalmente.

Mas, afinal, o que um cientista de dados precisa saber? Além de ter conhecimentos em programação, ele precisa saber criar modelos estatístico e ter o conhecimento e domínio apropriado de negócios. Precisa também compreender as diferentes plataformas de Big Data e como elas funcionam.

Criatividade também é uma habilidade necessário ao cientista de dados, pois ele deverá construir gráficos bonitos e informativos, com boa visualização e que possam ser compreendidos pelos clientes. A formação em ciência de dados é multidisciplinar e nunca acaba.

A boa notícia é que você pode se especializar sem sair de casa, abaixo Ana Romeo, gerente responsável pela Escola de Data Science e AI da Udacity, separa algumas opções para qualificação dos profissionais.

1. Data Science: Visualização

O profissional aprenderá com um instrutor da Harvard University quais são os princípios de visualização de dados para comunicar resultados de forma precisa, motivar análises e detectar falhas.

Preço: gratuito ou $49,00 para adquirir o certificado

2. As ferramentas do Cientista de Dados

Ao longo de quatro semanas, o curso apresentará quais as principais ideias e ferramentas nas quais se baseiam essa área de atuação. Os exercícios práticos envolvem linguagens e frameworks como markdown, git, GitHub, R e RStudio.

Quem oferece: Coursera

Preço: gratuito

3. Introdução à Ciência de Dados

O curso ensinará como manipular dados, trabalhar com big data e realizar uma comunicação clara a partir da visualização de informações, possibilitando que o aluno experimente e aplique as técnicas básicas da ciência de dados.

Quem oferece: Udacity

Preço: gratuito

4. Microsoft Power BI para Data Science

Esse conjunto de ferramentas de Business Analytics fornece insights para empresas e tomadores de decisão. O curso ensina a produzir relatórios profissionais e a publicá-los para consumo online (web e mobile), além de explicar como criar dashboards personalizados.

Quem oferece: Data Science Academy

Preço: gratuito

 


Fontes e Direitos Autorais: ITMidia.com –  Inovação – CIO Brasil – https://itmidia.com/cientista-de-dados-4-cursos-gratuitos-para-apostar-na-profissao-do-futuro/

Versão 8.2 do Microsoft SQL Server Migration Assistant disponível


A Microsoft disponibilizou ontem dia 14/06 a nova versão do Microsoft SQL Server Migration Assistant denominada v8.2, compatível com soluções de Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados MySQL, SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase), Oracle Database, IBM DB2 e Banco de Dados Desktop Access.

O Microsoft SQL Server Migration Assistant é uma ferramenta gratuita que simplifica o processo de migração destes produtos para o SQL Server e Azure SQL.

De uma forma bastante simples e prática é possível consumir os dados armazenados nas soluções listadas acima, enviando os mesmos diretamente para o Microsoft SQL Server e Microsoft Azure SQL, sendo esta, considerada como uma ferramenta que automatiza todos os aspectos de migração de dados entre fontes distintas.

 

 

A versão 8.2 inclui o suporte para:

  1. Migração do MySQL 4.1 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, SQL Server 2019, Azure SQL DB e Azure SQL Database Managed Instance.
  2. Migração do Access 97 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, SQL Server 2019, Azure SQL DB e Azure SQL Database Managed Instance.

  3. Migração do SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase) 11.9 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, SQL Server 2019, Azure SQL DB e Azure SQL Database Managed Instance.

  4. Migração do Oracle Database 9.0 e posteriores para todas as edições do SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017, SQL Server 2019, Azure SQL DB, Azure SQL Data Warehouse e Azure SQL Database Managed Instance.

  5. Migração do IBM DB2 9.0 e 10.0 no z/OS e das versões 9.7 e 10.1 no Linux/Unix/Windows para o SQL Server 2012, SQL Server 2014, SQL Server 2016, SQL Server 2017,SQL Server 2019, Azure SQL DB e Azure SQL Database Managed Instance.

Microsoft SQL Server Migration Assistant v8.2

Baixe o Microsoft SQL Server Migration Assistant v8.2:

Download da versão 8.2 para MySQL
Download da versão 8.2 para Access
Download da versão 8.2 para SAP Adaptive Server Enterprise (ex-Sybase)
Download da versão 8.2 para Oracle Database
Download da versão 8.2 para IBM DB2

O Microsoft SQL Server Migration Assistant v8.2 é compatível com os seguintes sistemas operacionais:

  • Windows 10;
  • Windows 8;
  • Windows 8.1;
  • Windows 7;
  • Windows Server 2008 R2;
  • Windows Server 2012;
  • Windows Server 2012 R2; e
  • Windows Server 2016.

Antes de realizar sua instalação, certifique-se da instalação do .NET Framework 4.5.2 ou posterior.

Caso você deseje fazer uso do SSMA v8.2 para acessar dados armazenados no:

  • MySQL: Utilize o conector MySQL Connector/ODBC; ou
  • SAP: Utilize o conector SAP ASE OLEDB / ADO.Net / ODBC provider.

Recursos adicionais


Fontes e Direitos Autorais: https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Data-Migration/Release-SQL-Server-Migration-Assistant-SSMA-v8-2/ba-p/681094

Short Scripts – Junho 2019


Olá boa tarde, tudo bem?

Junho de 2019 chegou, estamos quase na metade do ano, para muitos um período importante, pois as férias de meio de ano estão chegando.

Seguindo em frente, que alegria poder te encontrar em mais um post da sessão Short Scripts, uma das mais movimentadas sessões do meu blog, que esta alçando a marca de 37 posts publicados trimestralmente.

Mantendo a tradição estou retornando com mais um conjunto de “curtos ou pequenos” scripts catalogados e armazenados em minha biblioteca pessoal de códigos relacionados ao Microsoft SQL Server e sua fantástica linguagem de desenvolvimento Transact-SQL.

Como promessa é dívida e deve ser cumprida “ou melhor” compartilhada, estou compartilhando a minha feita a alguns meses no final do último post desta sessão, publicando mais um conjunto de scripts adicionados atualmente na minha biblioteca particular de códigos e exemplos.

