SYSINTERNALS SUITE BUILD 2014.09.12


Sysinternals Suite é um conjunto de utilitários gratuitos para Windows com foco em usuários avançados e profissionais de TI.

Ela inclui utilitários como um desfragmentador de arquivos de paginação (PageDefrag), ferramentas para Active Directory, conversor de discos rígidos físicos para discos rígidos virtuais ou VHDs (Disk2vhd) e outros populares como o Autoruns, Process Explorer e Process Monitor.

sysinternals_suite-utils

Disponível para download aqui, o build 2014.09.12 da Suite inclui novas versões dos utilitários Handle (v4.0), ProcDump (v7.01), Process Explorer (v16.04), RegJump (v1.02) e Autoruns (v12.03).

UTILITÁRIOS PRESENTES NA SYSINTERNALS SUITE BUILD 2014.09.12:

Sysinternals Suite build 2014.09.12
Já os usuários que querem maior comodidade podem baixar o Windows System Control Center. Este software gratuito organiza todos os utilitários da Sysinternals Suite e Sysinternals Live em categorias para facilitar seu uso e também busca atualizações para eles automaticamente.

O Windows System Control Center também inclui suporte para os utilitários da NirSoft e está disponível para download em duas versões: portátil (não requer instalação) e padrão.

nirsoft-wscc-001

 

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com.

Conhecendo o “Buffer Cache Database” no Microsoft SQL Server 2012 e 2014.


Boa tarde, Comunidade e Amantes do Microsoft SQL Server.

Meu Deus, como o tempo esta passando de forma avassaladora, já estamos no mês de Setembro e daqui a alguns dias estaremos falando sobre o que aconteceu neste ano de 2014, nossa isso acaba sendo assustador. Mesmo assim, vamos em frente ainda temos muito para conhecer e produzir até o final de 2014.

Falando em conhecer e produzir, estou novamente aqui no meu blog, compartilhando com vocês mais um dos milhares de segredos, recursos, funcionalidades e praticidades que o Fantásico Microsoft SQL Server nos apresenta e permita utilizar.

Dentre estes segredos e recursos, quero mostrar para vocês algo muito simples de ser utilizado e entendido, mas que pode ajudar em muito a vida de Administrador de Banco de Dados em suas atividades diárias, estou me referindo ao “Buffer Cache Database”.

É isso mesmo “Buffer Cache Database”!!! Você conhece? Já teve a necessidade de utilizar ou descobrir para que ele serve? Ele existe? Ou somente é uma expressão ou termo técnico?

Eu mesmo no primeiro momento que ouvi este termo e me apresentaram fiquei um pouco perdido, sem saber o que este elemento pode me apresentar de informações úteis, mas com o passar do tempo e necessidade foi possível analisar e entender o quanto este pequeno recurso pode nos ajudar, principalmente em situações de alocação de uso de memória por parte do SQL Server.

Pensando justamente neste tipo de necessidade, decidi escrever este pequeno artigo, para tentar mostrar a vocês uma possível como podemos obter informações sobre o “Buffer Cache Database” e o quanto este Buffer faz parte do nosso ambiente.

Então mãos a massa, vamos descobrir um pouquinho sobre o “Buffer Cache Database”, saber do que ele composto e como podemos trabalhar com ele.

Introdução

O nome “Buffer Cache Database” a princípio pode parecer um bicho de sete cabeças, mas na verdade esta muito longe disso, basicamente pode ser entendido ou tratado como um Cache: “Uma área de armazenamento onde dados ou processos freqüentemente utilizados são guardados para um acesso futuro mais rápido, poupando tempo e uso desnecessário do seu hardware.”

O SQL Server é composto por um grande conjunto de Caches, um dos mais conhecidos é o Bufer Pool: Buffer reponsável em definir a quantidade possível de memória que poderá ser utilizada pelo SQL Server. Através deste recuros, temos a capacidade de utilizar “endereçar” ou “instanciar” o máximo de memória possível disponível em nosso Sistema Operacional sem afetar sua performance. De uma forma bem simples, o Buffer Pool tem como função realizar um balanceamento “equilíbrio” e “compartilhamento” de memória entre uma instância ou Servidor SQL Server através do seu Sistema Operacional do SQL Server chamado SQLOS em conjunto com os Memory Brokers e o próprio Sistema Operacional.