O post de hoje

Como de costume selecionei os principais scripts armazenados recentemente na minha biblioteca de códigos, que apresentam os seguintes assuntos:

  • Cláusula Over();
  • Cláusula Where;
  • Comando Create Table;
  • Comando IF;
  • Comando Insert;
  • Comando Print;
  • Comando Select;
  • Comando Update;
  • Comando While;
  • Condições;
  • CTE;
  • DataType Char;
  • DataType DateTime;
  • DataType Int;
  • DataType SmalltInt;
  • DataType TinyInt;
  • DataType UniqueIdentifier;
  • DataType Varchar;
  • Declaração de Variáveis;
  • Diretiva Set Ansi_Warnings;
  • Diretiva Set ArithAbort; 
  • Diretiva Set; 
  • DMFsys.dm_db_index_physical_stats();
  • Erros em agregação de múltiplas colunas;
  • Fragmentação de dados;
  • Fragmentação de índices;
  • Função Cast;
  • Função Coalesce;
  • Função Convert();
  • Função IsNull;
  • Função NewID();
  • Função Object_Id();
  • Função Object_Name();
  • Funções de Agregação;
  • Índices;
  • Operadores;
  • Rebuild Index;
  • Taxas de Fragmentação; e
  • Visão de sistema sys.indexeses.

Chegou a hora, mãos nos teclados, a seguir apresento os códigos e exemplos selecionados para o Short Script – Junho 2019. Vale ressaltar que todos os scripts publicados nesta sessão foram devidamente testados, mas isso não significa que você pode fazer uso dos mesmo em seu ambiente de produção, vale sim todo cuidado possível para evitar maiores problemas.

Fique à vontade para compartilhar, comentar e melhorar cada um destes códigos.

Short Scripts

— Short Script 1  – Contornando o erro Multiple columns are specified in an aggregated expression containing an outer reference —

Create Table Car
(N_state varchar(20),
City varchar (20),
Cars int)
Go
Insert Into Car
values(‘California’, ‘Los Angeles’,1000),
(‘Ohio’, ‘Columbus’, 300), (‘Texas’, ‘Austin’,400),
(‘Florida’, ‘Miami’,800), (‘Florida’, ‘Orlando’,200)
Go
— Estourando o erro, quantidade de colunas retornadas não atende a quantidade de colunas declaradas —
Select *,
(Select sum(case
when c1.N_state=c2.N_state Then cars
else 0 end)
from car c2) as bb
from car c1
Go
— Exemplo 1 – Utilizando CTE – Contornando o erro —
;with CTE
As
(
Select *, (Select sum(cars) from car) as bb
from car)
Select *, cars, bb, cars/bb as cc from cte
Go
— Exemplo 2 – Select com a cláusula Over() –
Select *, sum(cars) over (partition by N_state) as bb
from car c1
Go

— Short Script 2  – Comparativo entre as função IsNull() e Coalesce() —

CREATE TABLE Strings
(String1 varchar(5),
String2 varchar(10),
String3 varchar(5),
String4 varchar(10))
Go
INSERT INTO dbo.Strings (String1, String2, String3, string4)
VALUES(‘Hello’,NULL,NULL,’Goodbye’)
Go
SELECT ISNULL(String1, String2) AS Expr1,
COALESCE(String1, String2) AS Expr2,
ISNULL(String3, String4) AS Expr3,
COALESCE(String3, String4) AS Expr4
FROM Strings
Go
— Short Script 3  – Obtendo taxas de fragmentação de tabelas antes e depois de um Rebuild —
Select object_name(ddips.object_id) As ‘Tabela’,
si.name As ‘Índice’,
convert(decimal(5,2),isnull(ddips.avg_fragmentation_in_percent,0)) As ‘% Média de Fragmentação’,
ddips.page_count As ‘Páginas’,
ddips.compressed_page_count As ‘Páginas compactadas’,
ddips.record_count As ‘Registros’,
ddips.ghost_record_count As ‘Registros Fantasmas’
From sys.dm_db_index_physical_stats(db_id(), object_id(‘queimadas2018’),null, null, ‘detailed’) ddips Inner Join sys.indexes si
on si.object_id = ddips.object_id
Where ddips.avg_fragmentation_in_percent > 0
Go
— Short Script 4  – Utilizando as diretivas Set ArithAbort, Set Ansi_Warnings —
SET ARITHABORT Off
SET ANSI_WARNINGS Off
GOPRINT ‘Setting ARITHIGNORE ON’
GO
— SET ARITHIGNORE ON and testing. 
SET ARITHIGNORE On;
GO
SELECT 1 / 0 AS DivideByZero
GO
SELECT CAST(256 AS TINYINT) AS Overflow
GOPRINT ‘Setting ARITHIGNORE OFF’
GO
— SET ARITHIGNORE OFF and testing. 
SET ARITHIGNORE OFF
GO
SELECT 1 / 0 AS DivideByZero
GO
SELECT CAST(256 AS TINYINT) AS Overflow
GO
SET ARITHIGNORE On
SET ARITHABORT Off
SET ANSI_WARNINGS Off
SELECT 1/0 AS test
Go
— Short Script 5  – Utilizando DataType UniqueIdentifier em conjunto com a função NewID() —
— Exemplo 1 —
Create Table T1
(Codigo UniqueIdentifier Primary Key,
Descricao varchar(100))
Go
Insert Into T1 (Codigo, Descricao)
Values (NewId(), ‘Oi’),
(NewId(), ‘Testando’)
Go
Select * From T1
Go
— Exemplo 2 —
Create Table T2
(Codigo UniqueIdentifier Primary Key Default NewSequentialID(),
Descricao varchar(100))
Go
Insert Into T2 (Descricao)
Values ( ‘Oi’),
(‘Testando’)
Go
Select * From T2
Go

Muito bem, missão mais que cumprida! Uma nova relação de short scripts acaba de ser compartilhada, mesmo sendo denominados short entre aspas “curtos ou pequenos”, posso garantir que todos estes exemplos são de grande importância, apresentam um valor e conhecimento do mais alto nível.