Mas, então, o que seria o “Buffer Cache Database”? Ele Existe? Ou somente é uma expressão ou termo técnico? Como ele é formado?

A resposta é muito simples e direta. O “Buffer Cache Database” não existe, pode ser entendido ou tratado como uma termo ou expressão técnica se comparado com Database Cache existente no Oracle. Na verdade é a forma natural que o SQL Server trabalha para organizar, estruturar e armazenar em páginas de dados que compõem os bancos de dados. Algo que pode ocorrer em diversos momentos, tanto na inicialização de uma instância ou servidor SQL Server, como também, quando um banco de dados realiza o alocação de suas páginas de dados em memória.

Isso mesmo páginas de dados, pequenas estrutura lógicas que armazenam os dados de forma física e temporária. As páginas de dados são interpretados pelo SQL Server da seguinte forma:

  • As páginas de dados são numeradas em sequência, iniciando com zero (0) para a primeira página do arquivo.
  • O tamanho padrão de uma página é 8 KB. Isso significa que qualquer banco de dados criado no SQL Server terá 128 páginas por megabyte.
  • Cada página começa com um cabeçalho de 96 bytes usado para armazenar informações de sistema sobre a página. Essas informações incluem o número de página, o tipo de página, a quantidade de espaço livre na página e a ID de unidade de alocação do objeto que possui a página.
  • Para identificar de forma exclusiva uma página em um banco de dados, são necessários ID do arquivo e número de página. Cada arquivo em um banco de dados tem um número de ID de arquivo exclusivo. Para tentar ilustrar, o exemplo a Figura 1 seguir mostra os números de página em um banco de dados que tem um arquivo de dados primário de 1 MB:
  • Com isso, podemos dizer que o “Buffer Cache Database” é criado e mantido, decorrente da existência das páginas de dados que forma nosso banco, isso nos permite dizer que a partir do momento que realizamos a criação de um banco de dados com tamanho de 1 MB, já estaremos fazendo uso desta estrutura de alocação e nosso novo  banco já terá um “Buffer Cache Database” inicial de 128 páginas.

Buffer01

Figura 1 – Estrutura de Páginas de Dados que compõem a estrutura de Banco de Dados no Microsoft SQL Server.

Caso você queira saber mais sobre páginas de dados, acesse: http://technet.microsoft.com/pt-br/library/ms190969(v=SQL.105).aspx

 

Obtendo o “Buffer Cache Database”

Para obtermos o “Buffer Cache Database” que atualmente esta sendo gerado e consumido pelo nosso SQL Server, vamos fazer uso do Código denominado Parte 1, apresentando abaixo:

– Parte 1 – Obtendo Buffer Cache por Banco de Dados –

Select DB_NAME(database_id) As ‘Database’,

COUNT(*) * 8 / 1024.0 As ‘Cached Size (MB)’

From sys.dm_os_buffer_descriptors

Where database_id <> 32767

Group By DB_NAME(database_id)

Order By ‘Cached Size (MB)’ Desc

 

A Figura 2 apresentada abaixo ilustra o retorno dos “Buffer Cache Database” obtidos no meu SQL Server, observe que o Banco de Dados que neste momento esta gerando o maior Buffer Cache é o Banco Cars com 1.078 MBs.

Buffer02

Figura 2 – Relação de “Buffer Cache Database”.

Nosso próximo passo, será forçar o SQL Server a gerar um novo “Buffer Cache Database”, neste caso, criando o nosso próprio ambiente, para isso será necessário criar um novo banco de dados, denominado: BufferCacheDatabase e uma Tabela denominada BufferCacheDatabaseTable.

Gerando o “Buffer Cache Database”

Para criarmos nosso ambiente, vamos utilizar o Código denominado Parte 2, conforme apresenta abaixo:

– Parte 2 – Criando Ambiente para Gerar Buffer Cache Databae –

Create Database BufferCacheDatabase

Go

 

Use BufferCacheDatabase

Go

 

Create Table BufferCacheDatabaseTable

(BufferID Int Identity Primary Key Clustered,

BufferDescription Varchar(50) Default ‘Buffer Table’,

BufferDateTime DateTime Default GetDate())

Go

 

Observação: Vale ressaltar que este banco de dados esta criado com o tamanho de 3 Megabyte, pois o banco de dados de sistema Model existente no meu Servidor SQL Server, esta configurado neste momento justamente com este tamanho de arquivo, que representa o tamanho mínimo, sendo assim, os novos bancos de dados criados de forma rápida vão herdar esta configuração.