Chegamos ao final de mais um Short Scripts, espero que este material possa lhe ajudar, ilustrando o uso de alguns recursos e funcionalidades do Microsoft SQL Server.

Acredito que você tenha observado que estes códigos são conhecidos em meu blog, todos estão relacionados aos posts dedicados ao Microsoft SQL Server publicados no decorrer dos últimos anos.

Boa parte deste material é fruto de um trabalho dedicado exclusivamente a colaboração com a comunidade, visando sempre encontrar algo que possa ser a solução de um determinado problema, bem como, a demonstração de como se pode fazer uso de um determinado recurso.

 

Links

Caso você queira acessar os últimos posts desta sessão, não perca tempo acesse os links listados abaixo:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2019/03/15/short-scripts-marco-2019/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/11/20/short-scripts-novembro-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/09/18/short-scripts-setembro-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/05/10/short-scripts-maio-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/02/19/short-scripts-fevereiro-2018-transaction-log/

 

Agradecimento

Obrigado mais uma vez por sua visita, fico honrado com sua ilustre presença ao meu blog, desejo e espero que você possa ter encontrado algo que lhe ajudou.

Volte sempre, nos encontraremos mais uma vez na sessão Short Scripts no post a ser publicado no mês de setembro.

Um forte abraço, saúde e paz.

Até mais.

Windows Store agora oferece suporte a Apps Win32


Parece que finalmente teremos o suporte por parte da Microsoft aos aplicativos Win32 e eles poderão ser publicados na Microsoft Store a partir de hoje.

Sabemos que a plataforma foi inicialmente projetada para unificar o desenvolvimento de aplicativos do Windows 10 (mobile, desktop e todas as outras tela), mas que parece ter perdido um pouco de sua força com o fim da linha de smartphones com Windows 10.

A Microsoft passou os últimos 4 anos, desde o último lançamento de dispositivos com o Windows 10 Mobile em 2015, buscando maneiras de atrair desenvolvedores para a Microsoft Store, primeiramente, por meio dos UWP e, logo após, por meio dos aplicativos Centennial, que permitiriam aos desenvolvedores usar seu código Win32 inalterado para colocá-los na loja.
Recentemente, a Microsoft ate tentou uma nova forma de atrair desenvolvedores para sua loja, dessa vez, via PWA (Progressive Web Applications), que lhes permitiriam usar seu código web inalterado.

Em uma publicação no Xbox Wire, a Microsoft disse:

“Reconhecemos que o Win32 é o formato de aplicativo que os desenvolvedores de jogos adoram usar e os jogadores adoram jogar, por isso, estamos empolgados em compartilhar que disponibilizaremos o suporte completo para jogos nativos do Win32 na Microsoft Store no Windows. Isso vai abrir caminhos para desenvolvedores e jogadores, permitindo a personalização e o controle que eles tanto esperam do ecossistema de jogos abertos do Windows.”

A empresa anunciou que irá lançar o Xbox Game Pass para PC e que pretende aumentar seus esforços para que os jogos do Xbox Game Studios apareçam em mais plataformas. Tudo isso mostra que a Microsoft se preocupa em espalhar seus recursos e tornar-los disponíveis independente do sistema que o público utiliza.

Fontes e Direitos Autorais: Diego Mendes – Windowsteam.com.br
Leia na integra acessando: https://www.windowsteam.com.br/suporte-a-apps-win32-finalmente-chegam-para-windows-store-e-windows-10/

macOS é o primeiro a receber a versão do Microsoft Edge baseado em Chromium


Mesmo sem ainda ter liberado a versão Beta do Microsoft Edge baseado no Chromium para usuários Windows, a Microsoft não perdeu tempo e liberou ao menos a versão Canary do seu novo browser para o macOS da Apple.

Ela atendeu a enorme quantidade de pedidos que chegavam via feedback do navegador..

Microsoft Edge baseado no Chromium?

O novo Microsoft Edge é um browser da Microsoft criado com base no Projeto Chromium, que é um projeto de código aberto também utilizado pelo Google para desenvolver o Chrome. Ele faz uso do motor Blink. A mudança radical da Microsoft visa elevar o nível de compatibilidade do seu navegador afim de aumentar o engajamento dos seus usuários e a popularidade do browser.

O Edge Chromium based ainda está em sua fase inicial de desenvolvimento, tanto que atualmente ele só está disponível em versões consideradas Alpha. Para obter mais informações sobre o novo Edge e também para fazer o download a versão que mais lhe agrada, acesse: https://www.microsoftedgeinsider.com/en-us/whats-new

Fontes e Direitos Autorais: Alexandre Lima – WindowsTeam.com.br – 16/05/2019.
Leia na integra: https://www.windowsteam.com.br/microsoft-edge-baseado-no-chromium-disponivel-para-macos/

Novidades sobre Microsoft Edge baseado no Chromium


Recentemente a Microsoft disponibilizou uma série de notícias que apresentam as principiais novidades que o novo Microsoft Edge baseado na tecnologia e recursos Chromium ira apresentar.

Abaixo destaco algumas:

  • Adicionada uma opção “Copiar o link de download” para o menu de um item baixado;
  • O menu de contexto de um download cancelado não mostra mais uma lista de itens desativados e, em vez disso, mostra apenas “Copiar o link de download” ou “Copy download link”;
  • Adicionada uma opção “Salvar como” à barra de ferramentas no visualizador de PDF
  • A opção do menu de contexto “Adicionar ao dicionário” para uma palavra incorreta agora tem um ícone;
  • Para links rápidos na nova guia, se não houver um ícone de site disponível, o browser mostrará um ícone criado a partir da primeira letra do site; e
  • Eles aumentaram o tamanho de alguns textos no flyout do perfil do usuário para facilitar a leitura.