Legal, legal, nosso ambiente já esta criado e pronto para começarmos a brincar!!!! O próximo passo será obter o quando de Buffer Cache foi gerado após a criação deste novo banco de dados, onde vamos somente consultar o quantidade de cache deste Banco, para isso, iremos utilizar o Código denominado Parte 3.

– Parte 3 – Consultando o “Buffer Cache Database” gerado para este novo Banco –

Select DB_NAME(database_id) As ‘Database’,

COUNT(*) * 8 / 1024.0 As ‘Cached Size (MB)’

From sys.dm_os_buffer_descriptors

Where database_id = DB_ID()

Group By DB_NAME(database_id)

 

Ao executar este código, o SQL Server deverá retornar a quantidade de Buffer Cache, criado e alocado para o Banco de Dados: BufferCacheDatabase, conforme apresenta a Figura 3 a seguir:

Buffer03

Figura 3 – Total de “Buffer Cache Database” alocado para o Banco de Dados – BufferCacheDatabase.

Muito bem, como eu destaquei anteriormente, uma simples transação de criação de um novo banco de dados gera Buffer, neste caso nosso banco de dados esta apresentando o Buffer Cache de 1.304 MBs, isso nos faz pensar o quanto o SQL Server tem que trabalhar para controlar e manter em memória este recurso.

Nossa caminhada ainda não acabou mas esta quase lá, na sequência vamos obter as informações sobre “Buffer Cache Database” no nível de Tabela, onde nossa tabela: BufferCacheDatabaseTabela estará vazia e posteriormente após algumas transações de Inserção de dados.

Comecaremos pela Inserção de 2000 linhas de registro na tabela BufferCacheDatabaseTable, utilizando o Código denominado Parte 4, na sequência vamos consultar total estrutura de páginas de dados que é será alocado para esta tabela, o que nos dará mais comprovações do quanto o “Buffer Cache Database” é mantido pelo SQL Server.

– Parte 4 – Inserindo 2000 linhas na tabela BufferCacheDatabaseTable –

Insert Into BufferCacheDatabaseTable Default Values

Go 2000

 

Como você percebeu acabamos de inserir 2000 linhas de registro em nossa tabela, de forma simples e rápida, agora vamos consultar as informações sobre as páginas de dados que forma esta tabela, começando Código denominado Parte 5, onde teremos alguns detalhes, como quantidade de páginas de dados utilizadas e total de página de dados. A Figura 4, ilustra o resultado do processamento deste código.

– Parte 5 – Consultando informações sobre as páginas de dados –

Select ST.Name As ‘Tabela’,

SP.rows As ‘Linhas’,

SA.data_pages As ‘Páginas de Dados’,

SA.used_pages As ‘Páginas de Dados Utilizadas’,

SA.total_pages As ‘Total de Páginas de Dados’

from sys.tables ST Inner Join sys.partitions SP

On ST.object_id = SP.object_id

Inner Join sys.allocation_units SA

On SA.container_id = SP.partition_id

Go

Note que estamos utilizando as Visões de Sistema:

  • Sys.tables;
  • Sys.partitions; e
  • Sys. Allocations_Units.

Caso você queira saber mais sobre estas Views de Sistema, consulte as Referências no final deste artigo.

Buffer04

Figura 4 – Informações sobre as páginas de dados que forma a tabela BufferCacheDatabaseTable.

Perfeito, neste momento temos boa parte das informações do nosso ambiente, inclusive alguns detalhes sobre as páginas de dados. Mas se observarmos com cuidado a Figura 4, como podemos ter o Total de Páginas de Dados com o valor 17 se a coluna Páginas de Dados esta com o valor de 10?

Será que existe alguma coisa de errado? De forma alguma, este valor esta correto, esta diferença existe porque a coluna data_pages existente na System View: sys.allocation_units, apresenta como valor para quantidade de páginas de dados, somente as páginas que forma a tabela, excluíndo deste valor páginas de índice internas e páginas do gerenciamento de alocações. Por isso este valor, então podemos dizer que nossa tabela possui:

  • O total de 17 páginas de dados considerando páginas para índices e alocações internas; e
  • O Total de 10 páginas somente para armazenamento de dados que forma a tabela.

Para deixar mas claro esta constatação, vamos utilizar o Código denominado Parte 6, onde será possível ver todo detalhamento e distribuição das alocações de páginas de dados, registros por páginas e espaço livre em bytes para armazenamento de dados em cada página, conforme ilustra a Figura 5:

– Parte 6 – Detalhamento da Alocação de Dados por Página de Dados –

Select ST.Name As ‘Tabela’,

SB.page_id As ‘Id Página’,

SB.page_type As ‘Tipo da Página’,

SB.Row_Count As ‘Linhas por Página’,

SB.free_space_in_bytes As ‘Espaço Livre em Bytes’

from sys.tables ST Inner Join sys.partitions SP

On ST.object_id = SP.object_id

Inner Join sys.allocation_units SA

On SA.container_id = SP.partition_id

Inner Join sys.dm_os_buffer_descriptors SB

On SB.allocation_unit_id = SA.allocation_unit_id

Order By SB.page_type Asc

Go

 Buffer05

 

 

 

 

 

Figura 5 – Distribuição de dados alocados por página de dados, quantidade de linhas e espaço livre disponível.

Prontinho, sensacional, aqui esta a toda estrutura de alocação e distribuição de dados em suas respectivas páginas de dados que forma a nossa tabela BufferCacheDatabaseTable.

 

Ufa, é isso, conseguimos chegar vivos e salvos ao final de mais esta caminhada. Vou encerrar por aqui mais este artigo, as demais análises e observações vou deixar para você. Um detalhe importante, repita novamente a execução do Código Parte 3 e verifique que o valor calculado do “Buffer Cache Database” provavelmente foi alterado.

Conclusão

Falar deste tipo recurso que na verdade não existe no Microsoft SQL Server, mas esta presente devido a maneira que as páginas de dados são alocadas em memória pode parecer ser fácil, o duro o conseguir encontrar uma forma de demonstrar como ele acontece, de que forma o “Buffer Cache Database” é criado, gerado, alocado e mantido.

Como destacado o grande segredo de qualquer tipo de Cache é saber a forma correta de armazenar o dado ou conjunto de dados para que tanto o Software como também o Hardware não sejam impactos. O “Buffer Cache Database” faz justamente isso de uma forma muito simples, prática e elegante, além disso, ele nos permite saber e entender como o mesmo esta ocorrendo. Em conjunto com o grande conjunto de Visões de Sistemas e Visões de Gerenciamento Dinâmico existentes no SQL Sever desde a versão 2005, este caminho muito ainda mais tranquilo.

Trabalhando de forma invisível como os demais recursos de Buffer, o “Buffer Cache Database”, oferece para o Database Engine e também para toda estrutura de armazenamento de dados do SQL Server, a flexibilidade para pode ser trabalhar com objetos recêm criados, como também, com aqueles que estão em uso ou foram utilizados em um determinado período de tempo, com isso, podemos ter alguns ganhos de performance na busca por dados e funcionalidades do nosso dia-á-dia.

Entender o Buffer Pool e também o Buffer Cache Database é de grande importância para qualquer Administrador de Banco de Dados, pois ambos estão diretamente trabalhando com a memória existente tanto do SQL Server e também o Windows.

É neste cenário que o “Buffer Cache Database” faz o seu papel, instânciado porções de memória para alocação de seus objetos, neste caso, páginas de dados e índices para o melhor funcionamento do SQL Server.

Referências

- sys.tables: http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/ms187406.aspx

- sys.allocation_units: http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms189792.aspx

- sys.dm_os_buffer_pool_extension_configuration: http://msdn.microsoft.com/en-us/library/dn133204.aspx

- sys.partitions: http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms175012.aspx

- sys.dm_os_buffer_descriptors:  http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms173442.aspx

——————————————————————————————————————————-

Agradeço a sua visita, espero que você tenha gostado e que este conteúdo possa te ajudar.

Um grande abraço.

Nos encontramos em breve.

Até mais.

Microsoft remove 1500 apps da Windows Store


// Microsoft remove 1500 apps da Windows Store | BABOO // // // // // // // // // // // &lt;img src=”http://b.scorecardresearch.com/p?c1=2&amp;c2=14194541&amp;cv=2.0&amp;cj=1&#8243; /&gt;

Nas últimas semanas surgiram diversas reclamações afirmando que a Windows Store estava repleta de apps que não ofereciam valor algum e que estavam ali apenas para enganar os usuários. A Microsoft respondeu inicialmente que investigaria a situação.