Além destas novidades, uma grande relação de bugs reportados foram corrigidos, dentre eles:

  • A caixa de diálogo enviar feedback não verifica mais os URLs e os endereços de e-mail;
  • Corrigido um bug em que o Microsoft Edge poderia travar após ser acessado por meio de uma sessão de área de trabalho remota;
  • Corrigida uma falha ao navegar de volta para os resultados da pesquisa de histórico;
  • Corrigida uma falha relacionada a dicas de ferramenta que ocorreria em vários cenários diferentes; e
  • Corrigido um problema de formatação visual com o aviso sobre um download de arquivo perigoso.

Antes de update vale lembrar que ele ganhou suporte ao Bing Tradutor, que passou a ser nativo no navegador, contudo, ainda não é funcional para quem usa um idioma diferente do inglês, já que por enquanto ele só traduz página para esse idioma; ganhou ainda um corretor ortográfico e por ai vai.

o que foi sentido falta até o momento?

Continuamos sentindo falta da opção que permita a tradução completa do navegador para nosso idioma (menus, caixa de contexto, etc). Na verdade, não só para o nosso, pois, a Microsoft ainda não liberou a tradução do aplicativo para nenhuma outro idioma que não o inglês. Até já baixei o PT-BR para quando liberar eu já fazer a mudanças, mas por hora, todo o conteúdo do browser só está disponível em inglês.

Gravação de tela mostrando coleções exportando um conjunto de câmeras salvas para um documento do Word.

Por fim, também estamos sentindo falta da liberação da versão Beta. Hoje, só dois canais estão disponíveis para download, que é o DEV e o Canary, ou seja, dois canais com compilações muito experimentais, digamos assim, versões Alpha. Queremos que eles liberem logo a versão Beta, pois, teoricamente ela seria mais estável e assim poderíamos ver mais pessoas “se arriscando” nos testes de modo que isso aceleraria o desenvolvimento do navegador. Ao menos eles liberam as versões de teste para o macOS.

Como obter essa versão do browser?

Para usar o novo Edge é necessário se inscrever no Programa Insider do Microsoft Edge baseado no Chromium e isso pode ser feito clicando aqui. Você não precisa ser um Windows Insider para se tornar um insider do Edge.

Fontes e Direitos Autorais: Alexandre Lima – WindowsTeam.com.br – 16/05/2019.
Leia na integra acessando: https://www.windowsteam.com.br/as-novidades-mais-recentes-do-microsoft-edge-baseado-no-chromium/

Build 2019 – Os principais anúncios apresentados neste mega evento


O CEO da Microsoft, Satya Nadella, levou ao palco durante o Build 2019 à conferência da empresa um extenso discurso.

Este ano, a Microsoft apresentou aos desenvolvedores uma ampla gama de anúncios relacionados ao novo Microsoft Edge, Fluent design, e muito mais.

Top 5 announcements from Build 2019

Dentre estes diversos anúncios, alguns merecem um destaque maior, dentre eles:

O novo Microsoft Edge considerado mais privado e produtivo

Ainda relativamente cedo para abordar o desenvolvimento do novo Microsoft Edge construído como base no Chromium, mas algumas características novas já podem ser destacadas para usuários corporativos, um modo do Internet Explorer fará com que o Edge funcione com aplicativos Web herdados e sites de dentro de uma guia borda.

Esta nova versão do Microsoft Edge também terá uma nova forma de controle de como os sites podem rastreá-lo pela Web com três níveis de controles de privacidade.

 

Cortana ainda mais conversacional “falante de uma maneira mais coloquial”

Como os assistentes digitais existem atualmente, interagir com eles pode ser relativamente complicado, exigindo frases e comandos específicos para invocar uma ação, uma a uma. Microsoft está olhando para quebrar esse paradigma, integrando Cortana com nova tecnologia AI conversacional.

O resultado, segunda a Microsoft, será mais interações naturais com Cortana. O assistente digital será capaz de seguir o contexto de uma conversação ao manipular várias consultas e habilidades ao mesmo tempo, interagirando com Cortana possibilitando se sentir estivesse falando com outra pessoa.

Um novo e totalmente remodelado windows terminal “prompt-de-comando”

Windows Terminal

Na minha humilde opinião, este foi o anúncio mais sensacional, que mostra como a Microsoft esta procurando se reinventar, olhando para seu legado como fonte de inspiração para trazer novas possibilidades. Hoje a Microsoft abalou as coisas um pouco, anunciando o novo aplicativo de terminal do Windows.

Definido para lançamento em junho, o novo terminal do Windows permite que você defina temas personalizados, use guias e até mesmo usar emoji. Sim, Emoji. Se você usa o PowerShell, Windows Subsystem para Linux, ou CMD, inserindo comandos via Windows terminal deve revelar-se apenas um pouco mais divertido.

Fontes e Direitos Autorais: Dan Thorp-Lancaster – WindowsCentral.com
Leia na integra: https://www.windowscentral.com/top-5-announcements-microsoft-build-2019

Microsoft vai mudar a forma que o Windows Update trabalha


A maioria das empresas sabe que uma guerra com as pessoas que compram e usam seus produtos é uma guerra que eles não podem vencer. A Microsoft reconheceu tardiamente isso em relação às suas políticas do Windows Update. E se você está prestando atenção às mudanças na cultura corporativa em Redmond, a entrega da empresa a seus clientes não deve ser uma surpresa.

A guerra de longo prazo tem a ver com a maneira como o Windows 10 se atualiza em PCs – especificamente, as atualizações significativas duas vezes por ano, chamadas de “atualizações de recursos”, que adicionam novos recursos ao Windows. Por anos, você teve, para todos os propósitos práticos, nenhuma escolha sobre atualizar ou não; o seu PC instalou todas as atualizações automaticamente, quer você goste ou não. (Tecnicamente, você poderia contornar isso, mas não era uma opção que a maioria dos usuários escolheria; mas mais sobre isso em breve.)