A empresa publicou recentemente no blog Building Apps for Windows que introduziu novos requisitos para certificação de apps para a Windows Store que visam principalmente reduzir o número de apps falsos e/ou maliciosos. Os três novos requisitos estão listados abaixo:

Nome – deve refletir claramente a funcionalidade do app.
Categorias – para se certificar de que os apps sejam categorizados de acordo com seu propósito e suas funcionalidades.
Ícones – devem ser diferenciados para evitar confusão por parte dos usuários.

A nova política revisada da Microsoft está sendo aplicada a todos os novos apps enviados para Windows Store e Windows Phone Store e para as atualizações dos apps disponíveis atualmente.

A Microsoft confirmou também que já começou a reexaminar os apps aprovados anteriormente para ver quais estão violando as novas políticas da empresa.

Embora ela tenha dito que a grande maioria dos desenvolvedores tenham concordado com as mudanças, alguns não estão muito contentes com isso.

Por causa das mudanças, a Microsoft removeu cerca de 1500 apps da Windows Store e informou que reembolsará os usuários que pagaram pelos apps removidos.

Windows Store no Windows 8.1:

Microsoft remove 1500 apps da Windows Store

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – Sid Vicious @ 28 ago 2014 | 10:02 am

MICROSOFT LANÇA O VISUAL STUDIO 14 CTP3


A Microsoft disponibilizou hoje para download o terceiro Community Technology Preview (CTP3) do Visual Studio 14, versão de testes mais recente da nova geração do seu ambiente integrado de desenvolvimento. De acordo com a empresa, o build do Visual Studio 14 CTP3 é 14.0.22013.1.

Assim como fez com o Office 2013 (ou Office 14), a Microsoft optou por pular a versão 13 do Visual Studio.

A versão final do Visual Studio 14 tem lançamento previsto para 2015, mas nenhuma data específica foi divulgada. Antes do lançamento da versão final a Microsoft pretende disponibilizar uma nova versão preview mais completa e já com o nome oficial ainda em 2014.

A plataforma de compilação .NET “Roslyn”, o ASP.NET v.Next (codinome Project K) e o suporte para a plataforma Apache Cordova foram introduzidos no Visual Studio 14 CTP1 e continuam presentes no CTP3.

Microsoft lança o Visual Studio 14 CTP3
O Visual Studio 14 CTP3 traz correções de bugs introduzidos com a versão anterior e também traz diversos novos recursos e melhorias.

Uma das novidades no CTP3 é que o suporte para .NET Native foi integrado ao Visual Studio 14. Ele também traz PerfTips no Depurador, melhorias no Visual C++, suporte para ícones em alta resolução e mais.

O changelog completo do Visual Studio 14 CTP3 e dos dois CTPs anteriores pode ser encontrado noartigo KB2967191 publicado na Base de Conhecimento da Microsoft.

FAÇA O DOWNLOAD DO VISUAL STUDIO 14 CTP3

Usuários e desenvolvedores interessados em testar esta versão podem fazer o download do instalador Web* aqui ou da imagem ISO aqui. A edição do Visual Studio 14 CTP3 disponível para download é aProfessional.

Além do Visual Studio também estão disponíveis para download aqui o SDK, Remote Tools** e o Microsoft Visual C++ Multibyte Character Set (MBCS).

*Baixa e instala os componentes necessários.
**Para plataformas x86, x64 e ARM.

 

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – SID VICIOUS.

MICROSOFT ATUALIZA O WINDOWS PHONE 8.1 UPDATE 1 PREVIEW


A Microsoft disponibilizou hoje para download a primeira atualização para o Windows Phone 8.1 Update 1 Preview. A atualização está disponível para os usuários registrados no Windows Phone Preview Program for Developers.

Com esta atualização, o build da versão Preview passa a ser 8.10.14157.200. Detalhes específicos sobre o que ela traz de novo ainda são desconhecidos.

A atualização para o Windows Phone 8.1 Update 1 Preview é relativamente pequena (cerca de 40MB).Segundo o site Windows Phone Central, ela traz apenas correções de bugs.

COMO OBTER A ATUALIZAÇÃO DO WINDOWS PHONE 8.1 UPDATE 1 PREVIEW

O Windows Phone Preview Program for Developers custa US$ 19, mas quem não quer ou não pode gastar com isso também pode se qualificar usando sua conta do Windows Phone App Studio, que é gratuito.

Depois de se inscrever no programa, baixe e instale o app Windows Phone Preview for Developers, aceite os termos e condições do programa, acesse as configurações do app e marque a opção abaixo para receber o Windows Phone 8.1 Preview, o Windows Phone 8.1 Update 1 Preview e futuras atualizações:

wp_sshot_20140331_xxz00x0xx000001 Microsoft atualiza o Windows Phone 8.1 Update 1 Preview wp_ss_20140819_0003 wp_ss_20140819_0005

NOVIDADES NO WINDOWS PHONE 8.1 UPDATE 1

LIVE FOLDERS

A Microsoft já havia confirmado anteriormente que este recurso, que está disponível para Windows Phone 8 na forma de um app disponível na Windows Store, seria suportado nativamente com esta atualização.

Com o recurso Live Folders do Windows Phone 8.1 Update 1 os usuários agora podem organizar seus aplicativos em pastas na tela inicial sem perder seus blocos dinâmicos.

Para criar uma pasta, basta arrastar um bloco dinâmico para cima de outro. A pasta com os apps pode ser movida de lugar e renomeada.

live_folders_wp_8_1_gdr1-00001

NOVO XBOX MUSIC

O Windows Phone 8.1 Update um também traz melhorias no Xbox Music. De acordo com a Microsoft, a nova atualização melhora o desempenho geral do app.

Além disso, ele finalmente ganhou seu próprio bloco dinâmico.

xbox_music_wp_gdr1-00001

APPS CORNER

Outra novidade trazida por esta atualização é o recurso Apps Corner. Com ele é possível executar um app de forma isolada.

Este recurso é voltado para empresas e lojas que deixam aparelhos expostos para exibição. Seu foco principal é permitir o acesso a certos apps em cenários específicos.

O Apps Corner também permite que o telefone seja configurado para ser inicializado diretamente em um app. Por exemplo, funcionários de um centro de distribuição que usam o Windows Phone podem ligar seus aparelhos e o sistema operacional abrirá p app de gerenciamento de inventário imediatamente.

Ele lembra um pouco o recurso Acesso Atribuído no Windows 8.1, que permite que o administrador do computador/notebook/tablet configure uma conta limitada para uso com um único aplicativo da Windows Store.

apps_corner_sms_gdr1-00001

MESCLAGEM E ENCAMINHAMENTO DE SMS

Com o Windows Phone 8.1 Update 1 os usuários agora podem mesclar, apagar e encaminhar múltiplas mensagens SMS.

sms_merge_wp_8_1_gdr1-00001

NOVO BLOCO DINÂMICO DA WINDOWS PHONE STORE

A atualização do Windows Phone 8.1 traz um novo bloco dinâmico para a Windows Phone Store. Com ele o usuário pode ver os apps e jogos mais recentes.

Se o usuário fixar o bloco dinâmico na tela inicial, ele será atualizado de seis em seis horas com novas informações.

live_tile_store_wp_8_1_gdr1-00001

MELHORIAS NA PRIVACIDADE E SEGURANÇA

O Windows Phone 8.1 Update 1 também traz diversas melhorias que ajudam a proteger os dados e a identidade do usuário em redes públicas.

Agora é possível enviar e receber dados através de uma VPN (rede privada virtual) quando conectado em hotsposts Wi-Fi, por exemplo.

Se você estiver em uma rede doméstica, a criação da VPN adiciona uma camada extra para proteger seu smartphone e impedir que ele seja identificado por outros aparelhos na rede.

 

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – SID VICIOUS @ 19 AGO 2014 | 4:10 PM

WINDOWS THRESHOLD PREVIEW PODE SER LANÇADO NO FINAL DE SETEMBRO


De acordo com novas informações divulgadas nesta sexta-feira, 15 de agosto, a Microsoft está planejando disponibilizar o Windows Threshold Preview no final de setembro ou possivelmente no início de outubro.

Windows Threshold Preview pode ser lançado no final de setembro

WINDOWS THRESHOLD PREVIEW

De acordo com a jornalista Mary Jo Foley, quem fizer o download do Windows Threshold Preview poderáoptar por continuar recebendo automaticamente novas atualizações mensais para esta versão.

O Windows Threshold, que pode ou não se chamar Windows 9 quando for lançado oficialmente em 2015, deve trazer diversas mudanças com foco na usabilidade.

Além disso, esta versão do sistema operacional da Microsoft também trará diversas melhorias com foco no uso tradicional com mouse e teclado.