Os usuários do Windows não ficaram satisfeitos com isso e por um bom motivo. Frequentemente, as atualizações de recursos foram liberadas antes de estarem prontas para o horário nobre, às vezes até causando danos a PCs e arquivos. Por exemplo, a última, a Atualização do Windows 10 de outubro de 2018, excluiu arquivos sem avisar os usuários, e esses arquivos foram perdidos para sempre. Depois, houve o fiasco do Windows 10 de abril de 2018, quando as pessoas reclamaram que ele travou seus computadores e exibiu a notória tela azul da morte.

O que muda?

Com a próxima versão, o Windows não instalará automaticamente uma atualização com novos recursos quando ela estiver disponível. Em vez disso, o Windows irá notificá-lo que está disponível, mostrando uma mensagem “Fazer download e instalar agora” e um link no painel Configurações do Windows Update. Se você não quiser instalá-lo, basta ignorar a mensagem. Se você quiser instalá-lo, clique no link e siga as instruções. E se você quiser esperar um pouco – alguns dias, algumas semanas, alguns meses – até ter certeza de que a atualização não é problemática, vá em frente e faça isso. O controle, finalmente, está em suas mãos.

Tenha em mente que você ainda terá de instalar os pequenos patches que a Microsoft emite todos os meses. Isso é porque eles geralmente são atualizações de segurança e todos devem tê-los. No entanto, a Microsoft concordou em dar a você algum controle sobre quando eles serão instalados. Você poderá atrasá-los por até 35 dias.

Fontes e Direitos Autorais:Preston Gralla, Computerworld (EUA).
Leia na integra acessando:https://itmidia.com/microsoft-se-rende-em-sua-guerra-do-windows-update-com-usuarios/

#25 – Para que serve


Bom dia, bom dia, bom dia, hoje estou tão feliz (kkkkk)….

Isso parece música, parece não, na verdade é…, aquela musiquinha cantadas todos os dias na entrega da escola, quem nunca cantou esta musiquinha.

Seja bem-vindo a mais um post da sessão Para que Serve, sendo este o de número 25, em mais um dia de muitas atividades, afazeres e compromissos profissionais, domésticos (isso eu não posso comentar aqui….kkkkk) e acadêmicos.

No post de hoje, vou compartilhar com você que esta acessando meu blog, um dos mais tradicionais recursos existentes no Microsoft SQL Server introduzido desde as versões iniciais do produto, mantendo-se sempre atualizada, úteis e principalmente apresentando um pouco perigoso ao ser utilizada quando não se conhece.

Da mesma maneira que realizei no post anterior desta sessão, serei mais direto no assunto, sem qualquer tipo de mistério, suspense ou criar qualquer clima de expectativa sobre este tema, na verdade estou me referindo ao uso das Table Hints (dicas de tabelas), com certeza você já deve ter ouvido falar ou já utilizou pelo menos uma delas.

Ainda não? Não se lembra? Fique tranquilo(a), vou tentar te ajudar a conhecer pouco destas pequenas mas grandiosas funcionalidades existentes no Microsoft SQL Server.

Sendo assim, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre o post de número 25 da sessão Para que serve. Mas uma vez, bem vindo ao #25 – Para que serve – Table Hint – Serializable.

Espero que você esteja animado para conhecer um pouco mais sobre esta funcionalidade, caso já conheça, continue lendo este post, sempre podemos aprender algo novo….


Introdução

As dicas de tabela tem um papel muito importante a partir do momento que decidimos fazer uso delas, alterar o comportamento padrão do otimizador de consulta durante a instrução DML (linguagem de manipulação de dados) ao especificar um método de bloqueio, um ou mais índices, uma operação de processamento de consulta, como uma verificação de tabela ou busca de índice, ou outras opções. As dicas da tabela são especificadas na cláusula FROM da instrução DML e afetam apenas a tabela ou exibição referenciada nessa cláusula.

Mesmo sabendo que o otimizador de consulta do SQL Server normalmente seleciona o melhor plano de execução para uma consulta, muitos desenvolvedores e administradores de banco de dados tomam a decisão de fazer uso deste recurso em diversos cenários de forma indiscriminada.

Estas dicas ou table hints, podem ao longo de sua utilização impactar de forma direta na maneira que o otimizador de consultas existente no Microsoft SQL Server trabalha desde o momento da identificação da análise da query e criação do seu plano de execução, mas principalmente no momento da própria execução.

Vale ressaltar que as mesmas serão ignoradas se a tabela não for acessada pelo plano de consulta, isso pode ser provocado porque o query optimizer opta por não acessar a tabela ou porque uma exibição indexada é acessada, mas este cenário também pode ser contornado, quem sabe em outro momento.

Vamos em frente, sabendo que estas funcionalidades precisam ser um pouco mais conhecidas e melhor entendidas, tomei a decisão de elaborar este post, tentando detalhar um pouco mais sobre a table hint Serializable.

Desta forma, vou apresentar uma breve descrição sobre esta dica de tabela, logo na sequência utilizarei um simples cenário prático para demonstrar como podemos fazer da mesma.

Como diria Chapolin Colorado “Siga-me os bons…..”

Table Hint – SERIALIZABLE

A dica de tabela SERIALIZABLE está na outra extremidade do espectro da dica de tabela NoLock (eu costume dizer bem diretamente que ela faz o papel inverso ao NoLock).

Se comparada ao NoLock, a Serializable, apresenta uma consistência extremamente alta, não permite leituras sujas, leituras não repetíveis e leituras fantasmas de dados, o que fortalece ainda mais a aplicação dos pilares ACID: (Atomicidade, Consistência, Isolamento e Durabilidade).

Quando você usa a dica de tabela SERIALIZABLE (também conhecida como HOLDLOCK), ela garante que nenhuma outra transação pode modificar ou ler dados não confirmados na transação atual. Em alguns casos, podemos dizer que ela se torna semelhante ao HOLDLOCK, porém aplica aos locks restrições maiores ao longo da transação.