Entre as novidades que deverão estar presentes já no Windows Threshold Preview estão novo menu Iniciar (imagem abaixo), o suporte para execução de apps Metro em janelas na área de trabalho e suporte para áreas de trabalho virtuais. Também é possível que ele já venha sem a barra de Charms, introduzida com o Windows 8.

 

A Microsoft também está trabalhando para integrar a assistente pessoal Cortana ao sistema operacional, mas ainda não é certeza se ela estará presente no Windows Threshold Preview.

Vale destacar que o Windows Threshold Preview será disponibilizado para o público e não para um grupo restrito de usuários cadastrados.

Fontes e Direitos Autorais: Baboo.com – SID VICIOUS 

Material de Apoio – Apresentações


Salve, Salve Comunidade!!!!

Que bom que esta chovendo, Graças a Deus, pois aqui em São Roque também já estavamos sofrendo com a falta de água e possível racionamento.

Mas vamos ao que interessa, estou compartilhando com vocês mais um post em meu blog, com uma nova série de Materiais de Apoio desenvolvidos como Apresentações sobre Produtos e Tecnologias da Microsoft.

Dentre eles:

  • Active Directory;
  • Aplicações para Windows Phone;
  • Clico de Vida de Produtos;
  • Computação em Nuvem;
  • Exchange;
  • IIS 7.5;
  • Office 365;
  • System Center 2012;
  • Terminal Sevices;
  • Virtualização;
  • VM Ware;
  • XML e XAML;
  • Windows Phone;
  • Windows 7 e 8; e
  • Windows Server.

Boa parte deste material foi elaborado por Profissionais, Parceiros e MVPs da Microsoft para eventos voltados para área de Tecnologia da Informação. As informações continas nestes arquivos são de extrema importância e veracidade, consideradas documentação oficial de Produtos e Tecnologias.

Fiquem a vontade para compartilhar este conteúdo com sua rede de contatos, repassando conhecimento e fortalecendo cada vez mais o papel de Comunidade.

Segue abaixo a relação de arquivos:

Como clientes do BPOS podem se preparar para o Microsoft Office 365

Explorando as possibilidades de desenvolvimento no Office 365

Microsoft Exchange Online no Microsoft Office 365 Migração ao vivo!

Microsoft Exchange Server e Microsoft Office 365 Como realizar uma implantação hibrida

Microsoft Office 365 Visão Geral de implantação Office 365 O Futuro da Produtividade

Acesso a base de dados (local DB) no WP 7

Ciclo de Vida e Performance de Aplicações no WP7

Desenvolvendo Games para Windows Phone 7 com XNA e Visual

Entendendo a plataforma de desenvolvimento do Windows Phone 7

Multi-tasking en Windows Phone 7 MVVM avançado para o Windows Phone 7

Push Notifications, Tiles, camera e sensores no WP7

XAML Avançado para Windows Phone 7 WPH305

Além do Remote Desktop Services

Como montar um ambiente de alta disponibilidade com o Hyper-V

Compare as Tecnologias de Memória no VMware e Microsoft

Conheça o System Center Virtual Machine Manager 2012

Gerenciando ambientes com Vmware através do System Center Virtual Machine Manager 2012

Melhores Práticas para Implementação de “Private Cloud”

Melhores Práticas para Virtualização de Exchange 2010 VIR310

Prepare-se para o futuro da Virtualização Microsoft

Private Cloud + Public Cloud

Private Cloud na Prática

Virtualização de Aplicações com o  App-V 4.6 SP1

AppCompat sem alteração de código fonte

Gerenciando e protegendo estações de trabalho com Windows Intune

Implantação e gerenciamento do BitLocker com o MBAM

Migração e Compatibilidade de aplicações para IE9 e IE10

Consolidação de Serviços de Armazenamento com Windows Server 2008 R2 e SMB2

Gerenciando Recursos com o Windows System Resource Manager do Windows 2008 R2

Migrando Apps para IIS 7.5

O Futuro da Plataforma de Infraestrutura da Microsoft

Plataforma Windows Server para pequenas e medias empresas

Virtualização e Cenários de Cloud A tecnologia servindo aos objetivos dos clientes

Windows Server 8 Cloud Optimized

 

Mais uma vez obrigado por sua visita, espero que este conteúdo possa ser útil e ajude em suas atividades diárias.

Até amis.