Em outras palavras, as transações devem aguardar que outras transações sejam concluídas antes de concluir seu trabalho. Isso limita drasticamente a simultaneidade de banco de dados e coloca um prêmio na consistência do banco de dados. Outro ponto importante quando se referimos a table hint Serializable, se relaciona e existência de um nível de isolamento similar a seu comportamento conhecido Isolation Level Serializable.

Para muitos profissionais de SQL Server, ela é uma variação mais completa da table hint Repeatable Read, bloqueando qualquer modificação de dados nas colunas que são consultadas até que sejam concluídas, independente da operação ser um Update ou Insert, esse comportamento fornece uma alta consistência, mas ao custo de uma baixa concorrência.

Agora que conhecemos um pouco mais sobre esta table hint, vamos avançar, conhecer o seu funcionamento de forma prática, para tal, utilizaremos como base o Bloco de Código 1, que realizará a criação do seguinte ambiente:

·         Databases: DatabaseTableHints;

·         Table: SerializableTable; e

·         Transações: TST e TSTII.

— Bloco de Código 1 —

— Criando o Banco de Dados – DatabaseTableHints —
Create Database DatabaseTableHints
Go

— Acessando o Banco de Dados – DatabaseTableHints
Use DatabaseTableHints
Go

 — Criando a Tabela – SerializableTable —
Create Table SerializableTable
(Codigo Int Identity(1,1) Not Null Primary Key Clustered,
Valores Varchar(30))
Go

Até aqui nada de especial, nosso ambiente já está criado e pronto para receber alguns dados, vamos utilizar o Bloco de Código 2, responsável em realizar o insert e consulta dos dados, conforme apresento a seguir:

— Bloco de Código 2 —
— Inserindo uma pequena porção de dados —
Insert Into  SerializableTable
Values (‘Pedro’), (‘Antonio’), (‘Galvão’), (‘Junior’),
(‘MVP’), (‘MCC’), (‘MSTC’), (‘MIE’), (‘SQL Server’),
(‘Banco de Dados’),(‘Table Hint SerializableTable’)
Go

— Consultando os dados —
Select Codigo, Valores From SerializableTable
Order By Valores Desc
Go

A executarmos o comando Select declarado acima, deveremos ter um result set semelhante ao apresentado na Figura 1 a seguir:

Figura  1 – Processamento do comando Select apresentando os dados inseridos na Table SerializableTable.

Avançando mais um pouco, neste momento temos uma porção de dados armazenados em nossa table SerializabelTable, o que nos permite realizar uma pequena simulação de seu comportamento e entender como a ela realiza o bloqueio em nossa query.

Vamos então realizar a execução do Bloco de Código 3, sendo este o ponto chave que vai nortear nosso entendimento, observe que estamos abrindo um bloco transacional denominado TST (conforme já destacado anteriormente).

— Bloco de Código 3 —
— Iniciando um novo Bloco de Transações denominada TST —
Begin Transaction TST

Observe que estou fazendo uso do comando Begin Transaction abrindo nosso bloco de transação denominado TST, o qual consiste na execução do comando Select em conjunto com table hint Serializable.

Neste instante o Microsoft SQL Server em conjunto com alguns de seus mais importantes componentes: Database Engine e Storage Engine, estabelecem uma nova transação que deverá ser processada dentro da sessão que estamos trabalhando mais que a mesma não recebeu até o presente momento nenhuma instrução Commit ou Rollback.

Select * From SerializableTable With (Serializable)  — Especificando a Table Hint Serializable —
Go
— Forçando um Delay de 10 segundos para gerar bloqueio no nível de leitura compartilhadas  —
WaitFor Delay ’00:00:10′
Go
Importante: O uso do comando WaitFor, vai nos ajudar a ter tempo para abrir uma nova query e executar os próximos passos que deveremos realizar, note que abaixo já estou declarando o comando Commit para confirmar a execução da nossa transação, que na verdade consiste na busca dos linhas de dados existentes na tabela SerializableTable e apresentadas em tela.
Commit Transaction TST
Go
A Figura 2 apresentada abaixo, ilustra o processamento do Bloco de Código 3, o que nos permite identificar a ocorrência do Delay de 10 segundos:
Figura 2 – Processamento do Bloco de Código 3.
Muito bem, agora é a hora da verdade, em paralelo a execução do Bloco de Código 3, vamos executar vamos executar o Bloco de Código 4, o qual vai nos exigir abrir uma nova query dentro da ferramenta que você se encontra acessando o Microsoft SQL Server no momento, eu como de costume estou utilizando o bom e velho Management Studio.

— Bloco de Código 4 —
— Abrir nova query e executar o Select abaixo, após 10 segundos os dados serão apresentados —
Begin Transaction TSTII
Select ‘Aguardando…’ As ‘Passo 1…’
Go

Select GetDate() As ‘Passo 2 – Update Realizado…’
Update SerializableTable
Set Valores = ‘SerializableTable’
Where Codigo = 11
Go
Select GetDate() As ‘Passo 3 – Apresentar dados…’
Go
Select Codigo, Valores From SerializableTable
Where Codigo = 11
Commit Transaction TSTII
Go
Select GetDate() As ‘Transações confirmadas…’
Go
Posso dizer que a execução do Bloco de Código 4, aparentemente foi super tranquilo e simples, mas tenho a certeza que após sua execução você conseguiu entender o funcionamento da table hint Serializable.
A Figura 3 a seguir, apresenta o resultados obtidos através do processamento deste bloco de código:
Figura 3 – Realização do bloco de transação TSTII em paralelo ao TST.
Você pode observar que a partir do momento que nossa primeira transação TST estava sendo processada, a segunda transação TSTII teve seu processamento iniciado, mas ficou aguardando a confirmação de conclusão da TST.
Isso não é fantástico, com certeza é, realmente o uso das table hints em situações ou necessidades específicas pode ser de grande avalia em nossas atividades, mas calma, muita calma neste hora, pois não devemos utilizar nenhum recurso ou funcionalidade sem conhecer melhor seu comportamento, este foi justamente o objetivo principal do post de hoje.

Com isso, e sem mais delongas, chegamos ao final. Foi muito legal poder mostrar um pouco mais sobre as table hints existentes no Microsoft SQL Server, claro de que um pouco de trabalho este post, mas já estou acostume, mesmo assim sempre vale a pena poder compartilhar um o conhecimento e experiências adquiridas ao longo dos anos de trabalho como DBA e Professor.

Espero que você tenha gostado, eu posso dizer que sim, mas sua opinião é muito importante.


Referências

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/statements/set-transaction-isolation-level-transact-sql?view=sql-server-2017

https://sqlperformance.com/2014/04/t-sql-queries/the-serializable-isolation-level

https://www.techrepublic.com/article/using-advanced-table-hints-in-sql-server/

https://docs.microsoft.com/en-us/sql/t-sql/queries/hints-transact-sql-table

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2019/02/23/24-para-que-serve/

http://www.verycomputer.com/156_c5e201f3b1bce12f_1.htm

Links

Caso você ainda não tenha acessado os posts anteriores desta sessão, fique tranquilo é fácil e rápido, basta selecionar um dos links apresentados a seguir:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2019/02/23/24-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/12/21/23-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/08/22/22-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/05/28/21-para-que-serve/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/04/12/20-para-que-serve/

 

Conclusão

Mais uma vez podemos observar como o Microsoft SQL Server apresenta um conjunto grandioso de funcionalidades, utilizadas de maneiras diferentes e específicas para cada cenário.

Neste post podemos conhecer, aprender e visualizar como as table hint Serializabel pode ser utilizada, seus comportamento, além disso, entender como uma consulta usa o nível de isolamento SERIALIZABLE ou a table hint HOLDLOCK.

Demonstrei como o Microsfot SQL Server pode aplicar bloqueios compartilhados até que uma transação seja concluída, papel fundamente para qualquer SGBD de alto nível, ainda mais o SQL Server, que possui a capacidade de compreender e permitir que bloqueios ocorram e possam ser feitos durante o processamento de diversas querys ou transações.

Este é o fantástico Microsoft SQL Server, que desde suas primeiras versões nos apresenta inúmeras possibilidades de se aprender, possibilitando usar o passado como fonte de inspiração para construção de um futuro melhor, por isso que a cada dia eu me apaixono ainda mais por este produto…

Vai SQL Server, Vai SQL Server….

Agradecimentos

Mais uma vez obrigado por sua ilustre visita, sinto-me honrado com sua presença, espero que este conteúdo possa lhe ajudar e ser útil em suas atividades profissionais e acadêmicas.

Um forte abraço, até o próximo post da sessão Para que serve a ser publicado no mês agosto de 2019.

Um grande abraço e ótimo final de semana.

Valeu.

Microsoft disponibiliza PWA Builder 2.0


Está no ar a versão 2.0 do PWA Builder, a ferramenta criada pela Microsoft que facilita e muito a criação de um Progressive Web App (PWA).

PWA Builder

A v2.0 possui um novo design e “snippits” para integração de interfaces de programação web, tem ainda a adição de uma plataforma de desktop Mac e Webkit com base em Webkit.

Outra novidade é que os desenvolvedores agora podem visualizar sua “pontuação” e adicionar recursos de plataforma cruzada (cross plataform), como autenticação, integração de sistemas e interfaces de usuário por meio de interfaces de programação do Microsoft Graph.

Não tenha dúvida que uma das principais ideias por trás dessa ferramenta é a geração de novos aplicativo compatíveis com o Windows 10, assim como tem ainda o interesse da MS em estimular desenvolvedores a migrarem seus aplicativos mais antigos para novos formatos, entre os quais estão os PWA.

Já falamos aqui que os PWA serão muito importantes no futuro de toda plataforma e de todo sistema operacional. O futuro que nos aguarda tem a Nuvem como centro de tudo e é lá que os PWA reinam e operam boa parte das aplicações web.

Sendo assim, se você é desenvolvedores, estudante, programador ou entusiastas, vale a pena explorar as possibilidades ofertadas pelo PWA Builder. Tem muita coisas simples de usar, então, vale a pena dar uma fuçada.

Para saber sobre esta nova ferramenta da Microsoft, acesse: https://www.pwabuilder.com/

Fontes e Direitos Autorais: WindowsTeam – https://www.windowsteam.com.br/microsoft-libera-versao-2-0-da-sua-ferramenta-para-criacao-de-pwa/

Material de Apoio – Abril 2019


Olá, muito bom dia….

Tudo bem? Antes de começar este post, quero lhe perguntar: E ai já se pesou? Anotou na balança ou no seu banco de dados da tabela de pesos o quanto você esta pesando antes da páscoa! KKKK, é minha gente, estamos no mês de abril, a páscoa esta chegando e com ela o coelhinho trazendo muitos docinhos…..

Bom, antes de darmos aquela engordadinha com tantos chocolatinhos, balinhas e docinhos desta doce época do ano, estou de volta cumprindo a minha missão de  colaborar e compartilhar com a comunidade técnica mais um post da sessão Material de Apoio dedicado exclusivamente ao meu blog.

Espero que você esteja gostando do conteúdo aqui disponibilizado, como também, possa me ajudar a torná-lo ainda melhor no decorrer do tempo com a sua participação.

O post de hoje

Seja bem-vindo a mais um post da sessão Material de Apoio, sendo o segundo post da sessão em 2019 e de número 162 no total da mesma.

Para aqueles que já acompanham o meu blog a um certo tempo, os posts dedicados a sessão Material de Apoio, possuem o objetivo de compartilhar o conhecimento de recursos, funcionalidades e procedimentos que podemos realizar no Microsoft SQL Server.

Hoje não será diferente, estou trazendo alguns dos mais recentes scripts catalogados nos últimos meses, que atualmente estão compondo a minha galeria de códigos formada ao longo dos anos de trabalho como DBA e atualmente como Professor de Banco de Dados.

Neste post você vai encontrar arquivos relacionados com os seguintes temas:

  • Acessos;
  • Any Constraints;
  • Arquivo XLS;
  • Arquivo MDB;
  • Cálculo de dias úteis;
  • Casas Decimais;
  • Comando Backup Database;
  • Comando Backup Database With Move Option;
  • Comando Declare;
  • Comando Deny;
  • Comando Grant;
  • Comando Insert;
  • Comando OpenDataSource;
  • Comando OpenRowSet;
  • Comando Restore Database;
  • Comando Revoke;
  • Comando Select;
  • Comando Update;
  • Constraints;
  • Create Database;
  • Create Logins;
  • Create Table;
  • Create Users;
  • Declaração de Variáveis;
  • Delete Cascade;
  • Diretiva Set;
  • Drop Table;
  • Exportação de Dados;
  • Função CharIndex;
  • Função DataLength;
  • Função Floor;
  • Função Left;
  • Função Len;
  • Função Right;
  • Gerenciamento de acesso para Banco de Dados e Tabelas;
  • Importação de Dados;
  • Logins;
  • Microsoft Access;
  • Microsoft Excel;
  • Permissões;
  • Schemas;
  • Stored Procedure;
  • Stored Procedure SP_Attach_DB;
  • Stored Procedure SP_Detach_DB;
  • Tipo de Dados Decimal;
  • Tipo de Dados Int;
  • Tipo de Dados Money;
  • Update Cascade; e
  • Users.

Espero que este conteúdo possa lhe ajudar em seus atividades profissionais e acadêmicas. Por questões de compatibilidade com a plataforma WordPress.com, todos os arquivos estão renomeados com a extensão .docx ao final do seu respectivo nome, sendo assim, após o download torna-se necessário remover esta extensão, mantendo somente a extensão padrão .sql.

Material de Apoio

A seguir apresento a relação de arquivos  selecionados:

1 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Comando – Alter Table + Any Constrainst.sql

2 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Comando – Alter Table With NoCheck.sql

3 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Identificando a quantidade de Casas Decimais.sql

4 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Calculando Dias Úteis.sql

5 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Realizando o Attach e Detach Database.sql

6 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Gerenciando – Acesso para Banco de Dados.sql

7 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Gerenciando – Acesso para Tables.sql

8 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Stored Procedure P_ImportarBanco.sql

9 – Material de Apoio – Abril – 2019 – OpenDataSource lendo dados em um arquivo XLS.sql

10 – Material de Apoio – Abril – 2019 – Utilizando comando OpenRowSet para importar dados do Microsoft Access.sql

Fique a vontade para copiar, editar, compartilhar e distribuir estes arquivos com seus contatos, aproveite se possível deixe seu comentário, críticas, sugestões e observações.

Nota: Todos os arquivos disponibilizados foram obtidos ou criados com autorização de seus autores, sendo estes, passíveis de direitos autorais.

Links

Caso você queira acessar os posts anteriores da sessão, não perca tempo utilize os links listados abaixo:

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/12/18/material-de-apoio-dezembro-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/10/30/material-de-apoio-outubro-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/08/14/material-de-apoio-agosto-2018/

https://pedrogalvaojunior.wordpress.com/2018/06/19/material-de-apoio-junho-2018/

Agradecimento

Quero agradecer imensamente a sua visita, sinto-me honrado e orgulhoso de contar com a sua presença.

Não deixe de acessar os outros posts das demais sessões, o próximo post desta sessão será publicado no mês de junho, até lá, continue aproveitando cada momento da sua vida, desfrutando com muita sabedoria os momentos de galeria e também os desafios que são colocados ao seu redor.

Um forte abraço, muita saúde, sucesso e nos encontramos em breve.

Valeu.

MVPConf Latam 2019 – Easter Egg – 05 – Last Week…


Salve galera, boa tarde.

Conforme prometido, no período dos dias 01/04 a 10/04, vou compartilhar 04 vouchers com 50% de desconto para o MVPConf Latam 2019, caso você ainda não tenha feito a sua inscrição, faça agora mesmo.

Segue abaixo os vouchers válidos somente para hoje:

Voucher 01 – 04/04

Segue o Voucher EE493B3FE8FD4B7A814EDDE2FD954AC5 com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Voucher 02 – 04/04

Segue o Voucher 133FF309DF2D4DA99122D8BB5EAA950F com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Voucher 03 – 04/04

Segue o Voucher 46E1220149AD46FDA655DBF0E166844E com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Voucher 04 – 04/04

Segue o Voucher 9247D709F1EC46FD9E22D76F2CB18436 com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Aproveite esta oportunidade de participar do maior evento de tecnologia organizado pela comunidade MVP Brasil.

Abraços, fique ligado nos próximos dias mais vouchers serão disponibilizados.

Até mais. 

MVPConf Latam 2019 – Easter Egg – 04


Salve galera, boa tarde.

Conforme prometido, no período dos dias 01/04 a 10/04, vou compartilhar 04 vouchers com 50% de desconto para o MVPConf Latam 2019, caso você ainda não tenha feito a sua inscrição, faça agora mesmo.

Segue abaixo os vouchers válidos somente para hoje:

Voucher 01 – 04/04

Segue o Voucher 5A4DA8471BA144E68985DCE965C11839 com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Voucher 02 – 04/04

Segue o Voucher B8DE3A69EAC549BE98CAF41A0E2F3CD3 com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Voucher 03 – 04/04

Segue o Voucher 0E3E2A22A346470CA2DB079A512D5833 com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Voucher 04 – 04/04

Segue o Voucher 90DB4D760B534E6F97E748548985109B com 50% de desconto para a compra do ingresso para o MVPConf Latam 2019.

Clique Aqui

Aproveite esta oportunidade de participar do maior evento de tecnologia organizado pela comunidade MVP Brasil.

Abraços, fique ligado nos próximos dias mais vouchers serão disponibilizados.

Até mais.